O pulmão do mundo está sem oxigênio: vídeos mostram gravidade da crise em Manaus

Funcionários da Saúde e familiares de pacientes que dependem de cilindros de oxigenação clamam por socorro

Jornal GGN – A situação é dramática, uma tragédia humanitária. Vídeos que circulam nesta quinta (14) nas redes sociais mostram a crise enfrentada pela população de Manaus, onde falta oxigênio para os pacientes em hospitais públicos em meio à pandemia do novo coronavírus. Esta é a realidade negada pelo governo federal. Dois dias atrás, o general Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, deu declarações afirmando que tudo seria resolvido.

No Twitter, o ex-prefeito Arthur Virgílio escreveu: “Somente hoje foram 28 mortos por falta de oxigênio no Pronto Socorro 28 de Agosto. Wilson Lima você é o pior governador que o Amazonas já teve e o que acontece em Manaus é assassinato aos moldes de Hitler, por asfixia. Isso é doloroso e cruel”.

O divulgador científico Átila Iamarino afirmou na rede social que se trata de um “desastre humanitário” que começa em Manaus, mas pode avançar para outros estados com a pandemia fora de controle.

“Sem oxigênio, a mortalidade da COVID não são “só” os infectados. É toda a ala hospitalar. Pelos próximos dias. É do bebê prematuro ao paciente em coma por um acidente de carro.”

Nos vídeos, pessoas relatam o drama em hospitais para oxigenar os pacientes com poucos recursos que sobraram, e o esforço para conseguir cilindros de oxigênio por conta das próprias famílias, já que o fornecimento oficial para a rede de saúde não tem dado conta da demanda.

O GGN reuniu alguns dos relatos que circulam nas redes. Confira:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora