O receio de enfatizar a participação dos EUA no golpe, por Luis Felipe Miguel

por Luis Felipe Miguel

via Facebook

Até entre as posições mais progressistas, muita gente tem receio de enfatizar a participação dos Estados Unidos no golpe que derrubou a presidente legítima do Brasil. Isto apesar das múltiplas evidências que ligam todos – Michel Temer, José Serra, Sérgio Moro, MBL etc. – a grupos estadunidenses. E apesar do que tem ocorrido nos últimos anos nos outros países da América Latina.

Falar da interferência dos Estados Unidos parece coisa de teoria conspiratória. Acho que há uma ideia difusa que a participação estadunidense na política latino-americana se devia apenas à Guerra Fria – e não ao imperialismo. E há, também, o fato de que os construtores das narrativas dominantes, na mídia corporativa, fazem questão de ignorar esta faceta do golpe (assim como muitas outras).

Quando Edgar Morel publicou, em 1965, seu livro hoje clássico, O golpe começou em Washington, também se colocava contra a interpretação hegemônica. Hoje, a participação estadunidense na derrubada de João Goulart, assim como na eclosão das outras ditaduras da região, é incontestável.

Os Estados Unidos, hoje como ontem, zelam pelos interesses de seus capitalistas usando as armas de que puderem dispor. E mesmo que Temer não fosse informante da embaixada, que Moro não mostrasse tanto medo de que se desvendem as conexões estrangeiras da Lava Jato, que os movimentos “espontâneos” da direita brasileira não fossem filhotes da Atlas Foundation – mesmo assim, já daria para desconfiar de um golpe que incluiu, entre suas primeiras medidas, colocar José Serra no Itamaraty, liquidar qualquer risco de política externa independente e entregar o petróleo.

29 comentários

  1. Mas os Golpistas não contavam com a vitória do Trump

    Os Golpistas sifu e quebraram a cara. Eles não esperavam a derrota da falcão-galinha Hillary mas quem venceu foi o outro babacão que ignora os bárbaros, principalmente os da América Latina, exceto quando quer fudê-los.

    Sem o mentor intelctual do golpe gerenciando o galinheiro verde, as galinhas estão perdidas. Vejam as Galinhas Globais todo dia se lamentando nos Telejornais a derrota da Falcoa-Galinha Hillary. E a tendência é piorar. Espera só o Trump fechar as entradas dos EUA e elevar a taxa de juros. As Galinhas vão todas fenecer de gripe aviária. E eu vou alimentar com a carcaça dessas galinhas nojentas o Lobo de Wall Street

    • Rui, realmente Trump quebrou todo o esquema.

      Até que no governo Trump se reorganize os grupos de pressão, vai rolar muita coisa.

      Quanto aos juros altos e mais outras confusões que se preparam na Europa, vai deixar estes analistas de merda que nem birutas de aeroporto, só sabendo para que lado esta a rajada.

      Por isto acho que o golpe que o PSDB prepara será mais sem “substância” do que a gangue do Temer.

  2. Só não sabemos ainda, o que

    Só não sabemos ainda, o que que é o pior: se é a máfia que está hoje em todos os poderes e em todas as instituições vigas mestras de uma nação ou, se é um governo legítimo de fato que por motivos desconhecidos passa a mão nas cabeças das multinacionais golpistas e ainda ajuda-os…. mesmo assim, fóra fhc clinton & Co. e toda a sua máfia nacional e dos eua/aliados! Ainda queremos os nossos votos de volta com Dilma Roussef de volta à sua legítima presidência soberana!

  3. Acredito que a CIA  deva ter

    Acredito que a CIA  deva ter um andar dedicado exclusivamente a aplicar golpes pelo mundo:

    Devem vender pacotes que vão desde o uso de internet até desembarque de forças…

    E compra quem quer…

    E se tem comprador, vai se achar um vendedor em qualquer lugar do mundo!

    O problema são os compradores!

    Tem uma coisa que para mim é sagrado!

    Não tirar dos nativos a culpa por isso!

    O foco são os traidores brasileiros…

    Não gosto da idéia de numa ação de 100% do golpe, que por exemplo se atribua 30% aos mentores do estrangeiro!

    É tirar, é desfocar da culpa, os brasileiros que ativamente conspiraram contra seu próprio país e contra seu povo e suas riquezas!

    Se houvesse cadeira elétrica no brasil por traição a pátria, iriam argumentar que foram enganados, que foram iludidos!

    Você sabe mais dos conspiradores de 64 americanos, do que as fotos e nomes dos traidores brasileiros!

     

    • Círculos sociais que viram contatos profissionais

      Esses golpes são arquitetados em reniões sociais informais – não há uma institucionalidade, como uma andar corporativo, para tratar desses assuntos. Muito pelo contrário, esses assuntos, assim como a lavagem do dinheiro do tráfico de drogas, é tratado de modo completamente informal. São as reunições e celebrações supostamente normais, que qualque círculo social possui, que geram contato entre profissionais de diferentes áreas que, por sua vez, vão arquitetar isto (agentes secretos, gente com contato na mídia, gente que repassa dinheiro pra movimentos e ongs, etc.)

      A co-optação de políticos, intelectuais e outros agentes do Estado, como o Serra, FHC e o Moro, não se dá por salario pago a eles. É um processo que começa na distribuição de bolsas durante o início da carreira acadêmica. O próprio formato do mundo acadêmico seleciona, na maioria dos países, o conformismo e deslumbramento diante de status e poder hierárquico.

      Esses jovens promissores são financiados e, geralmente, são expostos a mentores que por sua vez reportam os traços de personalidade desses jovens aos seus superiores. Aqueles que parecem mais viáveis para se deslumbrar com os círculos sociais de riqueza e poder – os salões da plutocracia como o Ciro Gomes fala – são convidados para festas e coquetéis; assim, começa a afunilar a seleção.

      Os jovens que se destacam na carreira são sempre procurados por seus antigos mentores e contatos desses “salões da plutocracia”; linguagens mistificadoras, como a do neoliberalismo, são usadas para que eles possam “discutir” política e economia como gentlemen. Se o co-optado entender a mensagem e fizer um ótimo trabalho, a linguagem usada nas conversas seguintes vai se tornando mais explícita quanto aos reais objetivos dessa plutocracia. Por fim, esses co-optados começam a receber tarefas mais complexas e a mídia, controlada pela plutocracia, passa a cultua-los das mais diversas formas, incluindo, por exemplo, listas de homens mais importantes do ano.

      Esse culto a imagem do co-optado abre mais portas para os salões da plutocracia – isto é um processo de adentrar nesses círculos sociais, ou seja, convites pra festas, premiações, jantares, etc. Nesse momento, o co-optado já pode ser chamado de agente do Eixo City-Wall Street, mas é bom ficar claro que ele não recebe saláio. O que ele possui é a perspectiva de que esses contatos sociais vão se tornar contatos profissionais – a perspectiva de que ele vai lucrar milhões com palestras, vai adentrar a cultura financista da elite (aprender como investir dinheiro e, eventualmente, receber informações privilegiadas) e jamais vai ficar sem emprego caso ele precise no futuro. 

      • Ciro

        Meus parabéns pelas suas palavras. Descreveu tim tim por tim tim, o que sempre imaginei que acontecesse.

        Sempre desconfiei de quem faz faculdade ou pós graduação em  Escolas americanas.

        Abraços e obrigado por clarear minhas idéias.

      • Por isso eu sempre digo

        Por isso eu sempre digo.

        Se nós que somos “bestas”, sabemos os passos principais para se chegar a “mina”, imagina os “espertos” controladores das “minas”?

        Tem gente que confunde teoria da conspiração com controle da realidade. Ora, há conspirações 24 h por dia, o problema é que nenhum ser humano (ou um conjunto deles) é capaz de controlar os desdobramentos da realidade. Por isso, algumas teorias não passam de imaginação, outras de conversas, outras do papel, outras são frustradas, outras efetivadas.

      • Realmente Ciro, há um trabalho sobre o EGO de pessoas……

        Realmente Ciro, há um trabalho sobre o EGO de pessoas que na vida política normal de uma nação não teriam grande destaque.

        Porém há também alguns que são quase que “contratados” para formar grupos de oposição, mas na realidade acho eu que com a informatização da espionagem aquele grupo de analistas mais sofisticados das agências de segurança que eram aliciados em grandes universidades norte-americanas, foi para o espaço.

        O que está ocorrendo nos serviços de espionagem e agências de inteligência é que ações como a do Edward Snowden estão sendo priorizadas em relação as ações de campo, ou seja, a implantação de um agente de campo, o custo e a roubalheira que o mesmo faz com as verbas que são secretas, estão sendo substituídas por centenas de analistas de sistemas que são contratados para este fim.

        Hoje em dia eles tem coisas como o Google Maps que chegam a passar a cada seis meses em ruas secundárias de Porto Alegre, mapeando as residências, cruzando estes dados com as informações que todos colocam no Youtube, Facebook, Twitter e outros apps, com isto eles tem um mapa completo.

        Porém como esta quantidade de informações é imensa eles precisam de filtros para trabalhar com as mesmas, e estes filtros selecionam pessoas, grupos e movimentos que eles tem interesse, entretanto o ponto chave é que não há mais analistas políticos para trabalhar sobre estes dados.

        Eu estou fazendo uma analogia com o que ocorre na engenharia nos dias atuais, muitos softwares, muitos recursos e nem aqui nem nos USA tem pessoas que saibam utilizá-los dentro da sua potencialidade.

  4. Aos traidores a pena de morte.

    Os sócios não querem a traição desmascarada, por isso o receio.

    Ninguém quer ser descoberto como traidor da pátria (pena de morte), e o Moro faz de tudo para esconder sua participação e seu patrão. O Janot como bom sabujo, vai até os States, com despesas pagas pelo Brasil, entregar acusações a Petrobras (ilegalmente) ao judiciário americano…

    Esses todos, Moro, Janot, Dallangnol, a quadrilha de Promotores da Lava Jato, a maioria dos ministros do STF, TRFs, STJ, o pequeno informante Temer, o PSDB em peso, merecem um pelotão de fuzilamento – com transmissão direta pela TV, para servirem de exemplo.

     

     

  5. O Brasil fez sua parte
    Os EUA não sabe quem Temer ou Serra, nem preocupou-se, substancialmente, com Lula e Dilma, a verdade é que bom para o porto seguro dos países ricos é a crise nos países pobres.  Será que precisa tanto esforço para desestabilizar o Brasil?

  6. “Falar da interferência dos

    “Falar da interferência dos Estados Unidos parece coisa de teoria conspiratória”;

     

    a regra é clara: o que não aparece na televisão é teoria da conspiração.

     

    E se você não repete o que está na televisão, você é MaLuCo, dOido DE pEDRA, entendeu?

     

    Mas existe o outro lado do espelho, lá todos nós somos doidos…

  7. Olhar abaixo

    Os EUA, quando você olha no mapa mundi, vê que estão no topo, ao norte.

    Eles olham para baixo e enxergam um aglomerado de terras que constituem a América Latina.

    O que menos importa à eles, é se aqui existe gente.

    Se alguém de lá, principalmente do governo, considerar essa hipótese, isso não é problema deles.

    Desde que “essa gente” não seja o deles, que habita as terras deles, isso é irrelevante.

    Ao longo da história isso ficou sacramentado. Todo esse imenso espaço, rico em recursos naturais, sem igual no mundo, se tornou possessão deles.

    Quando eles acreditam que existe gente nesse imenso território, eles os intimam para uma visita à Coroa.

    Isso se dá de várias maneira.

    Pode ser para estudar numa das diversas grandes universidades do país, preparando-os para não resistir ao fato consumado: aquilo lá em que você acha que é seu e mora, não é seu, é nosso, e assim você vai se comportar.

    Estou a caminho da reta final de minha existência, e sou obrigado a engolir seco com essa triste realidade.

    Nós nunca fomos uma nação e nem seremos se os habitantes destas terras continuarem a se comportar como tal.

    Vivemos mais um episódio ridículo e grotesco da dominação do Norte.

    O homem mais rico do país João Paulo Lemann, sócio dono da Ambev, está interessado no sucesso impressionante das escolas públicas de Sobral, no Ceará.

    Veja bem, foram políticas publicas – educação – implantadas nos governo dos Gomes, Ciro e Cid, e hoje administrada pelo prefeito, Veveu Arruda do PT.

    João Paulo Lemann é o “nosso grande empresário” que patrocina através da sua fundação Estudar o movimento VemPraRua.Net que ajudou a derrubar Dilma.

    Então a preocupação dele não é a de estimular essa boa experiência de Sobral.

    Tenham certeza que é para afundar, extirpar mais uma boa experiência, que pode se irradiar pelo resto do país, e que num futuro próximo, possa dar instrumentos para o nosso povo se libertar dos “irmãos do Norte”.

    Enquanto, os poucos brasileiros pensantes, não tomar as dianteiras e impedir que esse tipo de empresário faça o que está no seu jeito de pensar no Brasil, nós continuaremos a ser apenas o maior pedaço de terra abaixo do Norte.

  8. YouTube e Wikeleaks

    Acredito que 3 paises têm condições de gravar quem quiser no mundo: Os EUA, a Rússia e a China…

    Agradeceria a qualquer um deles se começarem a aparecer gravações relativas a este golpe no Brasil no YouTube!

    No Wikileaks seria bem vindo também!

  9. Se for compravado que esses

    Se for compravado que esses safados fizeram o golpe com a participação dos americano. Paradon nesses putos !

    Faço questão de participar do pelotão de fulizamento a custo 0800.

    Bando de traíras !

  10. A culpa é sempre dos outros

    Post bobinho, ingênuo, tonto mesmo. Os EUA estão cantando e andando para a América do Sul; Brasil inclusive, claro! Mas a esquerdinha idiota, prefere atribuir suas derrotas ao imperialismo do Tio Sam para se valorizar. O que provocou a derrubada de Dilma foi a sua burrice monumental; uma palerma sem as mínimas condições de gerir uma loja de 1,99. Só o grande estadista Lula é que subiu nas tamancas da vaidade e apostou naquela anta.

      • Perfeita sua resposta! Até o

        Perfeita sua resposta! Até o Oliver Stone já disse que os EUA apoiaram o GOLPE NO BRASIL.

    • A bobice, ingenuidade, tontice é sempre dos outros mesmo…

      Só os espertóides é que pensam que os EUA “cantam e andam” até para Granada, que poucos sabem apontar num mapa.

      Mas o Brazil, uma das maiores fazendas do mundo (só menor que 4 nações entre ~200), das mais naturalmente ricas em quase tudo que um país precisa e com colonos submissos, controlados por capatazes fiéis, não tem nenhuma importância para o império da vez.

      Está cantando e andando … só porque um “não idiota” quer!

        • Amigo, deixe de ser arrogante

          Amigo, deixe de ser arrogante e inconveniente. Quem não fala coisa com coisa aqui é você, que não enxerga o império e suas consequências sobre todo o planeta (e que se nega a assinar qualquer acordo sobre poluição).

          Vê se te enxerga e vai comentar no blog do reinaldo azevedo.

          • Desculpe-me mas Vossa
            Desculpe-me mas Vossa Senhoria parece ser um grande fã de Star Wars. É um tal de império pra cá império pra lá.

        • Não é surpresa vc não entender qualquer coisa com ou sem coisa

          Hehe, se num comentário “bêbado”, Vossa Sabiotice já responde com mimimilhufas, imagine se eu “voltar sóbrio”…

    • Fique o senhor sabendo, que

      Fique o senhor sabendo, que se nao for coisa de américano entao é do pessoal de sumpaulo.

  11. Sabemos disto

    O problema não é saber que o Tio Sam deu o golpe, até o Snowden sabe disto.

    De que adiantaria comentar ou denunciar isto? Eles não admitirão, a mídia que forma a opinião da maioria das pessoas negará até ficar afônica, e provavelmente, as autoridades brasileiras arranjarão um jeito de ” enquadrar ” a pessoa que duvidou da ” integridade ” dos EUA.

    Tem certos saberes, que não é aconselhável que sejam proclamados aos quatro ventos.

  12. o receio

    O maior problema é termos tido 13 anos para formar uma inteligência brasileira de contra espionagem e não o ter feito.

    agora, ficar só nas suposições é aquela mesma história: “não temos provas, só convicções”.

     

    agora é tarde

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome