Revista GGN

Assine

pré-sal

Petrobras vai recorrer de decisão que suspendeu licitação em Libra

 
Jornal GGN - Nesta semana, a Petrobras declarou que irá recorrer de decisão do Tribunal Federal da 1ª Região (TRF-1) que suspendeu a licitação da plataforma piloto de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos. 
 
A decisão foi tomada após ação movida pelo Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval), que afirma que o processo licitatório não cumpre as regras de conteúdo local que estão no contrato.
 
Libra foi leiloada em 2013 e é considerada uma das áreas de exploração mais promissoras do Brasil, e é previsto que a plataforma-piloto entre em funcionamento em 2020. 

Leia mais »

Média: 2.3 (3 votos)

Governo cogita fazer duas rodadas do pré-sal neste ano

Jornal GGN - Segundo o Ministério de Minas e Energia, o governo está estudando a possibilidade de realizar duas rodadas do pré-sal neste ano, sob regime de Partilha de Produção. Uma rodada já estava programa para ocorrer em 2017.

A ideia seria antecipar a terceira rodada do leilão do pré-sal, de acordo com informações da agência Reuters. O governo não deu detalhes sobre as razões para a antecipação, nem quais áreas poderão ser leiloadas.

Fernando Coelho Filho, ministro de Minas e Energia, disse na semana passada que o governo analisava adiantar a segunda rodada do pré-sal, prevista para o segundo semestre, para o primeiro semestre deste ano. Leia mais »

Média: 2 (8 votos)

Governo espera arrecadar R$ 4,5 bi com leilões da ANP

 
Jornal GGN - Com os leilões que serão promovidos pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) neste ano, o governo espera a entrada de até R$ 4,5 bilhões. Deste total, até R$ 3,5 bilhões viriam somente com o pré-sal, segundo Fernando Coelhos Filho, ministro de Minas e Energia. 
 
O montante virá do pagamento pelo direito de exploração das áreas, tanto na forma de bônus de assinatura como lucro-óleo, um ressarcimento à União pela produção na área do pré-sal. 
 
Previsto para maio, o primeiro leilão será menor e terá áreas em terra, e é esperado que a disputa pelas unidades do pré-sal até o final do primeiro semestre. 

Leia mais »

Média: 2.7 (7 votos)

Petrobras diz que plataforma em Libra só é viável sem conteúdo local

Jornal GGN - Nesta quarta-feria (11), a diretora de exploração e produção da Petrobras, Solange Guedes, defendeu que o consórcio da área de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos, seja liberada da exigência de conteúdo local para licitar a plataforma piloto do projeto.

Guedes disse também que espera uma autorização da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para tirar a obrigação de conteúdo local na plataforma.

A diretora da estatal afirmou que foram recebidas ofertas com valores muito altos quando se considerou o uso do conteúdo local, no começo de 2016.

Leia mais »

Média: 2.1 (14 votos)

Petrobras atinge meta de produção pelo segundo ano seguido

 
Jornal GGN - Por meio de nota à imprensa, a Petrobras informou que atingiu o planejamento previsto de produção de petróleo pelo segundo ano consecutivo. A estatal alcançou 2.144.256 barris por dia (bpd), uma marca 0,75% maior que o ano anterior e dentro da meta de 2,145 milhões bpd.
 
A empresa diz que bateu seu recorde histórico anual na produção média de petróleo, impulsionado pelo pré-sal, que também teve a maior produção média anual na história da estatal. Foram produzidos 1,02 milhão de barris de óleo por dia, um aumento de 33% na comparação com 2015. 

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

Como anda a entrega do petróleo brasileiro aos estrangeiros, por Mauro Santayana

Como anda a entrega do petróleo brasileiro aos estrangeiros

Por Mauro Santayana

O governo Dilma caiu, a economia está cada vez pior, mas a manipulação midiática continua canalha, mendaz, descarada e imparável.

Não bastasse a manipulação de dados e prazos em recentes mensagens publicitárias - sem contestação, principalmente jurídica, da oposição, que prova que, no quesito estratégico, é tão incompetente fora como dentro do poder - a última manobra de alguns jornais e emissoras particularmente hipócritas está voltada para convencer os desinformados que compõem seu público que a recuperação do preço das ações da Petrobras neste ano se deu por causa da mudança de diretoria e da “venda” de 13.6 bilhões de dólares em ativos e não graças à recuperação da cotação do petróleo nos mercados internacionais, além da compra de bilhões de reais em ações quando elas estavam no fundo do poço, por parte de “investidores” estrangeiros, que nunca deram bola para o discurso catastrófico e derrotista dos inimigos da empresa.

Os últimos três “negócios”, feitos na derradeira semana de 2016,  foram a transferência de uma usina de  biocombustíveis para os franceses e de duas empresas (petroquímica e têxtil) para mexicanos.

Leia mais »

Média: 3.4 (10 votos)

Produção fora do âmbito da Petrobras cresce 14% em 2016

 
Jornal GGN - Com o programa de venda de ativos da Petrobras e o leilão dos blocos do pré-sal, deverá aumentar a participação de empresas petroleiras estrangeiras na produção de óleo e gás no Brasil. 
 
Em 2016, a parte da produção fora do âmbito da Petrobras cresceu 14% e chegou a 457 mil barris diários de petróleo, no acumulado do ano até novembro. Entre as empresas que influenciaram neste aumento estão a Shell, Petrogal e Repsol, sócias da Petrobras no campo de Lula, do pré-sal. 
 
Já os dados operacionais da estatal ficaram praticamente estáveis, com aumento da participação de outras petroleiras na produção nacional, que saiu de 16,5% em 2015 para 18,4%. 

Leia mais »

Média: 3.8 (4 votos)

Petrobras vende fatia de campo do pré-sal que começou a operar nesta semana

 
Jornal GGN - Ontem (21), a Petrobras anunciou a venda de participações em áreas do pré-sal e de usinas térmicas para a francesa Total. A negociação faz parte de um acordo de cooperação assinado entre as duas companhias no mês e tem valor total de US$ 2,2 bilhões.
 
Entre as fatias do pré-sal, estão 22,5% da concessão de Iara, com três campos (Sururu, Berbigão e Oeste de Atapu. No bloco BM-S-11, a empresa francesa terá 35% de participação do campo de Lapa, que começou a operar nesta semana na bacia de Santos. 
 
Neste caso, a estatal brasileira ficará com apenas 10% de participação, sendo que os outros parceiros são a Shell, com 30% e a Repsol, com 25%. 

Leia mais »

Média: 1 (1 voto)

Petrobras começa produção no campo de Lapa, no pré-sal

 
Jornal GGN - Por meio de nota à imprensa, a Petrobras informou que teve início a produção de petróleo e gás no campo de Lapa, no pré-sal da Bacia de Santos. A exploração é realizada através do FPSO Cidade de Caraguatatuba, a terceira unidade a entrar em operação este ano no pré-sal.
 
O campo de Lapa é o terceiro do pré-sal da Bacia de Santos a entrar em produção. Localizado a cerca de 270 quilômetros da costa do estado de São Paulo, o navio-plataforma é capaz de processar diariamente 100 mil barris de petróleo.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Futuro secretário de Trump já criticou Lula por proteger pré-sal

 

Jornal GGN - O secretário de Estado escolhido por Donald Trump, Rex Tillerson, 64, já criticou o ex-presidente Lula por causa do pré-sal. Segundo informações do Ancelmo Gois, em O Globo desta sexta (15), Tillerson "conhece bem o Brasil (embora o país não seja importante no tabuleiro político americano), dos tempos em que comandou a ExxonMobil. Quando Lula criou barreiras a empresas estrangeiras no pré-sal, ele chiou: 'Nacionalismos não são bons para ninguém'."

Ironicamente, Trump ganhou a eleição nos Estados Unidos contra Hillary Clinton com uma campanha marcada pelo discurso nacionalista, observou o jornalista.

Média: 4.1 (16 votos)

Produção média da Petrobras no país cresce 2% em novembro

Jornal GGN - A Petrobras anunciou que produziu 2,86 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) no mês de novembro. Deste total, 2,74 milhões boed foram produzidos no Brasil e outros 120 mil no exterior.

No país, a produção média de petróleo cresceu 2% na comparação com outubro, chegando a 2,23 milhões de barris por dia (bpd). De acordo com a estatal, este resultado é explicado pelo desempenho das plataformas no complexo do Parque das Baleias e do FPSO Cidade Saquarema, no pré-sal da Bacia de Santos.

Leia mais »

Média: 5 (6 votos)

Produção do pré-sal chega a 1 bilhão de barris

Jornal GGN - Ontem (14), a Petrobras comemorou a marca de 1 bilhão de barris de petróleo produzidos no pré-sal. A empresa ressalta ela e seus parceiros atingiram esse total somente seis anos após a entrada do primeiro sistema de produção, no campo de Lula, na Bacia de Santos, e dez anos após a primeira descoberta em 2006.

A marca de 1 bilhão de barris “demonstra a capacidade técnica e de realização da companhia”, disse a Petrobras, comparando o feito com outras áreas de exploração de petróleo ao redor do mundo, como na parte americana do Golfo do México. Lá, tal patamar foi atingido 14 anos após o início da produção.

Em solenidade realizada no FPSO Cidade de Itaguaí, localizado na Bacia de Santos, dirigentes da empresa como Pedro Parente homenagearam os pioneiros da descoberta e do desenvolvimento do pré-sal.

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

Governo usou lei da ditadura para prender 88 por "inconformismo político" com Temer

Polícia do Distrito Federal só recuou de também usar a Lei de Segurança Nacional para indiciar 88 pessoas por atuação da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Todos os detidos estão soltos, mas vão responder por depredação, de acordo com o Código de Processo Penal

Jornal GGN – Uma operação das forças de segurança no Distrito Federal para reprimir protestos contra a aprovação da PEC do Teto dos Gastos, e outras reformas impopulares encampadas pelo governo Temer, acabou com 88 manifestantes presos, na noite de terça (13), com base na Lei de Segurança Nacional. Editada durante o regime militar, a norma só deveria ser acionada, segundo juristas, em casos de extrema necessidade, como risco à vida de autoridades de alto escalão ou à soberania nacional.

Leia mais »

Média: 3.2 (9 votos)

A reação liberal-conservadora contra a Petrobras e o Pré-sal, por William Nozaki

O governo golpista tem se valido dos desdobramentos da Operação Lava Jato para fazer crer que o combate à corrupção deve se dar não pelo saneamento e aperfeiçoamento da governança da empresa estatal, mas por meio do seu desmanche

do Brasil Debate

A reação liberal-conservadora contra a Petrobras e o Pré-sal

por William Nozaki

Conteúdo especial do projeto do Brasil Debate e SindipetroNF Diálogo Petroleiro

Nos últimos anos, a Petrobras esteve no centro do projeto industrial social-desenvolvimentista implementado pelos governos Lula e Dilma. A petrolífera estatal brasileira teve papel decisivo no crescimento econômico do país e na recuperação da crise iniciada em 2008, seu plano de investimentos foi decisivo para os projetos do PAC, sua política de conteúdo tecnológico nacional foi fundamental para a reativação da indústria naval e de engenharia pesada, sua política de pesquisa e desenvolvimento foi essencial para a descoberta do pré-sal, e este, por seu turno, permitiu a criação de um fundo social para a educação e a saúde.

No entanto, de forma oportunista, o atual governo golpista tem se valido dos desdobramentos da Operação Lava Jato para fazer a opinião pública crer que o combate à corrupção deve ser feito por meio não do saneamento e do aperfeiçoamento dos instrumentos de governança da empresa estatal, mas sim do desmanche da Petrobras.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Conteúdo nacional, Pré-Sal e Lava Jato: uma oportunidade que vai se perdendo, por Sergio Gabrielli

Os reservatórios de petróleo descobertos só se transformam em riqueza se condições de superfície forem desenvolvidas de forma a possibilitar a apropriação pela sociedade da renda potencialmente gerada pela exploração dos recursos. Caso contrário, a apropriação da renda petroleira beneficia apenas uma minoria

do Brasil Debate

Conteúdo nacional, Pré-Sal e Lava Jato: uma oportunidade que vai se perdendo

por José Sergio Gabrielli de Azevedo

Conteúdo especial do projeto do Brasil Debate e SindipetroNF Diálogo Petroleiro

Estamos assistindo à desmontagem de uma política industrial setorial que, aproveitando-se de uma oportunidade histórica muito rara da descoberta de uma gigantesca riqueza de hidrocarbonetos, da existência de uma empresa com condições técnicas, gerenciais e financeiras de ser a âncora do processo de constituição de uma cadeia de fornecedores tecnologicamente avançados no Brasil – com custos competitivos no longo prazo e com a abertura de novas atividades com escala suficiente para induzir os investimentos – poderia reduzir os riscos da “doença holandesa” e dependência demasiada dos fluxos de renda do petróleo. Poderia ser a base de um conjunto de investimentos que transformassem o futuro do país.

Há uma crescente compreensão de que os reservatórios de petróleo descobertos com seus barris recuperáveis só efetivamente se transformam em riqueza socialmente capturada se condições de superfície forem desenvolvidas, de forma a possibilitar a apropriação pela sociedade da renda potencialmente gerada por esta exploração de recursos naturais. Caso contrário, a apropriação da renda petroleira beneficia apenas uma minoria da sociedade.

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)