Planalto rebate factoides das revistas semanais

Jornal GGN – O Blog do Planalto compartilhou uma nota afirmando que as matérias das revistas semanais do último final de semana, que abordaram uma suposta compra de votos de deputados para combater o impeachment na Câmara, são uma iniciativa desesperada de uma mídia derrotada.

“Quando o linchamento público fracassa, quando se constata a reação vitoriosa ao ódio, à intolerância e ao rancor como estratégia para o triunfo político, quando são evidentes os sinais de arrefecimento da ação golpista, a saída é recorrer a factoides”, diz o texto.

De acordo com a publicação, o jornalismo foi reduzido a torcida organizada. As matérias não trazem provas nem declarações oficiais de parlamentares que tenham recebido a proposta de compra de voto, nem nenhuma outra evidência que sustente as notícias.

“Embarcam, assim, na onda dos denunciadores, que acusam o governo de fazer exatamente aquilo que – eles, sim – estão fazendo. Como declarou o ministro Ricardo Berzoini na sexta-feira (8), ‘mesmo com todo o esforço de cooptação de parlamentares, com promessas de cargos e vantagens, eles não têm os votos’”, afirmou o Blog do Planalto.

De acordo com o texto, o Palácio tenta uma aproximação com o Congresso, e realiza diálogo e negociações não apenas para vencer as votações do impeachment, mas para relançar o governo. “Não há ‘compra de votos’ em curso”, garante o texto.

Aqui, links para as reportagens da revista Veja, Época e Istoé.

Abaixo, a íntegra da nota do Blog do Planalto:

#GovInforma: A torcida organizada das semanais com o factoide da ‘compra de votos’

Quando o linchamento público fracassa, quando se constata a reação vitoriosa ao ódio, à intolerância e ao rancor como estratégia para o triunfo político, quando são evidentes os sinais de arrefecimento da ação golpista, a saída é recorrer a factoides.

Desesperados.

É o que se conclui com a orquestra afinada (ou desafinada?) das revistas semanais, que em suas edições deste fim de semana abordaram, de maneira uníssona, a tese de “compra de votos do Palácio do Planalto para combater o impeachment na Câmara”.

Tese, sim, e em tom de “denúncia”. A negociação de emendas e cargos – “e até dinheiro”, como narra uma das publicações – é descrita com a agressividade habitual pelas revistas Época, IstoÉ e Veja. Ainda que não exibam prova alguma, nem sequer uma declaração oficial de parlamentares abordados ou “comprados”, ou outra mínima evidência capaz de sustentar a tese como fato jornalístico.

Era para ser jornalismo, mas não passa de torcida organizada.

Embarcam, assim, na onda dos denunciadores, que acusam o governo de fazer exatamente aquilo que – eles, sim – estão fazendo. Como declarou o ministro Ricardo Berzoini na sexta-feira (8), “mesmo com todo o esforço de cooptação de parlamentares, com promessas de cargos e vantagens, eles não têm os votos”.

Não há “compra de votos” em curso. A aproximação, o diálogo e as negociações feitas pela área política do Palácio do Planalto não se resumem a apenas uma votação, e sim para um relançamento do governo no dia seguinte após o Brasil superar a agenda catastrofista do impeachment.

A tese das semanais constitui, isto sim, mais um capítulo da tentativa inclemente de aprovar o impeachment a qualquer preço. Na falta de evidência prática de sua vitória, as revistas e os apoiadores do golpe parecem torcer para sua “profecia autorrealizável”.

O termo, cunhado em 1949 pelo cientista social norte-americano Robert Merton, em inglês chama-se self-fulfilling prophecy.

Na prática, significa você repetir tanto uma coisa, com bases falsas, até que ela se torne realidade.

Neste caso, não se tornará.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. Justiça Neles

    Processem eles! Pela forma que abordaram o fato, tentando incriminar Dilma, além de insinuarem ilegalidade, o Planalto deve metê-los na justiça. Essas víboras não aprendem. Só quando começarem a ser desmentidos na justiça, cessarão as mentiras, os crimes e o jogo baixo.

  2. Os golpistas acham que

    Os golpistas acham que atirando de todos os lados irão acertar a presidenta Dilma. O que conseguiram com este tipo de atitude foi atingir a democracia e,com ela,todo o povo brasileiro.

    É por isso que eles estão desesperados.

    Todo sacrifício pela democracia é pouco.

     

  3. nota é pouco!

    A nota do Palácio do Planalto é pouco!

    O PIG atira de canhão e a presidência solta uma notinha que ninguém lê?

    Ha que se gravar filmes e postar na internet para que sejam compartilhados nas redes sociais.

    O celular já é mais importante que a televisão!

    Todos os integrantes do governo devem fazer isso e dar publicidade.

    Claro, sem deixar de “processar” todo PIG que der informação falsa e tendenciosa.  

  4. Fogo amigo?

    A Globo News anunciando comentário do Tarso Genro (RS) que está sendo cogitada a saída de alguns políticos do PT…?

    Numa hora destas?

    Acredito que seja matéria requentada para colocar freio nesta arremetida final contra o impeachment

  5. O nosso”Karma” de cada um de nós…

    Nassif. Há milênios que a nossa humanidade vive sobre o abominável “tacão” da “cultura machista”. Ela é a principal responsável por todos os males que sempre vivenciamos e ainda mais agora nos tempos atuais. É também a mais  perversa, a mais opressora, a mais depravada e a mais desumana de todas as culturas existentes. Aquele gênero homem que passou a dominar todos os “meios de produção”, teve a necessidade também de subjugar todo o “gênero feminino” para ficar completo o seu plano terrível de domínio da humanidade. Criou “as religiões”, o dito “legado da infidelida” e da “traição” e também pra completar colocou a “moral” de todas Elas entre as suas “pernas”. Estava completo o jugo “machista” para o doentio domínio desta odienta cultura. Acontece que a nossa Mãe Natureza não dá saltos e pra se defender destas anomalias machistas provocou infinitos desvios comportamentasi físicos, mentais e psíquicos em todos eles. Principalmente os do homossexualismos e os da pederastia , todos eles mantidos enrustidos até o fim de suas vidas. Freu, o criador da psicanálise explica de maneira didática e definitiva estes fenômenos desviantes da masculinidade . O nosso dramaturgo Nelson Rodrigues sempre diz: “…se todos os homens conhecessem a masculinidade de cada qual, ninguém se falaria”. E acrescenta: “…se os fatos provam tudo isso, pior para os fatos”.  Esta introdução é para tentar mostrar de maneira cabal os prejuizos econômicos, sociais e políticos que o nosso país vem sofrendo, por estar sendo governado por parlamentares machistas (deputados e senadores) de um modo geral e possuidores de todos estes desvios citados acima e mantidos enrustidos e sempre com o apoio das Mídias (faladas, escritas e televisadas). Todas oligopolizadas e que lhes garantem funcionar como “Meios de Enganação de Massa” e se utilizando de uma tecnologia da Informação e comunicação jamais imaginada em qualquer tempo. 90 % do nosso Congresso é formado por esta aberração masculina que se desviou de sua principal função de ser apenas coadjuvante do gênero feminino ,contrariando a predestinação que lhe foi dada pela nossa Mãe Natureza. Esta tragédia óbvia e ululante só alimenta o nosso complexo de “vira-latas”!.

  6. Mal-e-mal

    Um dos problemas da imprensa brasileira é acreditar que sempre podera manipular a realidade e assim manipular os cidadãos. Acontece que estamos na época de novas tecnologias e a mentira sera sempre combatida. Acabou a época em que eles diziam e se engolia. Agora são rebatidos em questão de segundos. O mundo foi para frente, ainda que mal-e-mal, como diziam os antigos, mas a nossa imprensa permanece a mesma filha da herança esclavagista desse Pais.

  7. Temer fala à nação; Sou quase Presidente, viu?

    No Brasil tudo sempre pode piorar: Temer sentou na cadeira de Presidente e faz pronunciamento à Nação (!) -http://www.tijolaco.com.br/blog/o-canalha-senta-no-trono-temer-grava-como-se-impeachment-tivesse-sido-aprovado/

    Da Folha, agora há pouco:

    O vice-presidente da República, Michel Temer, enviou um discurso de 15 minutos a parlamentares de seu partido, o PMDB, em que fala como se o impeachment tivesse sido aprovado pela Câmara dos Deputados. A votação só está prevista para ocorrer no domingo.

    No áudio, ao qual a Folha teve acesso, Temer diz estar fazendo seu primeiro “pronunciamento à nação”. Ele diz que decidiu falar “agora, quando a Câmara dos Deputados decide por uma votação significativa declarar a autorização para a instauração de processo de impedimento contra a senhora presidente”.

     

  8. Gleewald se diz estarrecido

    Gleewald se diz estarrecido com o comportamento da imprensa brasileira, e o Banco do Brasil continua patrocinando o Bônus de Volume da Globo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome