O dia que meus amigos da esquerda me colocaram em um meme racista, por Cristiane Alves

Dessa vez a questão é racismo estrutural, escrita excludente e reforço de vários estereótipos, mas para além, dessa vez a questão somos eu e você.

O dia que meus amigos da esquerda me colocaram em um meme racista

por Cristiane Alves

Já há alguns anos tenho falado sobre domínio do discurso e de como a esquerda tem introjetado e replicado ostensivamente o pensamento excludente da direita.

Infelizmente vejo esse fenômeno de inteligência reversa se espalhar tão ou mais rápido que o Coronavírus, e de maneira mais letal também.

Sempre que me deparo com uma interpretação coletiva de texto equivocada, venho tentar uma análise também coletiva, como antídoto.

Dessa vez a questão é racismo estrutural, escrita excludente e reforço de vários estereótipos, mas para além, dessa vez a questão somos eu e você.

O texto em voga é uma manchete da Folha de São Paulo publicada em várias plataformas de redes sociais no dia de ontem. Segue:

“Década colocou negros nas faculdades, e não (só) para fazer faxina”

Daqui de onde leio consigo notar uma série de questionamentos. Mas muitos se anteciparam para EXIGIR que no lugar da palavra DÉCADA, viesse a legenda do Partido dos Trabalhadores.

Nesse momento, para muitos amigos, o texto aceitável, reproduzível e viralizável é: PT (ou Lula), colocou pretos em faculdades, e não (só) para fazer faxina”

Pois bem, esses mesmos amigos, muitos linguistas, políticos que admiro e jornalistas preferiram esse formato de texto tão racista quanto o original. Porque creem que devolve o mérito de COLOCAR PRETO na universidade, para estudar ou para fazer faxina (o que aparece como um lugar natural para o negro, tanto que não causa desconforto tal como “DÉCADA”).

E depois de a palavra “DÉCADA” ser amplamente criticada a Folha corrige o título, passando a informar que “Negros estão na faculdade, e não (só) para fazer faxina”.

Poderia eu falar sobre voz ativa e passiva. Poderia fazer uma análise morfossintática ou só morfológica mesmo, dessa “pérola” jornalística racista. Mas não pretendo. Pretendo que a desequilibração, tão importante no processo de aprendizagem, se dê partindo do que não te incomoda. Talvez assim você perceba o cerne do que torna o racismo tão estrutural.

Primeiro esclareço que as medidas afirmativas, tão bem elencadas pelo Dep. Paulo Pimenta hoje em sua página, não são “medidas empurrativas”, não basta que existam para mudar uma estrutura. Cá estamos para provar.

As medidas afirmativas implementadas pelos governos petistas não facilitaram a entrada de negros em espaços até então exclusivamente ocupados por brancos. Elas diminuíram as dificuldades de acesso.

E para um bom leitor isso é de total importância.

Outra questão relevante é que o PT não COLOCOU negro na universidade, NEM para estudar, NEM para fazer faxina.

Negros não são incapazes. Somos inteligentes, competentes, articulados e atuantes. Talvez você tenha visto romances e novelas demais, essas em que o branco salvador é o responsável por toda conquista negra; toda conquista antiescravista ou antirracista. Mais uma vez você crê na nossa incapacidade frente à gigantesca benevolência intrínseca à branquitude.

Companheiro, você é apenas racista. Mas não sofra. Apenas cure!

Você de ontem pra cá assumiu o blackface do meme que diz que basta se tornar um tição para entrar na faculdade sem esforço. Você assumiu que meu lugar é o da faxina.

Mas preciso dizer que você, afoito defensor partidário, acha bacana dizer que fomos colocados para fazer faxina, porquanto o “só” entre parênteses assume sentido de “também”. E não, creia, o PT não colocou preto em universidade para fazer faxina. Esse lugar nos foi dado quando o sistema estruturou um projeto de marginalização da esmagadora maioria da população, ao instituir uma abolição da escravatura sem amparo social. Criando as barreiras que mais de um século depois o PT ajudou a mitigar.

O lugar da faxina nos foi imposto quando nenhum negro foi indenizado por sequestro e tortura; quando nenhum recebeu cota de terra; quando leis foram escritas para evitar que negros fossem empregados remuneradamente; quando foram proibidos de frequentar a escola; quando nos foram negados direitos à propriedade de terras e comércio; quando nos colocaram na rua com a mendicância, o roubo e a prostituição como únicas saídas à subsistência.

Acho apavorante que você, amigo de esquerda, não perceba, que o PT, nem a DÉCADA, nem o LULA ou a DILMA deveriam estar naquele título. Sobretudo porque aquela manchete em um país minimamente alfabetizado sequer deveria existir. E que qualquer correção é pífia e ainda mais ofensiva.

Você não entende? Esse problema o PT infelizmente não resolveu.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora