Revista GGN

Assine

Nova batalha contra empreiteiras, por André Araújo

Por André Araújo

Segundo matéria de O GLOBO de hoje [abaixo], o grupo da Lava Jato irá abrir frente contra empreiteiras brasileiras que fizeram obras no exterior por supostos pagamentos de subornos a autoridades estrangeiras, o que vai causar furor politico nesses países, já citados o Peru.

Obviamente essa nova frente vai liquidar com a capacidade de empresas brasileiras obterem obras fora do Brasil, deixando o campo aberto para empreiteiras chinesas, coreanas, tailandesas, indonésias, turcas, sauditas, malaias, portuguesas, espanholas, russas, ucranianas, todas listadas no ranking das 500 maiores do mundo da revista americana Engeneerging News Record, já que não se tem informação de que os Governos desses países, onde têm sede essas empreiteiras, estejam fazendo campanha contra suas próprias empreiteiras.

Quando existe campanha anti corrupção contra contratantes de obras publicas, quem acusa são os Ministérios Públicos dos países onde essas obras são executadas, e nunca o Pais sede das empreiteiras. Não é normal Governos darem tiro nas suas próprias empresas que atuam no exterior, ao contrario, os Governos apoiam essas empresas para conseguir obras e se expandirem fora de seus territórios. A expansão é vista de forma benéfica para o país sede, gera negócios, divisas, presença econômica e diplomática, abre oportunidades de emprego para engenheiros e técnicos.

Auto mutilação de empresas nacionais será uma novidade que o Brasil apresenta ao mundo, é como aquele pai que entrega o filho à policia. A cruzada moralista paranaense continua a produzir estragos à economia brasileira. Agora no exterior, evidentemente vão pedir apoio de seus colegas nos países onde atuam as empreiteiras brasileiras para, assim, ferrá-las em duas frentes, para não deixar pedra sobre pedra na expansão dessas empresas, atacadas aqui e lá fora.

A expansão das empreiteiras brasileiras começou no Governo Militar com a Mendes Junior executando grandes obras no Iraque, depois a Mendes foi à Mauritânia e Argélia. A Odebrecht fez obras em 30 países e é a maior empreiteira de Angola, onde responde por 10% do PIB. A Andrade passou a operar na África através de uma construtora portuguesa por ela adquirida, outras medias também passaram a atuar no exterior. As empreiteiras brasileiras costumam  ser bem recebidas no exterior por sua capacidade de adaptação a países menos desenvolvidos, pela experiência acumulada no Brasil especialmente em hidroelétricas e rodovias em solos frágeis. 

Essa presença brasileira significou a exportação de materiais e equipamentos brasileiros e a construção do renome da engenheira brasileira como competitiva de boa qualidade técnica, o que não algo tão comum em construtoras oriundas de países emergentes.

Agora, o Ministério Público se encarregará de liquidar esse capital acumulado em 30 anos de atividades fora do Brasil.

***

De O Globo

Empreiteiras podem ser processadas no Brasil por corromper no exterior

Lava-Jato levanta provas com o uso de mais de 30 acordos de cooperação

As empreiteiras flagradas na Lava-Jato poderão ser processadas no Brasil por corrupção de agentes públicos estrangeiros em obras executadas fora do país. Prestes a entrar no terceiro ano, a operação já mapeou os principais caminhos da propina no país. Na rota, chegou a movimentações financeiras internacionais, que vêm sendo apuradas em mais de 30 acordos de cooperação internacional, muitos deles em países onde as construtoras têm negócios.

O procurador da República Roberson Henrique Pozzobon, um dos integrantes da força-tarefa, afirma que a Lava-Jato se torna uma teia cada vez mais “robusta”, com informações que se entrelaçam.

— Com vários países investigando, a trama vai se fechar, incorporando novos fatos e novos agentes. Não podemos ser ingênuos e acreditar que essas empreiteiras, que corromperam na Petrobras, se restringiram a corromper só no Brasil. O modelo de negócios é um modelo corrupto, replicado em outras frentes e disseminado para outros países — afirmou.

O Brasil ratificou em 2000 a Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais. Dois anos depois, o crime foi incorporado ao Código Penal, que passou a prever os crimes de tráfico de influência, promessa ou pagamento de vantagens indevidas a funcionários públicos estrangeiros em transações de comércio internacional.

Na avaliação de Pozzobon, o avanço das investigações permite ver a corrupção com mais nitidez. A base para seguir o dinheiro foi a identificação de falsos contratos de serviços ou consultoria, aliado ao superfaturamento de valores pagos a fornecedores.

— Ao contrário de contrabandistas e traficantes, que atuam à margem da lei, os empresários precisam dar uma maquiagem às suas contas. Esses contratos permitem dar baixa no dinheiro na contabilidade, gerando excedente para a propina — explica.

O operador Milton Pascowitch, por exemplo, que repassou dinheiro ao ex-ministro José Dirceu, movimentou mais de R$ 100 milhões por meio de falsos contratos de consultoria.

Para o procurador, houve um refinamento na lavagem de dinheiro no país, como o uso de inúmeras offshores (empresas fora do país), abertas em nome de terceiros. O real beneficiário surge apenas como procurador do laranja.

— No caso da Odebrecht, existiam quatro camadas de offshores até a chegada do dinheiro nas contas de Pedro Barusco ou Paulo Roberto Costa, funcionários da Petrobras — explica Pozzobon.

A Odebrecht nega ser dona das offshores e busca impedir o uso no Brasil de documentos encaminhados por autoridades suíças.

Pozzobon diz que as delações e a cooperação internacional são os trunfos da operação. Sem elas, os resultados não seriam tão rápidos. A Lava-Jato já condenou 62 pessoas e mantém outras 14 atrás das grades. Mais sete estão em prisão domiciliar.

— Temos muito a descobrir ainda no caminho das offshores — diz o procurador.

Pozzobon diz que o trânsito de dinheiro pelas offshores levará a outros fatos e agentes. O delator Roberto Trombetas contou ter intermediado pagamento de propina para a OAS, por obras no Peru e Equador. O valor supera US$ 15 milhões. No Peru, a força-tarefa que investiga obras de empreiteiras brasileiras foi batizada de Lava-dólar. Trombeta, porém, pode ter seu acordo de delação cancelado a pedido do MP

OBRAS DE ARTE PARA LAVAR DINHEIRO

Obras de artes e reformas milionárias em apartamentos estão na mira da Lava-Jato. As investigações mostram que presentes e favores pessoais são algumas das formas utilizadas por operadores do esquema na Petrobras para lavar dinheiro desviado.

Nas galerias do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, está exposta quantidade expressiva de material fruto da propina desviada dos cofres da Petrobras. São mais de 270 obras de artes apreendidas nas 22 operações da Lava-Jato. O material é estimado em R$ 40 milhões.

Peças assinadas por artistas renomados como Picasso, Di Calvalcanti e Salvador Dalí eram alguns dos presentes. Só o ex-diretor Renato Duque tinha 131 obras de artes.

Além de quadros e esculturas, lobistas assumiam o pagamento de obras e reformas em casa de políticos e diretores da Petrobras. É o caso envolvendo José Dirceu, que teve a reforma de sua casa paga pelo lobista Milton Pascovitch.

Recentemente, duas reformas colocaram o ex-presidente Lula no alvo das denúncias: as obras no tríplex no edifício Solaris, no Guarujá, e as melhorias no sítio Santa Bárbara, em Atibaia, frequentado por Lula e sua mulher desde 2011. Um dos donos é sócio do filho de Lula.

Média: 3.9 (25 votos)

Recomendamos para você

53 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de gede
gede

empreiteira estrangeiras

alguma coisa errada:

1 - As empresas estrangeiras envolvidas no trensalão fizeram acordo na justiça, beneficiando os corruptos ( psdb).

2 - A Alsthom esta se transformando em GE aqui no Brasil, sera que com a mudança se identificará os responsaveis ?

3 - As empreiteiras são exportadora de serviços ( bens intangiveis ) que diferente de mercadorias são dificeis de se valorizar, para se contabilizar propinas.

4 - Se a força tarefa não consegue verba para as operações nacionais ( deslocando-se de Curitiba) , imagine quanto não custará deslocamentos internacionais ? Quem vai pagar ? o Moro ?

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Acusador Intolerante
Acusador Intolerante

bando de empreiteiras parasitas

que nasceram na ditadura militar e viveram de parasitar o Erário, que quebrem e seus donos morram de fome

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de CB
CB

E assim a lava jato vai

E assim a lava jato vai cumprindo seu objetivo: fazer o Brasil voltar a ser uma república de bananas.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

O povo brasileiro não tem

Estarrecedor: MPF pede ajudar aos EUA para destruir Odebrecht - CLIQUE AQUI

O povo brasileiro não tem noção do que está por trás da Lava Jato, nada a ver com combate à corrupção e sim com entreguismo da direita, Moro escreveu isso em 2004(clique aqui), quando traçou os planos para a Lava Jato, dentre os quais a mídia atuando como parte interessada no processo com a recompensa de livrar os aliados dela(mídia), como também a destruição do conteúdo nacional através da desnacionalização e dilapidação da engenharia brasileira,  o que de fato está ocorrendo sob o olhar atônito de todos nós, o Globo veio com toda a carga neste domingo através de um editorial em que defende a entrega do pré-sal às multinacionais (clique aqui). Adeus 100% dos royalties para a educação e saúde, bem adeus desenvolvimento da indústria, ciencia e teconologia nacionais, que o Brasil se contente com o papel de mero exportador de matérias-primas,  as coporações americanas agradecem, pelo andar da carruagem conseguirão em Pindorama o que, para conseguir mundo afora, tiveram que jogar muitas bombas sobre a população. As pessoas não tem noção do que é destruir uma Odebrecht para entronizar suas concorrentes americanas. Muitos não sabem que a quantidade de obras e o prestígio que a Odebretch gozava, por exemplo nos EUA. Os midiotas nem sabem que quando aterrizam no aeroporto de Miami aquilo lá foi construido pela Odebretch

O vasto parque de obras da Odebrecth nos EUA

http://odebrecht.com/pt-br/negocios/nossos-negocios/odebrecht-engenharia...

Odebretch construirá metrô em Miami

http://www.aberje.com.br/acervo_not_ver.asp?ID_NOTICIA=593&EDITORIA=Geral

Seu voto: Nenhum (3 votos)

 

...spin

 

 

E assim Lava Jato vai destruindo os grandes projetos em execução

E assim Lava Jato vai destruindo os grandes projetos em execução no país!

 

Crise da Odebrecht trava projeto de submarinos

 

:

Ex-diretor da Agência Nacional do Petróleo, Haroldo Lima afirma que o projeto de construção de submarinos nucleares pelo Brasil corre o risco de abandono, em razão da crise decorrente da Operação Lava Jato, que prendeu Marcelo Odebrecht; "Todo esse projeto está dramaticamente ameaçado de ser paralisado, pelo que se sabe, por ser coordenado pela Odebrecht", diz ele; "Em decorrência, hoje, o clima em Itaguaí é de desânimo. Os homens em trabalho, que poderiam chegar a 9.000, estão reduzidos a 1.100, que se entreolham espantados, ante a hipótese de ali ficarem somente 80, protegendo aquele portento inconcluso contra furtos e roubos..."

14 de Fevereiro de 2016 às 08:27

 

247 – O projeto de construção de submarinos nucleares pelo Brasil corre o risco de ser completamente abandonado, em razão da crise enfrentada pela Odebrecht, cujo presidente, Marcelo Odebrecht, foi preso na Operação Lava Jato.

O alerta parte de Haroldo Lima, que foi diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo. Confira sua análise:

Combater a corrupção sem paralisar o país

Visito a base naval e os estaleiros em construção em Itaguaí, no Rio de Janeiro, e certifico-me de que corremos o risco de enveredarmos por um caminho gravemente equivocado de combate à corrupção. 

Por Haroldo Lima*

A partir de 2008, a Marinha do Brasil contratou o Consórcio Baía de Sepetiba, formado pela Diretoria de Construções Navais e Serviços- DCNS, uma estatal francesa de larga atividade mundo afora, e a brasileira Odebrecht Defesa e Tecnologia, especializada em engenharia de grande porte. O consórcio construiria a base onde seriam projetados e construídos submersíveis. O escopo inicial do projeto foi estabelecido: quatro submarinos convencionais e um de propulsão nuclear, este baseado apenas na tecnologia nacional, pois, nessa esfera, ninguém cede tecnologia. 

A administração dos trabalhos de construção ficou a cargo da Odebrecht Defesa e Tecnologia, que chegou a mobilizar uma força de trabalho de 6.500 homens e mulheres, mantendo uma movimentação média de 4.000 pessoas e um pico de trabalho previsto para 9.000 empregos diretos e 32.000 indiretos. Cerca de 300 empresas brasileiras forneceram materiais diversos para o complexo em construção. 

E assim, hoje, às margens da baía de Sepetiba, já estão de pé grandiosas e modernas edificações, como a Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas, e o edifício principal do estaleiro de construção dos submarinos, um gigante capaz de abrigar, a um só tempo, dois submarinos em construção. 

Dispensável lembrar como isto reforçará, em nível superior, a capacidade brasileira de defesa dos seus mares, onde estão, entre outras riquezas, nosso pré-sal e uma imensa biodiversidade. 

Pois todo esse projeto está dramaticamente ameaçado de ser paralisado, pelo que se sabe, por ser coordenado pela Odebrecht. Esta, que coordena a execução do projeto por escolha da estatal francesa DCNS, não está conseguindo receber faturas de obras já concluídas, da ordem de R$ 300 milhões, o que inviabiliza a continuidade da obra. Em decorrência, hoje, o clima em Itaguaí é de desânimo. Os homens em trabalho, que poderiam chegar a 9.000, estão reduzidos a 1.100, que se entreolham espantados, ante a hipótese de ali ficarem somente 80, protegendo aquele portento inconcluso contra furtos e roubos... 

O país sofre com a grave crise do capital internacional, iniciada em 2008 e até agora não debelada. Ao mesmo tempo combate um desmedido esquema de corrupção que agia dentro e fora da Petrobras. A produção cai, o desemprego cresce, a estagnação perdura e há o espectro da instabilidade política.

É evidente que para sair desse imbróglio há que se perseguir, com toda determinação, a retomada do crescimento, forma eficaz para espancar a crise política. Por isso é que há qualquer coisa de gravemente errado, quando se combate a corrupção paralisando o país. 

No enfrentamento do esquema corrupto que a Operação Lava Jato desmascarou, desencadeou-se um processo que teve sua eficácia, que prendeu corruptos e recapturou dinheiro público; mas que despertou dúvidas quanto a sua lisura, pelos “vazamentos” unilaterais de depoimentos sigilosos; pelo ativismo judicial invulgar, que pode sugerir magistrado tomando partido na causa; pelo tempo excessivamente longo de prisões preventivas, parecendo uso ilegal do cerceamento da liberdade para forçar confissões e acordos de delação e, enfim, pelo duvidoso acato ao princípio da presunção da inocência. Mas há outras questões graves.

A Lava Jato mostrou não apenas empresas brasileiras envolvidas em corrupção, mas também estrangeiras. Grandes estaleiros de Cingapura, a Jurong e Keppler Fels, a prestadora italiana de serviços, Saipem, e as gigantes Mitsui, japonesa, e Samsung, coreana, estão entre os envolvidos na Lava Jato. 

Ocorre que delações que levaram empresários brasileiros à prisão também foram feitas contra estrangeiros, mas, nenhum dirigente de empresa estrangeira sediada no Brasil foi preso, nenhuma de suas casas foi invadida. E enquanto as empreiteiras brasileiras, acusadas de suborno, já não podem firmar contrato com a Petrobras e o Poder público, as estrangeiras, com acusações semelhantes, continuam negociando com a estatal. A japonesa Mitsui, acusada de gestão corrupta que envolve o presidente da Câmara, nada sofreu e está se tornando sócia da Petrobras, na Gaspetro. 

Finalmente, entre as 23 empresas brasileiras que apareceram no curso das averiguações, estão as maiores de engenharia e construção pesada do país, como a Odebrecht, que está à frente das obras de Itaguaí. A Petrobras e o Poder público suspenderam relações com todas. Se forem consideradas “inidôneas”, não serão mais contratadas por órgão público, o que contribuirá decisivamente para mergulhar o país na estagnação. 

A corrupção deve ser apurada sem dúvida, os culpados exemplarmente punidos e os recursos desviados, devolvidos. Mas as empresas onde os corruptos agiam, não podem ser condenadas ao desaparecimento. Se isto ocorre, a retomada do desenvolvimento pode ficar inviabilizada a curto prazo, o que é contra o país. As saídas jurídicas, tipo acordo de leniência, impõem-se. 

Ademais, se aniquilarmos a engenharia brasileira de grandes obras, estaremos graciosamente entregando toda essa faixa do mercado nacional a empresas estrangeiras. E ante o mundo incrédulo com tamanho absurdo, passaríamos a ridícula idéia de que, a nosso juízo, os grandes empresários brasileiros são corruptos e os estrangeiros honestos!!

Punir os culpados é necessário. Mas é necessário também salvaguardar a Petrobras, as grandes empresas nacionais de engenharia e retomar o crescimento do país. 


*Haroldo Lima  é engenheiro, foi deputado federal pela Bahia e diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Bicombustíveis, e é da Direção Nacional do PC do B

Seu voto: Nenhum (2 votos)

webster franklin

"Nossos" engenheiros

nunca mostraram nada próximo de algo que pudesse ser descrito como "consciência política", mínima (coisa de "comunista", ou "de humanas") quem dirá noção de geopolítica - estão à toa de "nossos" promotores!

Em tempo, nossos engenheiros não fazem estradas que suportam chuvas! Ou seja, são cúmplices, pertencem à mesma quadrilha de achacadores do dinheiro público, há décadas.

"Nossos" engenheiros parecem confortáveis em virar empregadinhos de multinacionais. O "script", de novo, promotores e engenheiros, é estilo "sessão da tarde".

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Argumento baseado na redução ao absurdo é um absurdo.

Procurando contradizer o excelente artigo do André Araújo, que desenvolve uma linha de raciocínio apoiada por muitos, para não dizer a maioria, dos que acompanham este blog, Diogo Costa diz:

“...Enquanto alguns e outros derramam lágrimas copiosas, compungidos com a situação de multibilionários empreiteiros, centenas de milhares de desgraçados e de desventurados desdentados, sem eira e nem beira, estão socados nos calabouços do Brasil, mediante prisão provisória!

Aos multibilionários megaempreiteiros do Brasil, nossa solidariedade; aos desgraçados atirados nos presídios por pegar uma bicicleta ou um desodorante, o nosso mais disfarçado esquecimento...”

Esta é uma típica forma de argumentar usando o método da prova por redução ao absurdo, do latim reductio ad absurdum. Como é um absurdo não defender as “ centenas de milhares de desgraçados e de desventurados desdentados, sem eira e nem beira” , então é errado defender “multibilionários empreiteiros”, e suas empresas.

O erro deste argumento é que ninguém aqui, e muito menos o André Araújo, deixa de defender os desventurados, para só defender os bem aventurados. Se isto não é colocado no artigo é porque este é simplesmente o que é :um artigo, não uma dissertação acadêmica. Não se exija pois ao autor professar insistentemente seu apoio a uma sociedade mais justa, e seu repúdio à existência de uma sociedade com tantos “desventurados desdentados”.

Muito pelo contrário, quando se defende as empreiteiras nacionais e seus “multibilionários empreiteiros”, defende-se exatamente porque elas tem um papel importante para melhorar a vida destes milhares de desventurados, além de um papel geopolítico muito importante para a nossa existência como nação livre e soberana.

Aliás, se estivéssemos a discutir uma dissertação acadêmica, Diogo Costa seria instado a apresentar as referências bibliográficas confiáveis nas quais se baseia para dizer que nos outros países faz-se a mesma coisa que se está fazendo no Brasil. Tenho certeza que não conseguiria, e seu comentário deveria ser deletado pelo bem da coerência e da verdade.

Por fim eu diria: Deuses tenham piedade dos que falando em seus nomes cometem tanta barbaridade!

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Ditador, censor e vigarista

Quem é tu para dizer se um ou outro comentário deve ser mantido ou deletado? 

Crie vergonha na cara seu picareta mequetrefe. A ditadura já acabaou faz tempo e não será um paspalho da tua iguala, sabe-se lá com qual motivação espúria e inconfessável, que irá pautar o debate neste blog, e muito menos censurar a quem quer que seja.

Que tu era um coitado já se sabia há muito tempo. Mas que tu é um infeliz que, ao perder o debate, apela para a censura pura e simples, para mim é uma novidade. 

Por fim, como o teu estilo de verme rastejante denuncia, cobras de mim referências bibliográficas, sendo que apenas fiz um comentário. Tu deverias, se não fosse um platelminto qualquer, cobrar referências bibliográficas de quem escreveu o post. 

Pelo bem da coerência e da verdade tu deveria pedir desculpas por ser um vigarista autoritário e prepotente, por ser um defensor da censura num blog como este, do Nassif, em pleno ano de 2016. 

Lamento que tu tenha apelado ao perceber que perdeu de forma fragorosa e inapelável o debate em questão. E mais, para finalizar, quem te deu o direito de falar em nome dos que supostamente adotam esta ou aquela linha de raciocínio?

Tome tenência, rapaz. 

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Diogo Costa

imagem de Rodrigo S
Rodrigo S

E quanto às obras estaduais e

E quanto às obras estaduais e municipais? Ou é tudo santinho?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Engenheiros denunciam: Lava Jato está promovendo desmonte da ind

Engenheiros denunciam: Lava Jato está promovendo desmonte da indústria nacional

"Estamos diante de um sinistro ataque ao Brasil.

A operação Lava Jato, sob pretexto da necessária luta contra a corrupção, está promovendo um desmonte das grandes empresas nacionais de engenharia.

É o que denuncia a Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros.

Sob aplausos de uma multidão manipulada pelos meios de comunicação, o Ministério Público e o Judicário mais caros do mundo estão solapando a economia nacional, destruindo empregos e empresas estratégicas.

E tudo isso para que?

Para combater a corrupção?

Não."

Ssegue link

http://dialogopetroleiro.com.br/engenheiros-denunciam-lava-jato-esta-pro...

Seu voto: Nenhum (9 votos)

 

...spin

 

 

imagem de j.marcelo
j.marcelo

Globo e seus pau mandados

Globo e seus pau mandados estão acabando com o Brasil!!!

Um absurdo o prejuízo causado a economia por essa operação POLÍTICA/PARTIDÁRIA Lava jato!

Cadê os verdadeiros homens de bem deste País?Muitos pais de família estão perdendo o emprego!

VERGONHA UM PAÍS SE CURVAR A UMA EMPRESA DESTA E SEUS PAU MANDADOS!!!!

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Rafael Bernardino
Rafael Bernardino

Não é bem assim...

Esse link abaixo tem a lista de empresas americanas processadas por pagamento de propina a autoridades estrangeiras. Processadas nos EUA, pra ficar claro. Pode-se discordar mas não dizer que outros países não fazem.

http://www.sec.gov/spotlight/fcpa/fcpa-cases.shtml

Posso estar enganado mas o caso dos trens paulistas começou porque a empresa alemã teve problemas por isso na própria Alemanha.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Euler Conrado
Euler Conrado

Está na cara que essa

Está na cara que essa operação lava-jato, tocada por meia dúzia de mauricinhos oriundos de uma classe média recalcada e frustrada - por não conseguirem se tornar bilionários e por perceberem a ascensão dos mais pobres no Brasil - quer detonar a economia do país. Ideologicamente de direita, essa turma quer que o Brasil governado pelo PT quebre. Trata-se de uma mentalidade colonialista, que não aceita que empresas brasileiras façam aquilo que empresas estrangeiras fazem com o apoio dos seus governos. Por que esses mauricinhos não fiscalizam o papel e a ação das empresas estrangeiras aqui no Brasil? Por que não investigam as enormes remessas de lucros dessas empresas para o estrangeiro, além das propinas pagas para ganhar concorrência, como no caso do Trensalão de SP, totalmente impune? Por que não vão atrás dos grandes sonegadores de impostos, sobretudo banqueiros e barões da mídia, que deixam de recolher aos cofres públicos dezenas de bilhões de reais anualmente? Simplesmente porque estão a serviço da Casa-grande. Querem ser premiados pela Globo e se esforçam para agradar aos donos do PIB no Brasil e no mundo. E infelizmente, ao que parece, não há instituições e instrumentos legais no Brasil capazes de coibir essa ação nefasta desse estado paralelo lesa-pátria.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Alguma coisa está errada,

Alguma coisa está errada, como pode, ao custo de se recuparar 1 bi roubado da Petrobrás,  esse processo que promete se arrastar até o final de 2018  já ter causado prejuizos inestimáveis

Deu no insuspeito G1: Lava Jato deu prejuizo de mais de 200 bi de reais, isso até agosto de 2015

http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/08/impacto-da-lava-jato-no-pib...

Outra dúvida: como se explica que o caso trensalão de SP não tenha se arrastado por tanto tanto tempo, não tendo sido politizado como ocorreu com o "petrolão"

Também do insuspeito G1

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/12/apuracao-sobre-cartel-em-s...

 

Seu voto: Nenhum (19 votos)

 

...spin

 

 

Grande empresa brasileira da

Grande empresa brasileira da construção pesada está demitindo e transferindo sua sede para a Espanha.

Seu voto: Nenhum (17 votos)

webster franklin

Derrocada na cotação do petróleo impacta mais que a Lava Jato

DESINVESTIMENTO E PRODUTO INTERNO BRUTO 

Investimentos da Petrobras:

2013: R$ 104,5 bilhões
2014: R$ 81,5 bilhões
2015: R$ 68,1 bilhões

O ano de 2013 marcou o pico de investimento da empresa. Em 2014 o investimento caiu 22,0% e no ano passado houve nova queda, de 16,4%.

A participação do segmento de petróleo e gás natural no PIB do Brasil aumentou de 3% em 2000 para 12% em 2010 e chega a aproximadamente 13% nos dias de hoje.

Com base nisso, e também no fato de que a Petrobras responde por quase 10% do investimento feito no país, se percebe a causa primeira da estagnação em 2014 e da queda do PIB em 2015. 

Estes desinvestimentos tem mais a ver com a derrocada no valor do barril de petróleo (queda de 75% em 18 meses) do que com processos de corrupção.

O desinvestimento no setor petrolífero mundial é generalizado. 

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Diogo Costa

A Lava Jato é uma Mãos Limpas piorada e bem piorada

Diogo, obrigado pelo esclarecimento quanto ao problema gerado pela queda do preço do petróleo aprofundando a crise e a queda do PIB, por outro lado o que a Itália com sua "Mãos Limpas" pode nos ensinar, e  o que sabemos é que a  Lava Jato, por seu furor destrutivo e caolho, que não enxerga tucano e por isso não se trata de combate a corrupção e se sim de uma ferramenta para ajudar o PSDB, é uma Mãos Limpas piorada e bem piorada

"(...)

A economia italiana custaria a se recuperar da Mãos Limpas. O PIB do país voltou a crescer, mas com a 19ª taxa da zona do euro. Em meio ao fortalecimento dos extremos ­ Beppe Grillo e Liga Lombarda ­, a Itália já passou por seis gabinetes desde a operação. O atual primeiro­ ministro, Matteo Renzi, um ex­prefeito de Florença do Partido Democrata, de centroesquerda, empreendeu nova reforma do sistema político para diminuir sua fragmentação, reduziu impostos e cortou gastos na tentativa de atrair investimentos.

Numa entrevista recente ao "l'Humanité", o escritor Umberto Eco relembrou os anos da "Mani Pulite": "Fiquei excitado. Seguia tudo na televisão. Víamos os poderosos da época tremer. Foi um grande espetáculo. Foi também a época em que começamos a compreender que os socialistas do PSI de Bettino Craxi exageraram na sua sede de poder. Ficamos mais ou menos contentes. Acreditamos que acabaríamos com a corrupção, mas ficou pior. Naquela época se roubava para os partidos. Hoje se rouba para si mesmo. É o que Zygmunt Bauman chamou de a 'sociedade líquida'. Não há mais ideologia, nem estruturas coletivas com as quais é possível se identificar. Cada um quer, acima de tudo, parecer".

Ao comentar o governo Renzi, Eco resumiu os efeitos políticos da Mãos Limpas para a geração que debutava na vida cívica do país àquela época: "Pode­se ou não estar de acordo, mas ele imprimiu à vida política italiana uma ritmo diferente. Introduziu a rapidez (...) Nessa velocidade, se comete todo tipo de erro, mas ele mudou algo. Renovou a classe dirigente".

Vinte e três anos depois da Mãos Limpas, Eco lançou "Numero Zero" (Record, 2015), romance ambientado naquele eletrizante 1992. É uma paródia de teorias conspiracionistas que movem a imprensa, o Judiciário e a vida das pessoas.

Ambientado numa redação de jornal, criado para ameaçar e extorquir gente envolvida em escândalos, o romance é permeado por conspirações que moveram a Mãos Limpas e, aqui e ali, encontram guarida na Lava­Jato. Pela voz do diretor de redação, reedita a do imperialismo ianque: "Há quem diga que, depois da queda do Muro de Berlim e do desmantelamento da União Soviética, os americanos já não precisam dos partidos que podiam manobrar e os deixaram nas mãos dos magistrados, ou, talvez, poderíamos arriscar, os magistrados estão seguindo um roteiro escrito pelos serviços secretos americanos".

Pela voz de um de seus personagens, Eco mostra como está longe a sociedade idealizada por Alberto Vannucci, em que pressões de baixo criariam as condições para que as normas anti­corrupção se incorporem à cultura política: "A única preocupação de cidadãos decentes é como evitar pagar impostos". Ao revelar sua disposição de deixar o país, a personagem ouve do namorado, um jornalista chantageador, o vaticínio preconceituoso do que a Itália pós­ Mãos Limpas corria o risco de virar: "A Itália está paulatinamente se transformando num paraíso do qual você quer ser banida. Quando nosso país finalmente se juntar ao Terceiro Mundo, a vida vai ficar mais fácil".

Resenhista de "Número Zero" para o "New York Times", o escritor Tom Rachman diz que, quando chegou à Itália para trabalhar como jornalista, uma década depois de finda a Mãos Limpas, espantou­se ao descobrir que, para algumas pessoas, os vilões daquela história eram os magistrados e não aqueles alvejados pelas denúncias.

Foi isso que explicou, em parte, a popularidade desfrutada por Berlusconi, que vivia em guerra aberta contra o Judiciário. Na Itália, diz Rachman, não se espere dos escândalos de corrupção atos de contrição ou resignação. "É um país em que os escândalos bifurcam a história, com linhas paralelas que nunca se cruzam, culpas não assumidas, rompimentos nunca concretizados e pouca regeneração como resultado".

* Maria Cristina Fernandes, jornalista do Valor, escreve neste espaço quinzenalmente

 

http://www.jornalggn.com.br/noticia/a-governanca-da-corrupcao-por-maria-...

Seu voto: Nenhum (4 votos)

 

...spin

 

 

imagem de Maria Rita
Maria Rita

Eles estão passando tanto dos

Eles estão passando tanto dos limites que sugiro que criem uma força-tarefa para investigarem a si próprios. Desde a cumplicidade com delatores, os relatórios feitos à agências norte-americanas, os acordos com a Suíça, depois de receberem um carão daqueles dos suíços, a reforma da cozinha gourmet na PF de Curitiba, os grampos na cela do Youssef, a forçação de barras para quebrar economicamente o Brasil.  Só aí já tem material para o Delagnol criar suas projeções e esquemas para o show da mídia. Enfim,  uma autoinvestigação sobre o crime de prevaricação. O Moro está conseguindo criar o Muro de Curitiba aqui no país.O muro de Moro, cheio de sujeiras escondidas e enterradas.

Seu voto: Nenhum (11 votos)

Senhor, tende piedade de nós

O Brasil é signatário da Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais desde o ano de 2000. 

Essa convenção da OCDE tem com signatários dezenas de países (quase 50), entre eles o Reino Unido, a Alemanha, a Argentina, o Brasil, a Holanda, o México, o Chile, os EUA, o Canadá, a Itália, a França, o Japão, a Coreia do Sul, etc. 

Há inúmeros casos de empresas dos EUA, que estão sendo processadas pelas autoridades norte-americanas com base na Convenção aludida, entre elas a Biomet, a KBR, a Alcoa, etc.

Na Alemanha a Siemens (o caso mais emblemático entre outros vários) foi processada, em 2006, com base nos termos dessa Convenção, pelas autoridades daquele país. 

Mais do que isto, em praticamente todos os países da OCDE e em quase todos os países signatários da Convenção sobre suborno no exterior, há empresas sendo investigadas e punidas pelas autoridades locais. 

Além disso, há empresas sendo processadas por países terceiros em função de casos de corrupção e suborno no exterior.

Surge novamente o caso Siemens, que junto com empresas como Total, Daimler e outras tantas, estão sendo processadas ou já foram processadas nos EUA em função dos parâmetros da Convenção da OCDE, que entrou em vigor em 1999.

De modo que as afirmações do autor do post, bem intencionadas, não resistem a uma mera pesquisa de alguns poucos minutos. 

O que os procuradores querem fazer agora, em relação às empreiteiras, diz respeito ao nosso Código Penal, onde está tipificado o suposto delito e, obviamente, diz respeito a Convenção da OCDE, que já é aplicada nos países signatários há mais de uma década. 

Quando digo: "Senhor, tende piedade de nós", é porque é quase inacreditável que alguém em sã consciência consiga imaginar que a Siemens, a Total ou outras mega empresas de alcance mundial quebraram porque foram submetidas a julgamento por autoridades de seus países ou de países terceiros. 

Essas empresas transnacionais tem bilhões e mais bilhões de dólares, reais, ienes ou euros em caixa (fora o que está em paraísos fiscais e em empresas offshore de fachada).

O dinheiro de suborno, para essas corporações, é igual ao dinheiro com o qual algum Zé Ninguém pede uma pinga na venda da esquina. 

Enquanto alguns e outros derramam lágrimas copiosas, compungidos com a situação de multibilionários empreiteiros, centenas de milhares de desgraçados e de desventurados desdentados, sem eira e nem beira, estão socados nos calabouços do Brasil, mediante prisão provisória! 

Aos multibilionários megaempreiteiros do Brasil, nossa solidariedade; aos desgraçados atirados nos presídios por pegar uma bicicleta ou um desodorante, o nosso mais disfarçado esquecimento... 

Senhor, tende piedade de nós. 

Seu voto: Nenhum (11 votos)

Diogo Costa

Me indique alguma dessas

Me indique alguma dessas empresas estrangeiras investigadas que por causa do processo entrou em fase de  recuperação judicial e passou a ser considerada pelo mercado como de futuro incerto. Me diga qual empresa estrangeira começou a

desmontar sua estrutura com a venda de seus ativos deixando na pratica de operar no setor principal de suas atividades,

 entrando em um processo de liquidação com  demissão de seus engenheiros e pessoal técnico e desemprego em massa de seus funcionarios.

Nenhuma empresa que sofre esse tipo de processo em paises estrangeiros está em risco de paralisia ou extinção, muito menos entrou em processo de recuperação judicial enquanto no Brasil todo setor de engenharia de onbras publicas e grandes projetos está em fase terminal. Empresas no estrangeiro NÃO SOFRE CAMPANHA DE EXTERMINIO, são processados por um fato determinado, fazem acordo, pagam a multa e acabou, a empresa continua a operar normalmente.

A referida convenção da OECD tem entre seus signarios a Russia e não se tem conhecimento que o Estado russo esteja processsando por corrupção alguma de suas grandes empresas.

Portanto a OPERAÇÃO sem fim que se promove no Brasil não é identica aos processos individuais contra empresas estrangeiras dentro da Convenção da OECD, as empresas não são demonizadas com shows mediaticos e procuradores mais policias dando entrevistas com powerpoint para mostrar como as empresas são más.

Seu voto: Nenhum (10 votos)

Não conheço nenhuma empresa

Não conheço nenhuma empresa estrangeira dessas investigadas que por causa do processo entrou em fase de  recuperação judicial ou paralizou suas atividades. Como exemplo cito Alstom, Bombardier, Siemens, Brascan, Halliburton entre outras. 

Seu voto: Nenhum (16 votos)

webster franklin

Citadas na Lava Jato, empresas estrangeiras são impunes

Para não fugir à regra, a própria Lava Jato as poupou, o que se insere nos planos de Moro traçados no longíquo 2004, quando ele registrou que a Lava Jato seria usada para desnacionalizar a economia, ta no artigo do Nassif, A Lava Jato como operação de guerra - clique aqui

Citadas na Lava Jato, empresas estrangeiras são impunes

http://www.brasil247.com/pt/247/economia/183585/Citadas-na-Lava-Jato-emp...

Seu voto: Nenhum (11 votos)

 

...spin

 

 

imagem de Paulo Ress2
Paulo Ress2

Se eu fosse o André Araújo

Se eu fosse o André Araújo (autor artigo), pediria desculpas pela ignorância e agradeceria a excelente argumentação do Diogo Costa.

Seu voto: Nenhum (21 votos)

A arte do convencimento

É difícil mostrar algo a quem não consegue ver. São tantos casos c/ pessoas na esquerda e direita...

Assisti algumas vezes o Manhattan Connection e pensei que seria tão bom uma pessoa qualificada da esquerda lá p/ contrapo-los (L. F. Veríssimo, por ex.). Mas, acho que seria um diálogo de monólogos ou que só causaria um enfarte no Veríssimo.

 A única constatação que chego é que falta programa de debates c/ pessoas qualificadas de visão opostas.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

???

Essas empreiteira são as responsáveis pela eleição de uma parcela considerável de deputados e senadores da oposição e situação. No entanto ninguém as defende, o governo devido as consequências econômicas passou a ter uma ação tímida. 

Quanto a oposição, neoliberal, estão vendo o fim da engenharia brasileira e seu financiamento simplesmente preferem deixam o maremoto acontecer. 

As empreiteias como capital suficiente para comprarem da mídia sua defesa se deixa destruir. 

Tudo é estranho, devemos ter uma nova analise sobre a relação de poder que conhecíamos. Um novo tempo surge.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

George Vidipó

Genesis!

Quem possibilitou essa cruzada moralista? Ou melhor, porque nenhum governo deixou isso acontecer antes?

Quem deixou chegar nesse ponto com sua cegueira e incompetência absurda?

Quem viu o MP brasileiro ir entregas provas nos Estados Unidos e não fez nada? Omitiu-se vergonhosamente em uma situação que reputo como 'traição', crime lesa-pátria!

Quem está afundando o Brasil? A CIA, o NSA, ou não precisa nada disso?

É a nossa 'Primavera', a 'Primavera  Brasilis', do crude que iria tirar o Brasil do subdesenvolvimento e das desigualdades!

É a destruição do pouco que temos, incrivelmente, patrocinada pelo proprio estado em meio a uma crise mundial cavalar!

Quando veríamos isso nos Estados Unidos, Europa ou qualquer outra parte do mundo?

NUNCA!

Porque lá não tem corrupção? NÃO! Tivemos vários casos mundo afora, mas que, pelo calibre das empresas, foram rapidamente abafados após a punição de responsáveis!

Deve-se punir os corruptos, não empresas consolidadas ao longo de gerações que sustentam o pais e criam uma cadeia produtiva única - Petrobras é o melhor exemplo!

É crível pensar o Japão fazendo algo semelhante com a Hitachi ou Sony!

"Temos no Brasil a incompetência sistêmica instalada e isso vai custar caro! "

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de C.Paoliello
C.Paoliello

País + corrupto do mundo

É preciso ser muito desinformado para achar que não há corrupção nos EUA. Apenas estão legalizadas por grandes lobistas e por isso não são consideradas criminosas as ações corruptas do tipo Enrhon e outras. Veja, pelo menos, o filme em cartas "A grande aposta", talvez nele vc aprenda um pouquinho sobre os "inocentes" estadunidenses. Ou "O lobo de Wall Street", "The Corporation", "Inside job", entre muitos outros.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

André, VC que tem boas

André, VC que tem boas relações com os americanos. Alguma chance desses procuradores atuarem como proxy de agentes estrangeiros , em especial, americanos (agindo com dolo pra prejudicar essas empresas)? Ou são apenas idiotas úteis a interesses daquele e outros países, quero dizer, estão fazendo um trabalho voluntário de lesa pátria?

Eu ainda quero saber qual o pote de ouro prometido a esses caras no fim do arco íris dessa operação.

Seu voto: Nenhum (15 votos)
imagem de Marcoshr
Marcoshr

EUA mandam em boa parte da PF

Procure a entrevista de 2004 do Carlos Costa, ex-diretor do FBI no Brasil, em que ele afirma que os americanos tem a polícia federal brasileira no bolso, e a preço de banana. E segundo ele, "quem paga, manda".

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Evaristo
Evaristo

Brasil, país que se auto mutila

Um verdadeiro tiro no pé da economia brasileira. Se os procuradores estadunidenses fizessem o mesmo, não restaria sobraria nenhuma empresa lá. E as que corromperam no Brasil como a Hitachi, Bombardier, Alstom, Siemens, entre outras, nada? E as empresas estrangeiras da Lava Jato, não vão investigar? Cada vez mais claro o objetivo dessa operação, acabar com o PT, o governo, as empresas nacionais, Petrobras e colocar o Brasil de joelhos perante os Estados Unidos. A espionagem da NSA na Petrobras e a captura do MPF e de juízes brasileiros pela CIA por enquanto está dando certo. Até quando vamos assistir destruírem o nosso país passivamente em nome do combate à corrupção?

Seu voto: Nenhum (10 votos)
imagem de Evaristo
Evaristo

Brasil, país que se auto mutila

Um verdadeiro tiro no pé da economia brasileira. Se os procuradores estadunidenses fizessem o mesmo, não restaria sobraria nenhuma empresa lá. E as que corromperam no Brasil como a Hitachi, Bombardier, Alstom, Siemens, entre outras, nada? E as empresas estrangeiras da Lava Jato, não vão investigar? Cada vez mais claro o objetivo dessa operação, acabar com o PT, o governo, as empresas nacionais, Petrobras e colocar o Brasil de joelhos perante os Estados Unidos. A espionagem da NSA na Petrobras e a captura do MPF e de juízes brasileiros pela CIA por enquanto está dando certo. Até quando vamos assistir destruírem o nosso país passivamente em nome do combate à corrupção?

Seu voto: Nenhum (11 votos)

Tudo isso poderia está

Tudo isso poderia está abafado sem maiores consequências e nós enganados achando que éramos um país corrupto mas não tanto assim. A econômia, bem a econômia caminhando para sair da recessão, a presidenta trabalhando para manter e gerar novos empregos. Mas um tal de republicanismo incosequente iniciado nos governos Lula e continuado nos governos Dilma, cuja expressão maior é a tal escolha classista do procurador geral mediante o voto de uma categoria corporativista, altamente aquinhoada com os mais espúrios privilégios, com muitos de seus membros envolvidos até o talo nos esquemas de corrupção de vários governos, tendo até uma se fazendo de doida pra melhor passar, está mergulhando o país num caos economico sem precedentes e não há nenhuma luz no fim do túnel que ponha fim nessa fanfarra. A gente bem que tenta olhar para o STF, mas o STF, salvo dois ou três ministros é uma lástima e dele nada se pode esperar, especialmente depois do papel ridículo que fez durante o julgamento da ação penal 470.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

 "Se eu tiver que escolher entre um amigo e um oprimido, eu fico com o oprimido. Eu tenho lado e não escondo! Não sou daqueles que ficam em cima do muro para agradar lad

Foi feito pra isso, sim... parte 2

E o ínclito procurador confessa que a Lava Jato foi feita para atingir apenas um lado do espectro político:

"— Com vários países investigando, a trama vai se fechar, incorporando novos fatos e novos agentes. Não podemos ser ingênuos e acreditar que essas empreiteiras, que corromperam na Petrobras, se restringiram a corromper só no Brasil. O modelo de negócios é um modelo corrupto, replicado em outras frentes e disseminado para outros países — afirmou"

Se não são ingênuos e acreditam que as empreiteiras adotam o mesmo modus operandi no exterior, como sustentar que as mesmas empreiteiras corromperam apenas em licitações do governo federal, no período posterior a 2003, e não corromperam antes ou nas centenas de licitações com governos estaduais ou municipais Brasil afora?

Como sustentar que as doações registradas no TSE são sujas para determinados partidos e limpas para outros?

"Foi feito pra isso, sim!"

 

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Bingo

Na mosca

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Inconveniente
Inconveniente

Legislação moderna

LEI Nº 12.846, DE 1º DE AGOSTO DE 2013.

Dispõe sobre a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a administração pública, nacional ou estrangeira, e dá outras providências.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

CAPÍTULO I

DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 1o  Esta Lei dispõe sobre a responsabilização objetiva administrativa e civil de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a administração pública, nacional ou estrangeira.

Parágrafo único.  Aplica-se o disposto nesta Lei às sociedades empresárias e às sociedades simples, personificadas ou não, independentemente da forma de organização ou modelo societário adotado, bem como a quaisquer fundações, associações de entidades ou pessoas, ou sociedades estrangeiras, que tenham sede, filial ou representação no território brasileiro, constituídas de fato ou de direito, ainda que temporariamente.

 

A nova legislação brasileira anti-corrupção, apenas elevou o combate à corrupção no Brasil ao nível do que já é praticado em todo o mundo civilizado.

O Foreign Corrupt Practice Act americano é da década de 70 e todo ano condena centenas de empresas americanas por prátic de corrupção fora de suas fronteiras. O Walmart está indo embora do Brasil porque foi condenado lá por corrupção aqui.

Todos países da CE também tem as mesmas leis para corrupção fora de suas fronteiras : Siemens, Alstom e outras já foram condenadas por isto.

O Brasil não etá inventando nada, apenas se igualando ao que já se pratica em todo o mundo.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de j.marcelo
j.marcelo

As empreiteiras e os

As empreiteiras e os empresários prejudicados pelo caos político e econômico

incentivado pela GLOBO,deveriam é contra atacar essa emissora antinacionalista,

ELES PARECEM GOSTAR DE APANHAR!!! REAJAM PELO BRASIL!!!!!

Seu voto: Nenhum (10 votos)

Me suicida que eu gosto... ou

ou.... Um ataque ao bom senso pode significar que não há saída. O fracasso se delinea.

Uma materia dessas não é de graça.. O procurador está passando um recado: "Até agora as delações não chegaram a bom termo, precisamos de mais. Vai custar mais caro se não cooperarem, podemos ser mais inconsequentes."

E fico surdo de tanto ouvir o barulho que algumas instituições nacionais fazem com seu mutismo.

 

Seu voto: Nenhum (11 votos)
imagem de Fabiano D.
Fabiano D.

Me parece muito simples qual

Me parece muito simples qual é a intenção da oposição e da mídia com essa sanha inquisidora: Eles devem ter firmado acordos com gente muito graúda, aqui dentro e lá fora, para entregar o patrimônio brasileiro a preço de banana, em troca de uma propina morbidamente obesa. Como perderam a eleição em 2014, estão desesperados para fazer seus acordos valerem o quanto antes.

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Me lembro que na década de 80

Me lembro que na década de 80 muitos conhecidos meus foram para o Iraque para trabalhar na Mendes Junior. Faziam a vida por lá e retornavam. Na sequência veio a invasãodo Iraque e, pelo visto, a Mendes Jurnior foi expulsa do Iraque pelos invasores americanos, pelo menos nunca mais vi alguém falando em ir para o Iraque trabalhar em empresa brasileira. Interessante se notar que os EUA não precisaram invadir o Brasil com armas para conseguir o que conseguiram no Iraque: entronizar suas empresas por lá. Bastaram usar os serviços de inteligência e contar com a burrice(ou sei lá o que) do nosso sistema midiático-penal. Uma simples informação passada pelo Tim Sam ao Janot resltou na prisão do Comandante Othon e em consequência o sepultamento de projetos na área nuclear e construção de submarinos. Ainda há quem apoie essa turma de ensandecidos.

Seu voto: Nenhum (8 votos)

 

...spin

 

 

imagem de cícero Lobato
cícero Lobato

Alerte à miopia dos nossos

Alerte à miopia dos nossos tribunais de justiça em relação aos interesses geopolíticos dos americanos e europeus, pois continuando iremos retroceder 36 anos e os engenheiros brasileiros comerão capim ou seja retornarão ao campo e pobres.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Marcelo R S
Marcelo R S

Noutro pais esses

Noutro pais esses engomadinhos do MPF e cia já teriam sido fuzilados por tramarem contra interesses dos chineses, por aqui há quem os aplauda

Seu voto: Nenhum (16 votos)
imagem de anarquista sério
anarquista sério

Comentário espetacular. Nada

Comentário espetacular. Nada a acrescentar. Mas deixa uma lacuna que o articulista não se envolve.

  Termina sua coluna assim :

  ''Recentemente, duas reformas colocaram o ex-presidente Lula no alvo das denúncias: as obras no tríplex no edifício Solaris, no Guarujá, e as melhorias no sítio Santa Bárbara, em Atibaia, frequentado por Lula e sua mulher desde 2011. Um dos donos é sócio do filho de Lula.''

                E ?

Seu voto: Nenhum (13 votos)

Estas palavras ao final do

Estas palavras ao final do artigo não foram ditas ou escritas pelo André Araujo.  Elas pertencem ao artigo de O Globo por ele citado e reproduzido. A visão e opinião daquele jornal é obviamente muito diferente da do articulista.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Fabiano D.
Fabiano D.

E nada. Ele termina o texto

E nada. Ele termina o texto simplesmente com a citação da reportagem do Estadão, que é quem levanta essa teoria aloprada. Não há nada que envolva Lula, que não é dono de nenhum dos dois imóveis. Esta nova operação da Lava Jato deveria se chamar "Cabelo em Ovo".

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de anarquista sério
anarquista sério

Ah,vá !  Fala sério !

Ah,vá !

 Fala sério !

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Ze Guimarães
Ze Guimarães

Vão acabar com tudo

Agora que sentiram o gosto pela destruição desvairada e sem limites, não vão parar. Ou melhor, só vão parar quando a última grande empresa brasileira tiver virado pó. É a política de terra arrasada, adotada por Roma antiga, na qual se salgava o solo adversário, para que nunca mais nada crescesse lá.

Ao povo pelo visto, só resta a tática adotada pelos russos contra Napoleão. Os russos na época queimaram Moscou e fugiram para a floresta. Quando Napoleão chegou a capital russa, não encontrou nenhuma casa para seus soldados se esconderem do frio do inverno, e morreram em sua maioria de frio.

No nosso caso, seria um pouco diferente. Só restaria ao povo, reduzir a taxa de natalidade a tal ponto que o país passasse a absorver o desemprego, rapidamente. E para o governo republicanista, ficaria o déficit, por ter se rendido ao inimigo e não ter feito nada.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Fabiano D.
Fabiano D.

O povo poderia, em vez disso,

O povo poderia, em vez disso, fazer duas coisas muito eficazes: 1. Parar de comprar esses jornais e revistas, e de assistir a essas emissoras de televisão. 2. Parar de votar nesses canalhas que querem entregar tudo. Infelizmente, eles têm seu público cativo, fervorosos fiéis da Igreja da Demonização do PT.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Ze Guimarães
Ze Guimarães

E resolveria?

Caro Fabiano. Parar de comprar jornais, ou parar de asistir à rede golpe de TV, já tem sido feito, sem resultados alguns. A tal ponto que a queda de audiência tem sido gigantesca. Mesmo que ninguém mais comprasse, ou assistisse, eles continuariam sendo financiados, pelos bancos, que tem interesse no fim do PT, pelos EUA, e pela CIA. Continuariam existindo.

E parar de votar, também já foi feito, desde 2002. Hoje, o partido que mais apoia os golpistas, é o próprio PT, com seu republicanismo, ao reconduzir o tucano Janot à Procuradoria Geral da Reública, idem posso dizer ao Ministro da Justiça Cardozo, e muitos outros atos republicanistas.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Fabiano D.
Fabiano D.

O povo poderia, em vez disso,

O povo poderia, em vez disso, fazer duas coisas muito eficazes: 1. Parar de comprar esses jornais e revistas, e de assistir a essas emissoras de televisão. 2. Parar de votar nesses canalhas que querem entregar tudo. Infelizmente, eles têm seu público cativo, fervorosos fiéis da Igreja da Demonização do PT.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Ibanez
Ibanez

E as empreiteiras e a elite

E as empreiteiras e a elite produtiva do país vão ficar em silêncio? A operação Lava-Jato é uma operação de sabotagem e não de combate a corrupção e ninguém faz nada?!

Seu voto: Nenhum (12 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.