OMS corrige: “Transmissão por casos assintomáticos está ocorrendo”

Segundo a chefe do programa de emergências da OMS, as pesquisas estão ainda em andamento, mas existem comprovações de que o contágio por assintomáticos ocorre

World Health Organization (WHO) Technical Lead Maria Van Kerkhove - Foto Fabrice COFFRINI/AFP

Jornal GGN – A chefe do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Maria van Kerkhove, teve que vir à público se manifestar, explicando as informações divulgadas sobre a possibilidade de contágio do Covid-19 por assintomáticos. Segundo ela, a palavra “rara” divulgada no relatório foi interpretada de maneira equivocada e que os portadores de coronavírus que não possuem sintomas têm, sim, a capacidade de contagiar.

“Estamos absolutamente convencidos de que a transmissão por casos assintomáticos está ocorrendo, a questão é saber quanto”, afirmou o diretor de emergências da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, na manhã desta terça-feira (09).

Segundo a representante, as pesquisas estão ainda em andamento, mas existem comprovações de que o contágio por assintomáticos ocorre. “Alguns modelos estimam que pode ocorrer uma transmissão de 40% devido aos casos assintomáticos, mas não incluem análises anteriores”, informou a chefe da OMS.

A declaração dada pela representante nesta segunda-feira (08), de que a transmissão da Covid-19 por pacientes sem sintomas parece ser “rara”, foi esclarecida nesta terça. Maria van Kerkhove explicou que quando uma segunda análise de casos assintomáticos é realizada, descobre-se que os pacientes tiveram sintomas, porém leves, da infecção, o que posteriormente eleva a possibilidade de contágio.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Aumento de contágios em SP antes do esperado deve ter volta da quarentena

1 comentário

  1. Como a sede da OMS é em Genebra, provavelmente a doutora falou em francês: rare. Não tem outro significado que o de raro/rara em português. Acontece que, como se diz na gíria, aqui, ela “pisou na bola”, externou uma opinião ainda não confirmada por pesquisas. E teve que vir se desmentir para tentar amenizar o problema que criou.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome