newsletter

Pular para o conteúdo principal

protesto

Na contramão da Copa, Folha lança "protestômetro" em 10 cidades

Enviado por Dani

Do Brasil 247

A 60 dias da Copa, Folha lança o "protestômetro"
 

A exatos dois meses da Copa de 2014, a Folha de S. Paulo, jornal comandado por Otávio Frias Filho, lança uma ferramenta em seu site batizada de "protestômetro" (leia mais aqui). O objetivo declarado é levar aos leitores informações sobre manifestações em diversos pontos do País.

Neste fim de semana, em entrevista às páginas amarelas da revista Veja, o sociólogo Mauro Paulino afirmou que as eleições de 2014 serão imprevisíveis e destacou dois pontos relevantes: o fator Copa e a possibilidade de repetição de grandes protestos, como os ocorridos em junho do ano passado.

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Governo Dilma não é mais unanimidade entre centrais sindicais

Sugerido por Alfeu

Da Rede Brasil Atual

Centrais cobram mais atenção do governo e já olham para 2015
 

Quando cinco centrais sindicais se reuniram em 2010, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, o país mostrava bom desempenho na economia, o que seria confirmado com o anúncio do maior Produto Interno Bruto (PIB) em 25 anos, recorde na criação de empregos com carteira assinada e reduzidas taxas de desemprego.

Naquele momento, as entidades aprovaram uma pauta, chamada de agenda trabalhista, para ser entregue aos então candidatos ao Palácio do Planalto. Quatro anos depois, as centrais têm avaliações diferentes do cenário econômico e político, mas coincidem ao afirmar, externa ou reservadamente, que faltou articulação ao governo Dilma Rousseff. Os sindicalistas reclamam que o Executivo ouviu pouco os representantes dos trabalhadores. Com a economia em ritmo mais lento – mas não tão ruim quanto querem fazer crer alguns comentaristas –, e candidaturas de oposição tentando crescer, a postura das entidades sindicais mudou.

Leia mais »

Média: 2.3 (6 votos)

Médicos protestam em 7 de abril contra governo e operadoras de saúde

Jornal GGN – Está marcado para 7 de abril, Dia Mundial da Saúde, um protesto de médicos em pelo menos seis estadosbrasileiros, segundo o Conselho Nacional de Medicina. Dessa vez, a categoria em São Paulo terá apoio de cirurgiões-dentistas e fisioterapeutas. O objetivo é pleitear melhores condições de trabalho na rede pública e denunciar problemas com as operadoras de saúde. Em alguns casos, haverá paralisação dos atendimentos durante todo o dia.

No que tange os pedidos relacionados ao setor público, os protestos, além de mais recursos, pedem o reajuste da Tabela SUS (Sistema Único de Saúde) e a aprovação do Saúde+10, um projeto de lei de iniciativa popular que pede a vinculação de 10% da receita bruta da União à saúde (PLP 321/2013).

Também é reivindicada a criação de uma carreira pública e a desprecarização do trabalho médico. “Os profissionais exigem realização de concurso público com salário adequado; plano de cargos, carreira e vencimentos; maior financiamento para a saúde; melhores condições de trabalho; e atendimento adequado para a população”, aponta o CNM.

Leia mais »

Média: 2.5 (11 votos)

Ex-agente do DOI-Codi, Capitão Ubirajara é alvo de escracho em São Paulo

Jornal GGN – O ex-delegado da Polícia Civil Aparecido Laertes Calandra, mais conhecido como Capitão Ubirajara, acusado de atividades de tortura e morte nas dependências do DOI-Codi, foi alvo de um “escracho” durante a manhã desta terça (1º). Entre as denúncias contra Calandra está o envolvimento na alteração do laudo de morte do jornalista Vladimir Herzog, que apontava como causa o suicídio. 

O ato pacífico ocorreu em frente à residência do delegado aposentado, no bairro Ipiranga, em São Paulo, por volta das 6h30. A Polícia Militar informou que a ação reuniu cerca de 30 participantes. Já os organizadores, membros do Levante Popular da Juventude, contabilizaram o triplo de adesões.

Durante o movimento, integrantes do Levante entregaram panfletos e conversaram com vizinhos. O grupo, que sustenta que "já que não há justiça, há escracho", também organizou, em 31 de março, o protesto contra o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra. Eles pintaram os rostos, fizeram batucada e picharam frases como “Aqui mora um torturador” em muros próximos à casa dos agentes da ditadura militar.

Leia mais »

Média: 5 (7 votos)

A Marcha pela Dignidade na Espanha

Enviado por Assis Ribeiro

 

 

Imagens da Marcha pela Dignidade - 22M, ocorrida ontem 22/03 na Espanha e a violência.

 

 

 

 

 

 

Média: 5 (2 votos)

De novo 150 paus

SP: sindicato nega envolvimento com tumulto na Ceagesp Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Garis protestam em frente à sede da prefeitura do Rio

Cerca de 500 garis protestaram em frente à sede da prefeitura do Rio na manhã desta sexta-feira na Cidade Nova, centro. Com um carro de som, líderes do movimento grevista informaram que a greve que já dura sete dias vai continuar até que o prefeito Eduardo Paes os receba para negociar.

Porta-vozes do movimento, Célio Viana, negou que o motivo da greve seja político. "Nunca foi político. O que queremos é melhores condições de trabalho e um salário decente. Nesses dias todos não houve nenhuma baderna ou quebra-quebra" disse ele. "Queremos negociar sem o sindicato, diretamente com o prefeito", disse.

Estudantes universitários e representantes de sindicatos de outras categorias, como a dos petroleiros e dos professores, também participaram do ato. Algumas entidades anunciaram apoio financeiro para a custear material informativo entre outros gastos do movimento. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Abraji lamenta agressões de jornalistas no protesto do último sábado

Jornal GGN - A Associação Brasileira da Jornalismo Investigativo (Abraji) emitiu nota lamentando as agressões e detenções de jornalistas durante a cobertura do protesto em São Paulo, no último sábado (22).

A Abraji faz um balanço de que 14 jornalistas sofreram agressões ou foram detidos pela Polícia Militar. Destes, pelo menos 5 sofreram violações, mesmo com identificações de que eram da imprensa.

O levantamento é de que, com estes casos, chega-se a um total de 57 casos de repórteres, fotógrafos e cinegrafistas agredidos e detidos por policiais militares, desde junho do ano passado. A conclusão da Associação é que São Paulo mostra-se a cidade mais violenta para repórteres em coberturas de manifestações.

Leia a nota na íntegra:

Abraji lamenta agressões e detenções de jornalistas durante protesto em SP 

Quatorze jornalistas que faziam a cobertura do protesto realizado no último sábado (22.fev.2014) em São Paulo sofreram agressão ou foram detidos pela Polícia Militar. Pelo menos cinco deles sofreram violações mesmo estando identificados como profissionais da imprensa. Leia mais »

Sem votos

Agentes da Polícia Federal marcam paralisação para a próxima terça-feira

Agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal em Brasília penduraram as algemas hoje (7), simbolicamente, em protesto por melhores salários e condições de trabalho. Durante o ato, que reuniu cerca de 200 policiais, eles criticaram o governo federal, em especial o Ministério da Justiça, e marcaram uma paralisação de um dia para a próxima terça-feira (11).

De acordo com presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Distrito Federal, Flávio Werneck, está havendo um “boicote” do Ministério da Justiça - ao qual a Polícia Federal é ligada - a agentes, escrivães e papiloscopistas, porque outras carreiras do órgão, como peritos e delegados, vêm recebendo aumentos maiores.

Por sua vez, o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federal, Jones Leal, disse que o trabalho da Polícia Federal no combate à corrupção está incomodando. "Estamos querendo chamar a atenção da sociedade [para isso]".

Procurada, a assessoria do Ministério da Justiça informou que questões salariais são de responsabilidade do Ministério do Planejamento. Já a assessoria da Polícia Federal informou que não se pronunciaria. Leia mais »

Sem votos

Manu Chao toca em protesto contra Monsanto na Argentina

Manifestantes ucranianos usam escavadeira contra policiais

Dia da Bandeira

Protesto contra transporte precário ocorre na quarta no extremo sul de SP

Jornal GGN - O movimento Luta do Transporte no Extremo Sul fará, nesta quarta-feira (23), novo protesto contra a precarização do transporte público na região dos bairros Grajaú, Varginha e Parelheiros, que ficam no na área mais distante da zona sul da capital paulista. Leia mais »
Sem votos

Fotógrafo que ficou cego em protesto processa Fazenda Pública de São Paulo

Jornal GGN - O fotógrafo Sérgio Andrade da Silva, que perdeu a vista esquerda após levar um tiro de bala de borracha de um policial militar enquanto cobria manifestação popular em São Paulo em 13 de julho, entrou com Ação Indenizatória contra a Fazenda Pública Estadual. Na ação, Silva pede R$ 1,2 milhão por danos morais, materiais e estéticos causados por ato ilícito praticado por agente do Estado.

O fotógrafo cobria uma manifestação que começou nas escadarias do Theatro Municipal com destino à Avenida Paulista. Na esquina da Rua da Consolação com a Rua Maria Antônia, Silva ajustava o tempo de abertura do obturador quando foi atingido no olho esquerdo por uma bala de borracha. Com o olho sangrando, foi socorrido por um manifestante e levado para o Hospital 9 de Julho, onde recebeu o primeiro atendimento. Silva sofreu “trauma ocular à esquerda (contuso) com dor local, sangramento e laceração palpebral com edema”, de acordo com o processo. Leia mais »

Sem votos

Moradores do Grajaú farão protesto por melhorias no transporte público

Jornal GGN - Os moradores do bairro do Grajaú, no extremo sul da capital paulista, farão um protesto contra a precariedade do transporte público no próximo dia 23. De acordo com a organização, a pauta do protesto diz respeito à reivindicação da criação de linhas circulares 24h entre os bairros, volta das linhas diretas bairro-centro e à construção imediata das estações de trem nos terminais Varginha e Parelheiros.
 
"Quando os empresários e políticos tentaram subir a passagem para R$3,20 em junho, foi a gota d'água. A força das manifestações mostra que quando o povo se organiza e luta, ele pode decidir sobre a própria vida. Mas a redução do aumento foi só o começo. O transporte continua ruim: ônibus lotados, velhos, sem manutenção e que passam muito pouco", diz trecho da nota.
 
No manifesto, os moradores reclamam da "humilhação coletiva" vivida diariamente devido à superlotação dos ônibus no Terminal Grajaú. Leia mais »
Sem votos