Prisão do Lula é o aprisionamento de um projeto de Nação, por Henrique Fontana

É este país que está aprisionado a partir da violenta reação das elites econômicas. Ao perverso boicote do golpe de Dilma, a narrativa prossegue contra Lula

Foto: Ricardo Stuckert
Prisão do Lula é injusta e representa o aprisionamento de um projeto de Nação
Por Henrique Fontana, deputado federal (PT-RS)

A prisão do presidente Lula, além de uma profunda injustiça contra um cidadão condenado sem provas, representa o aprisionamento de um projeto generoso de Nação, no qual o povo finalmente assumia o protagonismo das ações governamentais. Com Lula, o Brasil deixou o mapa da fome e os brasileiros conquistaram direitos em todas as áreas e afirmaram sua dignidade enquanto povo. Como Lula dizia, “o povo não é problema. É solução”. Lula apostou no povo e o Brasil cresceu como nunca, gerou empregos, criou oportunidades, priorizou a Saúde, qualificou o ensino, abriu as portas das universidades para os filhos dos trabalhadores. Mais do que isso. O Brasil postou-se com altivez diante do mundo, adquiriu respeitabilidade internacional pelas políticas internas de redução das desigualdades e por uma postura profundamente democrática diante dos grandes temas mundiais.

É este país que está aprisionado a partir da violenta reação das elites econômicas. Elas nunca aceitaram que a renda fosse distribuída, que as pessoas do povo tivessem acesso a bens e serviços que antes eram exclusividade sua. Ao perverso boicote ao segundo governo da presidenta Dilma, seguiu-se um infame processo de impeachment comandado por um gangster chamado Eduardo Cunha.

A narrativa prossegue com o processo aberto contra Lula. “Não temos provas, mas convicções”, disse o promotor Deltan – e hoje sabemos o tipo de convicções moveram a sua acusação. Ao final de um processo no qual direitos básicos de defesa foram escandalosamente suprimidos, veio a condenação por “fato indeterminado”, segundo admitiu Sergio Moro na sua lamentável sentença – e hoje cada vez mais brasileiros percebem as verdadeiras motivações que pautaram a decisão do hoje ministro da Justiça.

Não é por outra razão que desde a prisão de Lula o Brasil voltou ao mapa da fome, os direitos dos mais pobres estão sendo diariamente solapados, a educação e a saúde mergulharam numa crise sem fim, e a respeitabilidade do país se deteriora pela conduta e as declarações anacrônicas do presidente, e sua postura vergonhosa de submissão aos interesses norte-americanos.

Leia também:  Dodge chama procuradores de Curitiba para discutir vazamentos da Lava Jato

Lula está preso. Na prisão, suportou as maiores dores que um ser humano pode sofrer, a injustiça e a perda de entes queridos, mas se mantém firme e forte, porque suas ideias estão soltas pelo país, animando milhares de pessoas a resistir, a lutar e a acreditar. Lula mostrou que o sonho de um Brasil justo é possível, foi vivenciado durante um bom período pelos brasileiros, e seguramente será reconstruído pela força do nosso povo.

Lula Livre!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome