Globo X WhatsApp. Pra não dizer que não falei do Dossiê Banestado, por Armando Coelho Neto

Há um fedor de gambiarra jurídica no ar, frente a indícios de corporativismo entre juízes. O conluio Globo/Moro carece de amarração e a opinião pública é essencial.

Globo X WhatsApp. Pra não dizer que não falei do Dossiê Banestado

por Armando Rodrigues Coelho Neto

“Puxa! Não tenho nem roupa para assistir o Jornal Nacional hoje”, dizia uma mensagem que recebi pelo WhatsApp, no dia em que prenderam Fabrício Queirós. Como a Globo está em pé de guerra com Bozo, não iria perder a oportunidade de atacar Bozo – o atual chefe das Forças Armadas que o ajudou a se “eleger”.

Nunca é tarde para lembrar a regra de ouro de Leonel Brizola: na dúvida verifique o que a Globo defende e seja contra. A Globo não é WhatsApp, mas mente tanto quanto. Suas mentiras, porém, embutem verdades, sobretudo quando denuncia a corrupção alheia. Mas, silencia sobre a corrupção estrutural da qual faz parte.

Dentro da corrupção estrutural, o nome da Globo aparece em processos fiscais. Tem também seu nome associado a contratos fraudulentos e pagamento de suborno para garantir direito de transmissão de jogos da Copa no Qatar. Do mesmo modo, a aparece na Operação Zelotes, via sua afiliada RBS (Porto Alegre/RS).

Nota: Operação Zelotes é uma roubalheira fiscal para matar no peito processos, livrar multas, na Receita Federal. Além da TV dos Marinhos, nomes gigantes como bancos Santander, Bradesco, BankBoston. Grupo Gerdau, Ford e Mitsubishi engrossariam a lista, mas a Globo conseguiu transformar em Operação Lulinha.

Sim, a gente sabe que investigado ou acusado não é culpado. Mas, quando se trata de Lula, Dilma, Partidos dos Trabalhadores, ser investigado ou acusado ganhar ares de sentença. Sobretudo se a fonte é ou era o ex-ex, agora herói Zé Roela. Transformar acusação em sentença é uma mentira intencional que embute verdade.

Está escrito na Constituição Federal (Art. 5º, LVII) que só é culpado quem tem sentença trânsito em julgado, leia-se, quando não há mais recurso. Esse direito é cláusula pétrea, que não pode ser modificado nem por Emenda Constitucional. Só por meio de uma nova Constituição. Juristas da Globo deveriam saber disso.

Está no Declaração Universal dos Direitos Humanos, artigo 10°: “Toda a pessoa tem direito, em plena igualdade, a que a sua causa seja… equitativa e publicamente julgada por um tribunal independente e IMPARCIAL…”. Fingir não saber disso e endossar teses contrárias é mentir, enganar. É fake news na Globo ou WhatsApp.

Leia também:  Em defesa do Ministério Público legítimo, por Luis Nassif

A palavra imparcial em caixa alta é só para lembrar que já é público e notório que o herói Zé Roela que condenou Lula em primeira instância não foi imparcial. Ministros do STF mais falantes, como Gilmar Mendes, já reconheceram isso. Veículos como The Intercept Brasil, Folha de S. Paulo e BandNews parecem concordar.

Veículos internacionais como New York Times, The Guardian, Le Monde dão indicadores de que o julgamento de Lula sofreu interferências estranhas, posto que a condenação de Lula influenciou na fraude eleitoral/2018. Fraude essa para a qual a Globo concorreu, transformando Lula em bandido e o salafra Zé Roela em herói.

Os jornalistas da Globo não têm obrigação de entender de lei. Mas, a emissora tem advogados, juristas. Mesmo assim, ignora não só a presunção de inocência, como a proibição de partidarismo por parte de juízes, conforme Art. 95, III da Constituição. O carrasco da Farsa Jato agiu politicamente e largou tudo para virar político.

“Um bom exemplo de como não se deve fazer jornalismo é assistir gente como Cristiana Lobo, Gerson Camarotti e Gabeira”, disse o jurista Lênio Streck (site Conjur) sobre o desserviço prestado por esses profissionais da Globo, quanto à retomada do problema da prisão, após condenação em segunda instância.

O jurista diz que a Globo é tão “imparcial” quanto ex ex Sérgio Moro, e que não deve haver revisor ou assessor para assuntos jurídicos na emissora. Aliás, diz ele, falta assessor para tratar da verdade ou instruções para não difundir mentiras. Fato: a Globo mente tanto quanto o WhatsApp, uma detona e o outro espalha.

O mestre Streck lembra que jornalistas (especialmente da Globo) mentiram para a população. Com propaganda terrorista dizia que se o STF confirmasse a presunção de inocência, 190 mil ladrões, assassinos, estupradores e corruptos seriam soltos. Mentira. É Globo e WhatsApp juntos e misturados.

Leia também:  Voto decisivo para Lula, Celso de Mello já declarou Moro suspeito no passado

A farsa jornalística é desmascarada com um dado: a decisão do STF “proporcionou a soltura de meia dúzia de poucos presos no RS, menos de centena no Rio e 8 ou 9 na lava jato”. Mas, nunca pediram desculpas por essa mentira, repetindo de uma forma ou de outra o mantra de “STF deve decidir entre impunidade e justiça”.

Esse texto não é mero inventário de reminiscências ou de cicatrizes. Tão logo a pandemia saia de cena, a sentença contra Lula será discutida, entre outros recursos. Há um fedor de gambiarra jurídica no ar, frente a indícios de corporativismo entre juízes. O conluio Globo/Moro carece de amarração e a opinião pública é essencial.

O herói Zé Roela já está em campanha e não há mais dúvidas de que agiu politicamente. Parlamentares já se movimentam para debater, de novo, uma gambiarra para o embate entre presunção de inocência X prisão em segunda instância, que aliás, nunca foi e até hoje não está proibida.

O réu condenado pode ser preso, caso ofereça qualquer tipo de risco, preencha requisitos legais para prisão preventiva. O STF nunca proibiu nem obrigou, apenas autorizou. Diante dos abusos, como os do capitão do mato de Curitiba, apenas declarou a constitucionalidade da presunção de inocência. Se precisar, prende.

Embora claro, os jornalistas da Globo (prefiro chamar de ativistas) queiram prisão na segunda instâncias apenas na área penal. Justiça trabalhista e tributária ficariam de fora. Mas, “Não há muita diferença entre escrever ‘imprecionante’ (sic) e ficar dizendo inverdades sobre o tema ‘presunção de inocência’”, diz Lenio Streck.

Corta.

Leia também:  Reforma tributária deve corrigir distorções, não reforçar, escreve Cida Bento

Em 1556, o bispo Dom Pero Fernandes Sardinha, indignado com a corrupção que grassava no Brasil, reuniu homens honestos numa esquadra com destino à Portugal para denunciar. Passando na região das Alagoas, naufragou. Quem não morreu no naufrágio foi devorado por canibais. Sobraram três que contaram a história.

Tempos remotos. Não havia PT, Lula nem Dilma. A corrupção cruzou séculos e parte dela está no Dossiê Banestado. Farsa Jato é fichinha. É muito dinheiro sujo, só a TV Globo entre 1992-1998 teria movimentado R$ 15 bilhões em valores atualizados. Vale a pena conferir no Duplo Expresso que liberou.

Dario Messer, o doleiro de todas as corrupções no Brasil, segundo o El Pais, está na fita. Sérgio Moro sentenciou alguns casos e outros sequer foram investigados (melindráveis da política, dos negócios e até do STF). O dossiê é retrato da corrupção nacional, com a qual a elite sempre conviveu e tirou proveito.

Eis um tema que valeria a pena ter roupa apropriada para assistir o Jornal Nacional.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. Nassif: esse texto do Armandinho tá redondo. Inda mais quando escorado em mestre Lênio. Pena o papocabeça não pode alongar-se. Ficaria manero. Mostraria, historicamente falando, que Pindorama não é um Pais sério. Nem o único, como havia profetizado DeGaulle. cuja Pátria não anda lá estas coisas. É onde o Povão anda “olhando pro chão”, cansado mas socialmente acomodado, e, nas palavras de Rui, “ri da Honra, zomba da Virtude e tem vergonha de ser Honesto”. Paragens onde as Elites até criaram a LeiDeGerson, símbolo máximo das maracutaias, tão cultivado pelos pobres de direita (mesmo dizendo o contrário) e amparado pelas baionetas dos estrelados do KhmerVerde (principalmente por seus Coronéis), que até, caridosamente, cedem a flâmula multicor para servir de mortalha…

    15
    • Também achei! Simples, direto e reto, Objetivo. Apenas vou rever os volumes, pois pelo que vi nos volumes as partes da globo, globosat, marinhos, rbs… ultrapassa em muito os 15 bilhões…

  2. Tenho observado uma coisa. O TRF-4 tem passado incólume em todas comentários sobre as sentenças proferidas pela LAVA JATO, confirmando quase todas por unanimidade e algumas aumentando o tempo de detenção.

  3. Sejumoro fez escola quando era juiz, copiado por vários juízes Brasil afora quanto ao abuso de sua autoridade. Juízes que se consideram uns deuses e aí daquele que ousasse enfrentar um juiz. Vide o caso de um jornaleiro de Santo André que foi condenado em 2015 por uma juíza da cidade a 7 anos e 4 meses de prisão no regime semiaberto por ter xingado um juiz também de S.André. Esse jornaleiro, por ordem dessa juíza de nome Maria Lucinda da Costa, cumpriu em 2016 sete meses e 10 dias de prisão em regime fechado e só foi libertado porque um desembargador do TJ-SP considerou que o jornaleiro “”é absolutamente primário e que as condutas imputadas foram praticadas sem violência ou grave ameaça” e que “não é razoável nem tampouco proporcional manter o réu encarcerado, fazendo cumpri-lo antecipadamente uma pena corporal que conta com razoável possibilidade de ser suspensa, substituída ou ter regime menos gravoso para início de seu cumprimento”…. – Veja mais em https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/brasil/2016/07/25/desembargador-manda-soltar-jornaleiro-preso-ha-7-meses-por-xingar-juiz.htm
    Esse caso do jornaleiro teve repercussão no país inteiro e só depois que o caso foi maciçamente veiculado na mídia é que o sr. José Bizerra foi libertado pelo desembargador Freitas Filho da 7a. Câmara Criminal do TJ-SP. Isso é para todo mundo ver como a nossa justiça é injusta, a depender de quem julga e de quem está sendo julgado e de sua condição social. NOTA: esse desembargador que libertou o jornaleiro já tinha negado um HC impetrado por seu advogado e só o libertou após o caso ter tido ampla divulgação na mídia.

  4. Nosso judiciário, em todos os níveis, e nossa polícia, em todos os níveis, é um lodaçal fétido em que, definitivamente, nenhum cidadão pode confiar.

  5. Esse texto hoje me trouxe a lembrança de documentários super difícei de serem encontrados sobre o sistema prisional. Em resumo, Criado em meados do século XVIII, esse sistema prisional, com os mesmos moldes da época (vale a pesquisa), foi o primeiro modelo de lavagem de dinheiro e espoliação do erário público. De lá para cá, todas as agruras que as sociedades ocidentalizadas passaram, são provenientes desse modelo baseado nas falsárias difamações e judicializações que permearam a sociedade até hoje.

    À época imprensa já fazia o mesmo trabalho que hoje e junto a esse sistema judicialesco, já atropelavam toda e qualquer razoabilidade em prol da manutenção desse “Status quo”. Desde sempre assolaram todas e quaisquer linhas sobre a História do Direito e/ou da Ética do Direito. Em outras palavras, podemos ver a contínua manutenção da “Lei e da Ordem” muito bem reutilizados séculos depois nas políticas de Nixon e Reagan. Com isso, dos estudos sobre a Guerra Híbrida, aparecem nomenclaturas como “Domínio de Espectro Global” e o controle completo da horda populacional.

    Quando se fala da imparcialidade, tanto da mídia quanto do constatado juridiquês, ambos se utilizam simbioticamente nessa monstruosidade secular. E o mais básico para esses jornalistas deveria ser a possessão de conhecimentos mínimos sobre as linhas da Constituição para que pudessem trabalhar em emissoras, ainda mais na #tvgloboCrimeContraHumanidade com tamanha capilaridade de expressão continental e internacional. Sem contar que qualquer jurista ou estudante de direito deveria ter isso como primazia e vemos que isso não acontece. É a constatação da manutenção completa da falta de empatia e compaixão. São pessoas estudadas e isso só comprova a ideia de que esse modelo só privilegia o egocentrismo, a competição sem nexo, chegando num empreendedorismo exacerbado. Verdadeiros Analfabetos funcionais.

    Enfim, independentemente de classes, esse modelo amplo de ensino com tais moldes, tanto para o “modelo de juridiquês”, penso que seja a primeira peça nesse quebra cabeças a ser resolvida em prol das gerações futuras, concomitantemente, como para todo e qualquer dos currículos de ensino correlatos à TV, ao jornalismo e meios de difusão de informação/comunicação.

    Dito isso, seu trabalho vem sendo esplendoroso ao longo destes anos todos desde o Golpe de 2016.

  6. Em 82, Brizola encampou as empresas de ônibus no RJ – era uma farra o que os empresários do setor faziam. Depois disso, a própria Globo emplacou na eleição seguinte para governador o GATO ANGORÁ. Lavou a cabeça dos eleitores. A partir desta data surge as caixinhas de campanha vindas destes setores para financiar os candidatos do bem. O “doutor” Marinho junto com outras figuras como Lacerda, militares, empresários, cidadãos de bem, etc e tal, contribuíram para quedas, pressões e conspirações contra Vargas, JK, Jânio, Jango, Brizola, Lula(89/2016/2018), Dilma e o Brasil. Eu pergunto: o país precisa mais de quê, leis sérias e completas ou de homens/mulheres/instituições que respeitem as regras do jogo? O futebol sempre deu as respostas pelas vozes das arquibancadas quando o “assoprador de apito”, apitava – era assim: JUIZ %%%%%% !!!

  7. Divirto-me demais lendo os textos do Armando, principalmente quando Ele nomeia , apelidando os “Personagens” do meio Político, Jurídico e Mediático, então eu fico imaginando no Domingo: o que Ele pode estar escrevendo para nos apresentar na Segunda Feira?!

    Neste texto Ele escreveu Verdades incontestáveis , quando falou da parcialidade da Globo e do Juizeco, “o ex-ex , agora herói Zé Roela.”. Eu vejo a Globo como um Partido Politico…que se sustenta com Fake News que são repetidas incessantemente em todos os seus jornais desde às 5:00 da matina e o Juizeco Zé Roela como um Farsante…treinado no FBI/CIA…, assim como seus Laxantes (Procuradores da Farsa a Jato);

    Outra dado importante, quando o autor diz que os Jornalistas da Globo são Ativistas , realmente com raras exceções existem aqueles que ensaiam fazer jornalismo de verdade, mas daí vem o conflito, têm que obedecer a linha editorial … da Globosta , senão ruaaa, podemos citar , o “causo” do Chico Pinheiro que ousou falar bem do LULA, quando da sua prisão…

    Bem se praticarmos a Observação com relação aos PERSONAGENS POLÍTICOS , existe um Mecanismo Psicológico muito utilizado pela Direitalha (Políticos, Juristas e Mídias, etc) que é a Projeção, Ela coloca na Esquerda , nomeadamente no PT e no #LULA , tudo aquilo que não suporta e/ou aceita em si mesma… daí eu tenho “convicção” e uma certeza inconteste que o LULA e a DILMA foram os únicos Políticos Honestos que já governaram o País… pois há uma necessidade muito grande em transformar o Lula num “Bandido” e o Zé Roela em Herói como diz o Armando….

    Daí , eu finalizo, dizendo que vou “escolher uma roupa “, para assistir o JN no dia em que o “Zé Roela” for preso… e tb no dia em que o BOZO voltar para o “Circo” Miliciano, deixando-nos felizes para sempre!
    É isso, será que que estou sonhando …?! Será que vai ser possível…

    Então “Eis um tema que valeria a pena ter roupa apropriada para assistir o Jornal Nacional.”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome