Colômbia: guerrilha anuncia cessar-fogo unilateral para eleições presidenciais

Metade das cidades colombianas estão em estado de alerta por violência de diversos atores, de acordo com a Defensoria do Povo

A guerrilha faz chamado ao povo colombiano “para que não se deixe intimidar e defenda a democracia popular” (Foto: Brasil de Fato – Flickr)

do Comunica Sul

Colômbia: guerrilha anuncia cessar-fogo unilateral para eleições presidenciais

VANESSA MARTINA SILVA/COMUNICASUL

Um dos riscos em torno das eleições da Colômbia é a alta violência existente no país, mesmo às portas da votação desde domingo (29).

Neste sentido, a guerrilha remanescente Exército de Libertação Nacional (ELN) do oriente colombiano anunciou, nesta quarta-feira (25), um cessar-fogo unilateral na guerra com o Estado.

No comunicado consta ainda um alerta para “um possível golpe de Estado motivado pelo uribismo e com o apoio dos gringos”. A guerrilha então faz um chamado ao povo colombiano “para que não se deixe intimidar e defenda a democracia popular”.

A violência no país tem atingido líderes sociais que seguem sendo alvo de massacres e assassinatos, como denunciou a ComunicaSul. De acordo com o Instituto de Desenvolvimento e Paz (Indepaz) – que desde 1984 acompanha o conflito armado -, já são 44 massacres apenas em 2022, com 78 líderes sociais assassinados.

“Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

RISCO ELEITORAL

No contexto nacional, de acordo com a Defensoria do Povo – órgão oficial criado pela Constituição de 1991 -, 290 municípios do país estão em risco alto e extremo de violação aos direitos da população para o processo eleitoral.

Os estados mais vulneráveis são Cauca, Nariño, Chocó, Santander e Antióquia. No total, 521 municípios têm com algum risco para a garantia democrática, isso em um universo de 1103 cidades em todo o país.

A instituição atribui esse alto risco ao suposto aumento de ações do Exército de Libertação Nacional (ELN) e do Clan do Golfo, cujo líder, apelidado de Otoniel, foi recentemente capturado e extraditado para os Estados Unidos.

“O Estado deve implementar mais mecanismos de investigação e verificação para reclamações relacionadas a crimes eleitorais e ameaças contra os candidatos ou suas campanhas”, disse o Defensor do Povo, Carlos Camargo. Além disso, também deve proporcionar proteção para que “pessoas possam votar nas áreas rurais e, acima de tudo, garantir a livre participação”, ressaltou.

CESSAR-FOGO

O Comandante-em-chefe do ELN, Manuel Vásquez Castaño anunciou que o cessar-fogo se inicia à meia-noite desta quarta-feira (25) e vai até o dia 3 de junho.

Porém, o comunicado evidencia que a medida não contempla as bandas mercenárias e narcoparamilitares que estão atuando no país, reservando-se o direito à defesa em caso de agressão.

Além disso, o informe ainda destaca que o narcoparamilitar Julio Acosta Bernal tornou público um chamado à militarização e à aceleração do conflito no estado de Arauca. “Este criminoso esquece que o povo não perdoa e que os crimes de lesa-humanidade cometidos por ele e seus aliados paramilitares não ficarão impunes.

Por fim, o texto diz que a população não deve circular em vias terciárias “para evitar acidentes” a partir das 18h.

*A reprodução deste conteúdo é livre, desde que citada a fonte e a lista de entidades e organizações que apoiam esta cobertura, como no rodapé a seguir.

Esta cobertura será feita pela Agência ComunicaSul graças ao apoio das seguintes entidades: da Associação dos/das Docentes da Universidade Federal de Lavras-MG, Federação Nacional dos Servidores do Poder Judiciário Federal e do MPU (Fenajufe), Confederação Sindical dos Trabalhadores/as das Américas (CSA), jornal Hora do Povo, Diálogos do Sul, Barão de Itararé, Portal Vermelho, Intersindical, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Sindicato dos Bancários do Piauí; Associação dos Professores do Ensino Oficial do Ceará (APEOC), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-Sul), Sindicato dos Bancários do Amapá, Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Sindicato dos Metalúrgicos de Betim-MG, Sindicato dos Correios de São Paulo, Sindicato dos Trabalhadores em Água, Resíduos e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp Sudeste Centro), Associação dos Professores Universitários da Bahia, Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário Federal do RS (Sintrajufe-RS), Sindicato dos Bancários de Santos e Região, Sindicato dos Químicos de Campinas, Osasco e Região, Sindicato dos Servidores de São Carlos, mandato popular do vereador Werner Rempel (Santa Maria-RS), Agência Sindical, Correio da Cidadania, Agência Saiba Mais e centenas de contribuições individuais.

O texto não representa necessariamente a opinião do Jornal GGN. Concorda ou tem ponto de vista diferente? Mande seu artigo para [email protected]

Leia também:

Ativista antimilitarista dos EUA é deportada e impedida de ser observadora eleitoral na Colômbia

No berço do paramilitarismo, Escola Nacional Sindical da Colômbia resiste ao neoliberalismo e à desinformação

Como funciona o processo eleitoral colombiano e por quê a direita tenta sabotar votação alegando fraude

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador