Para comandante do Exército, saída da crise virá da eleição 2018

General Villas Bôas descarta qualquer chance de intervenção militar e afirma que saída para a crise “está nas mãos dos brasileiros”
 
Comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas (Agência FIEP)
Comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas (Agência FIEP)
 
Jornal GGN – Segundo último levantamento do Datafolha para avaliar a credibilidade de todos os poderes constitucionais do país, as Forças Armadas se destacam hoje como a instituição em que 40% dos entrevistados afirmaram que confiam muito e 43% que confiam pouco, colocando o Exército, portanto, como a organização que lidera a confiança da população no país.  
 
Em entrevista à Folha, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, destacou que os números “impõem imensa responsabilidade” sobre as Forças Armadas, reforçando em seguida que a saída da crise do país “está nas mãos dos cidadãos”, que poderão, “nas eleições de 2018”, sinalizar o rumo a ser seguido. 
 
Em meio a crise política que vem se agravando no país, o general Villas Bôas tem se destacado como uma voz moderada pontuando reiteradamente que não há necessidade e nem qualquer estrutura hoje para uma intervenção militar: “O Brasil e suas instituições evoluíram e desenvolveram um sistema de pesos e contrapesos que dispensa a tutela por parte das Forças Armadas, Hoje, elas estão cientes de suas missões e capacidades e mantêm-se fiéis aos ditames constitucionais”.
 
A credibilidade das Forças Armadas, entretanto, reforça a imagem de possíveis ‘outsiders’ como o deputado Jair Bolsonaro, um militar da reserva que faz questão de destacar entre seu eleitorado sua trajetória no Exército. Em relação a essa postura, Villas Bôas respondeu que a forma como o Exército se posiciona a candidatura de Bolsonaro é de que “todo cidadão tem direito de ser candidato a qualquer cargo eletivo”, pontuando que, como instituição permanente, o Exército “serve ao Estado e não a pessoa”, entretanto, “e em última análise, é a população quem vai julgar os partidos e os candidatos, por intermédio do voto”.
 

13 comentários

  1. Recado claro a quem quer detonar o Brasil: a Globo

    Para Globo/ “juristocratas”/ Finança: FFAA nao embarcam na troca de Temer por Rodrigo Maia. Que tentem sua sorte em 2018. Recado claríssimo.

    Espero que Villas-Boas veja este furo do Blog, em que comprovamos que a Globo de fato aposta – e ganha – com a implosão do Brasil:

    Bomba: os Marinho colocaram a Globo na roleta do Cassino!

    Por “Dom Cesar” & Romulus

    No popular:

    – Os Marinho estão saindo fora!

    E, por isso, querem a grana toda…

    – … in cash!

    Com a moeda nacional desvalorizada, o país fica “barato” e o poder da “alavanca” de quem tem dólares torna-se muito maior.

    Some a isso, ainda:

    (i) a depressão econômica, barateando os ativos brasileiros no geral;

    e, no particular…

    (ii) a implosão de setores inteiros da economia nacional, via Lava a Jato.

    Resultado: xepa!

    E aí…

    Quem tem dinheiro na mão – a tal da “liquidez”… – é rei!

    *

    “Aposta na aposta, na aposta, na aposta, na…”

    – Os Marinho apostam no seu poder de viciar a “roleta do Cassino”, via Rede Globo…

    Para…

    Ao final…

    – Ganharem, também, na sua aposta principal: a especulação financeira.

    Haja alavancagem: um verdadeiro castelo de cartas!

    *

    “Castelo de cartas”…

    A espera de um…

    – … sopro??

     

    LEIA MAIS »

  2. ????????????

    Seu Villas Bôas, e se as eleições de 2018 forem adiadas?

    O Sr. já disse e repetiu n vezes que as FFAA respeitam a constituição.

    As FFAA irão respeitar quem não respeita a constituição?

    E se o congresso sair com uma PEC jogando a eleição para as calendas ou alterando de tal forma as suas regras, que torne quase impossível ao escolhido pelo povo chegar ao Planalto, as FFAA irão respeitar? Digo isso lembrando do “Pacote de Abril” da ditadura, – Ditadura militar, bem entendido – que criou a figura de senadores bionicos, para alterar a regra do jogo, em pleno andamento do mesmo, lembra?

    Essa declaração de respeito a constituição é uma faca de dois legumes.

    Tanto pode dar aos democratas em geral, a esperança de que as regras do jogo serão respeitadas.

    Como tambem para os reacionários, pode ser um sinal de que basta ter maioria suficiente para alterar as regras do jogo, que as FFAA irão respetiar. É isso?

    Não devemos perder de vista, nunca, o caso mais emblemático de ditadura da história moderna, em que seu lider máximo galgou o máximo de poder, sem que para isso tivesse que golpear as instituições até então estabelecidas. Elas simplesmente dobraram a espinha diante da nova liderança.

    As FFAA estão dispostas a dobrar a espinha e rastejar, como de certa forma já vem fazendo, diante dos novos ditames constitucionais.

    É digno de respeito das FFAA quem tripudia sobre a constituição e a rescreve na cara dura?

    Sob a ótica aqui abordada, as reiteradas declarações de respeito a Constituição, mais parece um tucanagem.

     

     

     

    • È impossivel adiar eleições

      È impossivel adiar eleições por uma PEC, a peridicidade é clausula petrea,   e porque se faria isso?

      Qual o interesse ao adiar eleições? Ao contrario, as eleiçõs fazem parte do projeto de poder de todos os grupos politicos representados no Congresso, que estão em plena formação de alianças para as campanhas.

      Não há sequer circulando semelhante ideia que não tem nenhuma base de logica politica.

      E o Exercito jamais iria se manifestar sobre um contexto inexistente.

  3. Não sei, não sei.

    Sinto-me pouco à vontade em dizer, mas considero boa parte  da população brasileira à esquerda quando o bolso aperta, conservadora nos costumes e à direita nas relações de poder.

    Com toda a repulsa que eu possa sentir, difícil não considerar um tipo como Bolsonaro o grande nome para a próxima eleição presidencial (haverá?).

    Discordo que os pesos e contrapesos existam, uma vez que se consolidou aquilo que Jucá declarou no grampo, um acordão;  não deu muito certo na perspectiva da intenção, interesses entram em conflito, cada um puxa para o seu lado uma força aqui, um privilégio acolá, mas, no todo, no movimento contínuo, ele está sendo um êxito.

    Porém, a fala do comandante do Exército guarda um perigo.

    Claro que o Exército irá para as ruas caso Temer e a sua canalha, canalha, canalha se sentir ameaçada, caso o povo tome as ruas. Pode ser que não seja o momento para acontecer, mas, caso aconteça, é o que virá.

  4. Os militares não precisam

    Os militares não precisam intervir para proteger a soberania e a constituição.A máquina de guerra americana enquadrou Trump sem um único discurso, evidente que para proteger seus interesses, não os do povo americano.  Diante de tudo o que vem acontecendo, não dá para acreditar na insitituição. Uma explicação é a aplicação da chantagem sobre a cúpula das forças armadas, da mesma forma que é aplicada sobre os congressistas, motivos não faltam. 

  5. Gostaria que um militar,

    Gostaria que um militar, general de verdade disputasse as eleições de 2018.

    Amor ao Brasil, visão de conjunto, hierarquia, planejamento, liderança estão nas qualidades de um militar.

    Nada impede que um general ou coronel seja eleito.

    E vamoslembrar de umaa coisa.

    Hugo Chavez, o queridinho bolivariano da Venezuela se elegeu quando era coronel……

  6. ” A saida da crise virá nas

    ” A saida da crise virá nas eleições do 2018″

    Ouviu Moro, a saida será eleições em 2018, você não vai querer aprofundar a crise, não é verdade.

    Ouviram  golpistas, a saida da crise que vocês enfiaram o país, será a eleição de 2018. Não irão querer mudar o calendário das eleições, não é verdade.

    Ouviu Globo, a saida da crise será a eleição limpas e livres em 2018. Ouviu bem !

    Atenção rentistas e mercado, não conheço nenhum dos dois, mas a saida da crise é a eleição de 2018. Não forcem à barra.

    Recado mais claro não existe.

    A nossa paciencia vai até 2018, se a crise se aprofundar, nós vamos tomar conta deste país.

    O PAÍS NÃO PODE CONTINUAR À DERIVA.

    Entenderam o recado do General !!

  7. Comandante do Exército: mais do mesmo

    Li a entrevista na Folha.

    O general demonstrou claramente que não reconhece o erro do Golpe de 64 – basta ver seus comentário sobre o primeiro ditador militar Castello Branco – e considerou o uso feito das FA em Brasília, contra os manifestantes, uma ação acertada e necessária contra “vândalos”, para manter a “ordem”.

    Como alguém pode achar este sr. um avanço em qualquer sentido? Ele é exatamente o de sempre no Exército, só que com fala mansa.

    Registre-se, o uso das FA em ações de segurança pública só tem aumentado. Nesse sentido, a “nova” forma de emprego das FA em GLO no Rio indica uma coisa: o antigo Serviço Nacional de Informações (SNI) voltou. Os centros de inteligência das FA irão atuar nas ações de inteligência de forma contínua, sem data de término, sem controle, sem transparência… Igualzinho como faziam na Ditadura.

    E ainda tem bobinho que acha esse Comandante uma voz esclarecida.

    Antigamente, os generais nos chocavam com suas posições. Ao menos eram sinceros. Hoje, reina o cinismo.

  8. DIFERENÇA ENTRE GOLPE DE ESTADO E REVOLUÇÃO!

    Sr. General, não existe coisa mais feia que GOLPE DE ESTADO, um grupo de pessoas (civil ou militar) romper a ordem, e se aproveitar da situação para assumir o controle do país!

    Não existe coisa mais nobre que uma REVOLUÇÃO, onde um grupo de pessoas age para recompor a ordem rompida, CONVOCANDO IMEDIATAMENTE NOVAS ELEIÇÕES E UMA ASSEMBLEIA CONSTITUINTE POPULAR (com ampla participação do povo), com seus pontos polêmicos sendo votados por PLEBISCITO.

  9. Militar falando demais é o

    Militar falando demais é o começo do fim. Estamos nas trevas, entrega de tudo, assassinatos no campo, redução do incra, manobras de militares americanos na Amazônia e BB, Caixa e Petrobrás na boca da caçapa… Aliás a Caixa ultimamente só tem servido para estampar camisa de time de futebol…. Teremos Eleições em 2018 ???

  10. Um general deveras piadista

    Um general deveras piadista

    É um piadista esse general: “Da mesma maneira, o princípio da autoridade deve ser fortalecido e o sentido da disciplina social e do coletivo nacional – sem luta de classes – deve ser recuperado”. Sem luta de classes, ouviu Karl?

  11. Defender a Soberania Nacional

    Faça isso, é o que lhe compete.

    Antes que o seu camarada etchegoyen tome à força, com o aplauso dos midiotas imbecis.

  12. ILUSÃO E FARSA COMPONENTES DO COMUNISMO BOLIVARIANO

    Sonha General, dos 200 políticos citados quais o Sr. recomendária votar? Um presidente não governa sozinho, ele precisa dos representantes da câmara e Senado para governar, e ái General, acho que você não conhece de política ao afirmar que a saída da crise do país deve vir com a eleição de 2018. General é a intervenção militar esta acima de sua vontade, ela é uma aspiração do povo brasileiro e de grande parte dos patriotas das forças armadas. Vivemos um clima de Farsa no Brasil”, Farsa de todos poderes, STF, Congresso, Governo Temer, PRINCIPALMENTE, o pior que os meios de comunicação liderada pela REDE GLOBO, são partes desta farsa, que tudo vai acabar com punição para os corruptos, fará- se justiça, haverá REGENERAÇÃO da classe política será UM NOVO BRASIL. O pior que uma boa parte da população acredita nisto. Há uma Ùnica solução é a INTERVENÇÃO MILITAR CONSTITUCIONAL, LIMPEZA NO CONGRESSO E REAL PUNIÇÃO PARA OS CORRUPTOS.

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome