Por que a Índia suspendeu a exportação de vacinas contra Covid-19?

Cadeia global de suprimentos farmacêuticos indica incapacidade de atender a demanda para produção de vacinas, por causa de decisão dos Estados Unidos

© Folhapress / Tiago Caldas /Fotoarena

A Índia, um dos maiores produtores mundiais de vacinas contra o novo coronavírus, suspendeu temporariamente todas as exportações da vacina de Oxford/Atrazeneca, citando a necessidade de “priorizar as necessidades domésticas”. A informação foi divulgada em agências internacionais de jornalismo nesta semana.

Segundo reportagem da BBC internacional desta quinta (25), o Instituto Serum da Índia comunicou ao governo local que enfrenta dificuldades para importar suprimentos.

Um dos motivos seria a demanda mundial por vacina, que pressiona as cadeias de produção de suprimentos como tubos de ensaio, meios de cultura de células, filtros e outros itens necessário à fabricação dos imunizantes.

Mas o principal motivo apontado pelo presidente do Instituto Serum , Adar Poonawalla, foi uma decisão tomada pelos Estados Unidos sob Joe Biden. O País acionou o Defense Production Act, protocolo que permite ao governo mobilizar a economia doméstica em respostas emergenciais.

Os EUA – um dos principais atores na cadeia de suprimentos farmacêuticos – restringiram a exportação para priorizar o acesso de fabricantes norte-americanos de vacinas.

Segundo a BBC, “restrições de exportação de fornecedores importantes podem afetar a produção global” e “a substituição por itens provenientes de outro lugar pode levar até 12 meses.”

VACINAS CONTRATADAS

O Instituto Serum concordou em fornecer 200 milhões de doses de vacinas ao consórcio Covax Facility, sendo 100 milhões de doses da vacina de Oxford e outras 100 milhões da Novavax.”Até o momento, 17,7 milhões de doses foram despachadas para a Covas de acordo com os dados do Ministério de Relações Exteriores da Índia”, anotou a BBC.

O Brasil recebeu, até agora, 4 milhões de doses da vacina de Oxford produzida na Índia, mediante pagamento. A negociação foi intermediada pela Fiocruz.

A Índia pretende aplicar 80 milhões de doses da vacina contra Covid-19 por mês.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora