Fachin enterrou julgamento da suspeição de Moro ao anular condenações de Lula

10 habeas corpus e 4 reclamações apresentadas pela defesa de Lula, incluindo a ação que pede que Moro seja declarado um juiz parcial, ficam prejudicados pela decisão de Fachin

Jornal GGN – Ao acolher um habeas corpus apresentado pela defesa de Lula em novembro de 2020 e anular, nesta segunda (8), quatro ações penais que tramitaram na 13ª Vara Federal de Curitiba contra o ex-presidente, o ministro Edson Fachin livrou o ex-juiz Sergio Moro do julgamento da ação que questiona sua suspeição no Supremo Tribunal Federal.

Fachin anulou os casos triplex, sítio de Atibaia e outros dois ligados ao Instituto Lula e, com isso, Lula pode se tornar elegível novamente. Em contrapartida, o ministro, relator da Lava Jato no STF, declarou prejudicados exatamente 10 habeas corpus e 4 reclamações apresentadas pela defesa de Lula nos últimos anos. A informação foi confirmada pelo próprio Supremo.

“Em razão da decisão, o ministro Fachin declarou a perda do objeto de 10 habeas corpus e de quatro reclamações apresentadas pela defesa do ex-presidente, entre eles a ação em que questiona a suspeição do ex-juiz Sergio Moro, que era titular da 13ª Vara de Curitiba”, diz nota emitida pela assessoria do STF na tarde desta segunda (8).

O julgamento da suspeição ocorre na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, e está parado por um pedido de vistas do ministro Gilmar Mendes. Fachin e a ministra Carmen Lúcia já votaram contra a ação. Mas as mensagens de Telegram reveladas pela Operação Spoofing vinham com forte potencial para virar o jogo em favor de Lula.

REPERCUSSÃO

No Twitter, o presidente da Câmara, Arthur Lira, postou a seguinte mensagem: “Minha maior dúvida é se a decisão monocrática foi para absolver Lula ou Moro. Lula pode até merecer. Moro, jamais!”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora