Revista GGN

Assine

moro

Cuidadoso com Temer, Moro pediu investimentos à sua força-tarefa de Curitiba


Foto: Reprodução
 
Jornal GGN - O juiz da Lava Jato de Curitiba, Sérgio Moro, negou que tenha interesse em se candidatar às eleições, mas opinou sobre decisões parlamentares e, inclusive, sobre a reforma política em tramitação no Congresso, como a forma de financiamento das campanhas eleitorais. "A profissão política é uma das mais belas, mas eu não teria o perfil", disse Moro durante evento promovido pela rádio Jovem Pan.
 
"Já disse mais de uma vez e reitero quantas vezes forem necessárias que não sou candidato, não serei candidato", insistiu o magistrado do Paraná, pontuando em seguida o que ele defende ou não dentro do sistema político e, apesar de colocar como um figurativo opositor da política, defendeu que apesar imagem pejorativa que ela carrega - sobretudo desde os avanços da Operação Lava Jato - é uma das profissões "mais belas", sendo preciso, contudo, ter "o perfil" para aderir.
 
Disse que, na forma como está sendo feita hoje a reforma política "não é uma verdadeira reforma". "Há uma tendência de quem está dentro do sistema, de quem tem um cargo, queira continuar dentro, e queira deixar fora quem está fora. Então, o financiamento público, por bem intencionado que seja, tem que ser muito bem pensado para evitar esse tipo de problema", posicionou-se.
Média: 1.4 (10 votos)

Outra sentença de Sergio Moro é corrigida por juízes de 2ª instância

Foto: Divulgação

Jornal GGN - Os desembargadores do Tribunal Reginal Federal da 4ª Região corrigiram mais uma sentença do juiz Sergio Moro na Lava Jato, agora em condenação do doleiro Raul Henrique Srour. Segundo reportagem do Conjur, Moro errou na pena-base do réu e o condenou a mais de 7 anos de prisão. O TRF, contrariando João Gebran Neto, decidiu reduzir a sentença para pouco mais de 5 anos.
 
Além disso, o TRF-4 decidiu na quarta (9) manter o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, preso na Lava Jato. Mesmo tendo sido absolvido pela maioria dos desembargadores, Vaccari ainda tem prisão preventiva relacionada a outra ação penal, na qual os juízes entenderam existir provas materiais de corrupção.
Média: 2.3 (3 votos)

Fachin retira de Moro acusações da Odebrecht envolvendo cervejaria


Foto: Lula Marques/Fotos Públicas
 
Jornal GGN - Os depoimentos dos executivos da Odebrecht relacionados a suspeitas de irregularidades nas doações da Cervejaria Petrópolis saíram das mãos de Sérgio Moro, juiz da Vara Federal de Curitiba, e foram encaminhados à Justiça Federal de São Paulo. A decisão foi do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).
 
A decisão é uma continuidade dos desmembramentos de investigações que Moro concentrou na Justiça do Paraná, mas que apesar de terem como origem investigados da Lava Jato não tem relação direta com os ilícitos cometidos na estatal Petrobras, que está sob o comando do magistrado de primeira instância.
 
Foi o próprio Ministério Público Federal (MPF) que encaminhou a Petição 6694, que traz declarações de cinco dos delatores da Obderecht: o ex-presidente do grupo Marcelo Odebrecht, preso desde junho de 2015, e os executivos Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Luiz Eduardo da Rocha Soares, Olívio Rodrigues Júnior e Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho.
Média: 1 (2 votos)

Por defender Moro contra Lula, presidente do TRF-4 pode ser investigado pelo CNJ


Foto-montagem: Brasil247
 
Jornal GGN - Após o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Carlos Eduardo Thompson Flores, afirmar que a sentença de Sérgio Moro contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é "vai entrar para a história" e "é tecnicamente irrepreensível", o deputado Wadih Damous (PT-RJ) entrou com representação contra o desembargador.
 
A declaração do presidente do TRF-4, tribunal responsável por revisar as condenações e decisões do juiz de primeira instância, Sergio Moro, na Operação Lava Jato, foi feita em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, divulgada neste domingo (06).
 
Além de ter se manifestado favoravelmente ao despacho de Moro, o desembargador, que não é o relator das revisões e dos recursos de Lula e tampouco integra a Turma que julgará o caso, chegou a comparar a sentença ao caso de Vladimir Herzog, morto durante a ditadura militar.
Média: 5 (14 votos)

Moro abastece ações contra Lula com dados da Odebrecht vazados para O Globo

Foto: Lula Marques

Jornal GGN - O juiz Sergio Moro abasteceu inquéritos que tramitam em Curitiba contra Lula com informações da delação da Odebrecht, informa o jornal O Globo desta sexta (4). Segundo o periódico, Moro já abriu cinco inve cstigações por causa das colaborações da empresa, a pedido do Ministério Público. Dados pinçados sobre o sítio de Atibaia e favores a Lula foram anexados por iniciativa do juiz em ações penais já em andamento.

Leia mais »

Média: 1 (8 votos)

Moro toma triplex da massa falida da OAS para entregar à Petrobras como se fosse de Lula

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - O juiz Sergio Moro fez mais uma movimentação processual no caso triplex, nesta quinta (3), que compromete a versão de que o apartamento no Guarujá foi entregue a Lula como pagamento de propina da OAS.
 
Segundo informações de Época, Moro teve de comunicar à 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo o confisco do imóvel no Guarujá e solicitou "que o bem não sirva mais como garantia em processos cíveis."
Média: 4.5 (16 votos)

TRF-4 aumenta pena de Zelada, o que respinga nas expectativas de revisão de Cunha e Lula


Foto: Gabriel Jose/Reuters
 
Jornal GGN - Inicialmente apontado como a conexão do PT dentro da Petrobras e descobrindo-se depois que na verdade era um dos pontos de sustentação do esquema corrupto envolvendo o PMDB, Jorge Luiz Zelada, ex-diretor da área Internacional da estatal, teve mais 25% de sua pena aumentada.
 
Em mais um sinal de que a Justiça de segunda instância resposável por revisar as decisões do juiz do Paraná, Sérgio Moro, consente e, em algumas vezes, chega a ser mais punidora do que o magistrado, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) agregou mais três anos na condenação de Zelada.
 
De 12 anos e 2 meses de prisão, por recebimento e pagamento de propina relacionada ao navio-sonda Titanuem Explorer, da Petrobras, em contrato que custou US$ 1,8 bilhão à petrolífera, a 8ª Turma do TRF4 subiu para 15 anos, 3 meses e 20 dias de prisão.
Média: 3 (2 votos)

Às vésperas da votação sobre Temer, Moro torna Lula réu pelo sítio de Atibaia

 
Jornal GGN - Um dia antes da Câmara votar a denúncia contra Michel Temer a reboque da delação da JBS, o juiz Sergio Moro decidiu acolher o pedido dos procuradores e tornar Lula réu pela terceira vez em Curitiba, agora por causa do caso do sítio de Atibaia. A denúncia, que foi apresentada a Moro em 22 de maio, sustenta que a Odebrecht, OAS e a empreiteira Schahin gastaram R$ 1,02 milhão em obras de melhorias no sítio em troca de contratos com a Petrobras.
 
No despacho, Moro diz que demorou a apreciar a denúncia "pois (estava) ocupado com processos com acusados presos e por também por reputar relevante aguardar a posição do MPF em relação à absolvição de Paulo Roberto Valente Gordilho [OAS] na ação penal conexa 5046512-94.2016.4.04.7000 [caso triplex]".
 
Lula é réu em Curitiba numa ação que envolve suposto pagamento de vantagens indevidas da Odebrecht, incluindo a compra de um terreno que o Instituto Lula nunca usou, além de um apartamento vizinho ao do ex-presidente, em São Bernardo do Campo. No caso triplex, Lula já foi condenado a 9 anos e meio de prisão por Moro, além do pagamento de multa que ultrapassa os R$ 13 milhões. A sentença foi proferida após a aprovação da reforma trabalhista pelo governo Temer.

Arquivo

Média: 2.6 (13 votos)

Yarochewsky: "A geração atual vai morrer sem conhecer outro líder como Lula"

Foto: STF

Jornal GGN - Mestre e Doutor em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais, autor de mais um livro sobre os abusos da Lava Jato em relação a Lula (a obra chama-se "República de Curitiba – Por que Lula?"), Leonardo Yarochewsky disse em entrevista ao Brasil 247 que a atual geração vai "morrer" sem conhecer outro líder de tamanho porte e ainda comentou que o Judiciário virou um superpoder nos últimos anos, ameaçando a democracia.

"Creio que a geração brasileira atual vai morrer sem conhecer outro líder e outro estadista como o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula é um sobrevivente, venceu a miséria e a fome para se tornar o maior líder progressista da América. Devolveu dignidade e orgulho ao povo brasileiro. Governar um País continental com tantas diferenças culturais, sociais e econômicas não é tarefa para aventureiros. Não sei quem vem depois de Lula nem o que. Só sei que o único caminho possível é o da efetivação da democracia material. Somente com respeito a dignidade da pessoa humana como postulado do Estado Democrático de Direito é que poderemos alcançar um País mais justo, mais igualitário, mais democrático e, portanto, mais humano", disse.

Leia mais »

Média: 3.1 (15 votos)

FHC e Serra são golpistas, e Moro e o STF são cúmplices, diz ex-premiê de Portugal

Foto: Fotos Públicas

Jornal GGN - O ex-primeiro ministro de Portugal José Sócrates (2005-2011) soltou o verbo contra a oposição ao PT e a Lava Jato, durante uma entrevista que concedeu à imprensa estrangeira em Lisboa, na quarta (26). 
 
A Folha, que estava presente, relatou que FHC e Serra foram chamados de golpistas sem nenhuma cerimônia, e Sergio Moro, de "cúmplice do golpe". 
 
"Os golpistas Fernando Henrique Cardoso e José Serra vieram a uma conferência aqui em Portugal para falar para os professores de direito portugueses e explicar o golpe. Como se nós não estivéssemos a ver o que se estava a passar", afirmou.
Média: 4.5 (16 votos)

Depoimento por videoconferência é para réu preso, responde Lula a Moro

Jornal GGN - A defesa do ex-presidente Lula não concorda com a sugestão de Sergio Moro para que o petista seja ouvido em outro processo em que é réu (agora, por suposta propina envolvendo a Odebrecht) por meio de uma videoconferência.

Moro alegou que a ida de Lula a Curitiba gerou muitos gastos com segurança, mas Lula insiste que tem direito a fazer sua própria defesa pessoalmente.

Em comunicados à imprensa, a defesa explicou que videoconferência é um recurso "excepcional", sendo mais utilizado quando o réu está preso - o que não é o caso de Lula - ou dentro das hipóteses previstas no artigo 185 do Código do Processo Penal.

Leia mais »

Média: 4.1 (14 votos)

Janot diz que Cunha tem que ficar preso para não "influenciar asseclas"

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Mesmo negociando um acordo de delação com Eduardo Cunha, o procurador-geral da República Rodrigo Janot usou um arsenal de críticas ao passado do ex-deputado federal para sustentar que ele seja mantido preso em Curitiba, contrariando um pedido de habeas corpus da defesa. Um dos principais benefícios de quem faz delação premiada na Lava Jato é obter a liberdade ou a troca do regime fechado para o domiciliar.
 
Janot disse na manifestação feita ao Supremo Tribunal Federal que, uma vez solto, Cunha pode influenciar "asseclas", pois seu "potencial delitivo" está relacionado ao poder que detinha sobre parlamentares no Congresso.
Média: 3 (2 votos)

Sentença de Moro contra Lula é inválida, por Haroldo Lima


Foto: AFP
 
Jornal GGN - O próprio juiz Sérgio Moro admitiu que "a responsabilidade criminal há de ser provada acima de qualquer dúvida razoável", sobre a condenação de Luiz Inácio Lula da Silva que impõe 9 anos e seis meses de prisão ao ex-presidente. 
 
"Sendo assim, a própria sentença é nula, pois que a 'responsabilidade criminal' do condenado ficou longe de ser provada", completou o ex-deputado federal e membro da Comissão Política Nacional do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil, Haroldo Lima, em artigo ao El País. 
 
Para sustentar que a suposta prática de crimes não foi comprovada pelo juiz da Vara Federal de Curitiba, Lima levantou manifestações de diversos juristas, mestres e doutores em direito, que refutam e que demoliram os fundamentos da condenação de Lula. Leia, a seguir:
Média: 4.1 (18 votos)

Delação de Palocci, que pode envolver Globo, será aceita, diz jornal

 
Jornal GGN - A Folha de S. Paulo diz ter entrevistado investigadores da Lava Jato que sinalizaram que a delação de Antonio Palocci será aceita pela Procuradoria Geral da República. Palocci, em audiência com Sergio Moro, insinuou que pode entregar negociações que favoreceram grupos de mídia como a Globo, além de nomes do mercado financeiro.
 
Segundo a reportagem veiculada nesta quarta (26), "o procurador-geral [Rodrigo Janot] e sua equipe pretendem concluir as tratativas com a empreiteira OAS, o ex-ministro Antonio Palocci, o empresário Henrique Constantino, sócio da Gol, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o doleiro Lúcio Bolonha Funaro" antes de deixar o cargo, em setembro.
Média: 5 (5 votos)

As poucas chances de Lula na Justiça rumo a eleições 2018

 
Jornal GGN - A condenação de Luiz Inácio Lula da Silva pelo juiz de primeira instância da Operação Lava Jato, Sérgio Moro, prevê que o ex-presidente não possa concorrer a eleições e cargos públicos por 7 anos. A sentença passaria a valer, contudo, somente se o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) confirmá-la. Ainda assim, o cenário não está fechado: Lula pode recorrer até que sua ação seja analisada pela última instância e pedir uma espécie de "licença" para concorrer à Presidência em 2018.
 
Ainda assim, as chances são pequenas. Isso porque a jurisprudência traz exemplo de desfavor ao ex-presidente. Além do próprio histórico da 8ª turma do TRF-4, que julgará Lula, de não apenas confirmar as decisões de Moro, como também em alguns casos aumentar as penas impostas, o Supremo Tribunal Federal (STF) trouxe outras jurisprudência para complicar ainda mais a situação do líder petista.
 
Conforme o GGN divulgou, o relator das revisões das sentenças de Moro, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, e os integrantes da 8ª Turma do TRF4 vêm adotando as mesmas metodologias e interpretações do juiz da Vara Federal da Curitiba, mas na segunda instância. Gebran, que já foi apontado por supostamente ter relações pessoais de amizade com Moro, também é caracterizado como juiz "linha-dura", concordando com os despachos do juiz do Paraná em grande parte das sentenças.
Média: 3 (17 votos)