PF teria visto integridade psicológica de agressor de Bolsonaro comprometida

Policiais tiveram que evitar linchamento público do acusado de dar facada em candidato
 

Foto: Reprodução
 
Jornal GGN – A pessoa suspeita de atacar com uma facada o candidato Jair Bolsonaro (PSL), durante um ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais, teria dito a policiais federais que estava cumprindo uma “ordem de Deus” e enquanto conduzia Adelio Bispo de Oliveira, 40 anos, a PF teria dito que duvidava da “integridade psicológica” do suspeito.
 
A informação foi divulgada pelo presidente da Federação dos Agentes da Polícia Federal (Fenapef), Luis Boundens, de acordo com o site da Piauí. Boundens teria dito à revista que ele conversou com colegas que estavam no local e que faziam a escolta de Bolsonaro.
 
Segundo o relato dado pela Piauí, a Polícia Federal teve que prender o agressor e também conter a multidão para evitar um linchamento público após o ataque. Mas narrando que estava em uma “missão divina”, os policiais verificaram a possibilidade de Adelio ter um comprometimento psicológico.
 
“Os colegas disseram que ele imediatamente começou a dizer que estava em missão divina, o que levou o pessoal a duvidar da integridade psicológica dele”, teria dito Boudens à revista.
 
 
Ainda, há poucos ministros, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, também relatou em entrevista ao vivo para a GloboNews que Adélio Bispo falava de forma “desconexa”, segundo relato de policiais que o prenderam.
 
De acordo com a emissora, neste momento, a Polícia Federal está analisando os antecendetes do autor do ataque. Jungmann também informou que cerca de 35 a 40 policiais militares e outros 12 policiais federais faziam a segurança no ato de campanha.
 
 
 

7 comentários

  1. #

    É óbvio que o cara não goza do pleno uso de suas faculdades mentais.

    Na verdade, o que ele fez, no meio de centenas de adoradores do Bolsonaro, foi um ato suicida.

    O cara não é apenas desequilibrado, é um louco.

    Por outro lado, para quem na semana passada, no Acre, empunhando um tripé de câmera como se fosse o Rambo empunhando a metralhadora, disse com todas as letras : “tem que meter bala nessa petralhada”, parece que o feitiço virou contra o feiticeiro.

     

     

  2. Não culpem a loucura, culpem a violência institucional (izada)
    É praxe essa comitiva de PMs e PFs na campanha de outros candidatos? Qual a regra? Informação relevante que precisa ser esclarecida ao público.

    Dia esquisito: Usurpador mau caráter dando lição de moral a quem lhe copiou o modelo de traição e falando de coisas que ele só conhece de ver nos outros, apego a verdade, lealdade, decência. O Fascista sendo vítima do discurso que tanto defende e incentiva, a violência física covarde e de afinidade conservadora com o fundamentalismo religioso. O Brasil é um país de realismo fantástico.
    Se ele [o suspeito de autoria do atentado] vestisse terno, passasse em concurso público, falasse coisas desconexas num power point e fizesse parte de uma seita fundamentalista judicial receberia mais de 30 mil por mês e seria tratado como “autoridade”, mesmo que fizesse um país inteiro sangrar por muito tempo. Cada psicopato/a com seu prestígio e platéia.

    Sampa/SP, 06/09/2018 – 20:37 (alterado às 20:41 e 22:32(inclusão do trecho entre colchetes)).

  3. Tanta câmeras, celulares,

    Tanta câmeras, celulares, nenhum flagrou o momento do ataque? Não sabemos o tamanho da lambedeira (a arma foi encontrada?) usada no atentado a Bolsonaro, mas pela posição do corpo do candidato, que estava sendo carregado, para atingir o fígado nessa posição, passando pelos intestinos, tem que ser um artefato bem grande. Está com a polícia?

  4. Ué,. se o bolsonaro que quer

    Ué,. se o bolsonaro que quer metralhar toda a esquerda diz que está em uma ‘missão divina’ porque o suspeito do atentado também não pode estar em uma ‘missão divina’; se ele é louco a ‘vitima’ também é….

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome