A vanguarda do atraso, por Wagner Iglecias

Texto publicado nesta sexta-feira pelo Instituto Teotonio Vilela, do PSDB, intitulado “Lula, sua hora chegou”, comemora o processo de investigação aberto pela Procuradoria da República do Distrito Federal contra o ex-presidente Lula, para averiguação de suposto tráfico de influência nas relações entre o petista, empreiteiras brasileiras e governos de países estrangeiros. A notícia, de fato, tem o potencial de provocar sérios estragos na eventual candidatura presidencial de Lula em 2018. E é nisso que o PSDB, incapaz de derrotar o petismo nas urnas há quatro eleições, vê uma monumental janela de oportunidade para voltar ao comando do país.

Sem me ater aos aspectos jurídicos, pois os desconheço, no campo político me parece que Lula está sendo acusado de fazer aquilo que líderes dos mais diversos países do mundo sempre fizeram: lobby por suas empresas. No exercício do cargo ou depois de encerrados os seus mandatos. Qualquer governante que faça uma visita a outro país sempre leva a tiracolo empresários compatriotas seus. E usa de seu poder e influência para aproxima-los de governos e empresários dos países que visitam. Aliás, isso é da essência do capitalismo tanto quanto a regulação de preços, a formação de cartéis, as portas giratórias em que funcionários públicos e executivos circulam entre o Estado e as corporações, as elisões fiscais para paraísos além-mar e as relações carnais entre governos e grandes grupos empresariais.

A comemoração tucana faz sentido não só pela possibilidade de afastar da disputa eleitoral um adversário que o PSDB sabe ser duríssimo, mas também porque vai acirrando-se ainda mais, neste momento da História brasileira, a disputa entre nossos dois modelos de desenvolvimento, ambos capitalistas. O petista, mais includente e que aposta, no plano doméstico, na expansão do mercado interno e da burguesia nacional, e no plano internacional numa política externa mais altiva e pautada pela diversificação de parcerias, sobretudo em direção aos BRICS, à América Latina e à Africa, e no qual o papel do BNDES é o de financiar a expansão de grupos brasileiros em suas operações no exterior. E o tucano, menos includente, mais vinculado às finanças daqui e de fora e voltado à aliança automática e subordinada a Washington e, em menor medida, à União Européia. E no qual, ao menos pelo que viu durante o governo FHC, ao BNDES coube financiar processos de privatização de empresas públicas adquiridas, inclusive, por grupos estrangeiros. Um projeto, enfim, aferrado aos anos 1990 e ao mais radical e daninho neoliberalismo, que aliás arruinou a América Latina naquele período.

Leia também:  Universidade não precisa de "empreendedorismo", mas de pensamento crítico, por Luis Felipe Miguel

O PSDB, em sua nota, aproveita para mencionar “as nove digitais de Lula”, fazendo troça do acidente de trabalho do ex-metalúrgico (piadinha totalmente dispensável, diga-se de passagem) e afirmando que a batata de Lula está assando. Partido desde sempre muito vinculado às elites e aos grandes interesses do capital, lança-se agora a fazer uso de provérbios populares, num momento completamente inoportuno. Lobby, como sabemos, é algo intrínseco e inescapável ao capitalismo. Só os ingênuos ou os mal intencionados realmente acreditam na pureza de uma economia totalmente concorrencial e de mercado, livre do jogo político e das relações entre empresários e governantes. Lobby por lobby, melhor que se faça como em qualquer país capitalista que se preze e que almeje ter alguma relevância no plano internacional, ou seja, a favor da expansão das empresas domésticas e da economia nacional em direção ao exterior. Ou será que a um país continental como o Brasil o desejável é portar-se feito uma republiqueta menor e sem qualquer potencial de futuro, onde a seu governo caiba apenas criar um bom ambiente de negócios e lucros para empresas estrangeiras?

Wagner Iglecias é doutor em Sociologia e professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. Sem me ater aos excelentes

    Sem me ater aos excelentes aspectos do texto so vou comentar isso aqui:

    “Sem me ater aos aspectos jurídicos, pois os desconheço, no campo político me parece que Lula está sendo acusado de fazer aquilo que líderes dos mais diversos países do mundo sempre fizeram: lobby por suas empresas”:

    Que se especifique que o lobby aqui eh PELO BRASIL que as empresas individuais representam.  Lobby paguissimo, por empresa individual, eh isso aqui:

    Fonte:  http://www.dailymail.co.uk/femail/article-470904/Curse-Crocs-Why-middle-aged-men-wear-ugliest-shoes-invented.html  (“Maldicao dos crocs, ou porque velhos inventaram o sapato mais feio do mundo”).  Nicholson ta dificil de reconhecer, mas o Aecio, digo, GBush, nunca se importou com gafes e fez uma carreira inteira delas.


  2. A vanguarda do atraso, por

    A vanguarda do atraso, por Wagner Iglecias

      Isso era mote nos anos 70.

      O simple fatos de escrever esse chavão demodê, significa que continua MUUUUUITO ATRASADO, e e sem NADA de ”vanguardismo” 

       Só falta vc escrever aquela frase, não me recordo agora o nome dela, sobre o ufanismo exagerado.—e com nome só pra entendidos,

            PORCO CHUVINISTA.—LEMBREI e não vou apagar o qye escrevo acima

               PORCO CHUVINISTA E VANGUARDA DO ATRASO, modernas, não ?

     

     

  3. O MPF aloprou

    O monstro aloprou.

    O Cunha ao invés de dizer bobagens deveria botar em votação uma freada no MPF.  Como está tornou-se o QUARTO PODER e, pior, caro e desnecessário.

    Para investigar já tem estruturas prontas e funcionando, as polícias civil e federal..

    Para que serve o MPF se não para aumentar a gastanança do governo e criar atritos desnecessários. O FHC, muito “republicanamente”, nomeou um “engavetador geral da nação” e resolveu o problema dele.

    Dane-se a ética, diria o ético ex-presidente.

    A privataria tucana,  mais uma entrega de patrimônio público do que outra coisa, não mereceu a atenção do tal MPF. Mas o Lula defender nossas empresas no exterior é crime.

    Só mesmo para os vanguardistas do atraso.

  4. Titulo Horrivel

    que lembra esse livro horrivel e se equipara a ele….

    Quanto a investigar Lula:

    Luiz Inácio sempre disse que poderiam investigar o quanto quisessem que não achariam nada, então que venham!

    Mas que é estranho, como tudo que está sendo feito atualmente, é!

  5. Anarquista sério, um milicozinho hierarquista!

    Pô, anarquista sério, você não tem vergonha de criticar o trabalho alheio sem trabalhar? Fica escrevendo “chuvinista” no lugar de chauvinista! Assim, fica parecendo o próprio Nicolas  Chauvin, do exército do Napoleão, que tinha uma enorme obsessão pelo mando militarista como o seu comandante corso; tipo assim: anarquista sério.

  6. convem não se ater
    Convem não se ater a aspectos juridicos para escrever um texto desses…
    O lobby nos Estados Unidos é regulamentado, enquanto no Brasil é crime nas supostas circunstancias investigadas.

    Quanto convem, os modelos capitalistas, imperialistas se tornam boas práticas defendidas no ambito politico para justificar os malfeitos dessa turma. É uma falsa esquerda.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome