Efeito Bolsonaro e cenas de violência no contexto político-eleitoral

Mestre de capoeira morto por dizer que votou em Haddad e aumento de ataques contra jornalistas estão entre exemplos que preocupam estado social 
 
 
Romualdo Rosário da Costa, conhecido como Moa do Katendê, foi morto a facadas após uma discussão política em Salvador – Facebook/Divulgação
 
Jornal GGN – Jair Bolsonaro é conhecido como um deputado federal que sempre fez discursos de ódio, violência e intolerância. Agora, prestes a concorrer o segundo turno das eleições presidenciais do maior país da América Latina, em crise política e econômica desde 2015, a postura do candidato pelo PSL está sendo analisada por articulistas e analistas da política como um discurso que autoriza a violência na sociedade, assim substituindo o uso das regras legais, criadas justamente para permitir a convivência civilizada nos estados modernos.
 
Na coluna de terça-feira (9), na Folha de S.Paulo, o jornalista Álvaro Costa e Silva elenca sete cenas de violência por motivações políticas que viraram notícia nos últimos dias, a última delas, a morte do mestre capoeirista Moa, com 12 facadas em um bar de Salvador (Bahia), após revelar que votou em Fernando Haddad (PT). 
 
No domingo de eleições, alguns eleitores de bolsonaro a ação de seus votos, segurando armas, e postaram nas redes sociais. 
 
Poucos dias antes, na cidade Muniz Ferreira, Bahia, o cachorro Marley foi morto a tiros porque latiu para uma carreata bolsonarista. A dona do animal contou para o jornal O Povo: “O homem saiu do carro e deu um tiro numa pata. Depois que o cachorro correu, ele deu dois tiros. Eu pedi: ‘Não atire, não atire!’. Mas ele ainda deu mais dois tiros. Meu cachorro correu para dentro de casa e, quando vimos, estava morto no chão”.
 
Na Universidade de Brasília, grupos invadiram a biblioteca e rasgaram uma série de livros sobre direitos humanos, incluindo no vandalismo livros sobre arte renascentista. Em São Paulo, vídeos registraram uma multidão gritando no metrô da Sé e em estádios de futebol frases como:  “Ô bicharada, toma cuidado/ O Bolsonaro vai matar viado”.
 
E, no Rio, o colégio Santos Agostinho suspendeu a adoção do livro “Meninos sem Pátria”, de Luiz Puntel, sobre a ditadura militar, por pressão de pais de alunos. 
 
Alvaro Costa e Silva inicia seu artigo lembrando que o levantamento da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo revela que, em 2018, foram registradas mais de 120 agressões a jornalistas em contexto político-eleitoral. “Foram 64 ocorrências de assédio em meios digitais e 59 vítimas de atentados físicos”. Para ler na íntegra, clique aqui. 
 

11 comentários

    • E os gays, como é que ficam?
      Fernando J.

      A escalada fascista

      Redes sociais – Vc tem amigos gays? Ótimo. Também tenho, muitos. Estes amigos, por sua vez, têm entre seus contatos centenas de amigos igualmente gays. Que publicam relatos, pessoais ou compartilhados de terceiros, angustiados, desesperados. Como o da psicanalista/psicóloga/jornalista Silvia Bellintani (11.460 compartilhamentos, 14 mil curtidas):

        Silvia Bellintani está com Bob Fernandes e outras 97 pessoas3 de outubro às 03:23 ·  

      UMA AMOSTRA DO EFEITO BOLSONARO:

      eu poderia dizer q estou sem palavras pra descrever o q testemunhei hj no meu consultório.

      mas tive o dever de encontrá-las pra não deixar q algo assim, gravíssimo, fique sem registro.

      foram duas situações, ambas na tarde de hj.

      dois pacientes meus: um menino e uma menina.

      ele, gay, 19 anos.
      ela, hetero, feminista, 17.

      começo por ele, q entra sem dizer uma palavra e logo começa a chorar.

      pergunto o q aconteceu e ele me diz, assustado, q foi abordado por um cara da faculdade com as seguintes palavras:

      — “e aí, seu viadinho de merda, já viu as pesquisas? vai aproveitando até o dia 28 pra andar de mãozinha dada, pq qd o mito assumir acabou essa putaria e vc vai levar porrada até virar homem.”

      e depois a menina, q já entra chorando e me diz:

      — Sil, me ajuda… não sei o q fazer… vc não vai acreditar no q aconteceu comigo hj… eu tava na escola e fui pegar um livro no meu armário… tinha uma folha de papel (e aí ela me mostra uma foto no celular, pq entregou a tal folha na diretoria) com esta msg aqui:

      “achou mesmo que era só sair gritando #elenão pra parar o bolsomito, feminazi??? perdeu, escrota!! e daqui a pouco você vai ter motivo pra gritar de verdade!!!”

      perceber o pavor desses dois adolescentes me virou do avesso e despertou uma indignação difícil de descrever; escutei os relatos com a visão nublada pela fúria q senti, seguida por um desejo quase incontrolável de proteger os dois.

      o cenário das eleições sequer foi definido, mas já encoraja o sadismo e promete ser palco do terror.

      fico imaginando o q vem pela frente.

      a homofobia e a misoginia presentes nas ameaças sofridas por esses dois adolescentes são apenas duas amostras dentre tantas outras atrocidades q BOLSONARO, ESSE CRIMINOSO NAZIFASCISTA, incentiva e legitima.

      e se vc vota nele, é CORRESPONSÁVEL: não apenas por essas, mas por todas as outras ameaças q ainda estão por vir.

      NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA UM VOTO NO BOLSONARO.

      a menos q vc seja fascista como ele — e aí ok, seu voto é compreensível, uma vez q vc já é digno de abandono como projeto humano.

      agora, se esse não é o caso e vc for apenas mais um previsível e enfadonho liberal ou conservador, TOME VERGONHA NESSA SUA CARA e escolha outro candidato.

      ainda dá tempo de preservar alguma dignidade.

      há várias opções interessantes q prometem a defesa do seu patrimônio sem contrapartidas humanas.

      um garoto de 19 e uma garota de 17.
      assustados, angustiados, ameaçados em sua integridade física e emocional.

      e vc, louvável cidadão de bem, subitamente politizado e q quer ver o brasil “mudar de verdade”, será CÚMPLICE DO FASCISMO e de suas históricas atrocidades físicas e emocionais.

      hj foram MEUS PACIENTES.
      amanhã poderão ser SEUS FILHOS.

      ou os filhos de parentes, os filhos de amigos ou amigos de seus filhos.

      e tudo lindamente avalizado por vcs, honrados cidadãos de bem, heróicos defensores da pátria.

      Ou ainda: 

      2) Mauricio Horta

      4 de outubro às 22:35 · 

      Sou gay – e a cada dia temo mais por eu ser quem eu sou.

      Sou gay, casado há dois anos com o homem que amo e com quem tenho tantos planos – e não sei mais por quanto tempo nossa relação, iniciada em 2011, será reconhecida em sua dignidade.

      Sou gay, amigo de tantos outros gays, lésbicas e bissexuais com quem tenho compartilhado uma vida que prezo tanto – e há semanas os vejo taciturnos, incertos do que poderá acontecer com o resultado das presentes eleições.

      Sou gay, jornalista – e há alguns anos tenho-me distanciado da profissão para tentar ingressar no serviço exterior brasileiro, convencido de que minha vida será mais útil ao defender os interesses do Brasil, um Estado comprometido constitucionalmente com prevalência dos direitos humanos.

      Agora, estamos em eleições.

      Eu entendo o medo, a raiva, o cansaço que têm levado familiares, amigos e conhecidos a quererem votar em certo candidato. Eu entendo a tentação de não levar a sério algumas falas, como se fossem um mal menor, algo que não se quis realmente dizer. Entendo ainda mais quando há tanto para se arrumar neste país. Eu também quero arrumar o país.

      Mas, acima de tudo, quero existir.

      Estou contra a parede. Temo que eu, meu companheiro e meus amigos venhamos a ser rebaixados a cidadãos de segunda classe, que soframos agressões, que sejamos mortos. Eu quero viver e servir meu país sem ser sujeito à discriminação, e já conheci gente demais que foi preterida profissionalmente, que foi agredida na rua, que foi morta. Mas há um candidato que, enquanto promete mãos limpas, dá carta branca para que sujem mãos de sangue – contra mim e contra outros homossexuais próximos também a você.

      Por isso, eu peço, por favor, que você não manche sua consciência, que você não suje as suas mãos. Pois eu quero existir.

      3) Mais um aqui, um pouco mais longo: https://www.facebook.com/rodolfo.vianna.35/posts/2122360354482432

      4) Após o resultado do primeiro turno, um amigo publicou: 

       

      Pergunta. Como será o dia seguinte? em caso de derrota vão descer do palanque e depor as armas? E em caso de vitória? Será como no cinema, quando o após um cerco de muito tempo o exército invasor entra na cidade que estava sitiada e o comandante libera a soldadesca para relaxar, se divertir? Dá um liberou geral para saquear, pilhar, executar sumariamente, estuprar as mulheres, enfim, passar os vencidos na baioneta? 

      Como será o dia seguinte, diante do que já está acontecendo? 

      Select ratingRuimBomMuito bomÓtimo ExcelenteRuimBomMuito bomÓtimoExcelente  EDITAR APAGAR LINK PERMANENTE DENUNCIAR  RESPONDER

    • Pauta GNN

      Levantar mais votos para o Bolsonaro?

      Nesta eleição, já avançando no 2º turno, a pauta política da discussão está trancada no debate dos candidatos e no pensamento do eleitor por conta de pautas comportamentais, pela linha abaixo da cintura que a campanha de Bolsonaro tem seguido, exatamente para isso, para evitar que a verdadeira discussão surja. Para desarmar a bomba apenas vejo um caminho, de Haddad chamar para sim rápido esses temas, seja em debate, entrevistas ou em matéria de propaganda, e se expor em forma definitiva em aqueles aspectos, deixando os ataques da rede como coisa repetida e cansativa, para quem recebe.

      • respondo sua falta de solidariedade com Brecht

        Com sempre voce destilando seu conservadorismo; não se importar é ser cumplice:

        primeiro levaram as mulheres negras, eu não me importei sou homem branco

        depois levaram os comunistas, eu não me importei sou nacionalista desenvolvimentista

        depois levaram os gays, eu não me importei sou macho hetero

        Agora querem me levar e ninguém se importa

        Pense nisso!

        • Infelizmente, em defesa dos própios gays, é preciso flexibilizar

          Com essa pauta comportamental nesse momento de trevas, estamos caminhando para o abismo. Ademais, todas as minorias já sabem das posições do PT. Assim, insistir nessas pautas identitárias, nas atuais circunstâncias, é seguir para o abismo além de equivaler a chover no molhado.

           

          “No sonho desta noite
          Vi um grande temporal.
          Ele atingiu os andaimes
          Curvou a viga feita 
          A de ferro.
          Mas o que era de madeira
          Dobrou-se e ficou.

          Poema do Brecht

           

          Ou nos dobramos aos fatos ou seremos engolidos pelos fascistas.

  1. Sou eu o único burro ainda não encantado pelo Burro Encantador?

    Talvez eu seja o único burro ainda não encantado pelo Burro Encantador Bolsonaro. Mas isso não é tarefa difícil, muito pelo contrário. Basta o Burro Encantador me convencer que a violência é a solução, e não o problema; basta o Burro Encantador me convencer que pagar menos a uma trabalhadora do que a um trabalhador vai resolver os problemas de desemprego e de baixos salários; basta ele me convencer que negro não é pesado em quilogramas, mas em arrobas; basta ele me convencer que quem vota em Lula come capim; basta o burro encantador de burros me convencer de que reduzindo os direitos dos trabalhadores se abrirão mais postos de trabalho.

    Vamos lá, Bolsonaro, tira as viseiras e cascos à obra.

  2. Bolsonaro não vai repudiar a violência dos seus Eleitores

    Ele sabe que se fizer isso, acaba perdendo votos. Ele vai se omitir. Da mesma forma, ele não se comprometerá contra as fake news, pois o Diabo vive da mentira.

    Estão dizendo que é mentira que o Capoeirista não foi assassinado. Minha Filha disse que uma Bolsonarista sua colega disse que isso é mentira.

    Agora há uma nova espécie de fake news: a que nega fatos ocorridos.

     

    Estive pensando numa coisa: Um elemento que diz abertamente que usa o auxílio-moradia para “comer gente” ser o herói de muitos cristãos significa que as profecias estão se cumprindo, pois Jesus Cristo disse:

    “Nessa época, muitos ficarão escandalizados, trairão uns aos outros e se odiarão mutuamente. Então, numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos. E, por causa da multiplicação da maldade, o amor da maioria das pessoas se esfriará. …”

    “Acautelai-vos quanto aos falsos profetas. Eles se aproximam de vós disfarçados de ovelhas, mas no seu íntimo são como lobos devoradores”.

  3. Bobagens

    E Ricardo Boechat chamando de ‘bobagem” as manifestações em torno da morte de Mestre Moa e das denúncias de agressões e violência na campanha. Para ele, tudo normal, só mimimi… Mesmo pro Boechat, é demais!

    • Pimenta nos olhos dos outros é refresco nos olhos do Boechato

      O Boechat nem parece mais aquele que repreendeu a Sheherazade publicamente em razão dela ter justificado os atos de barbaridade contra um pobre que, supostamente, praticou um crime contra o patrimônio.

  4. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome