A cura pela natureza – um texto de Alice Branco para o GreenMe

por Matê da Luz

Este post é um reply na íntegra do texto da Alice Branco para o GreenMe.com por motivos de “achei perfeito e desejo que todo mundo tenha a oportunidade de se cuidar naturalmente” 🙂 

Além disso, ainda (aiiiiiiiinda!) não tenho conhecimento e autonomia para escrever sobre a cura pela natureza dessa forma, então, me aguardem e acompanhem a colega: 

No mundo todo, hoje em dia, há um excesso de uso de medicamentos – para baixar a febre, reduzir as dores, diminuir os processos inflamatórios, são os principais sintomas que incomodam as pessoas, ou que as assustam. Dentre esses, os mais conhecidos são o paracetamol e o ibuprofeno, que já caracterizam uma geração de dependência.

O pior é que esses sintomas, incômodos, é verdade, indicam processos naturais de cura do nosso organismo. A febre, já se sabe, indica a reação positiva do sistema imunológico na sua luta contra micróbios que causam doenças. E baixar a febre, só por baixar, não é nada benéfico para essa luta natural do nosso corpo. As inflamações são, nada mais nada menos, do que outra reação benéfica do organismo – quando há uma lesão, o corpo joga linfa (líquido) na região para, com ela, aumentar o número de glóbulos brancos, os guerreiros da nossa saúde. Reduzir a inflamação com um químico pode até diminuir o incômodo na região mas não colabora em nada com a cura. Só o descanso, a boa alimentação e hidratação, o uso de algumas ervas já consagradas há milênios, já seriam o suficiente para ajudar no processo de cura.

Você sabe, antigamente se dizia, “bom senso e canja de galinha” com 7 dias de descanso, é a cura para muitos dos incômodos que sentimos, de viroses (gripes) a entorses.

Mas, quem é que tem os tais 7 dias para descansar e se recuperar naturalmente? Não, ninguém tem, sabemos disso. Somos hoje reféns de um sistema econômico que não valora a vida humana. Somos peças de um xadrez que é jogado até a nossa extenuação total.

Mas, sempre é possível a gente mudar essa realidade, não?

Uma das formas de cuidar da nossa saúde é conhecendo ervas que nos possam ajudar. Dentre essas ressaltamos aqui algumas:

1- Gengibre

Vários estudos realizados na Universidade de Odense, na Dinamarca, apontam que o gengibre (Zinziber officinale) tem efeitos anti-inflamatórios superiores aos do ibuprofeno, fármaco não esteroide dos mais usados.

Gengibre é antibiótico, anti-inflamatório, acalma o sistema digestivo, eficaz no controle de náuseas e vômito, acalma a dor de cabeça e a enxaqueca, estimula o sistema imunológico, protege o cólon contra as lesões cancerosas, elimina as células cancerígenas no câncer de ovário, ajuda em processos de desintoxicação alimentar, alivia a dor da artrite, osteoporose e muscular, alivia os sintomas de inflamação, protege contra a formação de úlceras estomacais, seu uso é benéfico no combate das doenças arteriais coronarianas. Muitos outros usos são relatados na literatura fitoterápica.

2- Cúrcuma
A cúrcuma (Curcuma longa) é usada há 4 mil anos e se sabe que possuipropriedades anti-tumorais, antioxidantes, antiartríticas, anti-inflamatórias,antivirais, antibacterianas, antifúngicas. Segundo uma publicação do Advanced Experimental Medical Biology (2007) “A cúrcuma tem potencial contra diversas doenças como diabetes, alergias, artrites, mal de Alzheimer e muitas outras doenças crônicas”

3- Salgueiro Branco
Do salgueiro branco (Salix albausa-se a casca como analgésico, antiinflamatório, antipirético, anticoagulante, calmante, adstringente e desintoxicante. Comumente é usado em tratamentos de dores de cabeça e enxaqueca (junto com unha-de-gato e anis-estrelado, para suavizar seu sabor amargo), dores menstruais, ciática, fibromialgia, dores musculares e reumáticas. Também pode ser usado como sedativo natural pois seu chá promove o sono. Em uso tópico, é usado para tratar calos e verrugas, queimaduras e feridas, infecções de pele, infecções bucais, inflamação da garganta. Tem efeito semelhante à aspirina em casos de febre gripal, sem causar rejeição estomacal. Estes são apenas alguns dos usos do salgueiro, cujo princípio ativo é a salicilina.

4- Unha de Gato

É um poderoso antiinflamatório, eficaz para tecidos e terminações nervosas, descongestionante, bactericida, antimutagênico e citostático útil nos tratamentos de tumores cancerígenos, desintoxicante renal e intestinal, promove a cura em casos de diverticulite, colite, hemorroidas, fístulas, gastrite e úlceras. Cura parasitoses, desequilíbrios da flora intestinal e doença de Crohn. Alivia alergias químicas e de polem, bronquites e asma. Como antiviral, já demonstrou sua eficácia em herpes genital, herpes zoster e aids. Inibe a coagulação e estimula o sistema imunológico.

A unha-de-gato medicinal pertence a duas espéciesUncaria tomentosa eUncaria guianensis, trepadeiras lenhosas de ocorrência na floresta Amazônica e outras áreas tropicais da América do Sul e Central. Estes são medicamentos muito usados na América Latina, em comunidades indígenas e camponesas. A Uncaria guianensis apresenta também efeito anti-tumoral. É importante que não se confunda com a planta ornamental Ficus pumila também chamada de unha-de-gato, que é tóxica.

5- Boswellia
Esta planta é um potente antiinflamatório e muitos estudos demonstram sua eficácia em comparação com os antiinflamatórios não esteroides, como oibuprofeno. A boswellia tem sido usada eficazmente em casos de artrite reumatóide, asma, alergias, colite ulcerativa, doença de Crohn, inchaço das articulações e rigidez matinal nos idosos, inibição de células cancerosas.

6- Pimenta

O princípio ativo curativo da pimenta (Capsicum spp.) é a capsaicina, uma resina oleosa. Tem poderosa ação analgésica pois inibe a liberação do principal neurotransmissor dos estímulos de dor, consequentemente, bloqueia a sua transmissão. O uso da pimenta aumenta a liberação de endorfinas pela glândula pituitária e o hipotálamo. Também é eficaz na redução dos níveis de lipídios no sangue e ajuda a manter equilibrado os níveis de açúcar. A pimenta também ajuda na reparação e reconstituição dos tecidos danificados, melhora as funções estomacais e intestinais e ajuda na prevenção de várias formas de câncer. Também promove perda de peso já que tem a capacidade de elevar a taxa metabólica do organismo. Pode ser usada topicamente para aliviar a dor de neuropatias diabéticas, da osteoartrite e psoríase.

Muitas mais plantas existem, muitas mais plantas a humanidade conhece pois, há milênios estas são usadas na cura dos nossos males.

 

 

7 comentários

  1. e para infecções superficiais…

    nada melhor que mel natural

    as minhas, do meu tempo de criança, sequer aconteciam

    mas tem que ser mel do mato ou da floresta

    ou retirado diretamente das colmeias

    • Superficiais

      Nestes casos, a argila também é imbatível: furúnculos, espinhas, unheiro, etc. Basta aplicar compressa de argila umidecida e o resultado é muito bom.

          E para queimaduras leves, o extrato não-alcoólico de própolis é excelente. Quando encostamos a mão na panela quente por exemplo, basta aplicar a própolis e o alívio é imediato.

      • Há também pomadas de ou com

        Há também pomadas de ou com própolis para queimaduras (superficiais) e outros problemas na pele. E própolis (extrato) é muito bom para tratar os sintomas de resfriados, funcionando como um antibiótico. Mas mesmo sendo um produto natural é bom não tomar em excesso, pois cada pessoa, cada alimento ou medicamento, mesmo os naturais, têm suas características próprias, possíveis efeitos colaterais, principalmente se utilizado em excesso. E se o problema for mais sério (como uma queimadura extensa por exemplo, ou uma gripe forte ou prolongada), o melhor é procurar ajuda médica.

        O ideal seria que sempre os pacientes perguntassem aos médicos sobre quais os melhores alimentos e medicamentos naturais, além de mudanças de hábitos, exercícios físicos, etc, ele poderia utilizar/adotar para tratar sua saúde e que os médicos tivessem a predisposição de prestar essas informações e aconselhamentos, mesmo que o paciente não perguntasse, como primeira alternativa de tratamento, receitando medicamentos químicos somente quando fosse imprescindível.

  2. Porque é bom

    De Sonia Hirsch:

    “Sem tempero, não dá. Não dá e já não deu há muito tempo, tanto que quase todo mundo põe alho e louro no feijão, quiçá pimenta; alho e cebola no arroz, talvez tomate, minha mãe, louro; e assim orégano na pizza, pimenta no acarajé, coentro no peixe, cravo no doce, canela na banana, limão na salada. Por quê? Porque é bom.

    Bom na hora em que cheira, já fazendo salivar de gosto e abrindo perspectivas deliciosas para dali a pouco. Bom dentro da boca, estimulando o apetite com mais suco gástrico. Bom depois de comer, o corpo leve e a alma tranquila: pode-se repetir aquele prazer sem dor.

    Os temperos, ou condimentos, ou especiarias, caracterizam-se por algum sabor ou aroma especial da planta que é atraente para nós e repelente para outros animais e insetos. Podem ser sementes, como erva-doce, cominho, mostarda, cardamomo; folhas frescas ou secas, como manjericão, alecrim, tomilho, salsa; bulbos, como alho e cebola; frutas, como limão, manga, laranja, romã; cascas, como canela; rizomas, como gengibre; partes da flor, como cravo e açafrão. O segredo é não usar em excesso.”

    Fonte: https://soniahirsch.com.br/2016/05/19/temperando/

  3. Estou chegando aos sessentão,

    Estou chegando aos sessentão, com a experiência veio no pacote, dor terrível na coluna, algumas varizes na perna esquerda, e aquelas dores que aparecem pelo corpo não identificada. Os médicos garante que você não tem nada, mas sabemos que temos.

    Há dois anos aboli todos os remédio, só faço tratamento alternativo. Podem acreditar, é uma beleza.

    Para aquelas dores não identificadas que aparecem pelo corpo, ao levantar os braços, ao caminhar, aquele reumatismos incômodo, passeia a fazer uso diário de Cloreto de Mangnésio, juro, as dores sumiram.

    Façam uma pesquisa na net e descubram o benefício do Cloreto de Magnésio, vocês vão ficar surpreso.

    Para aquela dor mais aguda na coluna faço uso, todos os dias, de um pedaço de Gengibre de mais menos 1 cm . O Gengibre para fazer efeito como anti inflamatório tem que ser tomado todos os dias.

    Para varizes descobri que Aloé Vera( babosa) com vinagre de maçã orgânico é um beleza. Todos os dias na hora do banho eu passo essa mistureba nas varizes, dá um alívio muito bom.

    Para a circulação faço uso do rei do alimento funcional, que era utilizado no Império Romano, o alho.

    Como dois dentes de alho três vezes por semana. Para se ter os benefícios do alimento, tem que ser ingerido cru. Coloco dois dentes no espremedor de alho e boto no meio da comida. Homens de meia idade, façam uso do alho, ele possue alguns componentes do Viagra. Como é um vaso dilatador natural, nos deixa, digamos, mais animados, com algumas ações involuntárias indevida. De inicio achei meio estranho o que estava acontecendo comigo, fui pesquisar, e descobrir que era o efeito do alho. Mandei a mulher plantar um pé de alho em casa, eh,eh,eh. Descobri que nos mosteiros é proibido o consumo de alho, principalmente entre os monge do Tibet.

    Depois dessa mistureba toda o meu cardiologista teve que fazer ajuste no remédio de pressão, cortou pela metade.

    Se depender de mim esses laboratórios vão à falência

     

  4. A questão é que um remédio

    A questão é que um remédio natural, que se tome e peça descanso é quase impossível levando em conta a rotina… quem pode sair no meio do trabalho para ir deitar-se e esperar uma dor passar e tomar um chazinho…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome