Revista GGN

Assine

As mais comentadas de 2013: "Uma encrenca chamada Joaquim Barbosa", artigo de Luis Nassif

Jornal GGN - Com 580 comentários, o artigo "Uma encrenca chamada Joaquim Barbosa", de Luis Nassif, publicado em 30 de novembro foi o mais comentado do ano. Em sua análise, o jornalista desmitifica a aura de herói do presidente do Supremo, que, tal um justiceiro de toga desequilibrado desmoraliza o Sistema Judiciário. 

"Uma encrenca chamada Joaquim Barbosa" - por Luis Nassif 

Há um pensamento majoritário na opinião pública leiga e um consenso no sistema judicial – incluindo desembargadores, juízes, procuradores, advogados. O pensamento majoritário leigo é de que o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa é um herói. O consenso no meio jurídico é que trata-se de um desequilibrado que está desmoralizando a Justiça e, principalmente, o mais alto órgão do sistema: o STF.

No seminário de dois dias sobre “Democracia Digital e a Justiça” – promovido pelo Jornal GGN – Barbosa foi a figura dominante nos debates e nas conversas.

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakai, lembrou a cena da semana passada, na qual Barbosa acusou todo o tribunal de fazer “chicana” – na linguagem jurídica, malandragem para atrasar julgamentos. A única voz que se levantou protestando foi a do calado Teori Zavascki. Os demais recuaram, com receio da baixaria – o mesmo receio que acomete um cidadão comum no bar, quando entra um bêbado ou um alucinado distribuindo desaforos.

***

Hoje em dia, há um desconforto generalizado no meio jurídico com a atuação de Barbosa.

O Código da Magistratura proíbe que juízes sejam proprietários de empresas ou mantenham endereço comercial em imóveis funcionais. O órgão incumbido de zelar por essa proibição é o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Barbosa é a única exceção de magistrado que desobedeceu a essa obrigação. Ao mesmo tempo, é o presidente do STF e do CNJ. Como se pode tolerar essa exceção?

Se algum juiz federal abrir uma representação junto ao CNJ para saber se liberou geral, qual será a resposta do órgão? E se não abriu, como tolerar a exceção?

***

Outro princípio sagrado é o do juiz natural. Um juiz não pode ser removido de uma função por discordância com suas opiniões. Barbosa pressionou o Tribunal de Justiça do Distrito Federal a remover o juiz da execução das penas dos condenados do “mensalão”, por não concordar com sua conduta.

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) entrou com uma representação junto ao CNJ, não contra Barbosa – respeitando seu cargo de presidente do STF, mas contra o presidente do TJ do Distrito Federal. Se o CNJ acatar a representação, automaticamente Barbosa estará incluído. E como conviver com um presidente do STF que não respeita a própria lei?

Seu desrespeito a associações de magistrados, de advogados, aos próprios pares há muito ultrapassou os limites da falta de educação. Por muito menos, juizes foram cassados por tribunais por perda de compostura.

***

No fechamento do seminário, o decano dos juristas brasileiros, Celso Antônio Bandeira de Mello, falou duramente sobre Barbosa. “Dentre todos os defeitos dos homens, o pior é ser mau. Por isso fiquei muito irritado com o presidente do STF: é homem mau, não apenas pouco equilibrado, é mau”.

Na sua opinião, a maneira como a mídia cobriu as estripulias de Barbosa colocou em xeque a própria credibilidade dos veículos. “Como acreditar em quem dizia que Joaquim era o grande paladino da justiça e, agora, constata-se que é um desequilibrado? Devemos crer em quem?”.

***

O fato é que o show midiático na cobertura da AP 470 criou o maior problema da Justiça brasileira desde a redemocratização.

Ninguém do meio, nem seus colegas, nem os Ministros que endossaram seus votos, nem a própria mídia que o incensou, têm dúvidas sobre seu desequilíbrio e falta de limites.

Mas quem ousará mostrar a nudez de um herói nacional de histórias em quadrinhos?

 

Média: 4.4 (64 votos)
574 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de SÉRGIO AUGUSTO INGRACI
SÉRGIO AUGUSTO INGRACI

JB E vALORES.

VALORES, Justiça injusta,cheia de trêz jeito, cega,medíocre e de varias interpretações só aprendi com tudo isso e com a classe política instalada em meu pais, trabalhador e valores o do respeito, honestidade, caráter saíram de nossas vidas tão rápidas e passageira, bandido, mentiroso ,corruptos tem valor e logo viram Rei, cansado das injustiças chamadas de justiças, BANDIDO TEM MAIS VALOR ...Bandido vou virar, a vida passa rápido melhor vou viver.

Seu voto: Nenhum
imagem de Adelaine
Adelaine

Talvez Barbosa seja apenas o

Talvez Barbosa seja apenas o desequilíbrio social, a descrença nacional, não só no PJ, mas em todos os poderes, misturando a agonia pessoal pelo desenfreado poder alcançado... (A relaidade do caos que realmente é nosso soberano poder (nossos poderes) ... refletido por um só homem).Talvez seja apenas isso e nada mais...

Seu voto: Nenhum
imagem de Ralph Durval Moreira de Souza
Ralph Durval Moreira de Souza

O açodamento de Joaquim Barbosa

Caro Luis Nassif,

Sobre as diatribes do ministro Joaquim Barbosa, mandei-lhe por e-mail e fax a manifestação que reproduzo abaixo, com cópia para o CNJ e ministros do STF. Indiferente a críticas, talvez convencido de que se trata realmente do verdadeiro paladino da moralidade, o intrépido JB não se dignou sequer acusar o recebimento da peça.

"EXMº. SR. MINISTRO JOAQUIM BARBOSA

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

BRASÍLIA / DF

A sofreguidão com que Vossa Excelência decretou a prisão de réus da badalada Ação Penal 470 (“Mensalão”) só encontra paralelo na decisão do ministro Gilmar Mendes em 2009, quando, obsequioso no atendimento a Daniel Dantas, então preso, e amofinado pela memorável determinação do nobre juiz Fausto De Sanctis (de prendê-lo), mandou soltar liminarmente o banqueiro-pilantra —por duas vezes!— em menos de 24 horas.

Agora, foi tamanha a ansiedade de justiçamento que, além da rebuliçosa prisão dos réus numa noite de sexta-feira, seguiu-se o vexaminoso “passeio de asa dura” dos condenados, todos com a “segurança das algemas”, saindo de São Paulo a bordo de um avião da Polícia Federal, fazendo escala em Belo Horizonte (para arrebanhar mais penitentes) e por fim baixando em Brasília, numa caprichosa espetacularização desse processo que remete à escatologia, no qual “a cereja do bolo” foi o afrontoso agravamento do regime prisional, eis que acabaram “fechados” até os sentenciados ao semiaberto.

Destarte, ministro Joaquim Barbosa, em face de tantas humilhações aos apenados, bem ao gosto da revista Veja & sequazes, chego à conclusão que só lhes faltou mesmo uma sova seguida de longa exposição pública no tronco, a céu aberto, quem sabe diante do STF, para que não ficasse dúvida a respeito dos desígnios magistrais e do rigor punitivo de Vossa Excelência.

Resta esperar que o egrégio Supremo Tribunal Federal aja também sobre o “Propinoduto da Alstom” e o “Mensalão Mineiro” (ainda que tardiamente), envolvendo “tucanos” de alta plumagem, e, outrossim, reveja a Lei da Anistia —para que assassinos e escroques da Ditadura Militar sejam punidos pelos crimes perpetrados sob o manto sebento do patriotismo de araque.

Indignado e expectante,

Em 18.11.2013,

Ralph Durval Moreira de Souza"

Advogado – OAB/PR 34.685 - ralphdefensor@uol.com.br – Telefones (41) 3385-4620 e 9935-4422

Rua Dr. Marcelino Nogueira, 266 – Centro - São José dos Pinhais/PR

Obs.: Manifestação enviada para arquivo da Presidência do STF e do Conselho Nacional de Justiça.

Impressas e distribuídas 200 cópias nos fóruns da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba.

 

Seu voto: Nenhum

O QUE ESTÁ POR TRÁS DO MENSALÃO?

O mensalão não é uma busca por mais justiça, mas sim uma briga de partidos, porque o PT passou a mamar na mesma teta do PSDB.

O mensalão não é um caso de moralidade, mas sim um show de falta de escrúpulos, de quem quer sair candidato a qualquer custo.

PT ABSORVE KNOW HOW DO DEM E DO PSDB

Existe o nacionalismo patológico, como o nazista, fascista, e o americano, usado para explorar e escravizar outras nações; e existe o nacionalismo saudável, usado para nos proteger, e impedir de sermos escravizados. O ponto ideal não está nos extremos, mas sim no equilíbrio.

Se o governo não colocou dinheiro público nos estádios da copa, e somos o país que mais paga impostos no mundo, mas estamos vendo nossos doentes sendo atendidos no chão dos hospitais,

ONDE FOI PARAR TODO O DINHEIRO DA ARRECADAÇÃO, ENTÃO?

O PSDB estava certo,

NÃO EXISTE NADA QUE DÊ MAIS LUCRO,

DO QUE VENDER O QUE É DOS OUTROS,


Essa é a origem das mazelas de um país que ainda enfrenta a fome, e tem péssimos serviços públicos, como educação e saúde; mas vê meio trilhão de dólares desviados ao exterior pela corrupção.

Esse tipo de trambique feito sistematicamente, acaba dando um nó na economia. Mais da metade do capital industrial brasileiro está nas mãos de estrangeiros, e os corruptos pegam a comissão do trambique no exterior. Essas empresas pagam seus altíssimos salários apenas em seus países. fortalecendo o mercado interno deles, e enfraquecendo o nosso. Aqui acabamos criando trabalhadores e pequenas empresas nacionais de segunda categoria, sem a mínima condição de serem comparados com os da Europa e EUA. 


O futuro que a corrupção arranca de nossa juventude:

http://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/album/2013/09/04/executivas-mais-bem-pagas-ganham-ate-us-52-milhoes.htm

Quantos de nossos jovens esperam ter uma remuneração dessas?

A supremacia estrangeira acontece, porque essas empresas que vem pra cá, dominam mercados consumidores fabulosos no exterior, e são super protegidas por seus governos; que lhes fornecem desde tecnologia, até serviços de espionagem gratuitos. É mais vantajoso vir para cá, produzir aqui, e exportar de volta para seus países, porque nossa mão de obra é quase de graça para eles. Só fica uma pergunta:

SE TEMOS TANTAS RESERVAS INTERNACIONAIS, SUFICIENTES PARA PAGAR TODOS OS NOSSOS COMPROMISSOS EM DÓLAR, POR QUE PRECISAMOS EXPORTAR TANTO, E PERMITIR QUE VENHAM DO OUTRO LADO DO MUNDO PARA CÁ, A FIM DE REMETER NOSSAS RIQUEZAS PARA SEUS PAÍSES?


>>VAMOS RESPONDER : ISSO É PARA ABRIR ESPAÇO PARA QUE OS CORRUPTOS RECEBAM SUA GORDA PROPINA NO EXTERIOR.<<

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/bob-fernandes-ruas-e-redes-sociais-rompem-a-blindagem#comment-1482577 


POR QUE AS MULTINACIONAIS NÃO PRODUZEM E OBTÉM SEUS LUCROS APENAS VENDENDO AQUI NO MERCADO INTERNO?



QUE BENEFÍCIO NOSSO POVO TEM, QUANDO UMA MINERADORA EXTRANGEIRA EXTRAI NOSSAS RIQUEZAS E MANDA PRO EXTERIOR?

Na Islândia os protestos fizeram com que os políticos escrevessem na lei do país, que todas as reservas minerais são dos cidadãos, do Estado, e não podem ser vendidas:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=302887903180212&set=a.300951956707140.1073741826.300330306769305&type=3&theater


QUE VANTAGEM A SOCIEDADE LEVA, QUANDO UMA EMPRESA ESTRANGEIRA PROCESSA NOSSAS MATÉRIAS PRIMAS, E AS EXPORTA?

Pois se essas riquezas ficassem aqui, seus preços seriam muito menores, e nossa moeda mais valorizada. Os EUA exportam menos de 5% de sua produção. A Índia se desenvolve num ritmo muito maior que o Brasil, e possui apenas 3% de capital estrangeiro. Quando nossas riquezas são exportadas, a única coisa que recebemos é um monte de papel, que eles chamam de dólar; o qual também não pára por aqui, já que eles o remetem ao exterior em forma de remessa de lucros; e o que sobra o governo investe em títulos podres dos EUA. Será que são tão idiotas? Ou tem gente levando por fora?


Pegue duas empresas, uma exportadora (normalmente multinacional), e outra fornecedora para o mercado interno. 


EXPORTADORA:

A exportadora obtém um lucro bruto, entre o resultado das compras e vendas menos os impostos de 100 mil. Tem custos fixos de 20 mil, e gasta 50 mli com salários. Para achar seu resultado final teríamos um equação assim:

RESULTADO = LB(lucro bruto) - (CF (custo fixo) + S(salário)

Simplificando:

R = LB - (CF + S)

R = 100 - (20 + 50) = 100 - 70 = 30 mil de lucro líquido 



FORNECEDORA PARA O MERCADO INTERNO:

Mesmo faturamento e lucro da exportadora:

R = 100 - (20 + 50) = 100 - 70 = 30 mil

PARA QUEM É BOM O ARROCHO SALARIAl?

VAMOS DOBRAR O SALÁRIO DAS DUAS EMPRESAS (100 mil agora)

Exportadora:

(Repare que as vendas vão diminuir, porque terão que elevar os preços.)

R = 80 - (20 + 100) = 80 - 120 = - 40 (prejuízo de 40 mil)

Empresa do mercado interno:

R = 250 - (20 + 100) = 250 - 120 = + 130 mil de lucro

(Repare que as vendas mais que dobraram, já que se a renda do povo dobrou, o consumo também dobrará, e a margem de lucro também poderá ser maior, num mercado mais aquecido.)



Mesmo assim, não somos contra as multinacionais, mas achamos um absurdo, que empresas estrangeiras se instalem no Brasil, para exportar seus produtos para seus países. Alguma coisa tem de errado nisso, e é justamente os baixos salários pagos ao nosso povo, decorrentes da roubalheira do governo, que fica sem dinheiro para pagar melhor o funcionalismo, as aposentadorias, e elevar o salário mínimo. 

Acho até que as multinacionais devem ser estimuladas, porque trazem tecnologia ao país, e aumentam a concorrência; mas não podem dominar setores importantes da economia, e nem mesmo que entrar nos setores estratégicos, como comunicação, energia, e mineração, transformando-nos numa colônia de exploração.

São duas forças atuando contra o povo. Primeiro tem o empresário estrangeiro oportunista, e depois a corrupção política, que rouba tudo, impedindo que aumentemos o poder aquisitivo do povo. A mais execrável delas é a corrupção governamental. Porque as multinacionais tem um trânsito até maior entre os próprios países desenvolvidos, e se sentem satisfeitas em explorar um mercado normal, onde a mão de obra não é subvalorizada como aqui. No Brasil, o trambique é feito justamente para que elas explorem o mercado por um lado, mas que por outro, também desviem parte significativa de nossas riquezas para os paraísos fiscais no exterior, na conta dos corruptos. É pegar ou largar. O que você faria no lugar de um empresário estrangeiro, que vê seu concorrente entrar na jogada?

É isso mesmo, empresários estrangeiros devem ser estorquidos por nossos políticos ladrões, para que depositem o excesso de lucros em suas contas nos paraísos fiscais.


DEFESA AOS CAMPOS DE LIBRA:

http://tijolaco.com.br/index.php/libra-os-numeros-que-mostram-o-equivoco-de-cancelar/

A explicação acima é muito boa, mas precisamos ouvir especialistas que defendem o contrário. O maior problema é sermos tratados como idiotas. O governo deve satisfação ao povo, e no caso de venda ou concessão de patrimônio público, isso deve ser feito com antecedência. 

Os monopólios televisivos da época da ditadura deveriam receber a exigência de pelo menos 15 minutos diários no horário nobre, para tratar de assuntos oficiais como esse, e de graça. Quanto custa a concessão que esses caras receberam?

O povo deve ter direito a um debate oficial, poder fazer perguntas, e até impugnar as propostas do governo. Não é uma questão da Dilma ter a consciência tranquila, saber o que está fazendo, e poder se explicar ao povo no horário eleitoral. A sociedade não deve ficar à mercê da consciência dos políticos. Do que nos resolveu as explicações do FHC e do Serra, por exemplo, no caso do SIVAM, da falência da Engesa, e da venda da Vale?
Se fôssemos informados, instruídos, e consultados, não teríamos permitido nada disso. O que foi feito com o pré sal, só sentiremos as consequências daqui a muitos anos.

Se os chineses precisam de petróleo, tudo bem, vendemos pra eles.

Mas por que precisamos entregar a produção também?

Acho, inclusive, que deveríamos vender apenas o produto já refinado. Imagine quantos executivos altamente remunerados precisaríamos criar pra isso. O que estamos jogando no lixo, é o futuro de nossa juventude; que tem direito de sonhar como os europeus e americanos.

Não temos dinheiro?

E pra que esse governo fez tanto sacrifício para acumular as reservas internacionais? Quase meio trilhão de dólares:

http://www.bcb.gov.br/?RED-SERIERIH

Pra fazer trambiques e especular com títulos podres?

Não é ao tesouro nacional, que os chineses entregarão seus dólares?

Por que o tesouro não deixou de especular no exterior com essa fortuna em reservas internacionais e investiu na Petrobrás, para que ela tivesse condições de operar os campos de petróleo sozinha, aumentando inclusive sua participação na Petrobrás? Será que tem gente recebendo por fora para continuar aplicando esse dinheiro em títulos podres e inflacionados dos EUA, que exportam sua crise ao resto do mundo subalterno?

Por que o governo não pegou recursos dessas divisas, para criar mais umas duas refinarias, e centenas de empregos altamente remunerados; proibindo a exportação de petróleo bruto? Quem precisar, que compre refinado.

E mais, por que não fomos informados, e consultados antecipadamente sobre esse trambique?

Quem não deve, não teme.


COMO É NA EUROPA

http://ieeexplore.ieee.org/xpl/login.jsp?tp&arnumber=540447&url=http%3A%2F%2Fieeexplore.ieee.org%2Fxpls%2Fabs_all.jsp%3Farnumber%3D540447 

“O método de conferências de consenso organiza uma análise de alta qualidade entre um painel de discussão dos leigos e um painel de especialistas, na presença de um auditório... "

E mais, todo mundo se preocupa com o mensalão como um crime, que de fato não houve, porque foi financiado pela VISA, uma empresa particular. Mas se esquecem do mais grave, o partido do governo irresponsavelmente caiu nas mãos dela, uma multinacional, endividando-se até o pescoço. Não está aí a resposta para se aplicar em títulos podres americanos?

A perseguição política ocorrida a partir disso não é por justiça, mas por indignação. Pois o PT agora está mamando na mesma teta do PSDB, que ficou revoltado...

Seu voto: Nenhum

DEMOCRACIA DIRETA
Porque o Brasil é de todos os brasileiros.
https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/
 

imagem de pinheiro
pinheiro

concordo com 99% do que

concordo com 99% do que escrevestes, mas te faço uma pergunta: ja ouviste falar em Sistema Bancario? (morremos pagando juros para esses sangue sugas) Ja ouviste falar em Big Corporations?? Pois é, sao os que nos governam. Bancos e grandes corporacoes. Nao somos governados por aqueles que escolhemos e votamos. Esses sao cooptados pelos interesses do grande capital, e unica saida, veja bem: a UNICA  saida, é a nacionalizaçao. Tanto dos bancos, quanto das grandes corporacoes.Sem isso, nossos tataranetos continuarao a se perguntarem, porque as coisas nao funcionam neste pais de corruptos (onde nao se ve o corruptor, pois este esta na Presidencia de um banco ou na Presidencia de uma grande corporaçao)

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Agildo mendoca
Agildo mendoca

Um tapinha não doi!

Todos estão revoltadinhos, bravinhos, fazendo birrinha!!. Doeu as palmatinhas que o STF deu não foi? ó coitados!!!  Que dó!!! Não esquenta não! Olha o Ministério Publico mais os Ministros que condenaram os mensaleiros foram hipnotizados pelo monstro Joaquim Barbosa!

 Olha!! não fica assim não!! vai passar! Vamos fazer o seguinte: Vamos pegar o dinheiro do caixa 2 e vamos falar com o Tio Castro, com o Tio Stalin, tio Hitler, Tio Pol Pot,. Eles adoram contar histórias que como driblaram a justiça! Mataram um monte de gente, pintaram e bordaram e nada aconteceu com eles. Eles vão contar histórias de como acabaram com a justiça, só para satisfazer suas vontades,seus caprichos politicos.  

Depois a gente passa na Italia pra  fazer uma visita ao Primo Henrique, e olha só que aconteceu com ele? Para não ser preso por  crimes que não cometeu ele  teve que fazer a mesma coisa que nosso outro Primo Cesare Battisti fez. Que coisa essa história: Um perseguido pela Justiça Brasileira e o outro, pela Justiça Italiana. Como a vida é engraçada. Ou será que é injusta?

Façam aquilo que Marta Suplicy mandou fazer um dia: Relaxem e g___m, pois não tem mais volta! 

 

Seu voto: Nenhum
imagem de duco
duco

https://www.youtube.com/watch

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Pkru7ukZYac#t=0

Seu voto: Nenhum
imagem de Frederico Ribeiro
Frederico Ribeiro

É INACREDITÁVEL !

Em comentário de minha autoria abaixo expus vários itens e pedi que derrubassem linha por linha meus argumentos. Me pediram para ler um livreto de 7 paginas mais parecido com a revista CARAS, outros disseram que as minhas afirmações ou perguntas eram falsas. Não vou repetir minhas argumentações para não alongar. Até ensaiaram algumas respostas mas não conseguiram.

Porém pessoas (e não sei por que) ainda teimam em invalidar o julgamento. Então pergunto:

Se o julgamento deveria ter sido assim, deveria ter sido assado. Deveriam ter sido da esquerda para direita, ou de cima para baixo blablabla..... é mais importante que a verificação dos atos ilícitos cometidos?

Eu estou (e repito) preocupado com os atos ilícitos cometidos. E foram.

Como disse anteriormente, assisti o julgamento quase que diariamente e não vi nada de anormal. O que vi foi uma guerra de egos mar de vaidades, assim como também estes juristas renomados só aparecem para se promoverem. Então uma cidadã abaixo vez criticas ao meu comentário dizendo “estranho”. Estranho é concordar com a impunidade, com a roubalheira. Sim, porque se alguém aqui quer INVALIDAR O JULGAMENTO é ser conivente com a corrupção. Essa é a única explicação.

Desculpe, mas acreditar que todas as milhares de paginas, oitivas, documentos anexos da AP 470 é falácia é muito ingenuidade. É inacreditável!

É inacreditável (mais uma vez) como as pessoas se preocupam (novamente) com o periférico e se esquecem do principal. Todas essas discussões são periféricas se não levarmos em conta os crimes cometidos.

Com relação ao Henrique Pizzolato: procurem saber da história desse cidadão. De onde veio, o que fazia e como chegou a ocupar cargo de Diretor de marketing do BB. Quem o defende também defende a corrupção. Dinheiro do Visanet? Sim, por que? E a propina que recebeu para alimentar o sistema de distribuição de Dinheiro? E os contratos de publicidade fajutos?

O COMENTÁRIO

Que tipo de partido é o PT e seus aliados, que enfiaram o rabo no meio das pernas, e não fizeram nada contra essa vergonhosa perseguição?

Nada mais é aquilo que já disse: Brado vazio, misturado com uma dor de cotovelo, com uma boa pitada de cegueira crônica de companheiros aloprados inconformados!

Meus caros, AP 470 daqui pra frente é só esperar o julgamento dos últimos recursos E SÓ!

Não querendo ser grosso mais PAREM DE SEREM BABAS DO MENSALEIROS! ACABOU!

Seu voto: Nenhum

Então, o senhor está em debate errado

Se crê piamente que justiça foi feita, então vá comemorar com os seus, e fique com eles eles acompanhando se os réus não estariam tendo privilégios que os outros presos não têm: esse é o seu debate. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Frederico Ribeiro
Frederico Ribeiro

Medo! Muito medo!

Se crê piamente que justiça foi feita, então vá comemorar com os seus”

Eu fico com os meus.E quem são os “seus”? Qual a sua real intenção de proteger os mensaleiros  tão fervorosamente? Vcs devem estar com medo!. Muito medo agora que seus gurus estão encarcerados. E agora José?

Seu voto: Nenhum

Resposta ao Frederico

Em comentário de minha autoria abaixo expus vários itens e pedi que derrubassem linha por linha meus argumentos. Me pediram para ler um livreto de 7 paginas mais parecido com a revista CARAS, outros disseram que as minhas afirmações ou perguntas eram falsas. Não vou repetir minhas argumentações para não alongar. Até ensaiaram algumas respostas mas não conseguiram.

Diz que não conseguiram, mas o caso é que você disse na ocasião:

“Por que vocês não falam dos outros Ministros do Supremo que votaram também pela condenação dos réus da ação penal 470?”

E minha resposta foi:

“... sua pergunta inicial é falsa. Ou seja, em outros debates também se criticou a atuação de outros juizes, dos procuradores, da mídia, e até mesmo elementos do próprio PT que concordam com o julgamento”

Portanto não adianta dizer “mas não conseguiram” (falácia da falsa proclamação de vitória) porque sua afirmação foi mesmo falsa. E se não quer ler as 7 páginas onde poderia encontrar algumas respostas e contra argumentar em cima delas o problema é seu e não nosso.

 

Vamos agora a seu novo texto...

 

Eu estou (e repito) preocupado com os atos ilícitos cometidos. E foram.

Que atos ilícitos se refere? Descreva-os.

Como disse anteriormente, assisti o julgamento quase que diariamente e não vi nada de anormal. O que vi foi uma guerra de egos mar de vaidades, assim como também estes juristas renomados só aparecem para se promoverem. Então uma cidadã abaixo vez criticas ao meu comentário dizendo “estranho”. Estranho é concordar com a impunidade, com a roubalheira. Sim, porque se alguém aqui quer INVALIDAR O JULGAMENTO é ser conivente com a corrupção. Essa é a única explicação.

Se juizes renomados não acham normal, qual a conclusão mais provável? Você estar certo ou os tais juristas? Mas nem se preocupe em responder. Porque não quero dizer que esteja errado e eles certos, mas dizer que você não é melhor do que ninguém para  afirma o que foi normal e o que não foi. Ou seja, se você achou normal, tudo bem. Mas sua mera opinião não é prova de que a “cidadã abaixo” esteja errada nem muito menos que a motivação dela seja de ser conivente com a corrupção. Portanto, sua afirmação “Essa é a única explicação.” É falsa.

Desculpe, mas acreditar que todas as milhares de paginas, oitivas, documentos anexos da AP 470 é falácia é muito ingenuidade. É inacreditável!

Desde quando quantidade de número de páginas é prova de alguma coisa?

É inacreditável (mais uma vez) como as pessoas se preocupam (novamente) com o periférico e se esquecem do principal. Todas essas discussões são periféricas se não levarmos em conta os crimes cometidos.

Quais crimes foram cometidos? Aponte-os e a gente discute um por um.

Com relação ao Henrique Pizzolato: procurem saber da história desse cidadão. De onde veio, o que fazia e como chegou a ocupar cargo de Diretor de marketing do BB. Quem o defende também defende a corrupção.

Eu não sei qual é a história [oculta] dele. Se você sabe pode contar. Quem sabe se explicar melhor essa afirmação colocando argumentos embasados possa provar que quem defende o Pizzolato também defende a corrupção. Até fazer isso o que escreveu acima é pura conversa.

Dinheiro do Visanet? Sim, por que? E a propina que recebeu para alimentar o sistema de distribuição de Dinheiro? E os contratos de publicidade fajutos?

Pois é, o JB disse com todas as letras que nenhum serviço foi prestado da soma de 73 milhões, e a defesa apresentou provas de que foram prestados. E sabemos com certeza que 5 milhões foram pagos a Rede Globo, tendo inclusive diretores da rede Globo não desmentido em juízo esse fato. Ou seja, o JB é desmentido em pelo menos 5 milhões. Talvez isso seja mero detalhe periférico pra você, mas pra mim isso é central. Isto é, se o JB errou nesse "detalhe", ele erra. E se erra, quem garante que todo resto dessa conta não esteja em erro?

Seu voto: Nenhum

Cesar Ferreira

...

Frederico, sem problemas; podemos voltar a carga. Mas primeiro seria bom combinar que as réplicas sejam feitas sempre como resposta a esse seu primeiro comentário acima. Porque fica impossível debater nesse sistema de encadeamento de respostas que vai truncando a largura dos comentários a cada resposta.

No caso basta escrever no início da resposta pra quem se está respondendo. Tudo bem?

Seu voto: Nenhum

Cesar Ferreira

imagem de PROFESSOR INDIGNADO
PROFESSOR INDIGNADO

BARBOSA

É TUDO UMA QUESTÃO DE CLASSE!

Seu voto: Nenhum

A defesa das viúvas....

Francamente,em resumo:Viúvas  carpideiras do PT e o Nassif simpatizante mor......

Seu voto: Nenhum (2 votos)

QUE PAÍS É ESSE?

ONDE ESTÁ O MAIOR FOCO DE CORRUPÇÃO DO PAÍS?

PORQUE AINDA NEM INICIARAM O JULGAMENTO DO:

__MENSALÃO TUCANO

__LISTA DE FURNAS

__BANESTADO

__REELEIÇÃO DO FHC

?

O julgamento do mensalão me deixou envergonhado, como cidadão brasileiro. Ver um sujeito, como o Pizzolato, precisar pedir asilo político na Itália (não sei porque os outros não fizeram o mesmo); ele, que absurdamente foi condenado; é uma vergonha ao país. O dinheiro da transação que ele assinou, era da VISA NET, uma empresa particular. Empresas sempre financiaram políticos nesse país. 

Mas o pior não é isso, os outros colegas do Pizzolato no Banco do Brasil, indicados pelo PSDB, que também assinaram a transação junto com ele, nem chegaram a ser processados. 

Que tipo de justiça é essa?

Será possível que nossos juízes não têm a mínima vergonha na cara?

Que tipo de partido é o PT e seus aliados, que enfiaram o rabo no meio das pernas, e não fizeram nada contra essa vergonhosa perseguição?

Onde está a PEC 33?

Eu tenho vergonha da justiça brasileira, do STF, e de seus juízes; que pra piorar ainda mais a situação, acabam de anular a lei já sancionada, que dava o direito do povo ao VOTO IMPRESSO, para conferir seu voto. Não há absolutamente nada a comemorar, isso não é uma questão partidária. O Brasil está entrando numa ditadura do judiciário. Precisamos reagir.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=304885659647103&set=a.300951956707140.1073741826.300330306769305&type=3&theater

Seu voto: Nenhum

DEMOCRACIA DIRETA
Porque o Brasil é de todos os brasileiros.
https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/
 

imagem de Sérgio Vianna
Sérgio Vianna

Uma encrenca chamada Joaquim Barbosa

"Mas quem ousará mostrar a nudez de um herói nacional de histórias em quadrinhos?".

 Ou então, conforme nos conta a fábula: "E quem é que vai colocar o guizo no pescoço do Gato?" Ao pesquisar a história do mundo poderemos coletar inúmeras soluções na infindável evolução humana que vieram à luz após uma grave crise institucional. Já ouvimos a história de que os chineses enfrentam a crise não como uma deturpação da ordem social, mas como ferramenta para se instalar o primeiro debate para a superação do evento que os ocidentais chamam de crise, e eles - os chineses - chamam de oportunidade. Dizer que é preciso colocar um freio nas peripécias de Joaquim Barbosa equivale à proposta do jovem rato da fábula que um guizo no pescoço do gato aliviaria o susto que os roedores sofriam a cada ataque asfixiante do felino doméstico. Muitos perceberam já no início das ações do então relator da AP-470 que ele extrapolava os limites da função. Vários destes permaneceram calados, num gesto semelhante ao de Nero que se deleita com o terrível incêndio de Roma, episódio que ficou mais conhecido como "o circo pegando fogo". Ao se ver acusado de autoria, Nero transfere a culpa aos cristãos, que logo são atirados aos leões. Quando a sanha alucinógena do presidente do Supremo se torna evidente, começam a surgir as vozes daqueles que admiravam o fogo alheio a protestar agora quando já sentem o calor da fogueira que se aproxima violentamente contra todos. Os protestos da primeira hora eram classificados de choro dos petistas, agora já se fala em embargos das instituições da República. Não se sabe ainda se a mudança de paradigma vai atingir - e em qual intensidade - toda a sociedade brasileira, a ponto da história quase unânime de crime hediondo se transformar no já conhecido "caixa 2". Resta-nos, entretanto, apontar não a saída fácil do guizo em pescoço supremo, mas colher do episódio histórico a compreensão de que os freios e contra-pesos de qualquer democracia devem ser ajustados permanentemente, papel que não soube exercer o Senado Federal, exposição crítica que a mídia em geral não quis publicar, atuação política que os inimigos da frágil democracia brasileira preferiram ignorar. Em outras palavras, a soberania de um povo escrita em sua Constituição não pode ser interpretada contra a maioria do mesmo povo, ainda que tudo pareça ser um ato de heroísmo individual que surgiu para transformar a história e a cultura de seu povo. Não há salvador da pátria como não há Joaquim Barbosa criando um novo país sem corrupção. As falácias tem vida curta, ainda que durem muito tempo. O Poder do povo é exercido pelos seus representantes eleitos ao Parlamento Nacional, nunca pelo Supremo - a quem cabe interpretar a vontade do Legislador em todas as suas dimensões: a começar do paradigma constitucional que ninguém poderá ser declarado culpado antes do julgamento, e que este deve cumprir regras garantidoras da liberdade individual e do direito dos cidadãos contra o peso do Estado. Os que assistiram e aplaudiram as condenações prévias, muito antes da apresentação das provas - que jamais vieram à luz sem contestação clara e formal - agora já percebem que o Supremo apenas cumpriu um ritual produzindo o que se esperava dele, a consolidação das condenações, apesar de todas as farsas tão evidentes quanto hipócritas. Como reescrever essa tragédia se transformou numa atividade belicosa, basta ver as manifestações passionais que encontramos em qualquer espaço público. Encontrar a solução não é tarefa para o já dito inexistente salvador da pátria, mas obra de todos nós que pensamos um futuro menos dramático para o Brasil. 

Seu voto: Nenhum
imagem de Weliton Santana
Weliton Santana

Uma encrenca chamada Joaquim Barbosa

De forma bem direta você falou toda a verdade que muitos advogados gostariam falar e não conseguem, seja por medo, comodismo ou outros motivos que não convém expor aqui ... Sóbrio, muito sóbrio seu posicionamento. Dele compartilho:  a insanidade do Joaquim Barbosa faz-se necessária!

Seu voto: Nenhum

Por outros motivos escusos ?

Por outros motivos que não podem expor aqui, mas que sabemos: porque estão completamente desinformados. E, nunca, em circunstância alguma, a insanidade pode ser útil ou socialmente necessária. A insanidade só pode ser necessária para a consumação de atos de violência extrema, como assassinatos. Dos juízes espera-se o contrário, o equilíbrio, o bom senso e a neutralidade.

Seu voto: Nenhum
imagem de Frederico Ribeiro
Frederico Ribeiro

Tudo nas costas de Joaquim Barbosa

Joaquim Barbosa é realmente um Super-Heroí. Podemos também chama-lo para a Seleção Brasileira de qualquer modalidade de esporte. Ele é o tipo de cara que bate o tiro de meta, rouba a bola no meio de campo, lança a bola para si mesmo na grande área, chuta para o gol e ainda por cima defende a bola melhor que todos os goleiros do mundo.

Partindo deste pressuposto, para aqueles que apenas e somente atacam Joaquim:

a) Por que vcs não falam dos outros Ministros do Supremo que votaram também pela condenação dos réus da ação penal 470? Sim por que a condenação dos réus não foi uma decisão MONOCRATICA. Outros também votaram como o relator Joaquim Barbosa. 

Outra coisa que me deixa intrigado por que ninguém fala de Aires Brito e Cesar Peluso. Alias Aires Brito era o Presidente do Supremo no inicio do julgamento.

Se alguém responder que os demais,(retirando aqueles que discordaram de Joaquim Barbosa em genero, numero e grau) foram coagitos, foram envergonhados ou simplesmente foram induzidos pelo relator.... A quem vcs querem enganar? Quer dizer que os demais Ministros são um bando de debilóides ao ponto de não discordarem de Joaquim Barbosa. Ou será que eles estavam sendo coagitos pelo bicho Papão da mídias de Direita. Se algém acreditar, ou ainda supor alguma outra coisa dos comentários acima, sinceramente deve acreditar também em Papai Noel, Mula sem cabeça, Lobisomen etc....

Acordem Pessoal ! Joaquim Barbosa NÃO CONDENOU SOZINHO os réus.

 Partindo do imaginários dos lunáticos aloprados:

B) Joaquim Barbosa foi o delator do mensalão.

C) Joaquim Barbosa firmou contrato com Marcos Valério

D) Joaquim Barbosa forjou todos os contratos para incriminar, para depois julgar, condenar e por ultimo prender.

E) Joaquim Barbosa distribui dinheiro de Caixa 2

       Alias gostaria de fazer uma observação sobre Caixa 2. Normalmente nas empresas, caixa 2 é utilizado para sonegar impostos. Impostos esses incidentes sobre vendas ou pela apuração de lucro. Pois bem, então eu compro mercadorias sem nota fiscal e as revendo, consequentemente sem nota. Ou seja, tanto a compra como a venda não posso "contabilizar". Para esses casos uso uma contabilidade paralela : CAIXA 2.

        Agora com dinheiro de Campanha não contabilizado o negocio é bem diferente. Aquele que está doando não quer aparecer, consequentemente e convenientemente aquele que recebe também não que demonstrar que recebeu. E ai que está a dúvida! Por que será que aquele sujeito que doa não que aparecer. Quais são as reais intenções de quem doa e não quer ser visto, não quer ser reconhecido? Qual é a origem do dinheiro ? Será que é fruto de alguma atividade ilicita?

        Por que o PT para justificar esse dinheiro, ou melhor esquenta-lo montou-se uma esquema mirabolante para depois chegar a distribui-lo? 

F) Joaquim Barbosa instarou o inquerito, colheu as provas, fez busca e apreensão dos documentos

G) Joaquim Barbosa intimou as pessoas para a oitiva.

H) Joaquim Barbosa colheu as oitivas

I) Joaquim Barbosa ofereceu denuncia ao MP, anexando oitivas, documentos. Tudo feito por ele também

J) Joaquim Barbosa montou o processo para o MP e ous remeteu a aprecição dele mesmo no STJ

K) Joaquim Barbosa sorteou ele mesmo para ser relator da AP 470.

L) Joaquim Barbosa intimidou, coagiu, hipinotizou os outros Ministros para votarem a favor dele

M) Joaquim Barbosa decidiu sozinho o montante das penas

N) como ele está em todos os lugares ao mesmo tempo. ele foi até o MP, Joaquim Barbosa mandou uma carta para ele mesmo no STF pedindo a prisão dos réus já condenados  que já não cabia mais contestação do julgamento (Embargos Infringentes)

O) Joaquim Barbosa, como também é Juiz de Execução Penal, pegou a viatura e ele mesmo fez as prisões dos réus

P) Joaquim Barbosa além de Ministro do Supremo Tribunal Federal, também é Medico PHD, que atestou que Genoino pode sim ficar na cadeia

UFA.........

Bom Senhores, com certeza esqueci de algum fato mirabolante que Joaquim Barbosa deve ter realizado. Com toda certeza do mundo nosso alfabeto não daria conta. Com certeza também aqueles que atacam Joaquim Barbosa vão introduzir alguns tópicos aos meus comentários, simplesmente por que eles não aceitam serem contrariados nos seus ataques  vazioss e analises tão profundas como um pires.

Por favor senhores tem pelo menos um pingo de dignidade, de civilidade, de amor a pátria e admitam que e infelizmente o mensalão ocorreu. Que o PT imitou o PSDB.

Impudar apenas a uma pessoa, transforma-la no unico responsável de tudo o que aconteceu é loucura. Dizer que foi a mdia de direita responsável por julgar e condenar os réus é tão irreal quanto acreditar que Elvis não morreu e que o calendário Mais está certo. Quer dizer que tudo que foi produzido como prova material (documentos, contratos, transferencias bancarias) e as oitivas das pessoas envolvidas é tudo falácia?

Joaquim Barbosa não é um Super-herói. Não é mocinho nem bandido. Também não nenhum santo, mas também como querem muitos transforma-lo não é nenhum demonio. Ele possue defeitos como todos nõs. Assim também como ele possue qualidades. Joaquim Barbosa é um ser humano de carne e osso. Joaquim Barbosa é uma pessoa que no seu papel, na sua profissão, fez aquilo que deveria ser feito.

Seu voto: Nenhum

Assim lhe parece porque você

Assim lhe parece porque você está chegando agora neste site. Mas, há mais de um ano vimos debatendo esse evento. Inclusive em cada uma das sessões plenárias da AP 470, que assitimos. Estamos falando agora deste destaque, porque é o que está em evidência no momento, e é o assunto do post. A maioria dos debatedores locais não acredita na versão oficial propagada pela midia, e é acompanhada de vários juristas que já se manifestaram, não dá para resumir tudo aqui, o debate já está muito adiantado. Uma boa síntese desse pseudo julgamento foi feita pela revista Retrato do Brasil, que é paga, mas acho que ainda consta no site Conversa Afiada um video que resume bem e analisa os pontos obscuros, narrados por Fernando Moraes e Raymundo Pereira.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Frederico Ribeiro
Frederico Ribeiro

Acompanhei o julgamento

Acompanhei o julgamento quase que diariamente e não vi nada de anormal. O que via foi uma guerra de egos. Mar de vaidades. 

 

O que realmente aconteceu:  Na certeza da impunidade o PT e seus aliados copiaram o PSDB e outros partidos que usaram do mesmo esquema criminoso. Deu no que deu

Sabe-se que muitos réus não eram para ser julgados diretamente pelo STF, porém será que esses processos (como Levandovisk propos) fossem para as estancias corretas teriamos justiça. A resposta é um grande e quadrado NÃO.

O que não aceito é a Tese de Teoria da conspiração. Que tudo foi armação e que como expliquei o UNICO responsavel seja Joaquim Barbosa.

Gostaria que alguém derrubasse linha por linha a minha opnião desprovido das paixões partidarias,.

Seu voto: Nenhum
imagem de pinheiro
pinheiro

Pois é seu

Pois é seu Frederico...

 

"Sabe-se que muitos réus não eram para ser julgados diretamente pelo STF, porém será que esses processos (como Levandovisk propos) fossem para as estancias corretas teriamos justiça. A resposta é um grande e quadrado NÃO."

 

começaste bem e terminaste mal. Deveriam sim ter ido para instancias inferiores (os do PSDB, iguaizinhos foram mes passado) Mas este nao e o principal: o objetivo de um julgamento, seja ele qual for, e de se exercer o direito, base da democracia, e nao "se fazer justiça" como apregoas no teu libelo. Tambem acho que nao podemos atribuir culpa disso ao JB. Ele so foi um instrumento, um brinquedinho de ser usado e jogado fora, assim que nao tiver mais utilidade. Ou achas que o mesmo tem cacife para mais do que pretendiam com o desempenho dele? Louco e destrambelhado como ele é, nao seria facil conduzi-lo de maneira a atingir os objetivos do grupo de poder (lembra do Janio Quadros?...), que nao esta nos partidos, e sim no grande capital, bancos e  grandes corporacoes (ai inclui-se a Globo..)

Seu voto: Nenhum

resposta ao comentário abaixo do Frederico Ribeiro

Porque vcs analisam o periférico e se esquecem do principal

Meu caro, está voltando a fazer uma crítica a partir de uma interpretação falsa. No caso dizer agora que os aspectos que enumera (“Houve crime ou não?. simples!!! Compra de votos: existiu ou não?”, etc) são tidos como periféricos e não foram questionados. Na verdade, pelo que acompanho, esses aspectos tem sido questionados justamente para se concluir que o processo da AP470 não se sustenta, e quem diz isso não são “babas dos mensaleiros”, mas inclusive juristas renomados da direita.

Mas nem precisamos entrar no mérito da culpabilidade dos réus, o caso a meu ver é mais um sentimento de justiça no sentido que existe injustiça quando se enforca um assassino confesso e se mantém solto outro mais antigo que comete crimes mais bárbaros. A contra argumentação típica, como parece ser seu caso, é que um crime não justifica o outro e até concordo. Mas antes deveria ser respeitada a fila de enforcamento; e se a justiça (o sistema) não está respeitando essa fila é porque tem alguma coisa errada, não acha?

Quando o ministério público incriminar os membros do PSDB pela compra de votos da reeleição do FHC, quando botarem na cadeia os empresários que se locupletaram com a privatização, etc. Eu não só vou achar justa a condenação da AP470 como vou bater palma pro JB. Até lá eles só merecem a minha desconfiança.

Seu voto: Nenhum

Cesar Ferreira

imagem de Frederico Ribeiro
Frederico Ribeiro

Respeitar fila de enforcamento?

Esse é o problema. Como num comentário de N F Seemann deste mesmo site, diz mais ou menos assim

O PT parece uma criança que fez arte e, ao ser pego e levar umas palmadas entrega  outros amiguinhos que  também aprontaram.

É o preço que se paga por estar no poder! A certeza da impunidade, a arrogancia e soberba foi o que derrubou um por um os condenados  do mensalão. Se partindo desse raciocinio não teriamos julgamento. Crimes prescreveriam e, infelizemente não teriamos justiça.PIZZA indigesta

Concordo com vc com relação ao mensalão do PSDB.Não vejo a hora . 

Porém como disse anteriormente: o PT imitou PSDB.

Então chegamos num consenso? Atos ilicitos foram cometidos não é?.  Joaquim Barbosa fez o que deveria ter feito, não é? MP fez seu trabalho como também todos os outros orgãos envolvidos não é? 

Os outros Ministros não foram coagitos, nem abduzidos muito menos hipinotizados. Votaram conforme sua ciência e consciência não é?

A manchete "Uma encrenca chamada Joaquim Barbosa" nada mais é que egos feridos, brados vazios, com uma boa pitada de dor de cotovelo misturado com cegueira cronica partidaria de companheiros e aloprados não é?

Renomados Juristas de Direita???? Não sei não. Tais só aparecem para se promover. Digo e repito: Guerra de egos.

O que me interessa é que meus impostos (pago contrariado mas pago) não seja usado para fins nada dignos. Como em outro comentário acho que também de N F Seemann: Nada justifica as alianças espurias.

Caixa 2? Que maravilha! Podemos colocar então (na suposição) que foram banqueiros, construtoras, estatais, bicheiros, multinacionais e assim por diante. Cade a seletividade e a Honestidade gritadas aqui por "babas dos mensaleiros" aqui neste modesto espaço democratico?

Não aceito a Tese de Conspiração, golpe da direita, elite furiosa, midia golpista nada disso. Como também não aceito "endemoniar" Joaquim Barbosa como disse anteriormente. Errou ? Errou. Arque com a consequencia.

 

Seu voto: Nenhum

...

Concordo com vc com relação ao mensalão do PSDB.Não vejo a hora . 

Vamos então esperar pra ver... E de certa forma agora que Inês é morta até acho contraproducente enfraquecer o JB. Temos mais é que apoiar o rigor do JB de um lado e ficar buzinando pelo mensalão do PSDB do outro lado. Mas reafirmo o que disse antes, até essa turma do PSDB parar na cadeia sou obrigado a ver o JB e o STF com desconfiança.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Cesar Ferreira

Repito

Neste site a revista expõe em pdf 7 páginas de argumentação, o que rebate ponto por ponto as suas, todos aqui já lemos http://www.oretratodobrasil.com.br/

Seu voto: Nenhum (1 voto)

...

Gostaria que alguém derrubasse linha por linha a minha opnião desprovido das paixões partidárias

Bem, já que pediu... Repare, no início você colocou:

“Por que vcs não falam dos outros Ministros do Supremo que votaram também pela condenação dos réus da ação penal 470?”

E a partir daí construiu toda uma argumentação para mostrar ser absurda colocar a culpa só no JB. O que é óbvio, e nem precisava tanto texto. Só que sua pergunta inicial é falsa. Ou seja, em outros debates também se criticou a atuação de outros juizes, dos procuradores, da mídia, e até mesmo elementos do próprio PT que concordam com o julgamento. Eles não foram esquecidos, porém sempre faz mais sentido focar num alvo principal. Não concorda?

Seu voto: Nenhum

Cesar Ferreira

Não é pq vc chegou atrasado

Não é pq vc chegou atrasado com essa conversa de que a culpa é de JB que a gente vai ter que repetir tudo o que já foi escrito aqui há um ano.... Ninguém acha que JB é culpado, sozinho e AB por aqui, já nem faz mais sucesso de tanto que já foi desmascarado ( ex-PGR´s, idem ). Vai acompanhando que já fica junto com todo mundo.  Agora, dizer que acompanhou o julgamento e não viu nada de anormal, é estranhíssimo... Desculpa aê mas, tudo o que esse julgamento não foi, foi normal, a ponto de os próprios magistrados dizerem isso a toda hora. Ap com 40 réus, condenados sem provas, baseados em costuras de votos em decisões fatiadas; sessões suspensas para que apenas uma AP ficasse no foco durante meses, transmissão ao vivo na Globonews; juízes esculhambando os réus para  justificar votos deprovidos de fundamentação jurídica; requisição dos magistrados para que partes dos votos proferidos fossem apagados dos vídeos; crises histéricas em plenário por parte dos magistrados...  Eu não sei em que área vc milita e menos ainda que Tribunais frequenta... EU NUNCA VI NADA PARECIDO. Pelo jeito os juristas, magistrados, advogados.., tb não pq o que não falta é nota de todas as associações reclamando do julgamento dessa AP.

Seu voto: Nenhum
imagem de Frederico Ribeiro
Frederico Ribeiro

Mais um que só fica no

Mais um que só fica no blablabla. Para mim o que importa é se foram cometidos atos ilicitos. Isso os BABAS DOS MENSALEIROS (ASSIM COMO VC) NÃO TEM CORAGEM DE FALAR. E o resto minha filha É DIALOGO FLACIDO PARA ACALENTAR BOVINO!.

Seu voto: Nenhum

...

Parece que a resposta da Cristiana é para o Frederico e não para mim. Aliás, esse layout de encadeamento de respostas poderia ser mudado. Uma alternativa seria a indentação ocorrer só uma vez depois do comentário principal e a partir dele todos os comentários derivados tenham mesma largura. Naturalmente os comentaristas terão que se preocupar em colocar no início para quem se está respondendo dentro dessa conversa. O que não é complicado uma vez que esse ordenamento e etiqueta funcionavam bem nos fóruns do orkut.

Seu voto: Nenhum

Cesar Ferreira

imagem de Frederico Ribeiro
Frederico Ribeiro

Não concordo

Porque vcs analisam o periférico e se esquecem do principal

----- Periférico-----

Não concordarem com o Principal

 

----- Principal------

Houve crime ou não?. simples!!! 

Compra de votos: existiu ou não?

Crime contra o sistema financeiro : existiu ou não?

Corrupção ativa ou passiva : existiu ou não?

Formação de quadrilha: existiu ou não?

Peculato : existiu ou não? 

Palavras da Ministra Carmen Lucia: 

Acho estranho e muito, muito grave que alguém diga com muita tranquilidade que houve caixa 2. Caixa 2 é crime, é uma agressão à sociedade brasileira.

Contiuna...

"Alguém afirmar que houve ilícito com a tranquilidade que se fez aqui é algo inédito em minha vida profissional. É como se o ilícito fosse uma coisa normal e pudesse ser assumido tranquilidade. É como dizer 'ora, brasileiro, o ilícito é normal'. A ilegalidade não é normal. Num estado de direito, o ilícito há de ser processado e punido. Isso me causou profundo desconforto", desabafou.

"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto" - Ruy Barbosa

Sinceramente: Parem de serem "babas do mensaleiros"

 

Seu voto: Nenhum

...

Frederico, por questão de espaço respondi acima (ver post 03/12/2013 - 18:10).

Seu voto: Nenhum

Cesar Ferreira

imagem de José Baracho Barbosa Araújo
José Baracho Barbosa Araújo

Uma encrenca chamada Joaquim Barbosa

O Grande Circo!

É a Casa Grande contra a Senzala.

Dois pesos e duas medidas.

A Casa Grande matou Tiradentes, Frei Canecas, G. Várgas, JK, João Goulart, escravisou os negros, matou os índios, implantou a ditadura militar ( 16.500) mortos ou torturados ou exilados, prenderam Chico Julião, Gregório Bezerra, Luis Ignácio, Genuino, Dirceu e Delúbio.

Casa Grande! Onde se encontram: Salvadore Catiola, Daniel Dantas, Paulo Maluf, Joaquim Horiz, Luís Estevão, Sérgio Naia, Roberto Arruda, FHC, Alkmim, Serra, Cachoeira, Demóstenes Torres, Paulo Otávio e tantos outros?

Quem já leu a histório do Brasil de forma crítica entende o Grande Circo, uma Palhaçaca, é tanto que não conseguiram enganar nem os leigos. a Dilma está lavrando na frente.

Eles tentaram fazer um giro e fizeram um giral.

O Joaquim está a servoço da Casa Grande, fazer o quê?

 

Seu voto: Nenhum
imagem de duco
duco

STFManifesto declara "Supremo

STFManifesto declara "Supremo não pode ficar refém de Barbosa"Personalidades sociais repudiam ação tomada pelo ministro do STF Joaquim Barbosa.A intervenção juridica de Joaquim Barbosa ministro doSupremo Tribunal Federal, foi contestada por meio de um abaixo-assinado em repúdio ao ministro. O manifesto, liderado pelos juristas e professores da USP e da PUC, como Celso Bandeira de Mello e Dalmo Dallari, declara abertamente que foi um julgamento amplamente divulgado pela imprensa capitalista como sendo uma "justiça" política. O manifesto foi assinado por cerca de 150 pessoas, entre eles professores da USP e da PUC, jornalistas, senadores, deputados, prefeitos, sociólogos, filósofos, antropólogos, artistas pláticos, coletivos, associações, direitos humanos, advogados, juristas, presidentes e diretores do MST, do MSTC, FLM, e da CUT. Leia o manifesto abaixo: A decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal de mandar prender os réus da Ação Penal 470 no dia da proclamação da República expõe claro açodamento e ilegalidade. Mais uma vez, prevaleceu o objetivo de fazer do julgamento o exemplo no combate à corrupção.Sem qualquer razão meramente defensável, organizou-se um desfile aéreo, custeado com dinheiro público e com forte apelo midiático, para levar todos os réus a Brasília. Não faz sentido transferir para o regime fechado, no presídio da Papuda, réus que deveriam iniciar o cumprimento das penas já no semiaberto em seus estados de origem. Só o desejo pelo espetáculo justifica. Tal medida, tomada monocraticamente pelo ministro relator Joaquim Barbosa, nos causa profunda preocupação e constitui mais um lamentável capítulo de exceção em um julgamento marcado por sérias violações de garantias constitucionais. A imprecisão e a fragilidade jurídica dos mandados expedidos em pleno feriado da República, sem definição do regime prisional a que cada réu teria direito, não condizem com a envergadura da Suprema Corte brasileira.A pressa de Joaquim Barbosa levou ainda a um inaceitável descompasso de informação entre a Vara de Execução Penal do Distrito Federal e a Polícia Federal, responsável pelo cumprimento dos mandados.O presidente do STF fez os pedidos de prisão, mas só expediu as cartas de sentença, que deveriam orientar o juiz responsável pelo cumprimento das penas, 48 horas depois que todos estavam presos. Um flagrante desrespeito à Lei de Execuções Penais que lança dúvidas sobre o preparo ou a boa fé de Joaquim Barbosa na condução do processo.Um erro inadmissível que compromete a imagem e reputação do Supremo Tribunal Federal e já provoca reações da sociedade e meio jurídico. O STF precisa reagir para não se tornar refém de seu presidente. A verdade inegável é que todos foram presos em regime fechado antes do “trânsito em julgado” para todos os crimes a que respondem perante o tribunal. Mesmo os réus que deveriam cumprir pena em regime semiaberto foram encarcerados, com plena restrição de liberdade, sem que o STF justifique a incoerência entre a decisão de fatiar o cumprimento das penas e a situação em que os réus hoje se encontram. Mais que uma violação de garantia, o caso do ex-presidente do PT José Genoino é dramático diante de seu grave estado de saúde. Traduz quanto o apelo por uma solução midiática pode se sobrepor ao bom senso da Justiça e ao respeito à integridade humana. Tais desdobramentos maculam qualquer propósito de fazer da execução penal do julgamento do mensalão o exemplo maior do combate à corrupção. Tornam também temerária a decisão majoritária dos ministros da Corte de fatiar o cumprimento das penas, mandando prender agora mesmo aqueles réus que ainda têm direito a embargos infringentes.Querem encerrar a AP 470 a todo custo, sacrificando o devido processo legal. O julgamento que começou negando aos réus o direito ao duplo grau de jurisdição conheceu neste feriado da República mais um capítulo sombrio. Sugerimos aos ministros da Suprema Corte, que na semana passada permitiram o fatiamento das prisões, que atentem para a gravidade dos fatos dos últimos dias. Não escrevemos em nome dos réus, mas de uma significativa parcela da sociedade que está perplexa com a exploração midiática das prisões e temem não só pelo destino dos réus, mas também pelo futuro do Estado Democrático de Direito no Brasil.19 de Novembro de 2013

 

Seu voto: Nenhum

Depõe também contra as escolas de Direito

Geralmente, os ambientes acadêmicos implicam em atividades associativas, estudos de grupos, debates, tem que haver tolerância, e, essa pessoa não parece adaptada a tais práticas. Estranho. Como será que são as faculdade de Direito ? Como ele passou por tantos trâmites, conservando essa singular educação ? Coincidentemente, na USP puseram um reitor da Direito, que nem é do campus, e este também se pôs a fazer estrepulias inusitadas, alunos foram até presos e acusados de formação de quadrilha ( ! ) nunca se tinha visto isso.

Seu voto: Nenhum
imagem de paulo peixoto
paulo peixoto

E QUE ENCRENCA !

Evidentemente um Poder Judiciário independente do Poder Executivo constitui-se em grande encrenca para esse último. Se o PT não tolera o STF, que crie, então, uma KGB brasileira.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Calvin
Calvin

"Como acreditar em quem dizia

"Como acreditar em quem dizia que Joaquim era o grande paladino da justiça e, agora, constata-se que é um desequilibrado?"

Exato!!!! Quando Barbosa atacou Gilmar Dantas, querendo o que todos queriam aqui, que ele ouvisse a voz das ruas, fui dos poucos a favor de GM, que fez inclusive a súmula das algemas que veio bem a calhar no último 15 de novembro...

Seu voto: Nenhum
imagem de UALID RABAH
UALID RABAH

BARBOSA x GILMAR MENDES

Muito bem lembrada a passagem em que Joaquim Barbosa voscifera contra Gilmar Mendes. Naquele momento eu fui um dos que ficou satisfeito e disse a muitos que Joaquim Barbosa já tinha servido à nação. Necessária a autocrítica e, mais, passarmos a tomar cuidado com os comportamentos de torcida que, com não rara frequência, nos retiram do bom senso. Ao mesmo tempo, claro está que aquele momento foi mero prelúdio, por um lado, quando olhamos para o passado, e por outro, olhando nossos dias, que ambos, Barbosa e Mendes, não divergem tanto assim quanto em pauta o essencial: destruir todas as possibilidades de continuidade das verdadeiras mudanças destruindo a política e seus agentes.

Seu voto: Nenhum
imagem de Breno aguiar
Breno aguiar

comentários

Engraçado não se pode falar mal do PT aqui , tiram o comentário imadiatamente....hi...

Seu voto: Nenhum (22 votos)
imagem de Era Uma Vez
Era Uma Vez

Após redigir o comentário,

Após redigir o comentário, tecle ENTER.

Att.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Você quer argumentar contra

Você quer argumentar contra um partido ou meramente falar mal?

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Gão
Gão

Mentiroso,

 tem uma centena pelo menos de comentários antí-PT só aqui.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Sobre mata-burros

Muito lúcida a sugestão do Alberto Porém de instalar um mata-burros na porteira do blog.

A parceria do GGN com o IG vai exigir algum tipo de medida sanitária a fim de preservar a qualidade dos debates que se promovem aqui no blog.

Acho que a manada aparentemente desgovernada, são uns poucos trolls com vários perfis. Completando um outro post de hoje (http://jornalggn.com.br/noticia/a-curiosa-psicologia-do-fake) percebo que operam dentro um padrão que muda pouco:

1. Fingem que são trabalhadores honestos indignados com tudo isso que aí está (ou seja: Lula-Dilma-PT).

2. Ou fingem que já votaram algum dia em Lula-Dilma-PT, mas se cansaram.

3. Usam e abusam de meias-verdades, com objetivo explícito de confundir. Obviamente, quase sempre, priorizam a metade que é mentira.

4. Adoram um chavãzinho de esgoto. De vez em quando, deixam escapar um "petralha", um "apedeuta", evidenciando de onde vieram ou quem é que paga a conta.

5. Publicam mensagens curtas e nunca respondem a réplicas, pois o objetivo é "fazer volume".

6. Preferem serem os últimos a comentar a comentar, propriamente.

7. Acham que, se alguém (eles) está sendo pago para falar mal do governo, alguém (Nassif e outros blogueiros independentes) está sendo pago para falar bem. É meio burro pensar assim, mas enfim, não pode exigir muito de um troll.

8. Por último - e o mais legal - é que têm imensa, incomensurável, quase infinita inveja de nós, que podemos pensar e nos expressar livremente.

Seu voto: Nenhum
imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

TVNI's? Surpresa nao eh, ja

TVNI's?

Surpresa nao eh, ja conheco trolls voadores nao identificados de outros lugares.  Posso garantir que sao todos pagos.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

São todos nick names pagos

Para mim, isso ai que tínhamos visto, e que foi retirado, é um só, e foi meio podado até no Brasil 247 ( ! ) E, de estilos mais brandos devem ter 2. Além de um da veja, que se faz passar por mulher. São pouquíssimos, por enquanto, esses mais profissionais.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de CB
CB

Acrescente: - cada um deles

Acrescente:

- cada um deles carrega uma peneira com o objetivo de tentar tapar o sol.

Será que alguém é capaz de acreditar que vai mudar a realidade entupindo blogs com blablabla?

Seu voto: Nenhum (7 votos)

A ação 2474.

Aos que hoje vieram aqui exaltar Joaquim Barbosa, gostaria de que os mesmos tomassem ciência da ação 2474.

por Conceição Lemes

O inquérito 2474 do Supremo Tribunal Federal (STF) permanece um mistério.

Em 6 de março de 2007, ele foi passado  para o ministro Joaquim Barbosa, que decretou segredo de Justiça. E como tal está há seis anos e seis meses.

Entre 5 e 14 de agosto solicitamos ao ministro, via chefia da assessoria de imprensa do STF, informações sobre o inquérito. Ele, que é atualmente presidente do STF, não nos respondeu.

Diante da negativa, eu, Conceição Lemes,perguntei então aos demais ministros da Corte. Mandamos para o gabinete de Rosa Weber, Cármen Lúcia, Celso de Mello, Marco Aurélio, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski,  Dias Toffoli,  Teori Zavascki e Luís Roberto Barroso o e-mail abaixo. O primeiro, em 23 de agosto. O segundo, nessa segunda 2, reiterando a solicitação.

Estou fazendo uma reportagem sobre o inquérito 2474, que está sob segredo de Justiça há quase 7 anos.

Em 2011, dois réus da Ação Penal 470 (petição nº 19.672/2011) solicitaram acesso ao inquérito. O ministro Joaquim Barbosa, que foi seu relator até 31 de julho de 2012, negou-lhes, alegando: “os dados constantes do presente inquérito não serão utilizados na análise dos fatos objeto da AP 470, por tratarem de fatos diversos, não havendo, portanto, qualquer cerceamento do direito de defesa nos autos daquela ação penal (470)”.

Porém, o laudo 2828/2006, do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal (INC/PF), que estava no 2474, foi utilizado na AP 470.

O laudo 2828/2006 ficou pronto no final de dezembro de 2006. E em maio de 2007 já constava do inquérito 2474.

Portanto, antes do julgamento da aceitação da denúncia pelo STF, em agosto de 2007, do inquérito 2245, que deu origem à AP 470. Porém, ele só foi apresentado pelo PGR/MPF em novembro de 2007, dois dias após a instauração da AP 470.

Diante disso, gostaria de saber:

1) Se, pelo menos desde maio de 2007, o laudo 2828/2006-INC/PF já constava do inquérito 2474, por que ele não fez parte do inquérito 2245?

2) O laudo 2828/2006-INC/PF, em resposta à pergunta do ministro Joaquim Barbosa “A quem competia fazer o gerenciamento dos recursos do Fundo de Incentivo Visanet, repassados à DNA propaganda Ltda.? ”, afirma que, no período de 2002 a 2005, a pessoa indicada pelo Banco do Brasil como “gestor do Fundo de Incentivo”, única pessoa responsável era o Sr. Léo Batista dos Santos.

Se este dado do laudo 2828/2006-INC/PF faz parte do inquérito 2474 e diz respeito ao senhor Henrique Pizzolato, por que a defesa do réu não teve acesso ao inquérito 2474?

3)  Considerando que o inquérito 2474 contém  dados referentes à AP 470 (disponho de documentos comprovando isso), o fato de os réus não terem tido vistas ao inquérito 2474 , não caracterizaria “cerceamento de defesa”?

Nenhum respondeu as perguntas. Dois justificaram. O chefe de gabinete do  ministro Gilmar Mendes informou:

O Inq 2474 não está sob a relatoria do Min. Gilmar Mendes, razão pela qual seria adequado dirigir as solicitações abaixo ao eminente Min. Relator ou ao Exmo. Sr. Ministro Presidente.

Atenciosamente,

Luciano F. Fuck

Chefe de Gabinete do Min. Gilmar Mendes

O outro foi o ministro Marco Aurélio. A sua chefe de gabinete foi na mesma direção que o de Gilmar Mendes:

De ordem, em resposta ao email enviado por Vossa Senhoria, informo-lhe que à Sua Excelência o Senhor Ministro Marco Aurélio não cabe responder as indagações formuladas por não deter a relatoria dos processos indicados.

Atenciosamente,

Adriane da Rocha Callado Henriques

Chefe de Gabinete

Gabinete do Ministro Marco Aurélio

O inquérito 2245 deu origem à Ação Penal 470, o chamado mensalão. O ministro Joaquim Barbosa é o seu relator.

O 2474, apelidado de “gavetão”, é paralelo ao 2245. Barbosa é também o seu relator.  Em notícia do STF de 15 de abril de 2011, ele  diz que o 2474 “foi desmembrado do então Inquérito 2245 logo depois do oferecimento da denúncia naqueles autos“.

Pois bem, o inquérito 2474 ficou nas mãos de Barbosa de 6 de março de 2007 a 31 de julho de 2013.

Em 1º de agosto, ele transmitiu a relatoria para o ministro Luís Roberto Barroso. Poucos dias depois, após examinar o inquérito, Barroso declarou-se impedido. Justificativa: “suspeição por foro íntimo”.

Desde segunda-feira, 2 de setembro, o ministro Ricardo Lewandowski é o novo relator do 2474.

ESTRANHEZA POR ESTAR HÁ QUASE 7 ANOS SOB SEGREDO DE JUSTIÇA

Que bombas “guardam” o inquérito 2474? Será que podem incriminar instituições e/ou pessoas importantes da República?  Contém provas que derrubam a tese central da Ação Penal 470 de que o PT pagou deputados federais para que votassem a favor de projetos de interesse no governo na Câmara? Ou o quê?

Uma coisa é certa: causa estranheza estar há quase sete anos sob segredo de Justiça.

“Uma investigação que dura tanto tempo sem um desfecho final, seja com denúncia criminal ou mesmo arquivamento por falta de prova, é sinal da imobilidade injustificada da ação estatal”, afirma importante advogado de Brasília, que pediu o anonimato por temer retaliação de suas causas no STF. “Pode significar, também, certa conveniência de acobertamento ou escolha sobre quem se pune.”

Antes de avançarmos, vale a pena relembrar como nasceu o inquérito 2474:

* Em julho de 2005, o Congresso instalou a CPI dos Correios, para apurar denúncias de recebimento de propina por funcionário dos Correios, ligado ao então deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ). A partir da sua entrevista-denúncia à Folha de S. Paulo, em 6 de junho de 2005, a CPI dos Correios acabou desembocando no mensalão.

* Já nessa época a Polícia Federal começou a investigar o caso.

*Ainda em julho de 2005, foi aberto no STF o inquérito 2245, o do mensalão. O ministro Joaquim Barbosa foi sorteado como relator.

* A CPI dos Correios teve dois relatórios. O preliminar, divulgado em 20 de março de 2006, que indicou o indiciamento de 126 pessoas. O final, publicado em 6 de abril de 2006.

* Estranhamente o procurador-geral não esperou que ficasse pronto o relatório final da CPI, que seria divulgado logo em seguida. Muito menos aguardou os resultados das investigações da Polícia Federal que estavam em andamento.

* Em 30 de março de 2006, Antônio Fernando concluiu que 40 indiciados eram culpados – número provavelmente escolhido para associar o “mensalão” à  fábula de Ali Babá — , e denunciou-os ao STF.

* Em 9 outubro de 2006, Antônio Fernando pediu a  Barbosa que “o procedimento [material de investigação da PF] que contém atos probatórios posteriores à denúncia [feita por ele em 30 de março de 2006 ao STF] seja autuado em separado e receba nova numeração” (aqui, os documentos).

* Antônio Fernando alegou que colocar no mesmo inquérito, o 2245, documentos que embasaram a denúncia e aqueles resultantes da investigação que prosseguia, “a par de gerar confusão, pode motivar eventual questionamento quanto à validade dos atos investigatórios posteriores à denúncia” (documentos, aqui).

* Resultado: no dia seguinte, 10 de outubro de 2006, o ministro-relator aceitou o pleito do então procurador-geral da República, ou seja, que as provas sobre o mensalão produzidas após a denúncia ao STF – o laudo 2828, da Polícia Federal, é uma delas–, não deveriam ir para o inquérito 2245, mas para um novo.

Nascia aí inquérito 2474, paralelo  ao 2245.  Em 6 de março de 2007, Joaquim Barbosa assumiu a sua relatoria,  ficando com ela até 1º de agosto de 2013.

LAUDO 2828 E RELATÓRIO DE ZAMPRONHA CONTRADIZEM PROCURADORES E RELATOR

Nessa segunda-feira 2, contatamos a assessoria de imprensa do STF para saber por que o 2474 está há quase sete anos sob segredo de Justiça e do que ele trataria.

A única informação de que dispõe a assessoria está em duas notícias do STF, de 2011. Além de fornecer os links, a assessora destacou o trecho em que o 2474 é mencionado:

“Este processo foi autuado no Supremo em 2006, a pedido do procurador-geral, para dar continuidade às investigações sobre fatos e eventuais delitos que não foram incluídos na denúncia do caso que a imprensa convencionou chamar de “esquema do mensalão” – denúncia esta recebida pelo Pleno da Corte e que deu origem à Ação Penal (AP) 470 (grifos em negrito são da assessora de imprensa do STF).

Uma das notícias é de 15 de abril (na íntegra, aqui):

O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal (STF), remeteu ao procurador-geral da República petição de dois denunciados na Ação Penal (AP) 470, do mensalão, que pedem para ter acesso aos autos do Inquérito (Inq) 2474. Eles afirmam no pedido que notícias jornalísticas têm dado conta de que provas produzidas neste inquérito serviriam de base para o julgamento da AP 470.

Ao lembrar mais uma vez que se tratam de dois processos distintos e que “os dados constantes do presente inquérito não serão utilizados na análise dos fatos objeto da AP 470, por tratarem de fatos diversos”, o ministro pede que o chefe do Ministério Público informe se os denunciados são investigados no inquérito citado, cujos autos estão na procuradoria. Só depois da resposta do procurador o ministro vai analisar o pedido (grifos em negrito são da repórter).

O ministro Joaquim Barbosa refere-se ao pedido de vistas ao inquérito 2474 feitos em 2011 por Breno Fischberg e Enivaldo Quadrado, também condenados na AP 470.

Tal como está na íntegra do seu despacho, Barbosa enfatizou: “os dados constantes do presente inquérito (2474) não serão utilizados na análise dos fatos objeto da AP 470”

A outra notícia é de 5 de abril de 2011 (na íntegra, aqui):

O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou no dia 23/03/2011, para o procurador-geral da República, o relatório sigiloso da Polícia Federal sobre as investigações constantes do Inquérito (INQ) 2474. Este processo foi autuado no Supremo em 2006, a pedido do procurador-geral, para dar continuidade às investigações sobre fatos e eventuais delitos que não foram incluídos na denúncia do caso que a imprensa convencionou chamar de “esquema do mensalão” – denúncia esta recebida pelo Pleno da Corte e que deu origem à Ação Penal (AP) 470.

De posse desse relatório, cabe ao procurador decidir se estão presentes os indícios mínimos que justifiquem a apresentação de denúncia, com base nas informações constantes do relatório da PF.

Apesar de ser a continuidade das investigações dos fatos que culminaram na denúncia recebida pelo Supremo e que se converteu na Ação Penal 470, o Inquérito 2474 é um processo independente, e seu processamento em nada interfere na tramitação da Ação Penal 470 (grifos em negrito são da repórter).

O relatório sigiloso a que se refere Barbosa é o do delegado da Polícia Federal Luís Flávio Zampronha, responsável por acompanhar as investigações do mensalão.

Esse relatório, que ficou pronto em 2011, nunca foi colocado nos autos do processo da AP 470; ficou “guardado” no 2474.

Será por que chegou a conclusões conflitantes à tese dos dois procuradores-gerais da República que atuaram no processo, Antônio Fernando e Roberto Gurgel, de que houve mensalão?

Zampronha divergiu, sim. E muito, pois:

1) apresenta provas de que os empréstimos feitos pelo Banco Rural para o PT foram legais;

2) conclui que não houve mensalão, ou seja, não houve pagamento a parlamentares em troca de votos; e

3) diz que o funcionário do Banco do Brasil responsável por gerir o dinheiro da Visanet era Léo Batista dos Santos e não Henrique Pizzolato.

Apesar de essas conclusões dizerem respeito ao mensalão, e, mais que tudo, contradizerem a tese do mensalão, estranhamente Barbosa e Antônio Fernando decidiram não colocar o relatório de Zampronha na AP 470, “guardando-o” no inquérito 2474.

Assim como “guardaram” no 2474 o laudo 2828/2006, do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal (na íntegra, aqui).

A PF, como já dissemos, começou a investigar o mensalão em 2005. Entre outras medidas, seus peritos realizaram uma avaliação das relações comerciais e procedimentos contábeis envolvendo a DNA, o Fundo de Incentivo Visanet e o Banco do Brasil (BB). O laudo, concluído em 20 de dezembro de 2006, recebeu o número 2828/2006. Ele tem 43 páginas e avalia de 2001 a 2005.

Nas últimas páginas do laudo, os peritos responderam dez quesitos formulados pelo ministro Joaquim Barbosa.  O segundo era este: A quem competia fazer o gerenciamento do Fundo de IncentivoVisanet, repassado à DNA?

Os peritos da PF responderam que de 1 de junho de 2001 a 19 de agosto de 2002, o gestor era Leandro José Machado. E de 19 de agosto de 2002 a 19 de abril de 2005, Léo Batista dos Santos, que era também funcionário da diretoria de Varejo do BB. Foi nomeado pelo diretor de Varejo do BB à época, Fernando Barbosa, para ser o gestor.

Portanto, ao contrário da denúncia apresentada pelo procurador-geral e aceita pelo ministro-relator, Henrique Pizzolato, diretor de Marketing e Comunicação do BB, nunca foi gestor do Fundo de Incentivo Visanet .

Só que o laudo 2828/2006, que comprova que o “suspeito” Henrique Pizzolato não era o responsável pelo dinheiro da Visanet, ficou “guardado” no inquérito 2474.

Alegação para essa medida: teria sido para não “gerar confusão” nem “motivar eventual questionamento quanto à validade dos atos investigatórios posteriores à denúncia”, feita pelo procurador-geral ao STF em março de 2006.

Consequentemente, pelo menos dois documentos relacionados diretamente ao mensalão — o laudo 2828/2006 e o relatório de Zampronha –, fazem parte do “gavetão”.

Por isso, os advogados de defesa dos “40 mensaleiros” nunca tiveram acesso ao relatório do delegado Zampronha. O laudo 2828/2006, Instituto de Criminalística da PF, que também foi para “gavetão”, nunca passou pelo 2245. Ambos indicam que houve cerceamento de defesa dos réus da AP 470.

Três curiosidades:

*Zampronha, após apresentar o seu relatório recebeu, como “prêmio” o rebaixamento de função na PF. Por que e mando de quem?

A Polícia Federal é subordinada ao Ministério da Justiça, que tem à frente desde 2011 o ministro José Eduardo Cardoso, que, por sinal, já advogou para o banqueiro Daniel Dantas.

*O laudo 2828/2006, embora o ministro-relator tenha feito leitura equivocada dele, foi usado na AP 470 sem nunca ter passado pelo inquérito 2245.

Como é que então Joaquim Barbosa, em despacho negando a Breno Breno Fischberg e Enivaldo Quadrado acesso ao inquérito 2474, garante que “os dados constantes do presente inquérito não serão utilizados na análise dos fatos objeto da AP 470, por tratarem de fatos diversos”? E conclui: “não havendo, portanto, qualquer cerceamento do direito de defesa nos autos daquela ação penal (470)?”

PROVAS CONTRA GLOBO E/OU A FAVOR DOS MENSALEIROS? 

Afinal de contas, por que o inquérito 2474 está há quase sete anos em segredo de Justiça? Que outros “segredos” guardam?

As respostas só teremos no dia em que o sigilo do 2474 for aberto pelo STF.

Especula-se que, além do laudo 2828/2006 e do relatório de Zampronha,  outra causa para o 2474 estar sob segredo de Justiça seria a existência de investigações referentes à Globo.

O Banco Rural, cujos ex-cujos ex-diretores foram condenados por fazer empréstimos supostamente fraudulentos ao Partido dos Trabalhadores (PT),  operou nos mesmos moldes para a Globo Comunicações e Participações – a Globopar. Isso consta na denúncia feita pelo procurador-geral Antônio Fernando de Souza, em março de 2006.

Logo, é possível que as investigações a respeito da denúncia contra a Globopar estejam também no 2474.

Explico.

Nos relatórios da CPI dos Correios foram citadas outras empresas e pessoas que não fizeram parte dos 40 “eleitos” pelo procurador-geral da República para integrarem a denúncia que fez ao STF. Estas outras pessoas e empresas talvez estejam “guardadas” no inquérito 2474.

Por exemplo, na página 90 da denúncia feita em 2006 ao STF, Antônio Fernando diz que uma vistoria realizada pelo Banco Central (BC) no Banco Rural mostrou que, além da SMP&B e a Grafitti Participações (cujos sócios foram denunciados na AP 470),  o Rural estava envolvido  em operações ilegítimas com outras 16 empresas.

Consta na denúncia que elas teriam recebido o mesmo tipo de empréstimo que o Banco Rural concedeu ao PT e que foi considerado fraudulento pelos ministros do STF que julgam o mensalão. Entre essas empresas está a Globopar.

Em 2004, a Globopar não conseguiu honrar suas dívidas com o fundo de investimentos americano W.R. Huff, que então pediu a falência dela nos EUA.

O Banco Rural, dono da off shore Trade Link Bank, no paraíso fiscal Gran Cayman, Caribe, emprestou-lhe dinheiro para pagar parte da dívida. A denúncia do ex-procurador-geral trata desse empréstimo em paraíso fiscal.

Na página 91 da mesma denúncia, Antônio Fernando diz que a documentação encontrada no Rural caracteriza a prática de crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro, revelando “situações bastante graves, que serão encaminhadas ao foro competente”.

Onde estará a investigação referente à Globo e às demais empresas citadas criminalmente na denúncia do ex-procurador-geral da República ao STF? Será que no inquérito 2474?

A propósito. Será que foi devido à presença da Globo no “gavetão” que o ministro Luís Roberto Barroso declinou da sua relatoria, devolvendo-o ao ministro Joaquim Barbosa, o “pai e criador” do inquérito 2474?

No currículo do ministro Barroso, consta que ele advogou em favor da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert).  E a Abert, todos nós sabemos, obedece ao comando da Globo.

Outra especulação diz respeito ao filho de fato de Joaquim Barbosa, Felipe Barbosa.

O inquérito 2474 conteria documentos que mostrariam que a DNA propaganda, de Marcos Valério, teria pago à empresa Tom Brasil, com recursos da Visanet,  R$ 2,5 milhões. Em 2010, a Tom Brasil contratou o jovem Felipe Barbosa, para assessor de imprensa da casa de shows Vivo, no Rio de Janeiro. Mais recentemente Felipe foi contratado para trabalhar no programa de Luciano Huck, na Globo.

Outro possível motivo: Daniel Dantas, do Oportunity, seria um dos investigados  no inquérito 2474.

Aliás, pelo consta no andamento do inquérito 2474 só duas pessoas tiveram acesso a ele. O próprio Daniel Dantas. E o deputado federal José Mentor (PT-SP). Mentor foi relator da CPI do Banestado, que acabou em pizza. Seu nome foi mencionado na denúncia feita por Antônio Fernando, mas ele não foi indiciado.

Não é à toa que o 2474 ganhou o apelido de “gavetão”. Mais precisamente o “gavetão” paralelo do inquérito 2245, que deu origem à Ação Penal 470. Paralelo porque os dois inquéritos tratam do mensalão. Tem tudo a ver com o mensalão.

SÓ COM TRANSPARÊNCIA SERÁ POSSÍVEL A VERDADE APARECER

“Como não há sequer resposta oficial do STF sobre as razões da demora no desfecho da ação, em tese os responsáveis pela inação estatal podem responder pelo crime de prevaricação, caso não expliquem satisfatoriamente essas razões ou motivos”, observa o advogado de Brasília, que mencionamos no início desta reportagem e pediu o anonimato

Ele cita o Código Penal:

Art. 319 – Retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal:

Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa.

“Essa atitude do Supremo em manter o inquérito sob segredo de Justiça por tanto tempo — são quase sete anos! — e nem sequer responder sobre sua situação atual vai na contramão da relação entre cidadão e poder público em uma Democracia. Ou seja, na contramão da Lei de Acesso à Informação”, acrescenta o advogado brasiliense.

A Lei de Acesso à Informação determina uma “gestão transparente da informação, propiciando amplo acesso a ela e sua divulgação”:

Art. 8o  É dever dos órgãos e entidades públicas promover, independentemente de requerimentos, a divulgação em local de fácil acesso, no âmbito de suas competências, de informações de interesse coletivo ou geral por eles produzidas ou custodiadas.

 Sem se referir, especificamente, aos inquéritos em questão já que não os conhece, Pedro Serrano, professor de Direito Constitucional da PUC-São Paulo, lembra que, como regra geral, todos os agentes públicos, inclusive os que realizam investigações, devem seguir o princípio da boa fé.

“Caso isso não ocorra, é inconstitucional e a investigação, nula”, observa Serrano. “É fundamental que todas as provas, indícios, sejam analisados para que a verdade apareça e não se construa uma narrativa acusatória.”

Só com transparência será possível acabar com as especulações, aparecer a verdade e acompanhar os casos denunciados no 2474.

Esperamos que o seu mais novo relator, o ministro Ricardo Lewandowski, encare esse desafio.

 

 

 

 

Seu voto: Nenhum

"O processo de jumentalização da classe BBB no Brasil é algo estarrecedor."

E a motivação para a fraude

Será que fraudaram só porque podem. Mentes curiosas querem saber.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Follow the money, follow the power.

imagem de emerson57
emerson57

pagina principal

dada a relevância, as informações e a argumentação aqui contidas,

sugiro ao blog que alce este comentário à pagina principal.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Muito grave.

Uma fraude processual. Qual seria a pena de um juiz do STF e PGRs que se unem para fraudar autos ? E esses 2 petistas, colaborando um com a perseguição de Zampronha, o que significa isso ? Mentor já deveria estar fora do PT pelo vergonhoso desempenho na importante CPI BANESTADO. Ai está o julgamento que queríamos ter visto. Um julgamento por caixa 2, não poupando ninguém.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.