Fernández revoga privatizações de energia e termelétricas na Argentina

O decreto de Fernández anulou o decreto de Macri e seu ministro de Energia, revertendo a ordem de privatização das empresas Dioxitek, Transener e as centrais termoelétricas Manuel Belgrano e San Martín (Timbúes), entre outras.

Jornal GGN – Alberto Fernández, presidente da Argentina, revogou as privatizações de empresas de energia e centrais térmicas realizadas no governo Maurício Macri. Sob Macri, a Argentina concedeu duas centrais térmicas abrindo caminho para transferência de ativos do setor energético para o setor privado.

O decreto de Fernández anulou o decreto de Macri e seu ministro de Energia, revertendo a ordem de privatização das empresas Dioxitek, Transener e as centrais termoelétricas Manuel Belgrano e San Martín (Timbúes), entre outras.

O decreto de Macri ordenava a “venda, cessão ou transferência das ações estatais de CITELEC (que controla Transener) onde o Estado compartilha participação com Pampa Energia”.

Outro ponto importante do decreto de Fernández é que dispõe a outorga de avais do Tesouro Nacional para aquisição de gás natural da Bolívia, por um máximo de 200 milhões de dólares, suspendida por Macri em retaliação ao governo Evo Morales. O gás da Bolívia é importante para o abastecimento do povo argentino durante o inverno.

Com informações do Diálogos do Sul

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. O Lula, numa declaração de apoio contra a privatização da Eletrobrás deveria dizer que num eventual e muito provável governo seu, a Eletrobras vai ser desprivatizada sem idenização aos seus usurpadores.

    Só queria ver quem ia se aventurar a adquirir e perder o controle menos de 24 meses depois.

    Lí a reportagem completa do Diálogos do Sul e não vi nada sobre indenizações, alguém sabe?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome