A explosão do comércio com China, por Luís Nassif

China responde por 75% das exportações brasileiras de soja, 55% de petróleo brutro, 79% de minério de ferro

Uma análise dos 21 principais parceiros comerciais brasileiros mostra a caminhada irresistível do comércio em direção à China. Daí se depreende a enorme importância das cinco vias de acesso ao Pacífico anunciadas pela Ministra do Planejamento Simone Tebet, a partir de um consórcio de bancos públicos – Banco dos BRICS, CAF e Banco Mundial.

Nos dados de 12 meses, acumulados até novembro, a China lidera as exportações brasileiras, com US$ 94,4 bilhões, seguido de longe pelos Estados Unidos, com US$ 36,6 bi.

É interessante observar que a pauta para os Estados Unidos e Argentina é mais diversificada. A China adquire 35 produtos da pauta de exportações brasileiras, sendo líder em 13. Já os Estados Unidos adquirem 136 produtos, liderando em 67 deles. Finalmente, a Argentina adquire 113 produtos brasileiro, liderando na compra de 36.

Em relação às importações brasileiras, a China também lidera em volumne, com US$ 55,7 bilhões, de 126 produtos e liderando as vendas em 79. Segue-se os Estados Unidos vendendo US$ 45,6 bilhões para o Brasil e liderando as vendas de 28 produtos.

O peso da China na pauta de exportações é enorme. Ela responde por 75% das exportações brasileiras de soja, 55% de petróleo brutro, 79% de minério de ferro, entre outros.

O mesmo ocorre com muitos produtos da pauta de importações. A China responde por 71,4% do componentes eletrônicos e placas adquiridos pelo Brasil; 54,8% de computadores e equipamentos periféricos; inacreditáveis 91.5% de eletrodomésticos, entre outros.

Leia também:

Luis Nassif

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador