Bolinha de papel, a farsa política desmascarada

Na terça-feira houve a primeira exibição, em São Paulo, do documentário “O Mercado de Notícias”, do cineasta gaúcho Jorge Furtado. Ele entrelaça uma peça do século 17, que já abordava o papel da mídia, com depoimentos de jornalistas.

A parte mais interessante do documentário é a reconstituição do episódio da bolinha de papel que atingiu o candidato José Serra na campanha de 2010.

Juntaram-se várias cenas..

Uma cena rápida da reportagem da TV Bandeirantes mostra um braço negro, com uma camisa azul, atirando a bolinha de papel. Ao lado, uma pessoa corpulenta com camisa vinho. Não se vêem seus rostos.

Outras cenas gravadas mostram um sujeito negro de óculos escuros e camisa azul, e outro branco, corpulento, de camisa vinho, no mesmo local, pouco antes do arremesso da bolinha. Ambos próximos a Serra, e atuando na sua segurança.

Não é mencionado no documentário, mas provavelmente trata-se de um trabalho de 2010 (http://glurl.co/dG0) de autoria de Sérgio Antiqueira, que recebeu apenas 1.639 visualizações no Youtube.

Com essas revelações, fecha-se o ciclo de uma das maiores tentativas de fraude eleitoral da história política recente do país.

O primeiro passo foi a escolha do local, uma região francamente hostil da cidade.

Em 1999, quando Ministro da Saúde, Serra mandou demitir 5.700 mata-mosquitos da Funasa (Fundação Nacional da Saúde) no Rio – técnicos incumbidos de combater os mosquitos da dengue.

Há indícios de que o fim dos mata-mosquitos visou liberar verbas para o governo do Estado, já que a Funasa continuou repassando anualmente os R$ 11 milhões referentes aos salários dos demitidos.

As consequências foram desastrosas, com a gripe da dengue se alastrando por todo o estado. No ano seguinte, a epidemia se abateu sobre 45 mil pacientes infectados, causando dezenas de mortes, mais da metade do total de mortes por dengue no país (http://glurl.co/dG2).  Foi o ano com mais registros de dengue da história, a maior parte concentrada no Rio.

https://www.youtube.com/watch?v=wXjL6K_s9XI height:300 align:left]

Serra acabou inimigo mortal da categoria.  Em 2.000, eventos políticos dos quais participava já tinham sido invadidos por mata-mosquitos (http://glurl.co/dG3).  O mesmo ocorreu em outubro de 2002 (http://glurl.co/dG5).

O episódio da bolinha de papel ocorreu justamente na região oeste do Rio, onde fica o Sindicato dos mata-mosquitos. Era óbvio que haveria reação, tanto assim que Serra desembarcou cercado por um exército de seguranças, provocando ostensivamente os manifestantes e criando o clima adequado para as cenas seguintes.

As duas bolinhas

Em poucos minutos, explodem duas cenas.

A primeira, o da bolinha de papel que pipoca na cabeça de Serra e cai no chão. Serra leva algum tempo para se dar conta do fato e aparentemente perde a primeira oportunidade de montar o teatro.

A segunda oportunidade é mais à frente. Serra recebe um telefonema. Pouco tempo depois leva a mão à cabeça. Caminha mais um pouco, sem aparentar danos. Uns cinco segundos depois leva a mão à cabeça, caminha em direção ao carro da comitiva. Ainda tem tempo para conversar um pouco com alguns fãs.

Depois entra e segue para um hospital onde é atendido pelo cirurgião médico de cabeça e pescoço Jacob Kligerman – que presidiu o INCA (Instituto Nacional do Câncer) na gestão de Serra na saúde.

Na Justiça existem as provas declaratórias (que dependem apenas de declarações de testemunhas) e as provas documentais (as que têm efetivamente valor).

Klingerman declara à imprensa que Serra chegou ao consultório “com náuseas e tonteira”. Quanto às provas documentais, nada havia. Informa que não havia lesão aparente (externa), e a tomografia nada acusou. Pelo sim, pelo não, recomendou 24 horas de repouso.

Naquela noite, o Jornal Nacional divulgou reportagem onde endossava a versão da agressão com “objeto contundente” (http://glurl.co/dG9). Dizia-se ser um rolo de fita crepe. A reportagem terminava com um Serra nitidamente interpretando o papel de uma pessoa fragilizada, deblaterando contra a guerra política.

Ache outros vídeos como este em Portal Luis Nassif

Naquela mesma noite, uma reportagem da SBT mostrava a cena da bolinha de papel (mas sem os seguranças), o telefonema recebido por Serra e, em seguida, ele levando a mão à cabeça.

Começou a guerra de versões. O Jornal Nacional chegou a convocar o perito Ricardo Molina para analisar um vídeo gravado por celular que supostamente provaria que houve um segundo objeto lançado contra Serra, um rolo de fita crepe. Não se perguntou ao perito se, mesmo supondo-se ter sido um rolo de fita crepe, qual seu poder de contusão.

Outros técnicos rebateram as análises de Molina, com vídeos colocados na Internet, mostrando que o objeto identificado como fita crepe não passava de uma sombra de algum manifestante, em um vídeo de baixíssima resolução.

[video:https://www.youtube.com/watch?v=OqDiQPS9_Cw#t=18

No dia seguinte, o então presidente Lula comparou Serra ao goleiro chileno Rojas – que simulou ter sido atingido por um rojão em um jogo no Maracanã.

O vídeo de 2010 – trazido à tona pelo documentário – ao provar que foram os próprios seguranças de Serra que atiraram a primeira bolinha, desnuda de vez a que poderia ter sido uma das grandes fraudes midiáticas-políticas da década. E não foi graças ao contraponto exercido pelas redes sociais.

O resultado final foi a desmoralização do candidato por um partido alto de Tantinho da Mangueira (http://glurl.co/dGA).

“Deixa de ser enganador

Pois bolinha de papel

Não fere e nem causa dor”

[video:https://www.youtube.com/watch?v=Jhc4mgHGdTA

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

114 comentários

    • Pois é, meiradarocha ! Apesar

      Pois é, meiradarocha ! Apesar de outros terem mostrado quew era uma farsa, o que eu gravei foi seu gráfico e comentários desfazendo qualquer dúvida.

  1.  
    Menos de 20 dias depois,

     

    Menos de 20 dias depois, quando a Rede G roubo encontrava-se completamente nocauteada pela desmoralizada cobertura eleitoral, a Presidenta Dilma reconstroi o fiapo de credibilidade daquela corja, ao visitar o Projac e fazer omeletes na cozinha da tomateira Ana Maria Brega .

    Uma das maiores decepções que tive da Dilma .

    Quando o monstro estava quase aniquilado, eis que a mocinha inebriada pelas telenovelas do Gilberto Braga, recompõe o poder de alienação da maldida emissora .

     

    • Pois é…

      Pra você ver, o cara quando não tem assunto manda o segurança dele jogar uma bolinha de papel nele mesmo, pra se fazer de vítima.

      Proposta de governo que é bom…

  2. gripe dengue
    A dengue não é uma gripe, e sim uma doença febril aguda. Não tem sintomas respiratórios e só é transmitida pelo mosquito. Att

    • Dengue

      rodrigo não cadastrado,

      A dengue é uma doença febril aguda que marca presença há uns vinte e cinco anos, um longo período em que eu só vi reclamações no jornal e televisão ao vivo, todos querendo que os governos dessem jeito no mosquito, lembra do triste  “afiinal, o mosquito é federal , estadual ou municipal? ” .

      Recentemente vi, pela primeiríssima vez, uma campanha de governo colocando as coisas no lugar certo, pedindo às pessoas para fazer a parte delas. Dengue é assunto a ser resolvido pela sociedade – se uma pessoa resolve proibir a entrada de um agente público na sua casa, o agente não entra e pronto, e se o gaiato insistir pode levar bala..

      Se alguém vê a piscina ao lado de seu terreno com água imunda e uns pneus soltos pelo jardim, que faça uso do telefone -Saúde Pública, que poderá resolver a situação do caso específico.

  3. bolinha de papel contundente

    Quem recorre a esse tipo de recurso merece ser politicamente enterrado como indigente e seus marketeiros, o ostracismo profissional. Alguém cujas campanhas, ao invés de discutir aquilo que não farão – é o que tem acontecido – recorre a técnicas conhecidas em inglês como FUD – fear, uncertainties and doubts – plantar medos, incertezas e dúvidas quanto às candidaturas adversárias. Já mereceu muita consideração. Nem merece ter o nome citado. Defunto político.

  4. Essa é apenas uma das muitas

    Essa é apenas uma das muitas situações claras que:

    1) demonstra o conluio entre a imprensa e determinados candidatos;

    2) a irresponsabilidade e desprezo de candidatos com os eleitores;

    3) a atraso de nossa justiça que não pune manipulações grosseiras que ludibria o eleitor;

    4) a falta de cidadania do nosso povo que deixa de eliminar eleitoralmente candidato claramente farsante;

    5) a falta de seriedade da nossa grande imprensa.

    • Na mosca, como

      Na mosca, como sempre.

      acrescento uma sexta:

      Manter dois ministros lacaios da mídia golpista e COMPROVADAMENTE mentirosos no STF. Capitão do Mato e Gilmar Mentes Dantas.

      Creio que não pedem o impeachment dos dois por medo da mirdia, afinal coragem não é atributo dos nossos políticos.

  5. Nos dias de hoje…

    Pergunto, será que isso tudo merece ser mencionado nos dias de hoje?

    Será que não temos nada mais importante a discutir e a “provar”?

    Existem tantas verdades mais importantes que não estamos dando importância….

    • muito conveniente…

      ficou incomodado com esclarecimentos dos fatos? a gente entende…

      … mais previsível que isso, impossível !!

  6. A Globo tentou o seu terceiro

    A Globo tentou o seu terceiro golpe com essa farsa serrista da bolinha de papel: o primeiro foi em 1964 e o segundo com o debate entre Collor e Lula em 1989.

    Mais um golpe virá em 2014 contra a Dilma. O STF não parece ser o coadjivante dessa vez.

    E o DEM lá no DF mostra a conta do mensalão: R$ 739.528.912,10.

     

     

  7. Os personagens da farsa

    Os personagens da farsa continuam flanando por aí, caras de pau que são, sem vergonha. Mas eu não esqueço o que voces fizeram na eleição passada, Serra, Jornal Nacional e Molina – canalhice midiática.

    •  
      O Molina é um daqueles

       

      O Molina é um daqueles especialistas “pau pra toda obra” que pululam na tela da Globo, o esquema é conhecido e o Nassif já escreveu uma vez sobre seu funcionamento, a Globo quer defender uma tese com seu jornalismo(?) aí ela precisa de uma voz supostamente isenta e fidedigna, o “pau pra toda obra” é então convocada para falar exatamente o que a Globo quer ouvir, se formos usar a biologia para definir a relação do “pau pra toda obra”  com a Globo seria mutualismo, a Globo ganha o aval do “perito” na área, já o “pau pra toda obra” ganha os seus 15 minutos de fama na tela da Globo, poderiamos pensar que o “pau pra toda obra” logo ficaria desmoralizado pelas muitas furadas em que se envolve, mas aí entra novamente o pacto de mediocridade com a mídia que nunca chama o seus “especialistas” para dar conta das asneiras que falam quando elas são desmascaradas.

       

  8. bolinha de papel na web

    Porque qualquer um dos partidos aliados, não precisa ser o PT, não apresenta este fato ao Brasil em seu horário político gratuito? Sim, porque a maioria dos brasileiros só assiste o noticiário das TVs, não lê blog. Bastaria fazer um pequeno comentário, e sugerir que todos assistam o documentário pela web. Não seria uma vacina contra o PIG e sua manipulação diária contra o governo? Quem assistisse o documentário não ficaria ao menos desconfiado do noticiário diário? Não ficaria prevenido com o que vão aprontar durante a campanha?

    Será que nem isso o PT ou aliados tem coragem de fazer? Sugerir, ao vivo, usando seu espaço em rede nacional, portanto os veículos do próprio PIG, que os brasileiros assistam a um documentário que mostraria a desonestidade, a manipulação que fizeram e continuam fazendo todos os dias, todas as semanas, a Folha, Estadão, Veja, Globo e afiliadas?

  9. Bolinha de papel virou processo na Procuradoria Eleitoral de SP

    Olá Nassif,

    Complementando sua postagem, sou o autor do vídeo original que foi em seguida re-publicado pelo Sérgio Antiqueira.

    Esse episódio foi bem interessante pq mostra o papel (não a bolinha) e a força que tem a internet e seus usuários que procuram sempre a verdade.

    A mão do sujeito jogando a bolinha eu percebi – e ai vem a ironia – quando parei pra assistir o programa eleitoral do Serra logo quando o episódio explodiu.

    É sempre importante divulgarmos informações verdadeiras na internet. O Marco Civil veio na hora certa, pq a campanha para 2014 já começou.

    E cabe aqui parabenizar e ao mesmo tempo continuar exigindo o apoio de portais como o seu. Nós usuários pequenos de internet não temos como divulgar nossos “achados” se não fosse vc Nassif, o Miguel, o Rodrigo Viana.

    A campanha de 2014 não será fácil!

    Voltando ao assunto da bolinha, os vídeos

    https://www.youtube.com/watch?v=LN2nlFkUdGU

    e

    https://www.youtube.com/watch?v=VG-iHNPZFsQ

    foram utilizado como materaial para incorporar às provas em um processo aberto junto a Procuradoria Eleitoral do Estado de SP pelo grupo Tortura Nunca Mais.

    O processo foi recebido pelo procurador Pedro Barbosa Pereira Neto ainda em 2010. Depois disso não soube mais o que aconteceu.

    Isso foi divulgado pelo PHA em: http://www.conversaafiada.com.br/pig/2010/12/10/cerra-e-globo-podem-pagar-caro-pela-bolinha-de-papel-2/

    Vamos continuar indo pra cima desses caras! Sempre com a verdade.

    E #VaiTerCopa!

    Abraços,

    Alexandre Costa

    •  
      Alô Alexandre
       
      Você pode

       

      Alô Alexandre

       

      Você pode encontrar detalhes sobre o filme, incluindo toda a pesquisa, no site

      http://www.omercadodenoticias.com.br/

       

      Em 2010 escrevi um post sobre o assunto no meu blog, com links para todos os vídeos, incluindo o seu:

      http://www.casacinepoa.com.br/o-blog/jorge-furtado/fazendo-fita

       

      A maior novidade do meu filme, no que diz respeito a este assunto, é a imagem bruta da câmera da Band, que mostra o rosto do segurança de Serra segundos antes da bolinha ser jogada.

       

      O meu fiilme, que trata deste e de muitos outros assuntos (relação com as fontes de notícias, financiamento de jornais e blogs, manchetes enganosas, comentários anônimos, partidarização da mídia) deve  estrear logo depois do festival de Pernambuco, no final de maio.

       

      abraço

       

      Jorge Furtado

       

       

       

  10. O problema é achar que é

    O problema é achar que é correto agredir fisicamente um opositor seja qual for o meio.

    Achar que é correto usar a violência para resolver problemas em nossa sociedade, que é o principio ali presente e que é justificado pelo PT por ser Serra, que o principal crime foi ter sido candidato contra o PT, só isso basta para militância, o inimigo deve ser abatido.

    Vamos colocar a Dilma no lugar do Serra, imagina uma senhora de 60 e poucos anos caminhando no sol e enfrenta um bando de ativistas que foram lá para o confronto fisico.

    O ódio do opositor que não deixa ver a verdade, se Serra fosse “experto” como falam devia ter se permitir ser agredido.

    • ?

      Mas o que está escrito ali é que quem jogou a bolinha foram os próprios seguranças dele.Não é correto agredir,mas quem agrediu não foram os opositores dele.Ou entendi tudo errado?

    • Parabéns AL… a cada dia você se supera !!

      impressionado a cada dia contigo !!

      esse comentário de hoje foi caprichado…

      foi desse jeito na foto abaixo, “contorcionista de araque” ??

       

      • A violência não é a bolinha

        A violência não é a bolinha de papel ou seja lá o que for, a violência é esperar um candidato a presidencia com o intuito de “dar uma lição”.

         

        • A violência da mentira

          Violência é ser mentiroso e dissimulado.

          Serra ensinou e os seus empregados, escrevendo no call-center sob a ridícula alcunha acima exposta, aprenderam.

        • Pô aliança vc já tem numero,

          Pô aliança vc já tem numero, quem sabe com outro nome………………..

    • Você é um mentecapto mesmo.

      Você é um mentecapto mesmo. Quem está achando correto agressão física? Não houve agressão nenhuma e a farsa montada pelo “cerra” e seus seguidores está mais do que comprovada.

  11. a cara do brasil..

    tipicamente brasileiro; graças a deus não é mais a maioria, mas perciste, e a Globo e os tucanos do PSDB, conhecem bem esse caráter brasileiro. Resumindo: temos que compartilhar isso para não deixar voltar essa turma do atraso, da corrupção, do falso cidadão politicamente correto.

  12. os trouxinhas

    Os trouxinhas, digo coxinhas, se alegram com bolinhas.

    E também com tomatinhos, inflação, caos… tudo uma mierdia(porcaria).

    É assim que querem o Brasil, por isso não têm votos.

    Têm apenas o apoio dos que outrora mamaram a vontade nas tetas do estado.

  13. Tanta credibilidade!!!

    Vocês acham que o universo de eleitores brasileiros se dividem em petistas e psdistas. Continuem assim! Pois bem, digam o que vocês acreditam que será pior na campanha: A verdade sobre uma bolinha de papel ou a verdade sobre a compra absurda de uma refinaria, esmiuçada na tv, inclusive com a confissão de erro primário da então presidente do conselho?  Uma lenga-lenga que o outro vai privatizar a Petrobras ou a verdade sobre as concessões(vocês não sabem como funciona uma concessão, claro. Nem poderiam saber) de aeroportos, portos, rodovias e o escambau? O FHC ou os mensaleiros, doleiro sócio de petistas, construtoras e empreiteiras, Rose Noronha e etc.?

    • Oposição sem programa de Governo

      Não Sérgio Ricardo, acho que existe o Povo contra políticos ruins. Aqueles que usam dos piores meios para ludibriar o eleitor. Por exemplo, criar um fato negativo para atingir seu adversário. Neste caso da Petrobrás, não querer que apure também Alstom, porto de suape. Pra começar.

    • TUCANO DESVIANDO O ASSUNTO

      Os tucanos estão tão desmoralizados que tem que fingir que não são tucanos para tentar ter alguma credibilidade.

      É assim mesmo que eles agem, somente com mentiras e vigarices, demonstrando que não tem mesmo nenhum caráter.

      Esse palhaço tenta mudar o assunto, porque não quer que se discuta o fato relatado no texto do post.

      Finge dar uma criticda bem de leve e indiretamente no Serra e já parte para ataques boçais contra o PT, abrindo vários assuntos na esperança de que algum desvie o debate sobre a farsa montada e protagonizada pelo Serra.

      Os m´petodos dos tucanalhas são nojentos. E o pior é que sobrou só isso pra eles. Em um debate sério eles não tem a menor chance, tamanha a incompetência e desonestidade com que agem. Então cada vez mais apelam para vigarices, como essa descrita no texto do post.

      • Para ruyacquaviva

        teus comentários são inteligentes e bem colocado cara, não responda ao escroto da aliança liberal.

        dar ibope as besteiras que ele escreve é perca de tempo.

  14. Parodiando o crítico de

    Parodiando o crítico de cinema e nosso colega comentarista, o Wilson Ferreira, foi um “pum semiótico”, Nassif.  

    Nesse “gasoso” episódio vi várias “coincidências” que montaram o cenário do mais patético espetáculo já encenado na história das campanhas políticas do país.

    O Serra foi ao local onde fica a sede dos mata-mosquitos, ostentando seu aeroporto de mosquito sem qualquer proteção contra possíveis atentados terroristas. Em uma visivel atitude de provocação.

    Como o Serra é sabidamente hipocandríaco, não deve ter sido por acaso que o “ataque” tenha ocorrido ao lado de uma farmácia. Pelo sim pelo não, se a bolinha infringisse qualquer dano, por menor que fosse, haveria alí o pronto-atendimento.

    E finalmente, o detalhe mais sutil. A presença do Gabeira. A suspeita é que o plano incial previa arremessar o ex-esquerdista radical e ex-maroleiro na careca do Serra. Seria mais eficaz. Gabeira apresentava maior volume que a bolinha, para efeito de impacto televisivo, e era igualmente irrelevante. 

    • “O Serra foi ao local onde

      “O Serra foi ao local onde fica a sede dos mata-mosquitos,”

      Agora tem lugar onde pode se ir ou não, fazer campanha politica.

      Eu que pensava que a  via publica era publica. 

      • APOIO A MANIPULAÇÃO

        É bom saber que a aliancaliberal apoia atos de mintira e manipulação midiatica, mostra a que veio!!

        • O truque é focar no objeto e

          O truque é focar no objeto e esquecer que a violência começou horas antes quando algum aloprado do PT decidiu ir partir para a violência..

          • Não desvia o assunto!

            O truque mesmo foi o Serra botar o próprio segurança pra jogar uma bolinha de papel nele e depois se fazer de vítima! Patético, como tudo que vem do Serra!

          • Se fosse para fazer uma

            Se fosse para fazer uma armação foi mal feita.

            Serra é patético sim, mas por outros motivos, ele perdeu a eleição para um poste.. 

          • Alan souza: a culpa é sua!
            Alan, se você quer que um verme morra, tire o oxigênio dele. No caso específico, o oxigênio seria a sua reação. É só não reagir às provocações que o verme morre naturalmente.  

      • Pensa mais um pouco…

        A via é pública, mas bom senso nunca é demais. Já que achas que podes ir a qualquer lugar de cara limpa e sem qualquer reflexão, só porque “a via é pública”, vai numa favela do Capão Redondo 3 manhã pra ver o que te acontece…

        • “A via é pública, mas bom

          “A via é pública, mas bom senso nunca é demais.”. Engraçado os conceitos vão e vem de acordo com a necessidade.

          Os ativistas do feminismo alegam “não merece ser estuprada” não importa a situação, é verdade, mas  o que se fala é que não se pode dar chance pro criminoso, já a feminista dissem o contrário, que tem o direito de andar de qualquer jeito a qualquer hora em qualquer lugar sem serem incomodadas.

          Agora o Alan nos afirma que tem hora certa para andar na rua.

          Um dia são as escolhas pessoais que determinam o crime, outro momento é fruto da sociedade  “injusta”.

          Em outro momento o homoxexualismo é determinado pela genética, já o machismo é comportamental.

          Se decide esquerdista. 

          • O Serra pode ir até para a

            O Serra pode ir até para a puta que o pariu se ele quiser, ninguém está nem aí.

            O que não pode é mentir descaradamente para fazer uma farsa, acusando pessoas de uma agressão inexistente.

            Não adianta pagar pessoas para ficar desviando o assunto escondidos por trás de uma alcunha falsa, a verdade nesse caso está escancarada, mostrando toda a sordidez dessas aves de mau agouro que só agem através de mentiras, insídia e má-fé.

          • A farsa seria qual?
            Que tinha

            A farsa seria qual?

            Que tinha uma SS milicia bolivariana esperando para agredir o opositor do governo.

            Puxa, contrataram muita gente devia ate ter diretor de cena.

             Não existiu agreção foi tudo coisa encenada por atores contratados.

          • O funcionário sabe que está

            O funcionário sabe que está sendo ridículo, mas recebe para isso, então faz.

            Mostre a foto da bolinha de papel de 2 quilos que fratura crânio de careca sem deixar nenhuma marca.

            Esse expediente de colocar umas fotos que não tem nada a ver com o assunto e escrever como se as fotos corroboraseem com a mentira contada é manjado e ineficiente, só denotando a desonestidade de quem a ele recorre.

             

          • A agressão não é a bolinha,ta

            A agressão não é a bolinha,ta dificil entender ou se faz de bobo para continuar a cantinela.

             

          • Ou dá ou desce!

            O apelido do Aliança Liberal contém uma impropriedade. Ele não é liberal, é fascista. Até as pedras do cais sabem que ele é assalariado do PSDB. Diz um monte de coisas idiotas para entrar em polêmica com os demais comentaristas. Nassif, peça a esse sujeito para identificar-se ou sumir. O que não dá para aturar é essa gente mercenária, paga para assassinar reputações. Mande-o usar o espaço cativo que ele tem na Revista do Esgoto. Obrigado.

  15. Parodia

    Nassif: veio-me à ideia o saudoso Millor Fernandes (o do Pif Paf), que sempre lembra-se do general João Batista Figueiredo e que aproveito o gancho:

    “Povo de memória curta, este é o ‘Serra'”

    (no original: o ‘João’)

  16. Serra perdeu a eleição nesse dia.

    Ficou evidente a manipulação da Globo nesse episódio. Na minha família existiam na época muitos eleitores de Serra, as discussões erram animadas. Voto por isso e por aquilo, quando o evento da bolinha de papel foi desnudado, não havia mais discurso, o pessoal ainda votou no Serra, mas quando eu dizia e a” bolinha de papel” todo mundo ficava quietinho. Desse dia em diante nunca mais assisti o JN. Perdeu o pouco de credibilidade que tinha. É mais ou menos assim, os caras ganham tua confiança pra um dia fazer uma coisa dessas e daqui um tempo, vão dizer, erramos(cínicos). Isso não cola mais.

  17. Retrato da classe média

    Essa é apenas mais uma das zilhões de provas de que o PSDB é sórdido, sem qualquer limite moral. E também uma das zilhões de provas de que a grande imprensa age como uma EXTENSÃO desse mesmo PSDB (portanto é tão sordida quanto ele).  Mais provado do que está, impossível.

    Disso, conclui-se que a classe média que tanto defende e elege os tucanos e que tanto se vale desses meios de comunicação para corroborar seus pensamentos, o faz por pura visão ideológica, por puro REACIONARISMO.

    Não existe nenhum argumento aceitável, nenhuma objetividade em sua postura. Dessa forma, fica claro que NÃO SE DEVE tentar debater com gente desse tipo. Não levará a nada. Eles são IMUNES a qualquer tipo de razão.

  18. O Mercado de Noticias

    Não entendo como as pessoas ainda dão seu tempo e seu cérebro para a Rede Globo. Eh uma emissora que desde sua fundação começou de forma autoritaria e enganando o senhor telespectador. Jamais teve credibilidade em minha casa. 

    E o documentario do Furtado, onde poderemos assisti-lo e assim divulga-lo ? 

    • Sobre os militantes petistas,

      Sobre os militantes petistas, ou os demitidos por Serra.

       

       http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/node/588972

      Ministério da Saúde esclarece informações veiculadas em programa eleitoral

      11/09/2002 – 19p9

      Brasília, 11 (Agência Brasil – ABr) – O Ministério da Saúde divulgou hoje a seguinte nota:
      “O Ministério da Saúde sente-se, novamente, obrigado a vir a público para esclarecer informações erradas divulgadas durante o programa eleitoral gratuito. E, mais uma vez, ficou comprovado o total desconhecimento do candidato da Frente Trabalhista sobre a Saúde no Brasil.

      1 – Primeiro, é preciso ensinar que quem coordena o combate às endemias, inclusive a dengue, é a Funasa (Fundação Nacional de Saúde). Portanto, é um disparate a afirmação de que funcionários da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) tratavam desta área, como veículado no programa da Frente Trabalhista de ontem (10/09).

      2 – Os chamados “mata-mosquitos” – cerca de cinco mil – trabalhavam, portanto, para a Funasa no Rio de Janeiro. Mas não tinham situação estável. Prestavam serviço com base em uma Medida Provisória e seus contratos temporários eram renovados a cada vencimento.

      3 – A eficácia da ação desta força tarefa era questionável. A não renovação dos contratos, em 1999, não provocou qualquer aumento do número de casos de dengue, como insinua o programa da Frente Trabalhista. Ao contrário: os números caíram. Em 1998, 530 mil pessoas foram atingidas no Brasil, número reduzido para menos da metade – 210 mil – em 1999, quando os “mata-mosquitos” não foram reaproveitados.

      4 – o fato dos contratos não terem sido renovados não significa que o Ministério da Saúde reduziu recursos, esforços e pessoal envolvido no combate à dengue. Pelo contrário. Foi implantado um novo modelo de controle da endemia, descentralizado, em que estados e municípios passaram a receber recursos do Ministério da Saúde para contratar agentes para realizar o trabalho de visitar as residências em busca de focos do mosquito Aedes Aegypti.

      5 – Desta forma, o total de agentes envolvidos com este trabalho em todo o país passou de aproximadamente 15 mil em 1996 para 48 mil em 2002, sendo 10 mil da Funasa e 38 mil contratados pelas prefeituras.

      6 – No caso do Rio de Janeiro, a realidade não foi diferente. Em 1998 foram notificados no estado 32.113 casos de dengue. Após a não renovação dos contratos de “mata-mosquitos”, em 1999, este número foi reduzido para 7.374 casos, queda de 77,04%. No ano de 2000 foram registrados 3.605 casos, uma redução de 51,11% em relação a 1999.

      7 – Neste estado foram renovados os contratos para os cerca de cinco mil “mata-mosquitos”. Os governos locais passaram a receber recursos para pagamento de salários para sete mil contratados. Assim, o número de agentes pôde ser ampliado e não reduzido.

      8 – O governo federal tem investido cada vez mais no combate à dengue. Além de R$ 184 milhões para pagamento de salários dos agentes da Funasa, os investimentos em outras ações como repasses para contratação de agentes sanitários, compra de equipamentos, inseticidas e treinamento passaram de R$ 50,78 milhões em 1996 para R$ 467,84 milhões em 2001. Em 2002, serão R$ 677,88 milhões.

      Órgão Valores Executados em R$ milhões

      1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

      Transferência Direta – 121,187 124,316 186,240 236,700 374,243 463,027
      Estado/Município (FNS)

      Execução Direta Pelo 50,780 172,00 134,317 124,417 81,643 93,605 214,857
      MS/Funasa

      Subtotal 50,780 293,187 310,657 318,343 467,848 677,884

      Salários dos Agentes de Com- 184,215 184,215,184,215 184,215 184,215 184,215 205,400
      bate à Dengue (4)

      Gasto total 234,995 477,402 442,848 494,872 502,558 652,063 883,284

      9 – É necessário destacar que a epidemia de dengue no Rio de Janeiro deste ano não teve relação com a dispensa dos “mata-mosquitos”. O estado concentrou 40% dos casos de dengue e 80% dos óbitos por febre hemorrágica do Brasil até julho. O empenho do Ministério no controle de endemias é o mesmo em todo o país. Em outros estados, ocmo Amazonas e Acre, a adequada aplicação dos recursos transferidos permitiu reduzir drasticamente os casos de dengue. Esperamos, com estas informações, contribuir para orientar melhor a população e os candidatos à Presidência”.

       

    •  
      Não sei porque perco tempo

       

      Não sei porque perco tempo dialogando com quem se esconde atrás de ridículos apelidos mas, só para esclarecer, o que o meu filme afirma não tem nada de requentado, ao contrário, foi totalmente ignorado por toda a imprensa: o filme afirma e mostra que HÁ FORTÍSSIMAS EVIDÊNCIAS DE QUE FOI O SEGURANÇA DE JOSÉ SERRA QUEM JOGOU A BOLINHA DE PAPEL NA CABEÇA DE JOSÉ SERRA. Por que ele fez isso? Você pode achar que isto é irrelevante, mudar de assunto, mas não não pode negar este fato.

       

      http://www.omercadodenoticias.com.br/

      • Jorge se o intuito fosse

        Jorge se o intuito fosse fazer uma armação ela foi muito mal feita e não aceito que os atores politicos sejam burros.

        “Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade.”

        Ser financiado pelo governo para atacar a oposição, pq eu perco tempo em achar isso pouco ético.

        Se deu bem blz, mas sem fazer personagem.

      • Jorge, você tem razão, não

        Jorge, você tem razão, não era nem para falar desse serviço de trollagem p´rofissional que se esconde covardemente atrás dessa ridícula alcunha.

        A coisa é tão safada, que os empregados por trás da alcunha insistem que não são tucanos, mas ficam esquadrinhando cada um dos posts deste e de outros blogs de onde ainda não foram expulsos por trollagem, defendendo a tucanalha em cada post.

        Este aqui então está simplesmente escancarado, mas se você perguntar o empregado de plantão responderá inariavelmente que não é tucano.

        O perfil aparece invariavelmente defendendo o PSDB com grande virulência e de vez em quando defendendo algum direitista, mas sem o mesmo entusiasmo.

        É o personagem mais asqueroso deste blog, exercendo um tipo de trollagem pernicioso e desonesto.

        A atitude mentirosa, insidiosa e crivada de má-fé desses tucanalhas mal enrustidos que estão por trás dessa ridícula alcunha, é equivalente à iniquidade do Serra nesse golpe ridículo que ele tentou aplicar em 2010.

         

          • Certamente NÃO SOU um moleque como você…

            Eu sou uma pessoa de verdade, que usa o próprio nome e não fica se escondendo covardemente atrás de uma alcunha ridícula.

            Não tenho nada a esconder, mas também não tenho que responder a um proxeneta covarde, dissimulado e mentiroso que não tem a nem hombridade de usar o próprio nome.

            Vire gente, deixe de ser um moleque fanfarrão antes de perguntar sobre a vida de um homem de bem que não se acovarda sordidamente como você faz. Aí poderá perguntar sobre minha vida, até lá vá à merda com sua [tu]canalhice.

            (como são vigaristas esses tucanos!!!)

          • Ficar lambendo o cu do

            Ficar lambendo o cu do governo não é coragem é subserviência.

            O escravo defende seu senhor e diz que ter coragem.

            É necessário o anonimato para que a gestapo petista não me censure, ou faça coisa pior.

            Não se tem garantias constitucionais efetivamente por isso a necessidade de se proteger do nazipetismo.

          • Impressionante, você nem sabe

            Impressionante, você nem sabe o que quer dizer hombridade.

            É o tipo de moleque que aperta a campaninha e sai correndo e quando é pego tenta por a culpa nos outros.

            Sua mensagem é a admissão direta e irrefutável de que é um covarde sem vergonha na cara.

            Não vou nem explicar que um homem de verdade assume suas ações e encara suas responsabilidades, porque você não é homem, é um verme. A pura matéria fecal de que são feitos os traidores, os vira casacas e todo tipo de covarde mesquinho e pusilânime.

            É um Judas, um traidor covarde e repulsivo como Joaquim Silvério dos Reis.

            Você não é um homem, é um verme.

            A respeito de covardes pusilânimes como você, disse Cecília Meireles no livro “O Romanceiro da Inconfidência” (não que você saiba quem foi Cecília Meireles, o seu negócio é Justin Bieber):

            Pelos caminhos do mundo,
            nenhum destino se perde:
            há os grandes sonhos dos homens,
            e a surda força dos vermes

            Você é um verme, um moleque no pior dos piores sentidos da palavra. Não tem hombridade nem vergonha na cara e acabou de admitir isso de forma definitiva e irrefutável.

             

  19. O “médico” de Serra

    E o tal “médico especialista” de Serra dando azo à farsa.

    Sabe o que é pior, isso vai tornar a ocorrer nessa campanha de 2014.

    Noutros moldes, mas iqualmente repugnante.

    Quando o argumento é frágil sobrevém a calúnia, injúria e a difamação.  Parte-se para o pessoal. 

    Busca-se a interferência “amiga” do Judiciário.

    Foi sempre assim que a direita tentou minar os representantes das classes trabalhadoras e menos favorecidas. Basta revisitar a história.

    Portanto, vem mais por aí.

    Anotem.

     

  20. #SerraRojas

    Apenas para registro.

    Um dia antes da entrevista de Lula, o primeiro a comparar a situação de Serra em 2010 com a do ex-goleiro chileno Rojas foi o deputado federal Dr. Rosinha (PT-PR), em seu twitter, ao criar a hashtag #SerraRojas:

    O deu uma de hoje?

    15:28 – 20 de out de 2010

    (fonte: https://twitter.com/DrRosinha/status/27950172444)

     

    Em 1989, o então goleiro chileno Roberto Rojas simulou ter sido atingido por um ataque de rojão no Maracanã.

    15:34 – 20 de out de 2010

    (fonte: https://twitter.com/DrRosinha/status/27950620361)

     

    Eram as eliminatórias para a Copa de 90. O chileno cortou o próprio rosto c/ lâmina de barbear q escondia na luva

    15:36 – 20 de out de 2010

    (fonte: https://twitter.com/DrRosinha/status/27950774648)

     

     

     

     

     

  21. A armação de Serra

    Na prefeitura do Rio todo mundo sabe que esta farsa foi armada pelo corrupto Índio da Costa e seu mentor Cesar Maia.  Felizmente a armação deu com os burros nágua.

  22. RIDÍCULO

    A farsa foi tão ridícula que chegaram a falar de um objeto de 2 Kg (afirmação do Índio da Costa, o vice do Coisa Ruim), que depois foi modificado pelo venalíssimo Molina para um rolo de fita crepe de 600 gramas (nunca vi nenhum rolo de fita adesiva de nenhum tipo com esse peso.

    Outro ridículo foi afirmar que o Serra teria sofrido uma contusão que levasse a uma tomografia, sendo que não havia uma única marca e não deixou nenhum hematoma, NADA, na careca do candidato tucano. Esqueceram que pancada na cabeça de careca deixa marca porque não tem cabelo cobrindo.

    Foi extremanete grosseira essa farsa, mas mesmo assim a Globo insistiu na versão do Serra até o final da campanha eleitoral.

    ´[E um exemplo perfeito do modus operandi tucanalha, formado por mentiras, insídia e má-fé.

  23. Vai aqui também

    Esquece a bolinha.

    Faz o seguinte: pra confirmar a imensa popularidade da presidenta Lula junto às camadas populares, quando começar oficialmente a campanha eleitoral, pega a criatura pr’um passeio aqui no calçadão de Campo Grande – palco do “atentado” contra o Serra, perpetrado pelo  Sandro Mata-Mosquito  – e, nem precisava dizer, traz junto o Cabralzinho, o Dudu Paes e o Pezão, candidato do PT ao governo do Rio.

    Sugiro o seguinte roteiro: Dilma, vestida com a gloriosa camisa do alvinegro suburbano e acompanhada de animado cortejo, começaria o périplo lá na estátua do Adelino Moreira (sem o granito da mesa, depredado pela enésima vez); passaria pelo subterrâneo que passa embaixo da linha do trem (nesse dia, é recomendável que a escada-rolante esteja funcionando, se não pega mal); pararia no sinal eternamente desrespeitado pelas vans dos empresários milicianos; subiria a Coronel Agostinho; passaria pelo Relógio do Queijo sempre parado; tomaria um mate gelado na pastelaria chinesa; compraria uma colher de pau num camelô índio do calçadão; leria a mão numa cigana; pararia em frente a Lojas Americanas pra curtir uma apresentação da   Mulher Piripipiripiri* e encerraria com um discurso – lá na esquina com a Cesário de Melo, bem próximo ao local do “atentado” de 2010 – do tipo “Trabalhadores de Madureira…”(Aqui, Sandro Mata-Mosquito, assessor de campanha, dá um toque baixinho pra presidenta Lula: “Presidenta, aqui é Campo Grande. Madureira fica a 14 estações daqui…”).

    …Ah!sim, faltou um detalhe: chama pra frente do cortejo a Mulher de Verde** , o Flash** e o Jorge Babu***, homem da terra e combativo quadro petista no pedaço que vai de Santa Cruz a Campo Grande.

    * http://www.youtube.com/watch?v=JwoP1Pkwrm0

    ** http://desciclopedia.org/wiki/Campo_Grande_(Rio_de_Janeiro)

    ** http://pt.wikipedia.org/wiki/Jorge_Babu

    • Olá 0005, seja bem vindo. Tá

      Olá 0005, seja bem vindo. Tá dificil chegar a 9000, mas vamos tentando!

  24. Pois é, meiradarocha ! Apesar

    Pois é, meiradarocha ! Apesar de outros terem mostrado quew era uma farsa, o que eu gravei foi seu gráfico e comentários desfazendo qualquer dúvida.

  25. Fico imaginando

    Já pensou se o nosso ativo mp fosse pra cima da globo? Por cime de não cumprimento da sua função pública e inquestionável de INFORMAR e pelos crimes de desinformar e influir nas eleições de forma completamente antidemocrática? A bolinha de papel foi uma das mil tramóias e fez sucesso por ser caricata.

    Fechava o jornal em dois tempos e seus donos seriam presos.

     

     

    É…, accho que vai continuar assim mesmo.

  26. Mais da Mesma Farsa – Jacob

    Mais da Mesma Farsa – Jacob Kligerman

    Este foi o médico que atendeu José SerraParticularidades sobre o cidadão:No Site do CREMERJ não há informações precisas sobre sua especialidade. Mas procurando no GOOGLE verificamos que ele é cancerologista e especializado em Cabeça e Pescoço. Está certo que José Serra é um câncer no em metástase na política brasileira, mas se o problema era uma lesão – porrada com alguma coisa de 2 Kg segundo ìndio da Costa – na cabeça, quem deveria atendê-lo seria alguém especializado em TRAUMA.Outra informação importante é que o Dr. JACOB KLIGERMAN – de orígem judáica – foi Secretário Municipal de Saúde do Município do Rio de Janeiro no Governo do Prefeito César Maia do DEM durante a maior epidemia de Dengue na Cidade Maravilhosa…Em 1964, nos primeiros dias de golpe, escondeu o então Presidente da UNE José Serra em seu apartamento – na realidade uma garçoniére (fonte: clique aqui).Em 1993, tornou-se Diretor do Hospital do Câncer do INCA, cargo que ocupou até 1996. Em maio de 1998, após ser eleito membro da Academia Nacional de Medicina, passou a ocupar a cadeira nº 26 na Seção de Cirurgia. Em setembro do mesmo ano, foi nomeado diretor-geral do INCA pelo Ministro da Saúde José Serra.Logo, José Serra e Jacob Kligerman, são velhos amigos! E amigos, sempre salvam a pele – no caso, a cabeça – uns dos outros! Mas, justiça seja feita, dizem que o Dr. Kligerman é extremamente competente em sua área de atuação. Maracutaia, não! Cancerologia!Opinião dO Cachete:Serra mente. O PSDB mente. O DEMENTE! Hahahaha… Hoje eu estou demais!!!!Comentário do Contexto:Revelado agora há pouco o que estava escrito na bolinha de papel que acertou José Serra:”Não se larga um líder ferido na estrada a troco de nada. Não cometam esse erro.  Ass. Paulo Preto”.http://www.contextolivre.com.br/2010/10/mais-da-mesma-farsa-jacob-kligerman.html

     

    • Faltou o imposto de renda, o

      Faltou o imposto de renda, o sigilo, fiscal, inventar algum crime contra o médico, sugiro algo como pedofilia que da bons resultados, ou que ele vende orgão humanos.

      Melhor faz um dossiê e diz que é banco de dados.

    • As origens.

      O Dr. Jacob tem origem judaica. Essa informação é plenamente dispensável, porque nada tem a ver com o caráter (ou falta de) desse doutor e me passa uma postura preconceituosa e racista. Informação relevante é o fato de ele e Serra serem amigos de 50 anos e ele participou dos governos do PSDB E DEM e foi elemento importante na fraude que armaram, mas que fracassou.

  27. A valentia póstuma e o mentiroso contumaz

    Vou contar aqui uma antiga parábola do Brasil rural, que me foi contada por um velho camarada – mineiro do interior como eu – muitos anos atrás. Tirem as crianças da sala, porque em blog adulto a gente se dá o direito de ser um pouco mais explícito.

    Diz a lenda que um caipira havia acabado de casar na igrejinha da roça, e voltava para casa por uma estradinha no meio do mato trazendo a noiva pela mão e a sogra de acompanhante. De repente, de uma moita pula um conhecido bandido da região, famoso pela crueldade e pelo sangue frio. Apontando uma garrucha carregada, anuncia o assalto.

    Não satisfeito em roubar o dinheirinho e as poucas coisas de valor que encontrou, o cruel meliante decide violentar a noiva. Aos berros manda que ela tire a roupa e deite no chão. Em seguida, risca com o bico da botina um círculo na terra e ordena ao noivo que fique ali dentro, calado e sem colocar um dedo sequer para fora. Vira para a mãe da noiva e manda que ela se ajoelhe e fique segurando seus testículos enquanto ele pratica o estupro, porque não quer que suas partes se sujem na areia.

    Consumada a violência, o bandido se veste e vai embora deixando a noiva aos soluços e os demais inconsoláveis.

    O primeiro quebrar o silêncio é o noivo, que fala em tom raivoso:
    — Esse filhadaputa acha que é valente e manda na gente, mas na verdade é um bocó. Enquanto ele estáva alí em cima da Rosinha eu coloquei os pé pra fora dessa roda mais de cinco veiz e ele nem reparô, o tonto!

    Aproveitando a deixa, a sogra também falou:
    — É isso mesmo Bastião. Ele falô preu não deixá cair areia nas parte dele, mas nas hora que ele tava mais animado fazendo mal pra minha filha eu joguei um monte de terra no saco e no rabo daquele escomungado.

    Vendo as impressionantes demonstrações de valentia, a noiva enxugou as lágrimas e não ficou atrás:
    — Ocêis é que num repararam, mais eu também não fiz nadica do que ele mandô. Ele dizia “abre as perna”, eu fechava; dizia “mexe a bunda” e eu ficava quieta; dizia “fica quieta” e eu mexia de monte. Coió, fiodumaégua!

    =========

    Por que eu fui me lembrar justo agora dessa triste parábola? Porque eu acabo de ler no UOL que o ex-governador José Serra fez hoje na rádio Jovem Pan uma declaração muito semelhante de valentia póstuma diante dos desmandos da FIFA. Declaração desmentida no ato pelo jornalista Juca Kfouri no seu blog. Durou menos que a bolinha de papel.

    http://blogdojuca.uol.com.br/2014/04/serra-nao-fala-a-verdade-sobre-o-morumbi/
     

  28. Concordo inteiramente com

    Concordo inteiramente com tudo.

     Mas, como se dizia em Minas, esse tal de Vargas é dose.

    Ou não é?

  29. Trieste é relembrarmos tudo

    Trieste é relembrarmos tudo isso e ver quão bobos e curiosos fomos nós ao ficarmos horas a fio tentando descobrir o que realmente/supostamente teria atingido o Serra.  Imaginemos todos nós: todos as tvs se esforçando para mostrar uma farsa para favorecer o Serra e acusar o PT de agressores. E isto em horário nobre. Após 04 anos percebemos quão bobos somos. E ainda por cima, a Globo contratou um perito para ratificar a fraude.

  30. “co-autoria” do video

    Sem, de forma alguma, querer criar alguma polêmica ou reivindicar qualquer coisa (mesmo porque duvido que serei levado a sério no que direi a seguir), gostaria de ver um dia reconhecida a minha própria participação na solução do bolinhagate.

    Se estivermos falando do mesmo video do youtube, na verdade serão dois. O segundo é o principal deles e decorreu de uma constatação colaborativa minha. Se bem me lembro, o autor do video primeiro percebeu uma mãozinha marota jogando a bolinha de papel na careca do Serra. Então, eu, por conta própria, cruzei os videos disponíveis na época. Usei as características da mão e procurei todas as mãos iguais nos outros registros, da seguinte forma:

    Puxando só pela memória, lembro que era a mão de um negro vestido com uma roupa social azul, com a manga até os punhos. Quando fui investigar todos os outros videos possíveis, só aparecia uma mesma pessoa com essas características: um negro usando óculos escuros. E eis que esse negro era da comitiva do Serra! (ou parecia ser, pois é ele quem aparece conduzindo-o à van, em seguida). Daí, combinamos que o autor do primeiro video faria também o segundo video, como uma “continuação”. Ou seja, quem, de fato, desmascarou a farsa, modéstia à parte, fui eu, em discussão com o autor do video (não me lembro o nome dele). Tudo isso está registrado na discussão do primeiro video (aquele que mostra só a mão). Se ele ainda existir, e se for necessário, pretendo rastrear essa discussão só para demonstrar o que estou dizendo. É claro que estou dizendo tudo isso de memória e posso estar enganado em alguns aspectos, porém, no geral, os ‘bastidores”, foram isso aí.

    Sei que isso parecerá uma picuinha sem importância para todos que lerem isto. Por isso, quero registrar aqui que não tiro a maior parte do mérito do autor dos videos, que primeiro constatou a mãozinha marota, e depois, já de posse da informação que forneci, dedicou parte do seu tempo editando e divulgando o video principal.

    Não sei se o amigo criador do video vai reconhecer ou se lembrar disso. Mas eu sinto que a parte mais importante dessa história é obra minha e nunca recebi o devido reconhecimento. Toda vez que leio “o autor do video”, isso passa uma ideia de que foi um trabalho solitário, isolado e personalíssimo. Mas não. Foi um trabalho colaborativo, participativo e contributivo em que eu, ele e mais algumas pessoas participaram, cada um dando sua contribuição.

    Enfim, ninguém é obrigado a pensar isso quando for fazer referência ao video. Mas acho que seria mais apropriado dizer “os autores do video”, se considerarmos que a produção de um video não é simplesmente a sua edição ou o fato de ele estar associado a certo perfil.

    Nesse sentido, peço que usem o plural, em reconhecimento a mim e a todos aqueles que participaram desse importantíssimo material das Eleições de 2010.

    Obrigado!

    Sérgio

    • o que há de novo no caso da bolinha

       

      Alô Sergio

       

      É um prazer falar com alguém que publica e assina suas opiniões, com nome e sobrenome. Enquanto os blogs e sites continuarem aceitando trolls e comentários anônimos – ao contrário do que faz a mídia tradicional – permanecerão na infância do jornalismo e os jornais, revistas e blogs assinados, continuarão indispensáveis.

       

      Em 23 de outubro de 2010 publiquei um post no meu blog com comentários sobre a suposta agressão a José Serra e os links disponíveis para todos os vídeos que encontrei na rede. Creditei os vídeos que tinham créditos e atualizei o post algumas vezes.

       

      http://www.casacinepoa.com.br/o-blog/jorge-furtado/fazendo-fita

       

      Baixei todos os vídeos, alguns links já não estão ativos.

       

      Segui pesquisando desde então, para incluir este caso entre os vários assuntos do meu documentário “O Mercado de Notícias”, sobre jornalismo e mídia.

       

      Percebi que a câmera da Band, pela posição em que se encontrava,  era a única que poderia, talvez, mostrar o rosto do homem que atira a bolinha no momento exato em que atira a bolinha.

       

      Infelizmente, a qualidade do video da Band disponível na internet não permitia examinar a imagem com detalhes. Por isso compramos a fita original da Band, mesmo correndo o risco de que ela nada revelasse.

       

      Tivemos sorte. A imagem bruta, assim que seus níveis de luminosidade e contraste foram alterados, mostra o rosto do homem – camisa azul, óculos escuros – 4 segundos antes que uma mão – camisa azul de mangas compridas – se erga e jogue a bolinha. Esta pequisa, assim como a imagem das 5 câmeras que registraram a cena, está no meu filme.

       

      O link para todas as fontes de pesquisa, inclusive os videos disponíveis na rede, estão no site do filme.

       

      http://www.omercadodenoticias.com.br/

       

      O site continuará sendo periodicamente atualizado, inclusive com este post do blog do Nassif e meus comentários. Procure o caso da “bolinha de papel” na aba “casos jornalísticos”.

       

      O filme “O Mercado de Notícias” foi selecionado para o festival internacional de documentários “É tudo verdade”, já foi exibido em São Paulo e no Rio e segue para Campinas, Belo Horizonte e Brasília. O filme também foi selecionado para o Festival de Recife. As datas de exibição em cada cidade estão no site do filme.  Depois de participar destes festivais, o fiilme estreia nos cinemas.

       

      Sua participação, e de todos os que ajudaram a desmascar esta tentativa de fraude, foi muito importante para aperfeiçoar nossa jovem democracia. Se a história se repete como farsa, pelo menos vamos evitar que a farsa se perpetue como história.

       

      Um abraço

       

      Jorge Furtado

       

      http://jornalggn.com.br/noticia/bolinha-de-papel-a-farsa-politica-desmascarada

       

      http://www.omercadodenoticias.com.br/casos-jornalisticos/

      • “com alguém que publica e

        “com alguém que publica e assina suas opiniões, com nome e sobrenome. “

        E de uma coragem divina vangloriar o rei.

         

      • Olá Jorge!
        Como tenho acesso
        Olá Jorge!
        Como tenho acesso ao vídeo final do seu trabalho?
        Tá no site q vc informou?
        É q tô viajando e estou sem computador, só com um celularzinho e não consegui abri-lo.
        Meu email: arcostabsb@yahoo.com
        Abraços,
        Alexandre

      • algumas correções

        Olá Sr. Jorge! Agradeço suas palavras.

        Enfim, peço desculpas por alguns erros de português e de coerência do comentário anterior. Quero explicá-los.

        Minha jornada diária é de 15horas, em locais onde ou a conexão é lenta ou a internet é bloqueada para a maioria dos sites, inclusive youtube. Daí, que (1) não tive tempo de clicar em cada link e de revisar meu comentário; e (2) não consegui checar alguns links que considerei relevantes, portanto, não vi quais eram os videos em referência e fiz um comentário “no escuro”.

        No caso, eu queria fazer referência a dois videos que, parece, não foram sequer citados nessa postagem do Nassif. Mas o senhor parece tê-los citado no seu link. Por isso, na verdade, meu comentário provavelmente estaria muito mais bem alocado nesta postagem: http://jornalggn.com.br/noticia/o-autor-do-video-que-desmascarou-a-farsa-da-bolinha

        Dito isso, eu fazia referência a um outro video que “bombou” na época (pelo menos no Viomundo, eu tenho uma lembrança clara). Também não dá pra saber se é o video do Sr. Alexandre Costa, do link acima, pois ele restringiu o acesso. Me parece muito que é, sim.  Ainda por isso, se for mesmo o tal sr. Alexandre, eu não teria mais como demonstrar nenhum fato do que descrevi. Apenas posso dizer que, considerando ser sim aquele video, a “teoria do homem da camisa azul” nasceu, em primeiro lugar, dessa minha suspeita e análise, já que o senhor menciona que os videos foram postados dia 22 de outubro, antes, portanto, de qualquer especulação nesse sentido (lembro-me, realmente, de tudo ter acontecido em pouco tempo).

        Em qualquer caso, isso não tem a menor importância. Apenas me parece que o senhor fez um trabalho bem mais profissional, detalhado e confiável que o meu. No entanto, este também não é o ponto, para mim.

        O meu ponto é quase o mesmo o que o Sr. Alexandre Costa vem enaltecer em seu citado comentário (embora ele se diga “o autor do video original”): “a força que tem a internet e seus usuários que procuram sempre a verdade.” Ou seja, a força das pessoas, em conjunto, para atingir objetivos nobres e esclarecer informações.

        Apesar disso, embora tudo tenha sido feito de forma totalmente gratuita e sem se pensar de antemão no reconhecimento do mérito, dói um pouco o coração ver que ele teve tanta repercussão, sem que o mundo se dê conta da existência dessa minha contribuição no esforço coletivo, pequena pra quem vê o resultado, mas enorme e de grande orgulho para quem o realizou. Logo eu, um biólogo, servidor público, f… e mal pago, desprovido de qualquer conhecimento técnico de edição, mas dotado apenas de meu humilde conhecimento em método científico para colaborar com o caso.

        Por fim, lendo agora o seu blog, vi que o raciocínio do senhor sobre o homem da camisa azul seguiu praticamente os mesmos passos do meu, para a produção do 2º video. Se o senhor tiver acesso não restrito ao 1º video, peço que leia os comentários desse dia 22 de outubro (ou dos dias anteriores, quem sabe). O senhor vai ver que todas as evidências já haviam sido apontadas por mim, antes.

        Ainda não vi o seu video, mas estou ansioso para isso. Farei isso com calma, outro dia. Parabenizo-o pela indicação. Se o senhor ganhar o prêmio, saiba que me sentirei um pouco premiado também!

        Agradeço mais uma vez suas palavras. Agradeço também por acreditar nas minhas palavras.

        Sérgio

        • quem atirou a bolinha?

          Alô Sergio

          Parabens pelo seu trabalho e esforço para elucidar a verdade, fazer (de graça) o que a imprensa é paga para fazer e não fez, neste caso.

          Provavelmente foi o seu vídeo (feito em colaboração com o Alexandre) que me alertou para a forte possibilidade de ter sido um dos seguranças de Serra quem atirou (e acertou, de primeira!) a bolinha.

          Acho que vi todas as edições disponíveis na internet, mas não usei nenhuma delas.

          A produção do meu filme conseguiu reunir todas as imagens brutas das 5 câmeras que gravaram a cena. Tivemos que comprar a fita original da Band, para examinar melhor a imagem. 

          Eu e o Giba Assis Brasil (montador do filme) trabalhamos alguns meses na montagem do filme, algumas semanas só nesta montagem, que fortalece muito a sua suspeita que que foi mesmo o segurança de Serra o autor do arremeso.

          Espero que o filme possa ser visto no cinema ainda no primeiro semestre.

          Acompanhe as notícias sobre o filme no site:

          http://www.omercadodenotícias.com.br

          grande abraço

          Jorge Furtado

           

           

           

           

    • Olá Sérgio,
      Quando fiz o 1o.
      Olá Sérgio,
      Quando fiz o 1o. vídeo dia 22/10 (http://m.youtube.com/watch?v=LN2nlFkUdGU) veja nos comentários que discuti com um usuário do youtube de Nick tvpac. Se esse for vc fico feliz em conhece – lo.
      Realmente esse tvpac discutiu bastante comigo e cheguei a necessidade de fazer o segundo video com a dica da matéria do SBT q eu não tinha assistido.
      O segundo video saiu ainda no mesmo dia 22 (http://m.youtube.com/watch?v=VG-iHNPZFsQ).
      Tudo que é feito com ajuda de outros, em grupo, com companheirismo e colaboração produz sempre um trabalho melhor e em menor tempo.
      Abraço e vamos nos preparar pra desvendar as bolinhas de 2014!
      Alexandre Costa

    • Olá Sérgio,
      Quando fiz o 1o.
      Olá Sérgio,
      Quando fiz o 1o. vídeo dia 22/10 (http://m.youtube.com/watch?v=LN2nlFkUdGU) veja nos comentários que discuti com um usuário do youtube de Nick tvpac. Se esse for vc fico feliz em conhece – lo.
      Realmente esse tvpac discutiu bastante comigo e cheguei a necessidade de fazer o segundo video com a dica da matéria do SBT q eu não tinha assistido.
      O segundo video saiu ainda no mesmo dia 22 (http://m.youtube.com/watch?v=VG-iHNPZFsQ).
      Tudo que é feito com ajuda de outros, em grupo, com companheirismo e colaboração produz sempre um trabalho melhor e em menor tempo.
      Abraço e vamos nos preparar pra desvendar as bolinhas de 2014!
      Alexandre Costa

      • Obrigado pelo reconhecimento!

        É isso mesmo, Alexandre! Na verdade, é TV PEC (acrônimo para Pollo Esporte Clube).

        Por alguma razão, não estou conseguindo acessar os videos (aparece como bloqueado, mesmo para o usuário TV Pec). Deve ter a ver com o fato de eu estar usando Linux. A averiguar.

        Antes de ler sua resposta, acabei repostando a mensagem acima, atualizada, no artigo que republica seu comentário.

        Ainda bem que não levou para o lado da polêmica. Fiquei com receio de isso acontecer.

        Parabéns pelo comentário publicado. Achei ele muito bom.

        Se quiser, adicione-me no twitter: @sergiobio.

        Faço, por fim, dois pedidos:

        1- por favor, sempre que tiver oportunidade, lembre da minha participação. Não ganho nada com isso, mas tão bom quanto ver que uma iniciativa nossa repercutiu tanto e positivamente, é ver essa repercussão devidamente associada ao nosso esforço e originalidade.

        2- conte comigo para futuras investigações. Meu tempo diário é limitado, mas nessas eleições vou tentar dar um gás a mais.

        Abraço

        Sérgio “TV Pec”

  31. Qual será a bolinha de papel

    Qual será a bolinha de papel do Aécio?

    O Diário do Centro Mundo arrecadou em sua vaquinha virtual para investigar a reportagem que a mídia escondeu (helicóptero do pó).

  32. Bola de neve

    As prisões estão lotadas de gente condenada por crimes muito menores do que esse – incluindo a Papuda e seus prisioneiros mais famosos – e o Ministério Público e a Justiça Eleitoral são incapazes de denunciar um crime contra a fé pública em rede nacional cometido por uma concessionária de serviços públicos de radiodifusão?

    As bolinhas de papel precisam ser eliminadas de uma vez por todas antes que virem bolas de neve e a democracia brasileira seja soterrada por uma avalanche tropical!

  33. Pois é Nassif, a bolinha de

    Pois é Nassif, a bolinha de papel virou bala de borracha desta vez e sobre jornalistas. É só procurar na carta capital, no viomundo e conversaafiada que encontaram minhas denuncias para não entrarem de cabeça, pois, era uma encenação para levar o povo as ruas. O Alvo principal era a Dilma e continua a ser!

    Cobrem a cabeça dos policiais que só atiram na cabeça dos manifestantes com balas de borrachas, e também de seus superiores que tramitam na Camara de Vereadores de São Paulo e Camara de Deputados. Eu fiquei sabendo do teatro a pelo menos 8 meses antes do ocorrido, até os estudantes que gritavam sem violencia enquanto outros depredavam era tudo ensaiado.

    O ponto alto seria proclamar um regime parlamentarista e a desmoralização total do PT. É uma farsa envolvendo grande parte da midia e sociedade civil e militar.

  34. Fita crepe.

    Logo depois do “atentado”, os comentários que eu ouvia era de que um pacote de fita adesiva teria sido atirado na careca do Serra. Dois dias depois, eu estava numa conhecida cadeia de lojas de Informática e material para escritório. Vi um pacote com três rolos de fita adesiva. Tinha uns 20cm de altura e sopesando, avaliei uns 300g. Seria impossível que ninguém achasse um pacote daquele tamanho para apresentar à imprensa. Mas pelo jeito, foi pior do que pensei. Pensei que foi um ato oportunista, não foi, foi ensaiado, montado, uma farsa descomunal. Agora, eu exijo, cadeia para todos os envolvidos, foi um crime, repito GRAVÍSSIMO!

  35. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome