Os idiotas da objetividade e a guerra da Ucrânia, por Luis Nassif

O Deutsche Bank alertou que a grande recessão está chegando. No início do mês, havia previsto uma suave recessão; agora, uma grande recessão.

Na 3a feira passada, o índice Dow Jones recuou mais de 800 pontos. A Nasdaq, onde são negociadas empresas de tecnologia, caiu 4%. Há uma queda generalizada. Abril pode fechar com Nasdaq caindo mais de 10%.

A razão secundária é o aumento das taxas de juros do FED. A razão dominante é o aumento da inflação. O fator novo é a guerra da Ucrânia, pressionando preços de energia e de alimentos. E, agora, os bloqueio da China, em função da nova rodada de Covid.

Voz mais respeitada pelo mercado, Martin Wolf, editor do Financial Times, percebeu um mundo paralisado pela guerra, cujo exemplo mais notório foi na reunião do FMI, quando Ministros das Finanças e presidentes de Bancos Centrais dos Estados Unidos, União Europeia, Reino Unido e Canadá se levantaram e saíram quando o Ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov, começou a falar.

A guerra é uma tragédia global. E os idiotas da objetividade dominam a mídia mundial e a nacional, e governantes dos países ocidentais, ao defender a guerra de extermínio contra a Rússia e enaltecer o “heroico comediante”, Volodymyr Zelensky. Não há nenhuma diferença entre Putin, Biden, Zelensky e os idiotas que, por aqui, criticam o Itamaraty por condenar a Rússia, mas defender uma saída negociada para a crise.

Não há nenhuma dúvida de que, no final da linha, a Ucrânia terá que aceitar o acordo de paz com a Rússia, cujas condições já estão dadas: manutenção da autonomia do país em troca do compromisso de não entrar na OTAN e no desmembramento das duas regiões separatistas, Donetsk e Luhansk;

Por que, então, esse prolongamento da guerra? Simplesmente porque é de interesse da OTAN/Estados Unidos, que a Rússia saía da guerra com o maior índice de perdas possível. É por isso que, em vez de pressionar pela paz, alimentam a guerra enviando armamentos para a Ucrânia, com o único propósito de prolongar a guerra e as mortes de ucranianos. Todos são cúmplices iguais no martírio do povo ucraniano, a começar do presidente que deveria poupar seu povo de mais mortes.

E não venham os idiotas da objetividade falar em heroismo. Seria heróico se fosse para a linha de frente dos combates, não atrás de selfies e lives.

No começo da história, lembrei aqui a lógica dos movimentos de opinião pública.

Sob o impacto das cenas iniciais da guerra, todos clamam por vingança, sem pensar nas consequências no dia seguinte. A bandeira é imediatamente empunhada por governantes, em crise generalizada com suas respectivas bases políticas – em função do desgaste das democracias ocidentais. E, com isso, acirra-se a guerra e as mortes.

No momento seguinte – que já chegou – a guerra deixa de despertar a mesma comoção dos primeiros momentos. E chega a conta pesada, na forma de mais inflação, mais endividamento, menos crescimento econômico.

Ontem, o Deutsche Bank alertou que uma grande recessão está chegando. No início do mês, ele havia sido o primeiro banco a prever uma recessão, embora suave. Agora, prevê uma grande recessão. A razão é a aceleração da inflação e a constatação de que levará bom tempo até que a inflação recue para a casa dos 2% ao ano. Até lá, o FED acelerá a alta dos juros.

“Consideramos altamente provável que o Fed tenha que pisar no freio com ainda mais firmeza, e uma recessão profunda será necessária para controlar a inflação”, escreveram economistas do Deutsche Bank em seu relatório com o título ameaçador, “Por que a próxima recessão será pior do que o esperado”, segundo a CNN internacional.

Em março, os preços ao consumidor subiram 8,5%, o ritmo mais alto em 40 anos. A Moody´s Analytics prevê uma taxa de desemprego no nível mais baixo desde o início dos anos 50 – o que é interpretado como mais inflação.

19 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Roberto Linares

- 2022-05-01 16:35:58

O teu vizinho entra na tua casa, mata teu filho, mantém os demais membros da casa encurralados no banheiro e cozinha, e diz que enquanto não tomar posse do quintal, não cede, pois sabe que teu cachorro gosta mais dele do que de você. As condições estão dadas, e você aceita a paz, afinal para que matar mais gente da família! A questão é: Quando ele conquistar o quintal, vai notar que foi fácil a conquista e vai querer tomar posse de tua casa, mulher e filhos. Você negociaria? Ps.: Demais vizinhos estão revoltados, enviam armas para você, mas não invadem tua casa, pois o agressor avisa que dará a tua sogra em caso de vitória.

Humberto Luiz Lima de Oliveira

- 2022-04-30 09:37:09

E com recessão forte, aumentam-se os riscos de criação de guerras para ocupar os desempregados e comover a opinião pública

Rui

- 2022-04-29 10:45:46

"Então, segundo este comentário, se a Espanha invadisse Portugal porque queriam o Algarve e o Alentejo a gente dava e estava o caso encerrado,....não havia guerra". Mas se os Portugueses submetessem os falantes da língua espanhola e membros do povo espanhol no Alentejo e no Algarve a condições de vida insuportáveis? Pois bem "os falantes da língua russa e membros do povo russo” em Donbass vivem em “condições de vida insuportáveis”. Deixa os nazistas da Ucrânia massacrar russos só pelo fato de serem russos

Rui

- 2022-04-29 10:38:47

Às 15:20:41 horas do dia 28 de abril do corrente ano, o Paulo disse: "Então, segundo este comentário, se a Espanha invadisse Portugal porque queriam o Algarve e o Alentejo a gente dava e estava o caso encerrado,....não havia guerra". Mas se os Portugueses submetessem os falantes da língua espanhola e membros do povo espanhol no Alentejo e no Algarve a condições de vida insuportáveis? Pois bem "os falantes da língua russa e membros do povo russo” em Donbass vivem em “condições de vida insuportáveis”.

Denis Barros

- 2022-04-29 10:26:33

Isso Nassif! Deixa a Rússia recompor seu império sem ser importunada. Assim, serão ucranianos, poloneses, búlgaros, húngaros etc mais felizes sob o regime ditatorial de Putin e seus vassalos?

Rui

- 2022-04-29 10:21:30

“We want to see Russia weakened to the degree that it can’t do the kinds of things that it has done in invading Ukraine.” - Lloyd Austin, USA Defense Secretary Deixa a o Zé Lensky ficar de 4 para a Otan instalar seus misseis na Ucrânia e, assim, encurralar os Russos

Paulo

- 2022-04-28 15:20:41

Entao segundo este comentario se a Espanha invadi-se Portugal porque queriam o Algarve e o Alentejo a gente dava e estava o caso encerrado,....nao havia guerra.

Marcos Basto

- 2022-04-28 14:47:17

Concordo com você Nassif. Não há dúvidas de que a Ucrânia vai perder essa guerra e ter que aceitar as condições da Rússia. Então porque prolongar a perda de milhares de vidas e a destruição do país ?

Marcelo Nova versus rock paulista

- 2022-04-28 10:59:59

Os alemães são engraçados. Ninguém sabe pensar melhor que eles. Talvez só os gregos antigos os superem. Vide o futebol dos filósofos do Monty Python. Mas ou Lênin ou foi o próprio Bismarck dizia que o ideal é pensar como um alemão e agir como um francês. Nunca o contrário. Ordem errada não se cumpre... https://youtu.be/2OrcQIweUoQ

Romário

- 2022-04-28 10:58:43

Os alemães são engraçados. Ninguém sabe pensar melhor que eles. Talvez só os gregos antigos os superem. Vide o futebol dos filósofos do Monty Python. Mas ou Lênin ou foi o próprio Bismarck dizia que o ideal é pensar como um alemão e agir como um francês. Nunca o contrário. Ordem errada não se cumpre... https://youtu.be/2OrcQIweUoQ

Salvador Albino Chamussano Sitoe

- 2022-04-28 07:36:55

É absurdo as pessoas que estão no poder não respeitam os direitos humanos, são mais ganancioso mais que o desejo deles. Porque o estado unidos da América torce pela guerra e não a paz? Porque o vulgo G8 só serve para desgraçar outros povos? O EUA é maior currupto do mundo.

Valter Gomes da Silva

- 2022-04-27 21:47:46

As mentiras do Olidente e dos USA, cegam e distorcem as verdadeiras razões da operação especial militar da Rússia na Ucrânia, os ocidentais não querem ouvir a Rússia e as suas preocupações e a China alertou mas o Ocidente não acreditou e renegou o alerta então pergunto: o que diz o mundo pro Estados Unidos sobre todos os outros conflitos que mataram e matam milhões de inocentes em guerras realizadas e patrocinadas pelos USA no resto do planeta ?

wilton cardoso

- 2022-04-27 19:19:09

Agora que a Rússia está sofrendo muitas perdas e a guerra se alonga, ela certamente não devolverá mais as regiões ocupadas no sul e, se tiver força, vai avançar até Odessa, tomar todo o sul e retalhar a Ucrânia em 2. A Rússia não se contentará mais em tomar o Dombass apenas, e acho que nem lhe interessa mais a neutralidade da Ucrânia. Agora ela vai querer tomar o máximo possível de áreas de língua russa (leste e sul) e fundar um novo pais aliado que servirá de colchão entre ela e a Otan.

Felipe

- 2022-04-27 17:55:23

A realidade passa tão longe dos argumentos colocados que fica óbvio o desconhecimento do povo europeu, dos países europeus. Falta conhecimento sobre a história da Ucrânia. Falta conhecimento da ocupação Russa em áreas de outros países, conquistadas nas décadas passadas. Falta conhecimento de amor ao próprio povo (deve sobrar amor por chefe de estado, afinal menciona Zelensky como tema relevante e não menciona defesa do povo). Falta conhecimento do que é um amor extremo que transcende a si, transcende a família, transcende ao povo e se importa de fato com o próximo, mesmo que esteja longe e não tenha nem rosto. Talvez faltou conviver com o diferente. Sugiro buscar conhecer, entrevistar Ucranianos e perguntar pq diabos eles insistiram tanto nos últimos 20 anos para ter e manter a constituição atual. Perguntar para eles o que desejam caso USA e zelensky fujam da guerra. Busque conhecer como pensam os vizinhos da Russia, como viam a situação toda 20 anos, 10 anos atrás.

Márcio Hoglhammer Moreira

- 2022-04-27 17:19:35

Acho engraçado, a Ucrânia tem que praticamente se render. Se rende, Ucrânia que tudo volta às boas... Voltamos a gás barato, ao milho e trigo idem. Será que na Inglaterra pós derrocada da França na 2GM, havia também essa mentalidade?

José Carvalho

- 2022-04-27 13:34:53

"Causar o maior dano possível para a economia russa". Após o início do conflito, com a esquiva de todos os líderes europeus diante da gravidade dos desdobramentos a partir disso, todos agora esperam afastar das disputas geo-políticas e econômicas um país que vinha avançando em várias frentes. Não se sabe até que ponto a Rússia evoluiu, sobretudo em relação às novas tecnologias que vão impulsionar o planeta à partir de alguns anos. Para a Ucrânia, a falta de sensatez ao insistir com seu ingresso na OTAN, deveria ter sido ocupada em tirar o melhor proveito de não se associar à aliança militar. Com situação econômica desfavorável e um quadro interno delicado, seria mais vantajoso conquistar alguma condição para o seu desenvolvimento, se inserindo comercialmente melhor no mundo. O que foi que ela ganhou com tudo isso. Até recuperar-se de todas as perdas. Essa ajuda que está recebendo, de armamentos e algum recurso monetário, é mais corda pra se enforcar. Nessas disputas geo-políticas por mais hegemonia política, econômica, comercial e militar, os escrúpulos são muitas vezes deixados de lado e o que importa são os fins. Mesmo quem não participou dessas decisões, acaba sendo afetado pelos reflexos generalizados que são espalhados entre todos. Nenhuma diplomacia além da dos países diretamente envolvidos poderia ter eficácia de resultado, para evitar toda a ocorrência.

Elson de Mendonça Ribeiro

- 2022-04-27 11:54:49

E IRÁ LONGE, MUITO LONGE: Até agora, o exército russo usou para sua operação militar especial na Ucrânia: _ 12% de seus soldados (total inclui recrutas treinados) _ 10% de seus caças _ 7% de seus tanques _ 5% de seus mísseis _ 4% de sua artilharia E continua avançando diariamente. Podemos discutir sobre a decisão de optar por esse tipo de intervenção limitada em termos de perdas, mas ainda é um sucesso, não importa se o ritmo é mais lento do que alguns esperavam. (Pepe Escobar)

Marcelo.j ou jotapontomarceloooo

- 2022-04-27 09:45:00

Parei de ler no parágrafo q diz "fulano de tal"percebeu um mundo paralisado pela guerra ".Isso é balela,é o q querem q nós acreditemos, estão estruturando a fome no mundo,no Brasil Guedes tb tá um sucesso isso aí eu não ia dizer mas vou ter q fazer isso,a próxima "Pandemia"será o dos alimentos implantado com o modus operandi Nazicificado da imprensa mundial da demonização e terror,isso será impulsionado pela "ILIBADA "OMS tão ilibada tanto quanto o nosso STF !

José de Almeida Bispo

- 2022-04-27 08:07:53

"Sob o impacto das cenas iniciais da guerra, todos clamam por vingança, sem pensar nas consequências no dia seguinte.". LEMBREI -e sempre lembro em casos similares - uma magistral, ao menos para mim, cena do clássico E O VENTO LEVOU, quando diante da conjuntura política em frangalhos da nascente potência norte-americana, e a resistência do sul em manter a escravidão, sua confederação resolve declarar guerra ao norte, e a notícia chega num baile da alta aristocracia georgiana que prontamente passa a festejar a guerra. Que perderia, assim como o controle político para o norte quatro anos depois a um alto custo. Não mais era interessante à banca inglesa manter o horror da escravidão, embora sua fonte prima de acumulação.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador