A queda continuada da indústria, por Luis Nassif

Desde outubro de 2020, houve uma queda de 6,2% no Brasil como um todo. E alta em apenas dois estados, Espirito Santo (6%) e Rio de Janeiro (7.9%).

Ontem, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou os dados estaduais da Pesquisa Nacional da Indústria. Trata-se de um retrato desolador da economia.

Aqui você tem um gráfico de 12 estados analisados, mais os dados gerais do país, em dois momentos: o acumulado desde outubro de 2020; e o acumulado desde outubro de 2019.

Desde outubro de 2020, houve uma queda de 6,2% no Brasil como um todo. E alta em apenas dois estados, Espirito Santo (6%) e Rio de Janeiro (7.9%). Todos os demais estados registraram queda, que chegou a 12,5% no Pará e 10,9% em São Paulo, não poupando nem estados mais industrializados, nem estados mais extrativistas.

Em relação a outubro de 2019, o quadro é igualmente contristador. Houve 4 altas inexpressivas – de 2,9% no Rio de Janeiro a 0,8% em Pernambuco. E quedas substanciais, como 9,7% em São Paulo e 15,3% na Bahia.

Os dados do mês de outubro refletem a sazonalidade, o maior movimento visando as vendas de final de ano.

Dos estados mais industrializados, apenas o Rio Grande do Sul registrou aumento, contra quedas sensíveis em São Paulo e Santa Catarina.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador