Revista GGN

Assine

Por trás da operação Aécio, a sombra de Serra

Por trás do vazamento da delação da JBS, ontem, pode estar uma velha disputa entre o grupo de José Serra e o de Aécio Neves na Polícia Federal.

Hoje de manhã foi deflagrada a operação contra o senador Aécio Neves, autorizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) e com pedido de prisão de sua irmã Andréa Neves. A operação já estava marcada há dias. Por isso, há suspeita - na PF - de que o vazamento tenha sido uma tentativa desesperada do grupo de Aécio, na PF ou na PGR (Procuradoria Geral da Repúbica) de avisar os alvos para se desfazerem de provas.

Ontem por volta das 16:30 houve uma reunião tumultuada entre o delegado geral da PF Leandro Daiello e o grupo. Temia-se que a operação pudesse ser cancelada. Não foi.

Aécio fincou pé na PF depois que foi alvo de armação do grupo do senador José Serra na corporação. Ambos disputavam a liderança no PSDB. Liderado pelo ex-policial Marcelo Itagiba, o grupo de Serra tentou flagrar Aécio em uma boate no Copacabana Pálace. Aécio foi avisado a tempo e se safou da armação.

A partir do episódio, decidiu fincar montar seu grupo na PF. E, através do Estado de Minas, produziu o mais contundente documento até agora contra Serra, o livro “Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Jr.

No final de 2014, a PF de Serra montou uma operação em cima do governador mineiro eleito, Fernando Pimentel, pensando pegar dois pombos com um só tiro, julgando que ainda estaria em vigor o pacto de Minas, dele com Aécio, que resultou na eleição de Márcio Lacerda para a prefeitura de Belo Horizonte.

No início do governo Lula, aliás, a ponte entre PSDB e PT era garantida pelo pacto mineiro.

Foi preso, então, o marqueteiro Benedito Oliveira, o Bené, dentro da Operação Acrônimo. Desde então, a PF de Serra vem mantendo o noticiário aceso: periodicamente saem denúncias contra Pimentel, todas provindas da mesma delação de Bené e saindo na mesma publicação, o Estadão, aparentemente o último veículo em que Serra mantém influência.

A ação da PF de Serra só não evoluiu porque esbarou no ex-Ministro Nelson Jobim que se casou em segundas núpcias com Adrienne Giannetti Nelson de Senna, que fez brilhante carreira no serviço público - foi uma das primeiras presidentes do COAF (Conselho do Controle de Atividades Financeiras) – e é de uma família dona de empreiteira que mantém boas relações com Pimentel e Aécio.

Jobim teve papel relevante para garantir a estabilidade política junto ao Supremo. E se credenciou como pessoa capaz de costurar pactos entre PSDB e PT.

A investida contra Aécio se dá em um momento em que Serra fugiu de todo noticiário, visando se preservar.

Obviamente, a operação não foi engendrada pelo grupo de Serra, mas devido às delações-bombas dos irmãos Batista, da JBS.

 

Média: 4.5 (16 votos)
21 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Olá Nassif. Nessa questao da

Olá Nassif. Nessa questao da PF do serra eu boiei.

vc teria algo pra demonstrar que existe essa divisao (uma leitura a indicar)? Eu acredito que há mtos da pf proximo ao aecio. Mas o Serra me parece alguem que ja perdeu influencia ha mto tempo

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Toscano
Toscano

Perai, perai...

Como assim???
A PRIVATARIA TUCANA é uma "obra" de Aécio (através do jornalista Amaury Jr.) em retaliação à José Serra?

Nessa eu buguei...

Seu voto: Nenhum
imagem de AlvaroTadeu
AlvaroTadeu

Aécio x Serra, espécie de "Marcola x Beira Mar"

Privataria Tucana era um sonho antigo de Amaury Jr. Ele trabalhava em Brasília e sofreu um atentado a tiros. Foi transferido para BH e logo depois Aécio entendeu que precisava de um dossiê contra Serra, para dele se proteger. Algo como Al Capone lutar contra Jesse James, se tivesse sido possível no tempo e espaço.

O jornjal aliado de Aécio, O Estado de Minas, inacreditavelmente provinciano, enviou Amaury, pela sua experiência como repórter policial, investigar Serra em São Paulo. Aqui, coletou material suficiente para mandar Serra para a cadeia por uns 20 anos. Serra saiu candidato (2010) devido aos escândalos cocainíferos patrocinados por Aécio (3 internações por overdose enquanto era governador de Minas). Amaury foi detido pela PF de Serra por acusações ridículas. Era um aviso do tipo "não se meta comigo".

Quando Ministro da Saúde de FHC, Serra cercou-se dos elementos mais perigosos da PF, o mesmo grupo que flagrou a dinheirama na Lúnus e detonou a candidatura Roseana Sarney, a única que podia barrar Serra em 2002, segundo avaliações tucanas. Como o PSDB esqueceu-se de combinar com os russos, Lula veio e levou. Aí, o alvo mudou. Em 2004 a PF divulgou um vídeo de um assessor do José Dirceu pedindo propina (um troco de três mil reais) num aeroporto. Quem gravou foi a PF, obviamente, só ela tinha condições de tal empreitada. O vídeo era de 2002. Só divulgaram em 2004 quando o sujeito, cujo nome me esqueci  (foi diretor da loteria estadual no Rio, sob governos do PMDB) tornou-se assessor de Dirceu. Era um ensaio para o "mensalão".

Seu voto: Nenhum

Sim, Serra vivia fazendo

Sim, Serra vivia fazendo dossiês e Aécio ("quem não conhece o esquema de Aécio?") seria alvo fácil, fácil. Aécio, então, para se garantir, encomendou ao Estado de Minas um dossiê do Serra, que deu na Privataria Tucana.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

A ideia do livro surgiu em

A ideia do livro surgiu em 2009, quando Aécio e Serra disputavam acirradamente a indicação tucana para concorrer à presidência. O mineiro defendia prévias e o paulista se colocava como "o primeiro da fila". O jornal Estado de S. Paulo, articulado com José Serra, publicou um texto intitulado "Pó pará, governador?"[27] que insinuava, já no título, que Aécio seria um cocainômano e que, portanto, não poderia sonhar com a presidência. Amaury Ribeiro Júnior já havia sido transferido para Belo Horizonte e foi incumbido pelo dono do jornal Estado de Minas, Álvaro Teixeira da Costa, de produzir reportagem em resposta a "São Paulo" (referência as mídias do estado de São Paulo polarizada com o PSDB).[28] Amaury Ribeiro Júnior sugeriu, então, que se investigassem as privatizações, pela fragilidade que as conexões com desvio de verbas públicas provocava em Serra. A investigação o levou a encontrar as contas usadas por Ricardo Sérgio, Alexandre Bourgeois e pela filha de Serra, Verônica Serra.[29]

Foi em ação judicial onde Amaury Ribeiro Júnior era réu que ele obteve grande parte dos documentos constantes no livro. Uma reportagem na revista "Istoé", na qual mencionava Ricardo Sergio, motivou o ex-caixa de campanha de Serra e FHC a entrar com o processo judicial contra o jornalista. Para se defender, o autor recorreu ao instrumento judicial, conhecido como "exceção da verdade", que obrigou a entrega de documentos da CPI do Banestado a Amaury Ribeiro Júnior, fato que contribuiu muito para a investigação jornalística seguir a trilha do dinheiro das privatizações que comprovam as movimentações feitas entre os envolvidos.

Seu voto: Nenhum

Meirelles foi presidente do Banco Original, dos Batista?

  7 hHá 7 horasMais

Holding J&F, de Joesley e Wesley Batista, é dona do Banco Original. E quem era presidente do banco até ano passado? Sim, Henrique Meirelles

17 respostas283 retweets269 curtiramResponder 17 Retweetar 283  Curtir 269

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Anonimo
Anonimo

Está chegando o momento de

Está chegando o momento de darem início às prisões da bandido gêmeos que está infiltrada em todas as instituições e corporações do país. Ou seja, alguém vai ter que fazer acordo de leniencia, tendo em troca penas mais leves, um para dar as ordens de prisão e outro para executa-las. Acreditamos que tem que ser o stf e a polícia federal, e vcs?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Aécio traido

Espero que ele negocie uma delação premiada e entregue o zé bolinha, o thc, o picole e os demais tucanos

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Gilson Otsedom
Gilson Otsedom

A irmã

Ele não sei, mas acredito que a irmã dele, devidamente espicaçada faça uma delação. Ai, sobra até para ele mesmo.

Seu voto: Nenhum

O que realmente está acontecendo?

Que o Temer passe por delação para ser deposto do seu cargo ilegítimo eu entendo. Afinal, o golpe não foi perpretado para o Temer ficar na presidência. O golpe foi para o PSDB ficar na presidência via eleição indireta ou parlamentarismo, pois por eleição direta não vence mesmo, já se sabe. Agora, não entendo porque o Aécio, um dos maiores cabeças do golpe, está sendo delatado. Este artigo deu uma clareada. E fico abismada como a PF, cujo dever é defender o Brasil e seu povo e não um grupo de vendilhões da pátria, faz parte desta sujeira que aí está. S.m.j., são treinados nos EEUU como o Moro e o Dallagnol? Esta novela global da delação do Aécio faz parte do plano para mostrar que o Moro é "imparcial" e aí prender o Lula? Pois pelo que sei o juiz de Curitiba não se pronunciou e o Aecinho, é claro, vai se safar. Para que o Lula seja preso vale tudo... E o povo acredita...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de jose antonio santosjj
jose antonio santosjj

chocado mas não surpreso

Agora da para entender melhor porque o Serra saiu do governo!.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Antonio C.
Antonio C.

Comentário.

Eu havia comentado anteriormente que o Serra está politicamente morto.

Mas cá com meus botões, eu só pensei naquilo que o PHA bem diz, a PF aecista, que derrubou a Dilma.

Mas é aí onde o problema aparece.

Quem é a PF que pegou o Aécio?

A do Serra...

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de serralheiro 70
serralheiro 70

PFDPdoB

Careca Nosferratu é muito mais "malígrino" que minerim. Tá provado

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de ze sergio
ze sergio

por trás....

Quero lembrar que é o neto e neta daquele que todos creram que seria a solução para o país. E principalmente Imprensa e elites intelctuais fizeram a sociedade acreditar. País que crê em farsantes, em fantasias, em salvadores da pátria não merece ser salvo. Nem tem o direito de vestir a carapuça de inocente. Anticapitalistas, honestos senão me engano. Nada como um dia após o outro. A verdade vos libertará.  

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de evandro condé de lima
evandro condé de lima

Lembrando ainda

Há duas mortes mal explicadas por essas plagas: a de um policial civil e uma modelo mala.

E uma dúvida, a grana movimentada foi comunicada ao BC?

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Ciro Medeiros
Ciro Medeiros

A corrupção e os traidores da pátria

Em 1818, Henry Koster - um viajante inglês - concluiu, ao visitar e observar nosso país, que o Brasil havia deixado de ser uma colônia de Portugal para se tornar uma colônia do Reino Unido. 

 

Em 1824, Felisberto Caldeira Brant e Manuel Rodrigues Gameiro Pessoa assinaram, em nome do Estado Brasileiro, um contrato de empréstimo com banqueiros da City: o empréstimo teve o valor de 1 milhão de libras e tipo de 75 - isto significa ficamos devendo 1 milhão, mas recebemos apenas 750 mil libras, uma vez que os 250 mil restantes foram distribuídos aos contratantes do empréstimo (incluindo os já mencionados senhores Felisberto Caldeira e Manuel Rodrigues). 

 

 

A corrupção sempre esteve intimamente relacionada às operações de traição a Pátria, sendo o Golpe de 2016 o mais recente exemplo de tais operações, mas não é, de forma alguma, a mais importante delas. 

 

O golpe de 2016 só foi viável porque aqueles que operaram a mais importante de tais operações ficaram impunes, assim como o discurso ideológico que a suportou continua vivo e corrente no imaginário do nosso povo. 

 

A grande operação de traição a Pátria - a maior que já houve até aqui - foi, obviamente, os processos de privatização dos anos 90, liderados pelo FHC. São os protagonistas daquela operação, desempenhando o papel que um dia foi desempenhado pelos senhores Felisberto Caldeira e Manuel Rodrigues, que viabilizaram o Golpe de 2016 - a grotesca situação na qual nos encontramos agora.   

 

 

E tais protagonistas são corruptos. Extremamente corruptos.

 

 

Nesse momento, a corrupção é o que mais mobiliza e enfurece o imaginário popular e assim o é graças aos mestres imediatos dos operadores do Golpe de 2016 - o ódio contra a corrupção se tornou a força emocional mais poderosa do país, mas assim não será para sempre porque essa força pode ser usada contra aqueles que a nutrem.  

 

E alguns argumentariam que assim não deveria ser para sempre porque o mais importante é discutir um projeto de país - e eles estão certos. 

 

De fato, a verdadeira causa subjacente aos nossos males, incluindo a própria corrupção, é a ausência de um projeto econômico-cultural de país que seja suficiente para criar reais laços afetivos de seus habitantes para com sua terra, seus compatriotas e sua(s) própria(s) identidade(s). Somente tal projeto pode nos dar a coesão necessária para perseguirmos objetivos comuns que irão, em última instância, reduzir o sofrimento do nosso povo - sofrimento este que sempre aumenta impiedosamente quando são realizadas as grandes operações de traição a Pátria. 

 

 

O que nós temos é um imaginário popular irado e tomado de indignação contra a corrupção - a força emocional mais poderosa de nosso povo neste momento. Onde queremos estar é em um país completamente envolvido em uma grande discussão de projeto de país para que possamos realizar a grandeza a qual nossa diversidade - natural e cultural - nos destinou. No caminho, temos os traidores da Pátria mais corruptos da nossa história.  

 

A questão é: como usar o que temos para chegarmos a onde queremos estar? 

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Rui Ribeiro
Rui Ribeiro

Agora os Petistas não têm mais desculpas para suas chorumuelas

Os Coxudos querem nos fazer acreditar que a exceção - mandado de busca e apreensão na casa de um Tucano e mandado de prisão de sua irmã - que confirma a regra não é exceção, mas a própria regra, e que, portanto, as medidas contra os petistas, como por exemplo, a condução coercitiva de Lula sem recusa anterior a comparecimento e obrigá-lo a participar, pessoalmente, de audiência de oitiva de testemunhas, não são nem seletivas nem abusivas.

Viram, Mortadelas? Vocês não diziam que o Judiciário só prendia petistas, que a Globo não mostrava nenhuma sujeira do P$DB e que palavra de delator não tinha valor?

Eles querem justificar a perseguição aos Petistas com as maracutaias do Aécio com o seguinte argumento:

O Aécio fez maracutaias, o Fachin suspendeu seu mandato de senador e o judiciário mandou prender sua irmã, logo, os Petistas nunca foram perseguidos, a condução coercitiva do Lula foi correta e prisões preventivas duradouras de petistas estão certas.

Eles se esquecem que as acusações contra o Aécio e Temer estão provadas enquanto as acusações contra o Lula são só alegações vazias.

Seu voto: Nenhum
imagem de AlvaroTadeu
AlvaroTadeu

Tenha dó, pascácio!

Rui Ribeiro, parabéns pela coragem explícita em divulgar sua profunda ignorância. Na dúvida, será coregem ou burrice? Ou ambas?

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Rui Ribeiro
Rui Ribeiro

Não é nem coragem nem burrice, é ironia, Tadeu

Parece que minhas ironias não estão nem um pouco irônicas.

Seu voto: Nenhum

A PF do Serra, a PF do Aécio,

A PF do Serra, a PF do Aécio, a PF da globo.  E nós é que pagamos os salários. Ó tempora| Ó moros!

Seu voto: Nenhum (18 votos)
imagem de Rui Ribeiro
Rui Ribeiro

Coxinhas querem nos fazer crer que a exceção é a regra

Querem nos fazer crer que a exceção não é a exceção, mas a regra.

Viram, Mortadelas? Vocês não diziam que o Judiciário só prendia petistas, que a Globo não nenhuma sujeira do P$DB e que palavra de delator não tinha valor?

Os Coxinhas estão tentando justificar a perseguição aos Petistas com maracutaias do Aécio. O Aécio fez maracutaias e foi suspenso pelo Fachin, logo, os Petistas nunca foram perseguidos.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.