Ornitologia para crianças: Tucanos e araçaris, por Marinês Eiterer

Antes de tudo, cabe dizer que o formato e o tamanho do bico têm muito a ver com os hábitos de vida de uma ave. Também devemos ter em mente o fato de que outras características do corpo combinam com o tipo de bico que cada ave possui.

Enviado por Felipe A. P. L. Costa

Ornitologia para crianças: Tucanos e araçaris.

Por Marinês Eiterer [*].

Ele passa voando. Mas dá para ver que tem um bico enorme. Pousa no galho de uma árvore. Além de ostentar um bico chamativo, trata-se de uma ave bem colorida. É um tucano.

Tucanos e araçaris são aves bem parecidas, mas que diferem no tamanho do corpo. Os tucanos são maiores, enquanto os araçaris parecem tucanos em miniatura. Não são aves canoras, como os bem-te-vis e os sabiás. Ambos são mais conhecidos pelo bico que ostentam. O qual, em algumas espécies, chega a ser tão ou mais comprido que o resto do corpo.

Um bico muito grande atrapalha?

Ter um bico muito grande não seria um problema? Afinal, como eles conseguem voar sem perder o equilíbrio?

Antes de tudo, cabe dizer que o formato e o tamanho do bico têm muito a ver com os hábitos de vida de uma ave. Também devemos ter em mente o fato de que outras características do corpo combinam com o tipo de bico que cada ave possui. Vejamos.

Para começar, durante o voo, tucanos e araçaris mantêm o bico bem esticado, voltado para frente. Além disso, trata-se de uma estrutura leve, pois é porosa e os poros estão cheios de ar. Por fim, cabe notar a presença de uma cauda comprida, que serve de contrapeso e assim ajuda a manter o equilíbrio.

Coloridos por fora e por dentro.

Além de diferenças no colorido das penas que recobrem o corpo, as diversas espécies de tucanos e araçaris ostentam bicos de aspecto mais ou menos exclusivo. O que nos ajuda a reconhecer muitas espécies, mesmo de longe. Temos então o araçari-do-bico-branco, tucano-de-bico-preto, tucano-de-bico-verde e araçari-de-bico-marrom, para citar apenas alguns exemplos.

O que nem todo mundo sabe é que o bico também é colorido por dentro. As cores internas, porém, são outras. O bico do tucano-de-bico-preto, por exemplo, é preto por fora e vermelho-sangue por dentro. Quando a ave escancara o bico, o contraste de cores parece assustar outros animais, afugentando, inclusive, certos inimigos naturais.

Embora seja uma estrutura leve, o bico é duro e cortante. A borda muitas vezes é serrilhada.

Hábitos alimentares.

Tucanos e araçaris gostam de se alimentar de frutos grandes, como figos e goiabas. Gostam também de coquinhos de palmeiras, como o açaí. Quando os frutos são pequenos, eles sacodem e quebram os galhos, na tentativa de derrubá-los e assim poder se alimentar mais facilmente no chão.

Em razão dos seus hábitos alimentares, essas aves são importantes dispersores de sementes. Mas se engana quem pensa que elas são estritamente frugívoras.

Pois tucanos e araçaris também se alimentam de outros animais, incluindo insetos (cigarras, grilos, cupins etc.), aranhas e filhotes de várias outras espécies de aves. Na busca por alimento, eles vão atrás de tudo o que se parece com um ninho. Seus alvos preferidos são os ninhos de bem-te-vis, caneleiros e pintassilgos. Pardais e pombos que estejam no chão também podem ser atacados, assim como morcegos empoleirados. O tucanuçu, por exemplo, o maior dos tucanos, é um voraz devorador de filhotes de aves. Bebem água com frequência e, para tanto, costumam visitar os tanques formados pelas folhas das bromélias que crescem sobre a copa das árvores.

O bico é uma estrutura muito sensível. Por isso, quando vão dormir, tucanos e araçaris têm o costume de escondê-lo debaixo da cauda, cujas penas ficam eriçadas. O ninho em geral é um buraco escavado em um barranco, em um cupinzeiro ou no tronco de uma árvore. Os filhotes nascem cegos (os olhos permanecem fechados nos primeiros dias), com o bico mole e ainda sem o colorido vistoso dos adultos.

Inimigos naturais.

Entre os animais que se alimentam de tucanos e araçaris podemos citar gaviões, corujas e alguns macacos – além, claro de outros tucanos. Em um passado não muito distante, essas aves eram muito visadas pelos caçadores. Tanto por causa da carne como para fins de ornamentação, por conta das penas coloridas e do bico chamativo.

*

NOTA.

[*] Marinês Eiterer ([email protected]) é professora de Ciências e Biologia. O presente artigo integra o livro A vez das aves: Uma ornitologia para crianças (em processo de finalização). A aquarela de um araçari-de-bico-branco (Pteroglossus aracari) que ilustra este artigo foi feita pela autora. Ela se inspirou em fotografia encontrada na Wikipedia (aqui).

* * *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora