Boulos e Erundina disputam a Prefeitura de São Paulo

O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e a ex-prefeita de São Paulo foram escolhidos foram escolhidos pelo PSOL

Jornal GGN – Guilherme Boulos e Luiza Erundina são os candidatos do PSOL à Prefeitura de São Paulo, neste 2020. O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e a ex-prefeita de São Paulo foram escolhidos em eleição interna do partido.

A dupla conseguiu 61% dos votos entre os filiados do PSOL, em uma escolha que envolvia também as chapas da deputada federal Sâmia Bomfim e o deputado estadual Carlos Giannazi.

Boulos disputou a Presidência da República em 2018, obtendo 617.122 votos, que são 0,58% dos votos válidos. Erundina é deputada federal e já ocupou o comando da capital paulista, entre 1989 e 1992, em uma das gestões mais bem recebidas da história da cidade.

“Agora é oficial! Eu e Luiza Erundina somos pré-candidatos do PSOL à Prefeitura de SP. Após o fim da apuração tivemos 61% dos votos. Agradeço à militância e cumprimento Sâmia Bomfim e Carlos Giannazi pelo processo democrático. O partido sai mais forte e unido. Vamos vencer em São Paulo!”, anunciou Boulos, nas redes.

AGORA É OFICIAL! Eu e Luiza Erundina somos pré-candidatos do PSOL à Prefeitura de SP. Após o fim da apuração tivemos 61%…

Posted by Guilherme Boulos on Sunday, July 19, 2020

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Em estratégia bolsonarista, Russomanno procura um militar como vice

5 comentários

  1. Giannazi seria um bom nome para compor com a Erundina, Samia e Boulos talvez puxassem mais os votos da molecada.
    Samia conseguiu um fato interessante: parte dos seus votos para vereadora vieram não só da estudantada como também secou parte dos votos do Nabil Bonduki, que é quadro mil vezes melhor.
    Não acho Boulos um puxador de votos e a Samia tem uma retórica medíocre, mas a retórica tem funcionado na esfera política de todos os espectros. Sua trajetória à esquerda não é diferente de um Kim Kataguiri para a direita. Dizer que participou das manifestações de tal e tal momento não é currículo; várias pessoas fizeram isso e não precisam ostentar.
    Mas a lógica da política não é a política da lógica, ela não é “aristotélica”

    1
    1
  2. Não moro mais em São Paulo, mas se fosse eleitor lá, esta seria minha opção. Erundina, com sua trajetória e biografia admiráveis e Boulos, com sua visão renovada colocariam em prática políticas públicas para implementar e consolidar verdadeiros processos de democratização.

    1
    1
  3. Já há uma movimentação no PT para que Boulos/Erundina sejam apoiados pelo PT.
    (1) o apoio significaria que o PT estaria reconhecendo que sua hegemonia não existe mais.
    (2) o apoio significaria que o PT reconhece que não tem candidato viável em SP
    (3) o apoio significaria que o PT passa a colocar o interesse coletivo acima de seus interesses partidários.

    Será que o PT teria amadurecido o suficiente para concretizar esse apoio ?

    • Eleitorado da periferia de São Paulo tem demonstrado que é volátil. Já votou em Jânio, Maluf, Lula, Marta e Bolsonaro.
      O PSOL não tem perfil social para ocupar o lugar que uma candidatura do PT, seja com qual candidato for. O PSOL tem intelectuais mas não são orgânicos, preferem a academia.
      O páreo vai ser noturno(trevas), duro e embolado. Apesar do bom jockey Boulos, o cavalo precisa de musculatura que o PSOL e a esquerda pequeno burguesa não tem. Se o candidato próprio do PT estiver bem alinhado após a curva, na reta final pode disparar. Cavalo petista é um cavalo no bom sentido Tchê.

      na noite escura brilha a estrela

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome