China reage às declarações de Bolsonaro, que insinuou criação do vírus pelo país

"Nós nos opomos firmemente a qualquer tentativa de politizar e estigmatizar o vírus", afirmou o porta-voz das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, em entrevista coletiva

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, durante entrevista coletiva - Foto: Reprodução/Facebook

Jornal GGN – O governo da China reagiu, nesta quinta-feira (06), às ofensas feitas pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, insinuando que o país criou o vírus em laboratório. A diplomacia chinesa afirmou ser contra à “politização e estigmatização do vírus”.

“O vírus é o inimigo comum da humanidade. A tarefa urgente de agora é todos os países se juntarem em uma cooperação antiepidemia e em um esforço para uma vitória antecipada e completa sobre a pandemia. Nós nos opomos firmemente a qualquer tentativa de politizar e estigmatizar o vírus.”

As declarações foram feitas pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, em entrevista coletiva, um dia após o presidente do Brasil proferir as ofensas.

Ontem, o presidente Jair Bolsonaro disse que o novo coronavírus pode ter nascido “em laboratório”, referindo-se à que supostamente a China teria criado o vírus.

“Os militares sabem o que é guerra química, bacteriológica e radiológica. Será que não estamos enfrentando uma nova guerra? Qual o país que mais cresceu o seu PIB? Não vou dizer para vocês”, disse o presidente da República brasileiro.

Ainda nesta quinta, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que o Brasil está provocando um mal-estar com o país, “por sucessivas declarações desastrosas do ministro da economia, Paulo Guedes, e agora do presidente da república, Jair Bolsonaro”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora