Bolsa encerra operações em alta de 1,51%; dólar cai 0,39%

Mesmo com a pandemia, investidores aguardam reabertura da economia americana; preço da moeda americana segue no patamar de R$ 5,20

Foto: Reprodução

Jornal GGN – As operações do mercado brasileiro voltaram a fechar em alta, mesmo que o índice não tenha superado os 80 mil pontos, em dia marcado pelo otimismo no mercado internacional.

O Ibovespa (índice da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo) encerrou o dia em alta de 1,51%, aos 78.990 pontos e com um volume negociado de R$ 19,850 bilhões.

Em linhas gerais, os agentes repercutiram o pronunciamento feito pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nesta quinta-feira. Na ocasião, Trump apresentou planos para a reabertura da economia do país após o bloqueio feito para conter o avanço do coronavírus, dizendo que a economia pode ser prejudicada com um bloqueio prolongado.

Outro ponto de referência foi o PIB (Produto Interno Bruto) da China, que encerrou o trimestre fechado entre janeiro e março em queda de 6,8% na comparação com o ano anterior, naquela que foi a primeira queda apurada pelo país desde 1992.

Apesar dos dados ruins de crescimento, o país apresentou uma queda abaixo do esperado para sua produção industrial: o recuo na comparação com 2019 foi de 1,1%, contra um prognóstico inicial de 7,3%.

Os dados chineses foram divulgados na mesma semana que o FMI (Fundo Monetário Internacional) projetou a maior contração econômica global desde a década de 30, enquanto a retração brasileira desde, pelo menos, o ano de 1962.

No câmbio, a cotação do dólar comercial terminou em queda de 0,39%, com a moeda sendo negociada a R$ 5,2329 na compra e R$ 5,2359 na venda.

Leia também:  Governo Bolsonaro insiste em congelar aposentadoria para pagar Renda Cidadã

(com informações do UOL)

 

Leia Também
Tradução do “Financês”: Sistema de Crédito Privado, por Fernando Nogueira da Costa
Trinta dias de medidas econômicas: Breve balanço de um desastre anunciado, por Lauro Mattei
A reabertura econômica nos EUA e o quebra-cabeça de Trump

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome