Sebastião Salgado é o primeiro fotógrafo do mundo a receber Prêmio da Paz dos Livreiros Alemães

Brasileiro recebeu em Frankfurt homenagem que já foi concedido a personalidades como Vaclav Havel, Susan Sontag e Margaret Atwood

Salgado em seu Instituto Terra, em Minas, com a mulher Lélia

Jornal GGN – Sebastião Salgado recebeu neste domingo (20) o Prêmio da Paz, concedido todos os anos pela Federação do Comércio Livreiro Alemão. O brasileiro é o primeiro fotógrafo do mundo a receber a homenagem considerada uma das mais importantes do setor cultural na Alemanha.

O Prêmio da Paz é entregue anualmente, desde 1950, sempre no último dia da Feira do Livro de Frankfurt. O discurso da entrega neste ano foi feito pelo cineasta Wim Wenders, que realizou, em 2014, o documentário “O Sal da Terra” sobre o trabalho de Salgado. A película concorreu ao Oscar.

“Trabalhadores, Êxodos e Genesis, estes três trabalhos monumentais mostram as condições essenciais para a paz. Não é possível ter paz sem justiça social, trabalho, dignidade humana e respeito às belezas naturais da Terra”, ressaltou Wenders.

A cerimônia, transmitida ao vivo pela TV alemã, aconteceu na igreja de São Paulo, em Frankfurt, com a presença de 700 pessoas.

Salgado se emocionou durante sua fala, e teve que parar por alguns instantes para enxugar lágrimas. O fotógrafo lembrou que “passou grande parte de sua vida testemunhando o sofrimento do nosso planeta e de seus habitantes que vivem em condições cruéis e desumanas”. “A missão de iluminar a injustiça guiou meu trabalho como fotógrafo social.”

Sebastião usou o espaço para denunciar “a política destrutiva do novo governo brasileiro” contra a Amazônia, pedindo para as pessoas acreditarem “que o futuro da humanidade está nas nossas próprias mãos”.

“As minhas fotografias mostram o presente e por mais que ele seja doloroso, nós não temos o direito de desviar nosso olhar”.

Leia também:  Carluxo escancara parceria com o Ministério Público do Rio de Janeiro, por Luis Nassif

O brasileiro dedicou o prêmio à sua mulher Lélia Wanick Salgado, destacando-a como colaboradora de todos os seus projetos e companheira de vida. Ele também dedicou a homenagem às populações exiladas e ameaçadas.

O Prêmio concede ainda uma recompensa de € 25 mil. Entre as personalidades que já foram agraciadas com ele estão Vaclav Havel, Jürgen Habermas, Susan Sontag e Margaret Atwood.

*Com informações do G1

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome