Revista GGN

Assine

Supremo

Procuradores escancaram todas relações de Gilmar com empresários presos


Reprodução do Diagrama feito pelo MPF-RJ em ofício enviado à Procuradoria-Geral da República

Jornal GGN - Os procuradores da República do MInistério Público Federal do Rio de Janeiro emitiram nota pública sobre o pedido para que Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), declare-se suspeito de julgar casos relacionados ao investigado em primeira instância Jacob Barata Filho, empresário de transporte público. Com novas informações, procuradores confirmam "estreita relação [do investigado] com o Ministro Gilmar Mendes, haja vista a quantidade de vínculos sociais e profissionais".

Como se não bastassem as proximidades societária e de advogados, os procuradores do Rio de Janeiro afirmaram que dias antes da prisão de Jacob Barata Filho, o empresário de ônibus preso teve um diálogo que comprovou "íntimo relacionamento pessoal" com Francisco Feitosa de Albuquerque Lima, o cunhado de Gilmar, "tratando-se como amigos e compadres":


Reprodução do Ofício do MPF-RJ

Leia mais »

Média: 5 (6 votos)

Liberdade concedida por Gilmar motiva pedidos de mais 3 empresários

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - Após Gilmar Mendes conceder habeas corpus ao empresário Jacob Barata Filho, magnata dos transportes no Rio de Janeiro, outros três empresários presos na operação Ponto Final pediram que a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal seja estendida a eles. É o que informa a Agência Brasil, na tarde desta sexta (18).

Leia mais »

Média: 3 (2 votos)

OAB estuda recurso contra engavetamento do impeachment de Temer

Foto: Divulgação
 
 
Jornal GGN - O presidente nacional da OAB Cláudio Lamachia disse nesta terça (15) que a entidade pretende apresentar um Mandado de Segurança contra o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que mantém o pedido de impeachment de Michel Temer (PMDB) na gaveta desde maio passado.
 
Ao Estadão, Lamachia disse que "não é razoável que se demore 90 dias para o despacho. Isto na minha concepção há um abuso por parte da presidência da Câmara e há uma verdadeira omissão do presidente da Câmara por não despachar."
Média: 2.6 (5 votos)

Janio: distritão favorecerá bancada evangélica e organizações criminosas

Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Jornal GGN - Quem tem poder de pressionar ou influenciar o voto das comunidades sairá ganhando com a reforma política que irá à votação no plenário da Câmara, aponta o colunista Janio de Freitas, na Folha deste domingo (13).

Isso porque a "reforma eleitoral", como disse Janio, prevê o chamado distritão no lugar do sistema proporcional para eleger deputados e vereadores. Isso significa que o voto depositado nos candidatos não será computado em favor das legendas e coligações, ou seja, vence quem tiver mais votos sozinho.

Dessa forma, organizações fortes sairão ganhando. Líderes do tráfico podem se dedicar a um ou dois candidatos ao Legislativo, e a bancada evangélica, que já é considerável, ficará ainda maior. "Essa é outra reforma para pior. E não menos perigosa do que a anterior. Exige tempo e debate", disse Janio.

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Supremo pode revogar prisão após decisão em 2ª instância

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - O Supremo Tribunal Federal vai priorizar o debate sobre a prisão de condenados a partir de sentença proferida em segunda instância. Segundo informações da coluna de Lauro Jardim, deste sábado (12), o ministro Ricardo Lewandowski quer priorizar a pauta na Segunda Câmara do STF. No momento, o processo está com Edson Fachin, que pediu vista.

"Gilmar Mendes e Dias Toffoli, integrantes da Segunda Turma, já se manifestaram contrários à obrigatoriedade da prisão em segunda instância. Ano passado, Celso de Mello, o outro integrante, chegou a suspender a execução de mandado de prisão de um condenado em Minas porque ainda não haviam se esgotado os recursos."

Leia mais »

Média: 3.5 (4 votos)

Decisão de Fachin prejudica Temer, confirmam investigadores


Foto: Eraldo Peres / AP
 
Jornal GGN - A decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, de não incluir Michel Temer no inquérito contra os caciques do PMDB na Câmara dos Deputados foi "até melhor para o ritmo da investigação", apontaram investigadores ouvidos pela Folha de S. Paulo, confirmando o que adiantou o GGN em reportagem desta quinta-feira (10).
 
Uma primeira análise feita pelo jornal, quando o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ainda não trazia expectativas de apresentar a segunda denúncia contra Temer na Câmara, mesmo com o inquérito por obstrução à Justiça pronto e finalizado pela equipe da Polícia Federal, indicava que o PGR apenas aguardava a decisão de Fachin.
 
Isso porque Janot precisava de uma resposta do ministro que relata a Operação Lava Jato no Supremo: se Fachin incluísse o atual presidente nas acusações de organização criminosa, dentro do inquérito no STF que mira o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), não haveria a necessidade de tal apontamento na denúncia que enviará à Câmara, restringindo-a apenas aos fatos relacionados à obstrução.
Média: 5 (3 votos)

O que há por trás dos despachos de Fachin que "beneficiam" Temer

Duas decisões do ministro do STF devem se voltar contra Michel Temer: uma com mais desgaste durante a gestão do peemedebista e outra evitando a impunidade quando o mandato acabar
 

Foto: Eraldo Peres / AP
 
Jornal GGN - O ministro relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, tomou recentemente duas importantes decisões relacionadas às investigações contra o presidente Michel Temer: não incluiu o mandatário no inquérito contra os caciques do PMDB da Câmara e suspendeu o inquérito contra Temer sobre as acusações da JBS.
 
Apesar de ambas decisões parecerem, em um primeiro momento, alívios para o presidente da República, uma delas se trata apenas de uma decisão que não haveria saída e a outra poderá complicar ainda mais Michel Temer nas investigações que recaem contra ele.
 
A suspensão do inquérito contra o peemedebista, determinada recentemente por Edson Fachin, ocorreu por norma legal da Constituição, que prevê que qualquer denúncia enviada pela Procuradoria-Geral da República por crimes comuns, como o de corrupção, devem ser liberadas, antes pela Câmara dos Deputados.
Média: 5 (8 votos)

Temer espera que Dodge faça auditoria nas ações de Janot, por Kennedy Alencar

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - O encontro com Raquel Dodge e Michel Temer às 22h de terça-feira (8) pode ter tido como uma das pautas uma eventual auditoria informal nas ações de Rodrigo Janot. Segundo Kennedy Alencar, o presidente espera que Dodge reveja as ações do antecessor, mas ainda não há previsão de como ela deve reagir no cargo. Nesta quarta, a procuradora disse que a agenda com o peemedebista tinha como objeto a posse na Procuradoria Geral da República.
Média: 3.4 (5 votos)

Estranho se passa por Bendine e dispara e-mail sobre compra de HC no STF

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - O juiz Sergio Moro mandou investigar o envio de um e-mail para Amanda Bendine, filha do ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, que está preso desde o dia 27 de julho. Há suspeita de que um estranho tenha se passado por Bendine e inventado uma história sobre compra de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal, para prejudicar o alvo da Lava Jato. Na mensagem falsa, Bendine tenta a transferência para o regime domiciliar.
Sem votos

Temer evita ser incluído em inquérito mãe da Lava Jato no STF

Ao mesmo tempo que tenta não ser investigado diretamente pelo Supremo em ação envolvendo outros caciques do PMDB, o presidente travaria denúncia exclusiva da JBS por obstrução
 

Foto: Antonio Cruz/ABr
 
Jornal GGN - O advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, que faz a defesa de Michel Temer, pediu que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, negue incluir o presidente na lista de um dos principais inquéritos da Operação Lava Jato: o que mira os caciques do PMDB.
 
A inclusão de Temer no desdobramento do inquérito-mãe da Lava Jato no Supremo foi solicitada pela Polícia Federal (PF), por considerar nos autos da investigação contra Temer a relação com o caso envolvendo os ilícitos cometidos por peemedebistas na Câmara dos Deputados, incluindo Eduardo Cunha (RJ) e Henrique Eduardo Alves (RN).
 
Segundo o delegado Marlon Oliveira Cajado, "novos relatos" que surgiram nas investigações apontam para o "suposto envolvimento de outras pessoas com foro originário no STF" no esquema de corrupção de membros do PMDB na Câmara dos Deputados, como o próprio presidente Temer, e também seus ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência).
Média: 1.8 (4 votos)

Prisão de Aécio será julgada em agosto, indica ministro do Supremo

Foto: Agência Brasil
 
 
Por André Richter
 
Da Agência Brasil
 
 
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio confirmou hoje (1º) que o novo pedido de prisão e afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG), feito ontem (31) pela Procuradoria-Geral da República (PGR), será julgado pela Primeira Turma da Corte, após manifestações dos advogados do senador. A data do julgamento ainda não foi definida.
 
Após deixar a sessão de abertura dos trabalhos do segundo semestre no STF, Marco Aurélio, que é relator do novo pedido, disse que continua convencido do acerto de sua decisão que determinou a volta de Aécio às atividades parlamentares e rejeitou pedido de prisão preventiva do parlamentar.
Média: 4.3 (4 votos)

Presidente do PT, Gleisi estará entre os primeiros julgados pelo STF na Lava Jato

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - O relator da Lava Jato no Supremo Tribubal Federal Edson Fachin trabalhou no recesso do Judiciário para garantir que alguns réus da operação sejam sentenciados até o final deste ano. Segundo reportagem do Estadão desta quinta (27), os primeiros que serão julgados serão a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), hoje presidente nacional do PT, e os deputados federais Nelson Meurer (PP-PR) e Aníbal Gomes (PMDB-CE). São esses os procedimentos que estão mais avançados hoje no STF.
Média: 1.8 (8 votos)

Janot diz que Cunha tem que ficar preso para não "influenciar asseclas"

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Mesmo negociando um acordo de delação com Eduardo Cunha, o procurador-geral da República Rodrigo Janot usou um arsenal de críticas ao passado do ex-deputado federal para sustentar que ele seja mantido preso em Curitiba, contrariando um pedido de habeas corpus da defesa. Um dos principais benefícios de quem faz delação premiada na Lava Jato é obter a liberdade ou a troca do regime fechado para o domiciliar.
 
Janot disse na manifestação feita ao Supremo Tribunal Federal que, uma vez solto, Cunha pode influenciar "asseclas", pois seu "potencial delitivo" está relacionado ao poder que detinha sobre parlamentares no Congresso.
Média: 3 (2 votos)

A blindagem dos MPs a José Serra, por Luis Nassif

 

Quando vazaram os dados da agenda de Marcelo Odebrecht no seu celular, os policiais da Lava Jato trataram de colocar uma tarja sobre o nome de José Serra. Quando os arquivos se tornaram públicos, pelo vazamento, não foi difícil eliminar a tarja. O encontro se daria n escritório de Verônica Serra, filha de Serra.

Há mais de vinte anos se conhecem os modus operandi de Serra:

1. Através de contas no exterior, operadas por Ronaldo César Coelho e Márcio Forte.
2. Através dos fundos de investimento de sua filha.

Se se avançar até seu início de carreira no serviço público se encontrará sinais exteriores de riqueza no imóvel que adquiriu, logo que se tornou Secretário do Planejamento de Franco Montoro e, como tal, o homem que controlava a fila dos precatórios e as aprovações para importações de equipamentos médicos.

Leia mais »

Média: 4.9 (34 votos)

Maia conta com tropa que liderou o golpe para afastar Temer

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - Bernardo Mello Franco publicou em sua coluna na Folha, neste domingo (9), que o presidente da Câmara Rodrigo Maia tem apoio do chamado G-8, um grupo de deputados que liderou o golpe em Dilma Rousseff nos bastidores e que pode ajudar a conseguir os mais de 340 votos necessários ao afastamento de Michel Temer.

Na visão de Mello, Maia terá de jogar mais duro para ser o Temer de Temer. As garras já foram colocadas para fora após notícias de encontro com políticos e nomes do mercado, além de uma manifestação na rede que soou como sua própria "Ponte Para o Futuro".

Leia mais »

Média: 2 (4 votos)