Coronavírus: China diz pandemia pode terminar em junho se todos os países se mobilizarem

As autoridades chinesas entendem que as medidas duras tomadas no país contribuíram para o decréscimo de novos casos e que os outros países podem tirar lições daí.

Jornal GGN – Para o conselheiro médico do regime chinês Zhong Nanshan, a pandemia global do coronavírus pode terminar em junho caso os países se mobilizem. O conselheiro disse que o pico da epidemia já passou, na China.

Os novos casos na província de Hubei caíram para um dígito, apenas oito contágios relatados na região. Na China continental, somente 15 novos casos relatados em 24 horas, sendo que no dia anterior foram 24 novos casos.

As autoridades chinesas entendem que as medidas duras tomadas no país contribuíram para o decréscimo de novos casos e que os outros países podem tirar lições daí.

A autoridade chinesa aconselha aos países que sigam as instruções da Organização Mundial de Saúde e intervenham em escala nacional. A estimativa de Zhong é que a pandemia do novo coronavírus dure até junho, mas pode se estender se alguns países não a encararem seriamente.

Com o decréscimo dos casos, a China vai, paulatinamente, retomando as atividades e relaxando as restrições em vigor desde janeiro.

Alguns hospitais de emergência já foram fechados e, gradualmente, a atividade econômica é retomada na região mais atingida, Hubei, com reabertura de algumas fábricas e comércios.

Por outro lado, o contágio avança rapidamente em outras partes do mundo. A Itália apresenta mais de 12 mil casos e 800 mortes.

Nos Estados Unidos, que tem mais de mil casos, Donald Trump anunciou a suspensão das viagens vindas da Europa por um período de 30 dias. A Índia proibiu, por um período, a entrada de turistas para evitar contágio sem controle em um país extremamente populoso.

Com informações da Folha

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora