Governador Paulo Dantas é afastado em Alagoas a 20 dias do segundo turno

Johnny Negreiros
Estudante de Jornalismo na ESPM. Estagiário desde abril de 2022.
[email protected]

Candidato à reeleição apoiado por Lula, Dantas foi alvo de operação da PF e foi afastado do cargo

Foto: Divulgação/MDB

O governador e candidato à reeleição Paulo Dantas (MDB) foi afastado do comando de Alagoas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Dantas tem o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa do segundo turno pelo Governo do Estado, contra Rodrigo Cunha (União Brasil), que é o nome de Bolsonaro na região.

A Polícia Federal cumpre 31 mandados de busca e apreensão em ação autorizada pelo STJ, a pedido da PF.

LEIA: Novo apoiador de Lula, suplente de Flávio diz “conhecer muitas histórias” de Bolsonaro

As investigações se referem à época em que o político era deputado estadual em Alagoas – embora ele tenha deixado o cargo em maio, a operação foi realizada a 20 dias da segunda rodada das eleições.

Dantas é acusado de formação de organização criminosa, lavagem de dinheiro e peculato ao ter supostamente usado funcionários fantasmas para desviar recursos públicos ao reivindicar o salário de seus assessores parlamentares, em prática conhecida como ‘rachadinha’.

Além do afastamento de Dantas do cargo de governador por 180 dias, a ação assinada pela ministra Laurita Vaz permitiu o sequestro de bens e valores que chegaram a R$ 54 milhões.

Nacionalização em Alagoas

No primeiro turno, Paulo Dantas teve 46,64% dos votos válidos, enquanto o adversário Rodrigo Cunha recebeu 26,74% dos sufrágios – vale ressaltar que Dantas tem o apoio de Renan Calheiros (MDB) e Lula, ao passo que Cunha é aliado de Arthur Lira (PP) e Bolsonaro.

O emedebista assumiu o Governo de Alagoas após Renan Filho, filho de Renan Calheiros, ter se licenciado do posto para disputar uma vaga ao Senado.

Johnny Negreiros

Estudante de Jornalismo na ESPM. Estagiário desde abril de 2022.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Rachadinha no fiofó do adversário, pode? O fio da navalha pode virar. Esse caso vai virar precedente para pegar os Bolsonaro… Toma Chico, toma Francisco!

  2. Jogada de mestre do Lira, mas que não impede que o governador seja
    reeleito (em tese), esse afastamento não o torna ficha suja e mesmo que seu mandato seja cassado, sua reeleição poderia prevalecer. É um duro golpe para Lula e Renan, e uma demonstração de força e inteligência da cambada bolsonarenta.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador