Argentina aprova taxação de grandes fortunas

Medida proposta pelo governo de Alberto Fernández pretende arrecadar cerca de US$ 3 bilhões; contribuição obrigatória será única

Alberto Fernández, presidente da Argentina. Foto: Reprodução/Wikipedia

Jornal GGN – A Câmara de Deputados da Argentina aprovou um projeto de lei que taxa grandes fortunas no país. Agora, o projeto será avaliado pelo Senado.

Segundo o jornal Valor Econômico, o projeto contou com 133 votos favoráveis, 115 contrários e duas abstenções. O apoio de blocos menores de oposição ao governo ajudou na aprovação do projeto.

A proposta considera uma contribuição obrigatória, que será única. As pessoas que declarem um patrimônio acima de 200 milhões de pesos (R$ 13,2 milhões) serão taxadas em 2,5%, sendo progressivamente ajustado até chegar a 3,5%, atingindo aqueles com mais de 3 bilhões de pesos (R$ 198,2 milhões) em ativos na Argentina. O governo pretende arrecadar cerca de US$ 3 bilhões com tal medida.

A promessa é que o dinheiro será usado para a compra de equipamentos de saúde para combater a pandemia de covid-19, ajudar pequenas empresas com subsídios e medidas para fomentar o crédito, além de urbanizar bairros populares com obras que empreguem moradores da própria região e financiar um plano para manter os jovens estudando.

 

Leia Também

Guedes critica quem pede alta de encargos para gastos sociais

Empobrecimento com Atribuições Subjetivas de Valor, por Fernando Nogueira da Costa

Aumento da exportação leva Brasil a importar soja americana

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Manchetes dos jornais dos EUA

2 comentários

  1. Não cansamos de fazer piadas preconceituosas com argentinos e portugueses. Contudo, para nossa vergonha e castigo são eles que não cansam de dar bons exemplos ao mundo, enquanto nós, a partir do golpe baixo politico, midiático e jurídico caminhamos em ritmo acelerado na direção do abismo, da chacota, da humilhação e da reprovação mundial.

    4
    1
  2. Se o governo brasileiro nao fosse de frouxos (usando o termo de bozo), ao inves de f**** os mais desprovidos e os trabalhadores tomariam atitudes como esta, dos argentinos, e o problema social e econômico já estariam resolvidos.
    Mas como esperar um governo de machos se foram eleitos por maricas?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome