Botafogo rompe com a TelexFree

Chega ao fim um dos mais nebulosos episódios do futebol brasileiro: o contrato da TelexFree com o Botafogo de Futebol e Regatas, montado por Sérgio Landau, irmão de Elena Landau – economista que já participou de diversos bancos de investimento.
 
O futebol sempre foi um dos campos preferidos para a lavagem de dinheiro – assim como sites de Internet, direitos de lavra, fazendas na Amazonia. Tratam com ativos de valores não definidos, como passes de jogadores. Além disso, os clubes gozam de algumas imunidades e, através do próprio comércio de jogadores, transitam na zona cinzenta do caixa dois mundial.
 
O Botafogo fechou contrato com a TelexFree quando ela já estava proibida de atuar no país. Era claro tratar-se de uma corrente, de estelionato com ampla remessa de divisas entre países. E não havia nenhuma razão objetiva para investir em publicidade em clubes de futebol, sabendo-se que o golpe já estava na mira das autoridades de vários países. Além disso, no seu período de existência, a TelexFree acumulou montantes superiores a R$ 1,5 bilhão, em cima de suas vítimas.

 
O fato do Ministério da Justiça brasileiro ter sido leniente com a empresa não afastava os riscos.
 
A prisão dos seus fundadores nos Estados Unidos, o enquadramento do golpe em crime federal, levou ao rompimento do contrato, um dia após o Botafogo dar ampla visibilidade à empresa no seu último jogo.
 
Espera-se que as autoridades investiguem o que levou o clube a essa aventura.
 
Como me escreveu agora um botafoguense decepcionado:
 
Acabou de entrar no site oficial, Luis: www.botafogo.com.br
Uma nota simples, de três frases. Um clube dessa grandeza, que cedeu 47 atletas para a seleção em Copas do Mundo (o recorde! Acima dos 45 do São Paulo, e dos 35 de Vasco e Flamengo, cada), foi manchado por esse esquema ridículo…

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

11 comentários

  1. O x do problema é simples =

    O x do problema é simples = no Brasil, nenhum dirigente responde pelo que ele faz ao clube. Ele pode quebrar um clube que não lhe será tirado um único centavo. Ao contrário, passa um tempo e , se bobear, ele volta ao comando (como está arriscado a acontecer ao Vasco se o funesto Eurico Miranda voltar). 

    É revoltante saber que um clube como o Corinthias ( que em 2012, o ano da glória do clube) arrecadou 200 milhões de reais, paga , proporcionalmente, menos imposto que uma academia de ginástica de periferia. 

    No mundo do esporte, o modelo menos injusto é o americano. Lá são franquias. E todo clube é uma empresa. Bem administrado, ganha muito dinheiro. Caso contrário, podem fechar as portas. 

  2. Revisor posto no olho da rua… (e muito muito) REVOLTADO!

    por favor, queiram ler assim-assim assado, o primeiro parágrafo do post acima, devidamente revisado na fonte primária pelos carregadores de piano do ggn-nassif:

    “Chega ao fim um dos mais nebulosos episódios do futebol brasileiro: o contrato da TelexFree com o Botafogo de Futebol e Regatas, montado por Sérgio Landau, irmão de Elena Landau, ex de Pérsio Árida que junto com Lara Resende formou a famosa dupla Larida do Plano Real e o escambau! – economistas que já participaram de diversos bancos de investimento.”

  3. O Botafogo levou milhares de pessoas a acreditarem que a empresa

    Apesar de não ter uma torcida gigantesca, o contrato com a Telexfree fez com que milhares acreditassem que a Telexfree era uma empresa séria. Ouvi isso de um amigo que só depois de ver ela patrocinando um time da primeira divisão entrou com 6 mil reais na telexfree internacional. Olha a influência que foi essa parceria para o crescimento da pirâmide mesmo estando bloqueada no Brasil. Esses 4 milhoes que o Botafogo embolsou veio da pirâmide, e são 4 milhoes que vão faltar na conta final e que serão rateados entres as vítimas. O que o Botafogo embolsou + os carrões de grandes divulgadores formadores de redes + apartamentos + viagens , tudo o que foi gasto na extravagância vai ser falta no final … às vítimas (cúmplices e nem tão vítimas, pois a ganância foi maior) vão ratear tudo isso e ficar com uns 10% do que investiram. E ainda tem as vítimas de outros países… então que sirva de lição: Sucesso só vem antes do Trabalho num lugar: No dicionário

  4. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome