Renúncia de Temer é a melhor saída para o Brasil, por Jeferson Miola

Renúncia de Temer é a melhor saída para o Brasil

por Jeferson Miola

O estrago da denúncia do ex-ministro Marcelo Calero na “imobiliária Palácio do Planalto” é muito maior do que se poderia supor. O presidente usurpador, reconhecendo a gravidade do momento, promoveu inusitada entrevista num domingo, para se explicar pessoalmente.

A presença dos Presidentes da Câmara e do Senado na entrevista presidencial revela a tibieza de um impostor que perdeu qualquer capacidade de ação, que chegou ao fim.

Temer virou fantoche de um parlamentarismo informal, onde ele é um mero administrador de interesses anti-republicados das maltas partidárias que, em troca, ministram oxigênio para sua sobrevivência arrastada. Como disse FCH, Temer é frágil, “mas é o que se tem”.

Apesar da demissão do ex-ministro Geddel, os desdobramentos do escândalo ainda estão longe de terminar. A razão para isso é que os agentes imobiliários do Geddel – Temer, Eliseu Padilha e outras autoridades palacianas –, estão centralmente implicados nos crimes de tráfico de influência, advocacia administrativa e prevaricação.

Trata-se de crimes contra a administração pública, tipificados nos artigos 321, 332 e 319 do Código Penal brasileiro. O ministro Padilha e aqueles agentes implicados já deveriam ter sido demitidos, ou pelo menos afastados até esclarecerem os fatos narrados por Calero. No caso do Temer, que formalmente ocupa o cargo usurpado de presidente da República, o procedimento legal, em razão disso, é a instauração de um processo de impeachment.

Este escândalo é uma prova de fogo para a Procuradoria-Geral da República. É um teste para o procurador-geral Rodrigo Janot e seus justiceiros da moralidade pública demonstrarem retidão funcional e compromisso com o dever constitucional.

impeachment do Temer, ainda que seja um remédio previsto na Constituição e na Lei – diferentemente da fraude contra a Presidente Dilma para perpetrar o golpe de Estado – dada a natureza demorada do seu rito, postergará a superação da quebra do Brasil causada pelo governo golpista.

Com a delação dos diretores da Odebrecht, a situação ficará insustentável para Temer e seus aliados, porque a força-tarefa da Lava Jato e a mídia não conseguirão agir com seletividade diante das dezenas de políticos do bloco golpista denunciados por corrupção.

A renúncia de Temer, neste sentido, é a melhor saída para o Brasil. É necessário abreviar o caos econômico e o sofrimento do povo, afetado por níveis crescentes de desemprego, recessão e supressão de direitos.

Com a renúncia ainda em 2016, a Constituição determina que se realize eleição presidencial após 90 dias [artigo 81]. A sociedade brasileira teria, então, a possibilidade de escolher um programa e um governo legítimo, com força política e moral para superar esta terrível crise.

É cada vez mais consensual no meio político a inviabilidade do Temer; sua permanência no comando do país até 2018 é insustentável. A oligarquia golpista, a despeito disso, manipula para mantê-lo até o início de 2017 para, dessa maneira, escolher um sucessor de sua confiança em eleição indireta no Congresso corrupto e ilegítimo, evitando o voto popular.

Esta estratégia esconde o pânico da oligarquia com a realização de eleição direta já. Como o justiceiro Moro ainda não concluiu seu plano obsessivo de condenar ou prender Lula, o ex-presidente poderá se candidatar para concorrer numa eleição direta, com chances reais de ser eleito novamente.

6 comentários

  1. Lula novamente?

    E a Globo vai deixar? Reportagens diarias o acusando de corrupção, com ou sem condenação? Lula enquanto presidente nunca enquadrou (no sentido de exigir a verdade e punir as inverdades publicadas) a imprensa, Dilma muito menos.

    Janot fazer algo contra os golpistas? Truco!

  2. Tudo muito

    estranho. A postura dessa mídia mafiosa e golpista nos útlimos dias não não cheira bem. Aparentemente rifa o golpista  do Temer.. Agora há pouco o portal UOL parte pra cima do Pimentel com uma suposta delação. Mas colocar o Pimentel na fogueira não minimizaria os escândalos dessa  quadrilha que deu o golpe. Que fato impactante poderia contribuir para ofuscar os escândalos? Seria a prisão do Lula?

  3. Mas o temer é um laranja

    O temer é um zero a esquerda, ou direita, não significa por ele mesmo nada.

    Ele é na verdade um ótimo representante do golpe e dos golpeadores. Ele indica a altura deles todos. Ele é um parâmetro de honestidade deles todos. Olho para o temer e não vejo o temer, transparente que é, vejo aquela suprema turma, por exemplo.

    Enquanto hover golpe quero o temer lá.

    Precisamos é contabilizar e cobrar o que o parente do psdb faz com a petrobrás. A conta dele só cresce, e espero que logo ele a pague. Ele é  o executivo dos golpistas.

  4. Ah, Miola, deixa de conversa

    Ah, Miola, deixa de conversa mole, ok?

    Nao ha nada de errado com Temer que um tiro na cara nao consertaria.

    (Moro?  Nao.  Ele precisa de pelo menos DOIS tiros na cara!)

  5. Maktub, allea jacta es…..

    Temer voltará para as profundezas de onde veio, mas só depois de nos infernizar, e deixar um legado pérfido. Os seus algozes do PSDB, nunca o acharam a altura, apenas usaram o seu narcisismo para cumprir este papel sujo. Mas isto só vai ocorrer no proximo ano. Até lá Parente, Temer e Moro reinarão , e como disse Cunha. “Que Deus se apiede do Brasil”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome