Bolsonaro pode abandonar tentativa de reeleição para proteger a família de processos na Justiça

Segundo a jornalista Mônica Bergamo, líderes do centrão já discutem a possibilidade de um acordão com Bolsonaro, que pode apoiar outro candidato

Carlos, Eduardo e Jair Bolsonaro - Foto: Divulgação/Redes

Jornal GGN – Salvar a si mesmo e aos membros da família é a prioridade de Jair Bolsonaro. Para isso, o presidente da República até poderia cogitar um acordão para evitar processos na Justiça. Em troca, abriria mão de disputar a reeleição em 2022, principalmente se a tendência de derrota se manter. É o que informa a jornalista Mônica Bergamo, nesta quarta (22).

Segundo a colunista, líderes do centrão já discutem a possibilidade de Bolsonaro abrir mão da corrida presidencial contra Lula para apoiar outro candidato. Bolsonaro “tentaria garantir apoio para se defender de processos na Justiça contra ele e os filhos, considerados inevitáveis caso ele deixe o poder.”

Em discursos públicos, Bolsonaro já disse que vê três caminhos em seu futuro: ser morto, ser preso ou ser reeleito presidente da República. Preso, diz ele, nunca será.

Segundo Bergamo, a preocupação “central” do extremista de direita é “evitar o pior na Justiça”, segundo os “líderes do centrão que convivem com o presidente e apoiam seu governo”.

Na mira da CPI da Covid, Bolsonaro tem os filhos Carlos e Flávio Bolsonaro investigados, junto com a ex-mulher Ana Cristina Valle Siqueira, pelo crime de rachadinha para enriquecimento pessoal da família.

Renan Bolsonaro e a mãe, Ana Cristina, também chamaram atenção da CPI por proximidade com um lobista da Precisa Medicamentos – que tentou vender vacinas e outros insumos ao Ministério da Saúde na pandemia.

Leia também:

1 – “Naturalizar que teremos eleições em 2022 é ingenuidade”, diz cientista política

2 – O xadrez das eleições de 2022, por Luis Nassif

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. Como sempre,mais uma vez,tudo pode acontecer,inclusive nada.
    O nada é o mais plausível. Aliás,o que esse sujeito faz desde o início de seu desgoverno é isso:Nada.
    Quem repercute,e nós fazemos isso todo dia,está ajudando o nada a parecer algo diferente do nada.
    O sujeito não irá abandonar nada e os golpistas de primeira hora já perceberam isso e já voltaram suas bateria contrao presidente Lula na esperança de desidratar sua candidatura para talvez,muito talvez,conseguirem inflar um terceiro nome. Caso isso não dê certo eles não terão a menor dúvida em voltar para o lodaçal onde sempre estiveram e ainda argumentarão a incrível maturidade que o sujeito adquiriu neste período.
    É esperar para ver.

  2. O centrão vai combinar com o TPI – Tribunal Penal Internacional? A denúncia lá não precisa ser feita por um órgão público, até um cidadão pode fazer.
    O centrão vai combinar com todas as ONGs que foram perseguidas por ele, com todas as vítimas da pandemia?
    Seus filhos podem até se livrar. Ele não!

  3. Nao entendi, quer dizer que basta desistir de uma candidatura para ser anistiado pela justica?

    Alguem esta acima da lei? Quem vai anistiar, o Centrao? Isso e constitucional?

    Continuo boiando, da pra desenhar, GGN?

    Nao duvido que isso seja possivel, so duvido da justica.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome