Frente ampla o quê? Depois do Bozo pianinho, o “véio da Havan”, por Armando Coelho Neto

Pobre Cidade de Deus! Querem passar “alkingel” no Bozo. Mas ele não tem só as assinaturas de Moro, Globo, das elites brasileira. “Made in USA”, ele é obra dos militares, dos filhotes da ditadura de 64.

Frente ampla o quê? Depois do Bozo pianinho, o “véio da Havan”

por Armando Rodrigues Coelho Neto

Numa cena do filme Cidade de Deus, um dos bandidos diz que tem que barbarizar, chocar, escandalizar. Com disparos à queima-roupa, grassa a violência numa comunidade armada, onde crianças aprendem a atirar. Tem até uma espécie de Robin Hood que divide o dinheiro roubado com os habitantes da favela.

Mais tarde, esse mundo cruel da ficção passa a ser controlado por milícias na vida real. A comunidade vira metáfora de um mundo cão homenageado pelo candidato dos militares, que por conta da fraude eleitoral/2018 se torna “presidente”. Metáfora que com outras vertentes, até hoje dá suporte à democracia de fachada.

No aquilo deu nisso, de pronto a Cidade de Deus substituiu o Estado e decretou toque de recolher durante a pandemia, no país acéfalo de ministro da Saúde. O “presidente” e seus cloroquinocratas assinam quase 60 mil mortos vítima da “gripezinha”. Com STF e tudo, o Brasil tenta passar “alkingel” nos crimes do Bozo.

Os últimos dias têm sido de grandes emoções nesse circo de horrores. O clown da Educação fugiu, foi premiado com indicação para cargo no Banco Mundial, com a experiência de quem quebrou o Banco Votorantin. Teve passaporte diplomático e tudo, mistérios sobre a data de sua destituição e eventual “yes” de Donald Trump.

Mas, Bozo fechou uma redondinha com o STF e a China: mandou o nóia do Weintraub ir embora. Depauperaram os 300 mínions, acharam o Queiróz na casa do defensor do Bozo e a mulher dele (Queiróz) fugiu. Flávio Rachadinha ganhou foro privilegiado com aparente privilégio de um amigo, que votou contra sua própria tese.

Na chapa quente, a PGR disse que a Farsa Jato não está acima do MPF, dando sequência a uma revoada do ninho da capitã do mato do golpe. De outro giro, Zumbi tremeu na tumba com seus descendentes protagonizando cenas estranhas na Fundação Palmares, na Justiça e na Educação.

A “Perua do Inverno”, depois de uns dias no xilindró, foi solta. Está deprimida com a tornozeleira eletrônica e, tardiamente, vai procurar um psiquiatra. Caminho, aliás, que deveria ser seguido começando pelo maluco da Virginia e por toda a equipe – inclusive o astronauta Marcos Pontes, que anda vendo a terra plana.

Leia também:  Por que a amizade África-China está em nossas mãos, por João Shang

Psiquiatra, Rivotril, Gardenal e anticonvulsivos cairiam bem. Correm o risco de surtar, pois está em curso uma tal Frente Ampla, Basta, Direitos Já. Dilma e Lula querem saber para que isso serve. Até Ciro Gomes, que quer os votos dos que odeiam o PT, está desconfiado, ainda sem saber para quem vai piscar o olho.

Essa história de Frente é tão complexa, que o herói Zé Roela da Globo (Moro) se transformou em ameaça de racha. Seria o racha no que está rachado na direita e na esquerda. Seria um novo “Ele Não” sabor pandemia, com toque de “alkingel” para passar a boiada, vender tudo, trabalho precarizado, vender até água e cocô.

É Bozo limpinho e cheiroso ou Mourão (tecla SAP dele). Querem a direita que come com garfo e faca. Como diz um certo “tio Rey” (das negas dele), basta o Bozo parar de arrotar em público e de soltar pum no elevador. Fora Guedes que é bom ninguém fala. Nem o “Rey”, acho. A meta é fim dos direitos sociais e vender o Brasil, talkey?

Eis o Bancarrota Blues, de Chico Buarque (aniversariante do mês). Guedes quer vender tudo: jerimum, mamão, surubim, diamantes, ouro, e até nióbio que não está na letra da música. São temas que não se toca na tal frente, e em torno da qual querem que a “zisquerda siúna”, para combater o fascismo tabajara (chupa, Globo!).

Estou com Lula, pois não é mesmo para pegar o primeiro ônibus que passa. Não sei quem disse, mas não dá mesmo pra juntar Lula, Dilma, Boulos, Globo, Dória, Moro, além de calhordas da Farsa Jato num mesmo pacote. Só falta a assinatura do STF e das FFAA. Derrubam a democracia, levam uma rasteira e agora querem o quê?

Como disse Dilma Rousseff para o El Pais, tirar Bozo, sem mostrar a associação do neoliberalismo com o neofascismo vai dar em nada. Como “ser a favor de um documento que tem uma pessoa como Miguel Reale, que assinou junto c’a Janaína Pascoal aquele impeachment fraudulento”, disse. A frente ideal seria em 2018.

Leia também:  Bolsonaro perde sua guerra, por Fernando Horta

Sem um projeto Brasil, o Fora Bozo é um mero anticonvulsivo para as contradições das elites, para deixar Bozo pianinho. E aí ele sai sorridente, para inaugurar obra de Lula/Dilma, levando junto evangélicos para festejar o milagre da água feito pelo enviado de satã. Assim mesmo, sem qualquer autocrítica.

Mas, querem autocrítica do Lula e do PT, que eles não fazem. Globo, grande mídia, a lepra evangélica nem ninguém. Globo e Folha admitem que apoiaram o golpe de 1964, mas não admitem o suporte ao golpe de 2016. Outros nem isso.

Sequer a classe média faz autocrítica. Empobrecida e impedida de ir a Europa, voltou a fazer postagens Soto Zen no Feice. Quer se iluminar, se afastar dos “maus fluidos”, fugir da negatividade, virar “ser de luz”, cheio de positividade na sua yoga. Imersa na holística, “não critique minha incoerência”. A política não presta mesmo.

Após começar a ser investigado pelo STF, até o “véio da Havan” (Louro José para Lula) virou Zen. “Precisamos baixar as armas”, disse à revista Crosoé. Dá até conselho o Bozo: “Presidente, senta no colo, beija na boca, abraça. É só com união que teremos o Brasil que nós queremos. Não podemos continuar numa guerra…”

No pós-guerra que ajudou a criar, o “véio” agora quer paz, num país cuja primeira homenagem às vítimas da Covid foi uma Ave Maria sanfonada. Como disse um comentarista de uma TV aberta de Portugal, Bozo inaugurou o neo-sanfonismo num país que criou os BRICS, era potência emergente, candidato a assento na ONU.

Pobre Cidade de Deus! Querem passar “alkingel” no Bozo. Mas ele não tem só as assinaturas de Moro, Globo, das elites brasileira. “Made in USA”, ele é obra dos militares, dos filhotes da ditadura de 64. Garantiram os privilégios deles, e deixaram o povo, o servidor público e o patrimônio da Nação à mercê do chupim Guedes.

Leia também:  PGR abre investigação preliminar sobre fala de Eduardo Bolsonaro sobre ruptura democrática

Bozo se “elegeu” sem máscara e infectado pelos piores sentimentos. Impregnado de ódio, preconceito, apatia, distópico, de terrorismo moral. Não adianta querer agora tentar por máscara nem passar “alkingel”. Quem precisa tirar a máscara que o faça e, se alguma dignidade lhes restar vale a dica: cassação/renúncia.

E, se os militares não assumirem seu papel constitucional, se o Supremo Tribunal Federal idem; e se a opção é serem políticos, terão que assumir esse ônus. Não sem lembrar que a serviço deles, apodreceram e judicializaram a ideia de que política é um lixo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Lula e Dilma negaram a “frente sem noção-banquela”…….já o amigaço dos coronéis cearenses, tucano enrustido e outrora viajante-fujão, não negando a natureza, a beijou e abraçou…… radádi, mostrando-se perdidão como sempre, também não negou o chamado da natureza e pra lá foi, cantando e dançando…..o maranhense está esperando o rei da lata velha pra lhe dar uma carona…….

  2. Enquanto aproveitam a pandemia para atravessar a boiada, o “Guedes quer vender tudo: jerimum, mamão, surubim, diamantes, ouro, e até nióbio que não está na letra da música”.

    Esqueceu o turismo sexual:

    “A mesma coisa o nosso … o problema do jogo lá na … lá na … nos recursos integrados. Tem problema nenhum. São bilionários, são milionários. Executivo do mundo inteiro. O cara vem, é… fazem convenções … olha, a … o … o turismo saiu de cinco milhões em Cingapura pra trinta milhões por ano. O Brasil recebe seis. Uma pequena cidade recebe trinta milhões de turistas. O sonho do presidente de transformar o Rio de Janeiro em Cancún lá, Angra dos Reis em Cancún. Aquilo ali pode virar Cancún rápido. Entendeu? A mesma coisa aí Es … é, Espanha. Espanha recebe trinta, quarenta milhões de turistas. Isso aí é uma cidade da Ásia. Macau recebe vinte e seis milhões hoje na … na China. Só por causa desse negócio. É um centro de negócios. É só maior de idade. O cara entra, deixa grana lá que ele ganhou anteontem, – ele deixa aquilo lá, bebe, sai feliz da vida. Aquilo ali num atrapalha ninguém. Aquilo não atrapalha ninguém. Deixa cada um se foder. Ô Damares. Damares. Damares. Deixa cada um … Damares. Damares. O presidente, o presidente fala em liberdade. Deixa cada um se foder do jeito que quiser. Principalmente se o cara é maior, vacinado e bilionário. Deixa o cara se foder, pô! Não tem … lá não entra nenhum, lá não entra nenhum brasileirinho”. – Paulo Guedes

  3. Enquanto isso, nas eleições municipais na França ontem tivemos os partidos de esquerda bem a frente. Ha tempos isso não ocorria tão claramente. A França ficou vermelha e verde. Anne Hidalgo, a prefeita de Paris que buscava sua reeleição e deu seu apoio claro a Lula em seu combate por Justiça, ganhou bem a frente de suas duas concorrentes: a serpente da Rachida Datti (Les Républicains de Sarkozy) e Buzyn ex-ministra da Saude de Macron, que saiu tardiamente para concorrer ao posto e ficou bem atras. Alias, o macronismo foi o grande perdedor das municipais. Se ha algo que as esquerdas no Brasil devem tirar como lição é que o momento é esse de reverter a situação calamitosa do Brasil, mostrando que é progressista sim, civilizada e conectada com os problemas de toda a população.

    13
  4. Mais uma excelente análise do Armando. Misto de inteligência, contundência. Muito longe do espírito de vira-lata que querem impor ao povo brasileiro.

    “ Bozo inaugurou o neo-sanfonismo num país que criou os BRICS, era potência emergente, candidato a assento na ONU” é uma frase-síntese deste momento dramático do nosso país, que já foi grande e admirado. Hoje é motivo de chacota internacional.

    12
  5. Excelente texto Armando, gosto de suas ironias e humor crítico…

    Eu tb sou mais LULA E DILMA : essas duas importantes pessoas do Bem sabem o que dizem e o que fazem, principalmente o nosso #Lula…

    “Estou com Lula, pois não é mesmo para pegar o primeiro ônibus que passa. Não sei quem disse, mas não dá mesmo pra juntar Lula, Dilma, Boulos, Globo, Dória, Moro, além de calhordas da Farsa Jato num mesmo pacote. Só falta a assinatura do STF e das FFAA. Derrubam a democracia, levam uma rasteira e agora querem o quê?”

    A parte que amo , esses apelidinhos:

    A “Perua do Inverno”;

    Mourão (tecla SAP do Bozo);

    Maluco da Virginia;

    O Chupim Guedes;

    A Mulher Xendengue, essa já saiu de cena…

    “Véio da Havan” (Louro José para Lula);

    O herói Zé Roela da Globo (Moro);

    Pois é: O “presidente” e seus cloroquinocratas assinam quase 60 mil mortos vítima da “gripezinha”; aff

    O “clown da Educação” o nóia do Weintraub fugiu, foi premiado com indicação para cargo no Banco Mundial, com a experiência de quem quebrou o Banco Votorantin;

    Flavio Rachadinha…

    Síntese: eu penso que uma grande obra do Bozo, seria construir um Grande Manicômio Judiciário em Brasília , pois seria de boa serventia para Ele mesmo, seus filhos Milicianos e seus Ministros, perigosa GANG…: AÍ SIM faz mesmo sentido abastecer de Psiquiatras, Rivotril, Gardenal e anticonvulsivos cairiam bem, pois nessa turma tem de tudo: plagiadores, falsários, a maluka da Goiabeira com delírios e alucinações, pois nem “Jesus” escapou “trepando num pé de Goiabeira” aff quanta loucura …
    Corta essa …

    #ForaBozoGenocidaPsicopata!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome