Contra a fome e o desemprego, movimentos sociais ocupam Bolsa de Valores em SP

"Enquanto as empresas lucram, o povo passa fome e o trabalho é cada vez mais precário", argumenta o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto

Foto: MTST

Jornal GGN – Em meio a alta na inflação, com os preços exorbitantes que afetam diretamente nos alimentos essenciais na mesa dos brasileiros, movimentos sociais ocuparam na tarde desta quinta-feira, 23, a sede da Bolsa de Valores brasileira, a B3, em São Paulo, em protesto liderado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Contra a fome, o desemprego e a desigualdade, os manifestantes pedem o impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido), com cartazes que dizem “Sua ação financia nossa miséria”, “Tá tudo caro e a culpa é do Bolsonaro”, “Brasil tem 42 novos bilionários enquanto 19 milhões passam fome”, “Tem gente ficando rica com a nossa fome”. 

:: A PARTIR DE R$ 10 VOCÊ PODE AJUDAR A MANTER O JORNALISMO INDEPENDENTE DO GGN. CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS ::

“Ocupamos a bolsa de valores de São Paulo, maior símbolo da especulação e da desigualdade social. Enquanto as empresas lucram, o povo passa fome e o trabalho é cada vez mais precário. Quem segura o Bolsonaro lá são os donos do Mercado! #TáTudoCaro #ACulpaÉdoBolsonaro”, escreveu o MTST, no Twitter.

O local que foi ocupado pelos manifestantes, o térreo do edifício,  é aberto ao público e alguns levaram barracas para acampar na B3. Os funcionários da Bolsa, afirmaram que o ato está sendo pacífico e a segurança não interveio, apenas foi interditada a área dos elevadores que levam para outros locais do prédio. 

Com informações do G1 e Metrópoles.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome