Alas do PSDB já apontam Doria como único capaz de derrotar Lula em 2018

 
Jornal GGN – A capa da edição da Folha de S. Paulo desta quinta-feira (30) trata do candidato virtual do PSDB a presidência em 2018, Joao Doria Jr, prefeito de São Paulo. A informação principal dá conta de que até Aécio Neves concorda que Doria seria o plano B ideal. Mas algumas alas do tucanato já enxergam no homem do “não sou político, sou empresário” a única figura capaz de derrotar Lula numa disputa pelo Planalto em 2018.
 
O GGN já havia antecipado essa movimentação do PSDB, em 6 de março, quando tratou do assunto no artigo “Entra em campo o fator Joao Doria, por Luis Nassif”. O fio condutor da postagem é a avaliação de que a Lava Jato transportará a tríade tucana Aécio, Geraldo Alckmin e José Serra para uma terra arrasada, a reboque das delações da Odebrecht.
 
Agora, Folha diz que até o ex-presidente Fernando Henrique concorda que Doria ser o candidato em 2018 é “factível”. 
 
Na mesma edição, Folha publicou uma entrevista con Luciano Huck dizendo que sua geração deve tomar o poder nos próximos anos. Ele disse que tem apoio de FHC, e avaliou que é preciso se aproveitar do “colapso” da política tradicional para inserir nomes de fora, como ocorreu com Doria. Huck não descartou ser candidato a um cargo público, admitiu proximidade com o PSDB e até falou em financiamento de campanha.
 
O jornal ainda escreveu que Aécio não desistiu de sua candidatura, mas reconhece que suas chances são “mais remotas” em função dos desdobramentos da Lava Jato.
 
Um “congressista aliado do senador mineiro” disse que crescem as chances de Doria a cada dia, porque ele seria a “cara nova” que o partido precisará exibir quando se seus principais caciques forem pegos por caixa dois eleitoral.
 
O mesmo não poderia acontecer com Doria, em tese, porque a campanha eleitoral de 2014 não permitia doação de pessoas jurídicas.
 
Líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer disse que Doria foi colocado num “patamar mais elevado dentro do partido e sociedade” desde que provou-se a “grande revelação da política brasileira”.
 
De acordo com a Folha, até um mês atrás, Aécio não gostava da ideia, mas agora considera que apoiar Doria seria ideal numa disputa contra Geraldo Alckmin. O grupo de José Serra também vê Doria como o preferido se o ex-ministro de Relações Exteriores não puder concorrer.
 
Aécio, inclusive, já estaria elaborando meios de forjar uma chapa “puro sangue”, com Doria a presidente e Antonio Anastasia, seu afilhado político, como candidato a vice. Essa manobra exige cuidado, ponderam alguns tucanos, porque afasta aliados, como o PMDB.
 
A favor de Doria, o PSDB vê a inexistência de denúncias na Lava Jato e o potencial de derrotar nomes da política com a campanha em sentido contrário. Porém, terá de apresentar resultados na prefeitura de São Paulo, para ter uma vitrine. Ocorre que Doria tem se empenhado em desmontar o que o governo Fernando Haddad construiu nos últimos anos e fazer ações de marketing, como varrer praças que já foram limpas pelos funcionários do Paço.
 
Por fim, para passar a mensagem de que a candidatura de Doria é algo forjado de “fora para dentro” da política, Mônica Bergamo entrevistou o presidente da Riachuelo, Flavio Rocha, que disse que magnatas do setor privado de todo o País estão interessados em um “prefeito presidente”.
 
Na quinta (29), o GGN mostrou que Doria usa a prefeitura para captar clientes para o grupo LIDE no exterior. Ele apresenta-se, em eventos internacionais, como prefeito e fundador do grupo empresarial. Leia aqui.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

44 comentários

  1. Doriana a Margarina dos Coxinhas.

    A margarina Doriana voltou com tudo. Doriana a margarina preferida dos coxinhas desesperados pela perda do Aecipó. Será que a margarina Doriana vai air da prateleria dos supermercados chics dos jardins?

  2. Doria o golpe final

    Esse lançamento a presidente do Dória numa hora dessas mostra a que ponto chegamos no Brasil. Mostra a que ponto as elites podem nos destruir a fim de manter o seu staatus quo. Isso é mais que assustador. O Brasil está doente, perdido, sem rumo, atolado, desgraçado, podre, roubado, traído, enterrado, abandonado. O Brasil virou uma terra de ninguém. O Brasil como no filme dos irmãos Cohen virou uma terra onde os mais fracos que são sua imensa maioria não tem vez. Para onde vamos amigos?

  3. Não devemos criticar a escolha dos outros!

    Cada grupo que escolha seus representantes, se os Tucanos acham que Dória os representa, que os escolham, não sou eu ou qualquer outro do campo adversário que deve criticar a pessoa Dória, seus atos políticos, sua linha política e dos Tucanos que devem ser criticadas, mas acho meio infantil a crítica a escolha, se quisessem colocar o Tiririca o problema era deles e não de quem está contra.

    A crítica a pessoa é uma péssima arma política, além de ser infantil e ad hominem é completamente ineficaz tornando alguém uma espécie de vítima! 

    • não….

      rdmaestri: aí elevou a discussão e o censo democrático. Bolsonaro ou outro qualquer, que não tiver problemas legais, que seja a mesma coisa. E livremente as pessoas escolham. O que é preciso é que as idéias,  objetivos e caminhos fiquem claramente definidos. E a Justiça elimine ilegalidades e excessos, como faz nos EUA contra Trump. Já ficou claro que só ser lunático não basta. Mas para isto a sociedade precisa estar representada e ser a última opinião decisiva em todas esferas de Poder. Mas quanto ao Brasil e Dória, a pergunta a ser feita é se era este o projeto de país que a redemocratização, a centro esquerda que subiu ao poder há 3 décadas, projetava? O Poder a qualquer custo? O Poder com João Dória? A implantação de uma democracia social era isto? O Estado que era atacado por alguns cancros esporadicamente, tornou-se dominado por todo o cancro. Era esta a promessa de nação em 1980? Nada como um dia após o outro. A verdade vos libertará. 

  4. Muito bom…Até o Hulk entrou na “jogada”? Ótimo!

    Deixa os caras… Enquanto isso, Ciro vai no circuito de agenda cheia de palestras e debates com estudantes, movimentos sociais, fundações, Sindicatos, universidades etcs. Desviar os holofotes da mídia hegemônica é fundamental nesse momento. Na hora “H” o tempo útil não favorecerá a manobra para desconstrução do candidato que não atende aos interesses hegemonicos…. Que fiquem na queda de braço e no aparecimento de aventureiros oportunistas… Isso é muito proveitoso e estratégico! 

     

  5. Eu prefiro…

    … pagar para ver.

    Sobretudo por três motivos: 1. as “doações” dos empresários – como a imprensa a soldo tem noticiado – precisam ser melhor esmiuçadas, pois, a longo prazo, pode cristalizar a ideia de que o Dória não é um oportunista, mas um grande negociante em prol do bem público utilizando seu bom relacionamento com o empresariado (não me critiquem, publicidade é assim); 2. mesmo com uma enorme resistência dos medalhões do PSDB, o Dória passou pelo teste e foi uma vitória de Alckmin dentro do partido; 3. por outro lado, conseguirá o monstro superar o cientista que o criou?

  6. Pouca diferença faz. Quem vai

    Pouca diferença faz. Quem vai fazer todo o serviço sujo pra eleger um tucano, “seje” ele quem “seje”, será a parceria mídia-judiciário. Se empurraram um cara feito o “Jestor” goela abaixo dos analfabetos políticos paulistanos, acreditam que podem empurrar qualquer porcaria goela abaixo dos brasileiros.

  7. Problema deles, sinal dos tempos

    Que tempos… O PSDB colocar para concorrer as eleições presidenciais um tipo feito Doria… E vem mais, Luciano Huck candidato a qualquer coisa. Hummm, Zigmunt Baumann tinha toda razão quando afirmava que vivemos tempos fragmentados, onde tudo perde sentido….

  8. dorian gray

    Felizmente o Brasil é muito maior que a cidade de são paulo.

    Achar que os demais brasileiros se impressionam com o “joão trabalhador” e muita inocencia.

    Dois anos é tempo de mais para desmascarar esse fantoche.

    O que tem mostrado em SP é igual a ZERO!

    • José,
       
      não se fie nisso.

      José,

       

      não se fie nisso. Aécio, uma versão almofadinha mineira quase ganhou da Dilma. Em termos de inteligência política, nenhum estado brasileiro sai limpo. tanto que Dilma foi deposta sem que grande parte do povão brasileiro fosse contra.

  9. Me desculpe que não merece

    Me desculpe que não merece ler, mas acho que nem todos os brasileiros são tão burros como os paulistanos… Se bem que, é possível tudo esperar de um povo que já elegeu Collor e tirou Dilma para pôr a escória do PMDB no lugar…

    • Quem destituiu Dilma não foi o povo

      Prezado,

      Os cidadãos eleitores brasileiros, em sua maioria, elegemos e reelegemos a Presidenta Dilma Rousseff. Mas não fomos nós, cidadãos eleitores que a destituímos da presidência da república por meio de um golpe de Estado midiático-policial-judicial-parlamentar.

  10. Tudo errado

    O que me deixa puto são “previsões” catastróficas com o pretenso condão do chamado tino jornalístico.

    Isso para mim é jogar a favor de figuras nefastas que, sabidamente, nada tem de conteúdo para oferecer para um país sofrido como o Brasil.

    Aposta-se apenas para, se der certo, mais tarde dizer: está vendo, eu não falei?

    Infla-se um energúmeno e espera-se um reconhecimento futuro.

    Mas a que preço?

    Nós sabemos, a grande maioria.

    É continuarmos a ser governados por indivíduos que nada tem a ver com os destinos da nação.

    Vamos continuar na trilha dos mais de 500 anos de elitismo neste país?

    Faça-se a mea culpa de ter feito a apologia de um escória.

    Presidente da Riachuelo, o mesmo que disse que era só a Dilma ser derrubada que a confiança dos empresários voltariam. Continuam a apostar sempre nos seus comparsas para protegê-los e continuarem usando seus servos empregados sob regime de escravidão.

    O que os canalhas querem é alguém para chamarem de “meu”, porque esse é anti político para o total desconhecimento da grande maioria do povão.

    A eleição dele para a prefeitura de São Paulo é prova disso.

    A elite e a grande mídia agradece penhoradamente.

  11. É absurdo achar que alguém

    É absurdo achar que alguém que governa SP há 3 messes, e que não mostrou serviço, seja capaz de administar o país.

    Agora, o que preocupa é que o PT só pensa em Lula e só tem o Lula. Acho que está mais do que na hora do PT incentivar o surgimento de outras lideranças. Não se pode ficar refém de uma só pessoa, até porque um dia o Lula morrerá.

    Sou a favor da renovação no PT.

    • Não é hora de renovação
      LULA é o único candidato capaz de normalizar essa espelunca em que foi transformado o Brasil. O problema é que os promotores do caos não irão deixar, aí teremos que tentar com Ciro.

  12. Doria candidato à Presidente

    Doria candidato à Presidente da República em 2018? E o governo do Estado de São Paulo, como fica? Qual seria o candidato tucano?Ou seria um aliado tucano concorrendo ao Palácio dos Bandeirantes?

    E ainda o prefeito de São Paulo teria que mostrar muitos resultados em pouco tempo. Tem que combinar com os russos, como dizem. Depois tucanos reclamam porque não conseguem certos cargos eletivos, com tais erros de avaliação um tanto grosseiros….

  13. Todo Mundo (os petistas)

    Todo Mundo (os petistas) Odeia Dória.

    Sete em cada dez paulistanos aprovam a gestão do Aprendiz de prefeito.

    O rapaz que se dizia não político parece que está na política faz 100 anos, mais liso do que jundiá ensaboado. O cara não perde uma e quando atacado sai em vantagem. Só essa semana João Dória deu duas invertidas pra cima dos opositores, uma prá cima do marqueteiro petista da campanha desastrada da Amazon.com e outra no petista intrometido na inauguração de casas populares que ouviu uma saraivava de “elogios” do prefeito que vai ficar sem sair de casa uns três dias de vergonha.

    Eu não acreditava, mas estou comeando a achar que o rapaz está com cara de presidente.

    Além da comunicaçao pessoal perfeita (ele se faz entender por qualquer classe social), do raciocínio rápido e lógico e do alto grau de empata que ele desperta nas pessoas, Dória tem 3 fatores que o favorecem para uma grande administração municipal que o alavancaria à disputa da presidencia, 1) vai continuar com apoio do empresariado 2) ajuda do seu padrinho, governador Geraldo Alckmin e 3) ajuda maciça do presidente Michel Temer.

  14. Falei isso aqui

    há mais de 1 mês atrás. Doria já é o candidato do PSDB quem quer viver em conto de fadas que não acredite e com Lula ou sem Lula será presidente do Brasil dia 1o de janeiro de 2019. Não tem saída. teremos 4 anos pelo menos de Doria.

    • Depois de se tornar mais

      Depois de se tornar mais conhecido e com a sua fabulosa capacidade de comunicação (ele fala com qualquer classe social como se fosse eum velho conhecido) vai arrebatar em massa até os votos do norte e nordeste.

      Como a Gabriela sobre Nacib: Moço Bunito!

       

  15. ME FAZ PENSAR

    Os paulistas tem uma vontade de dominar o Brasil, que qualquer hora dessas eles vão querer transformar a cidade de São Paulo, na capital do país. Como que uma pessoa que você mal conhece, que só aqueles que com ele convive, os ricos, de fato o conhece, imaginar que o cidadão já ganhou o direito, mesmo que hipotético, de governar o Brasil. É mais um Collor a ser imposto goela abaixo, com promessas hilariantes. Será que João Dória, vai sair varrendo as ruas de Brasília?

    Esse nervosinho ainda vai dar o que falar, só não sei se ele vai gostar do que vai ouvir…alias, já não está gostando!

  16. O verdadeiro “Homem Privata”.

    O verdadeiro “Homem Privata”. A plataforma dele é símples: privatiza tudo.

    Eu até queria que as privatizações de tudo na cidade de São Paulo se acelerassem. Quando o paulistano começar a pagar “pedágio” pra qualquer coisa, talvez ele acorde e aí vai ficar claro o que seria ter um João Dória como presidente.

  17. O que falta a esquerda é inteligência

    Os empresários não pagaram pelo impeachment como pagaram para perder em 2018. E esta claro que os empresários querem radicalizar. Vão eleger Dória para terminar o projeto. Vender Petro, Correios, Caixa e BB. E todo o resto. Basicamente será isso.

  18. Cuidado!

    Na campanha para a prefeitura de São Paulo em 2016 o Doria aparecia em 4º lugar nas pesquisa, no entanto acabou eleito no primeiro turno. 

     

  19. A lide penosa de Doria

    Doria, o prefeito,  vende Interlagos e Doria, o empresário, compra Interlagos.

    “Não, não, não… quem comprou Interlagos não fui eu, foi meu cunhado. E cunhado, todo mundo sabe, não é parente.”

    Fica tudo entre os membros do clube, ué…

  20.   Aécio fala pela boca de

      Aécio fala pela boca de Huck, via redações apaixonadas eternamente por Serra. E Dória… bom, aventureiro é aventureiro. Tem usado de todos os seus contatos para se turbinar, vide propagandas da prefeitura em jogos da seleção brasileira.

      Isso tudo é expressão da briga interna contra o “santo” Alckmin, que não pode se recandidatar ao governo do Estado de São Paulo. Ficaria saciado com uma candidatura ao Senado? Penso que não. Ademais, ele não expulsou (na prática foi ele) Goldman e Andrea Matarazzo do PSDB, impingindo Dória para prefeito, para entregar tudo de mão beijada a sua criatura. Vem troco aí, mas Alckmin, o mais mineiro dos tucanos paulistas, costuma operar em silêncio. Foi assim que expulsou os serristas, diretório por diretório, em todo o Estado de São Paulo.

      Diga-se de passagem: ver a possibilidade de a prefeitura de São Paulo cair nas mãos do “impoluto” Bruno Covas, atual vice, é de dar ânsia.

  21. Pra começo de conversa: Dória

    Pra começo de conversa: Dória teve apenas 9.000 votos a mais que José Serra no primeiro turno da eleição para prefeito de São Paulo em 2012. Ou seja, praticamente as mesmas pessoas. Só foi eleito em primeiro turno por conta dos votos nulos, em brancos e abstenções. Isso é uma informação que não pode ser desprezada. 

    O pessoal tende a generalizar as situações, não percebem que uma coisa é a eleição na cidade de São Paulo, onde o antipetismo é muito forte, e outra coisa é a situação nacional. Alguém imagina um morador da Rocinha votando no Dória em detrimento do Lula ? Ou alguém da Baixa do Sapateiro em Salvador fazendo o mesmo ?

    Outra coisa: o cara acabou de ser eleito para governar a maior cidade do país e já quer sair. Como ficarão os eleitores que acreditaram no compromisso dele de governar os quatro anos ? Pode parecer que não mas um fato desses tira muitos votos do candidato. José Serra que o diga, esteve em situação idêntica em 2010 e levou uma sova de uma grande desconhecida do eleitorado, justo ele que possuia um recall de ex-candidato presidencial.

    Em 1989 o Collor só foi eleito devido a uma soma interminável de fatores: primeira eleição depois de uma longa ditadura, crise social agravada pelos anos Sarney somada às ameaças do empresariado de debandar do país caso Lula ganhasse, apoio irrestrito da Globo para minar a candidatura da esquerda, além da falta de costume do eleitorado com eleições. Hoje não, todos cinhecem Lula, para o bem ou para o mal, e podem fazer as comparações dos governos eleitos depois da redemocratização para formar melhor as suas opiniões. 

    Um horário eleitoral bem produzido e explicativo pode desmontar a candidatura do adversário, além de servir de vitrine para o Lula falar e expor as suas ideias, o que a grande mídia não lhe faculta.

     

     

     

     

  22. No fim do século XIX e início do século XX, Júlio de Castilhos..

    No fim do século XIX e início do século XX, Júlio de Castilhos dominava a política gaúcha influenciando Getúlio Vargas e o estado novo, que muitos atribuem a um viés fascista era baseado nas ideias Positivistas que este político lutou e implantou no Rio Grande do Sul, de um estado local forte e independente.

    Pois bem para se eleger os positivistas utilizavam todas as possíveis formas de fraudes, porém a separação do Estado da Iniciativa Privada era um imperativo que era cobrado intensamente de todos. Fraudar uma eleição, era possível, mas colocar um centavo de dinheiro público no bolso era um crime imperdoável.

    Parece que as críticas a gestão Dória estão sendo verdadeiramente cosméticas, tão cosmética como o governo do mesmo, porém a separação do Estado com benefícios próprios ou mesmo a apropriação do Estado pela iniciativa privada parece que é a maior crítica que estão seus detratores esquecendo.

    Esta privatização do Estado, com a apropriação do mesmo para proveito próprio não como governante mas como empresário é o cerne da crítica que deve ser feita pelos que se opõe a Dória.

    Dória critica a gestão do PT no governo anterior, simplesmente porque a organização do Estado não é simples, porém a mera transferência do patrimônio público ao privado simplesmente terceirizando o que deveria ser bem administrado mostra não a “modernidade da gestão”, mas sim a incapacidade de um gestor público de enfrentar as dificuldades.

    O caso da água em São Paulo é um exemplo, nenhum paulistano que tenha alguma mínima capacidade de compreensão da realidade apoia o que foi deixado de fazer para o suprimento da água e para o tratamento de esgoto na cidade e no estado. Porém isto é difícil de fazer, é mais fácil criticar as posturas ridículas e mediáticas do prefeito, porém questionar todo o seu programa de privatizações é bem mais trabalhoso, porém muito mais eficaz no combate político.

  23. Em 2016 a direita nadou de

    Em 2016 a direita nadou de braçadas. Não só em SP, mas também no Rio, POA, Salvador. Toda essa maioria são potenciais eleitores do Dória.

    É quase impossível o Lula reverter isso. Por treze anos o PT bobeou na comunicação e jogou o eleitorado no colo da direita/globo. A teoria do controle remoto foi suicídio.

  24. 99,99%

    99,99% das pessoas conhecem ou conhecerão ao candidato através da mídia.

    A Globo será o cabo eleitoral do Dória.

    O único momento real será o debate, embora ele seja “editado” posteriormente, como aconteceu com Collor.

    Cada povo tem o governo que merece. Eu espero que o povo mereça ter novamente o bom governo do Lula.

  25. Intrigas

    A tentativa de algumas pessoas de criar intrigas entre o governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Doria tem dado em nada. No máximo deixa confuso algum desavisado. Doria será um dos principais cabos eleitorais de Alckmin e sempre deixou público, e continua a afirmar que ele é seu candidato à presidência em 2018.

  26. Diferente da naturalidade com
    Diferente da naturalidade com que o brasileiro aceita a falta de compromisso, a imoralidade, a malandragem e a politicagem, Doria não irá decepcionar os eleitores paulistanos que confiaram 4 anos de gestão a ele.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome