Programa do PSDB: sem ideias nem propostas

Há uma boa e uma má notícia no plano de governo anunciado pelo PSDB.
 
A boa é que finalmente o PSDB apresenta um documento para ser discutido. Na campanha de 2010, o candidato José Serra jamais apresentou seu plano, alegando que poderia ser copiado por Dilma – o primeiro caso de plano de governo em “off” da história.
 
Ao apresentar seu esboço, o PSDB propõe trazer a disputa da exploração do negativismo para a discussão de conceitos.
 
A má notícia é que o plano é vazio de propostas, revelando o divórcio ocorrido entre o partido e a inteligência acadêmica depois da fase obscurantista de Serra.
 
Os 12 pontos do programa  político anunciado pelo presidenciável Aécio Neves comprovam a enorme dificuldade da oposição em desenvolver um discurso novo. E também incorre em um erro de enfoque: programas assim não podem ser tratados como peças de propaganda, mas como instrumento de aprofundamento de discussões.
 
Vejamos, item por item.
 
1. Compromisso com a ética, combate intransigente à corrupção, radicalização da democracia e respeito às instituições
 
O uso de palavras altissonantes, como “ética, dignidade, honra”, não cabe em um quadro político do qual o PSDB faz parte, e que inclui episódios como o escândalos dos trens em São Paulo e do esquema Marcos Valério em Minas. Deixou de trabalhar propostas de reforma política por um moralismo inadequado a quem participa do jogo.
 
Também não colam as supostas ameaças totalitárias (“o equilíbrio entre os poderes foi rompido”). Deveria deixar essas paranoias para o Jabor e seus amigos. Programa de governo visa atingir necessariamente formadores de opinião.
 
O tema “radicalização da democracia” talvez seja central para os novos tempos. Mas não se conseguiu ir além do uso genérico de ferramentas de internet. Há todo um arcabouço de participação criado pela Constituição de 1988, com os conselhos e comissões municipais e estaduais. 
 
Mas o partido continua preso a um preconceito invencível contra qualquer forma de participação popular que não venha da classe média.
 
2. Recuperação da credibilidade e construção de um ambiente adequado para o investimento e o desenvolvimento do país.
 
Restringe-se a discussão aos problemas (reais) na condução de política econômica, na baixa eficácia das agências reguladoras. Fica-se mais uma vez na crítica genérica ao aumento dos gastos públicos, na defesa da responsabilidade no trato da coisa pública etc.
 
Nenhuma avaliação maior sobre um conjunto de instrumentos de política pública que começam a deslanchar:
 
* leilão de concessões na qual, finalmente, o governo parece ter encontrado a embocadura;
 
* o Inova Empresas, com todas suas linhas de financiamento, para saúde, defesa, educação etc.;
 
* as políticas de desoneração tributária e da folha;
 
3. Estado eficiente, a serviço dos cidadãos
 
O PSDB é a favor de um estado eficiente, justo e transparente. E quem não é? 
 
A Lei de Transparência trouxe uma publicidade inédita para os dados públicos. As redes sociais permitirão uma interação cada vez maior do cidadão com o Estado. Ao mesmo tempo, tem-se um dos piores serviços públicos, não apenas os serviços diretos como as concessões públicas. Por outro lado, há um avanço significativo nos sistemas de defesa do consumidor, com as últimas leis sancionadas, uma integração cada vez maior desses serviços e um poder inédito conferido aos Procons, convivendo com a falta de eficácia das agências reguladoras.
 
Enfim, um enorme conjunto de fatores novos – positivos ou negativos – exigindo a visão de conjunto e apresentação de formas de atuação nesse mundo novo.
 
Passa-se ao largo de tudo e fica-se no genérico: “Valorizar o funcionalismo, a meritocracia, o profissionalismo na gestão pública e combater o aparelhamento político-partidário que prejudica a administração pública e, logo, a melhoria de vida de toda a população. Gastar menos com o governo para poder investir mais nas pessoas”.
 
4. Educação de qualidade como direito da cidadania, educação para um novo mundo
 
A proposta do PSDB: “a organização de uma educação comprometida com a construção de um mundo melhor para todos”.
 
O grande desafio da educação brasileira é o uso de novas tecnologias para cortar etapas que foram percorridas por outros países, antes dessa nova era tecnológica.
 
Fora isso, há um conjunto de desafios na integração dos três entes federativos, na discussão das novas formas curriculares, nos princípios e metas do Plano Nacional de Educação, na forma de integração universidades- ensino básico.
 
Uma imensa discussão nacional, envolvendo as conferências estaduais e nacionais, as ONGs do setor privado, a questão do ensino integral. O máximo que ousa é uma Lei da Responsabilidade Educacional que já consta do PNE.
 
5. Superação da pobreza e construção de novas oportunidades
 
Volta-se à velha cantilena de que “o Bolsa Família não pode continuar sendo ponto de chegada; precisa transformar-se em ponto de partida para mudanças e conquistas sociais dos brasileiros. A verdadeira emancipação só ocorrerá quando cada brasileira e cada brasileiro tiver direito de escolha, obtiver formação adequada para ter trabalho e ocupação digna por toda a vida e puder proporcionar essa mesma herança a seus filhos”.
 
Repito: um plano de governo não pode ser constituído de bordões radiofônicos. Tem que ser material para promover discussões, apresentar novos ângulos, fomentar novos estudos.
 
Qualquer estudioso do assunto sabe que o Bolsa Família não é um fim em si próprio. Cumpre sua função de garantir o básico para todos. Mas cria um ecossistema social, com os bancos de dados, o controle dos usuários, que permite, a partir dele, avançar na educação das crianças, na busca de capacitação para os adultos.
 
Uma discussão séria começaria dai: como otimizar melhor esse ecossistema.
 
6. Cidadãos seguros: segurança pública como responsabilidade nacional
 
Mais uma vez foge-se de temas polêmicos como o diabo, da cruz. O próprio FHC lançou a proposta de legalização das drogas. Há a questão da desmilitarização da Polícia Militar. Há uma enorme discussão sobre a independência da polícia técnica, sobre a integração de ações, sobre as ações interssetoriais de segurança pública.
 
Nada disso é abordado. Fica-se no genérico. Apenas em uma frase ousa-se um conceito mais avançado: “O enfrentamento da questão das drogas será feito a partir de uma política nacional baseada em quatro pilares: prevenção, redução de danos, tratamento e repressão”. Quando o PSDB armou seus rottweillers na mídia, uma das primeiras ações da dobradinha Veja-Jornal Nacional foi acusar de traficantes duas professoras da USP que faziam uma pesquisa sobre redução de danos. 
 
7. Mais saúde para os brasileiros: cuidado, investimento e gestão
 
No caso da saúde, não há muito o que inovar: tem-se hoje em dia um leque de ações que vão do Programa Saúde da Família aos setores de maior complexidade.
 
É complicado falar em financiamento da saúde, depois de o partido ter liderado a ação que acabou com a CPMF. É curioso que o programa critica ao mesmo tempo o subfinanciamento existente e o desperdício. 
 
8. Nação solidária: mais autonomia para estados e municípios, maior parceria da União
 
Aqui, uma crítica à conta que recaiu sobre estados e municípios com a política de desoneração tributária. “Nosso compromisso é restaurar o equilíbrio que deve nortear uma federação que se pretenda mais solidária, para devolver a estados e municípios a autonomia que lhes vem sendo paulatinamente usurpada”. É crítica correta.
 
Mas há um aprimoramento gradativo das relações federativas, desde as iniciativas pioneiras do SUS, do MEC, até as ações recentes do PAC (Programa de Aceleração do Desenvolvimento). Trata-se de um grande desafio de gestão pública discutir esses modelos de integração. Mas o programa fica no genérico. 
 
9. Meio Ambiente e Sustentabilidade, a urgente agenda do agora
 
Levanta alguns pontos importantes que foram para segundo plano, como a questão do etanol, a lentidão da implantação da política nacional de águas, o incentivo ao transporte individual.
 
Critica o incentivo a fontes não renováveis de energia, como as usinas térmicas. Mas foge das questões centrais: esse incentivo tem relação direta com as dificuldades de construção de hidrelétricas com reservatórios. Há uma enorme discussão sobre os limites do bom senso na questão meio ambiente x energia. Mas foge-se do tema.
 
Em relação ao saneamento, entra-se novamente na questão federativa, da falta de capacitação dos municípios para apresentar projetos para serem financiados. O programa do PSDB passa ao largo do tema.
 
Há um ponto relevante, na proposta de discussão “sistêmica, transversal e descentralizada” da questão do meio ambiente, “tendo como referência espacial as bacias hidrográficas e os biomas, e não somente, como é hoje, no momento da execução dos projetos e ignorando a dimensão territorial”. 
 
10. A agenda da produtividade: infraestrutura, inovação e competitividade
 
Critica a desindustrialização precoce do país. É um diagnóstico correto, mas que colide com as análises dos economistas que dão a linha para o partido: os egressos do Plano Real e da Casa das Garças.
 
No mais, o programa é a favor do bem, da verdade e da unanimidade, uma coleção de princípios genéricos sobre o que fazer, e nada sobre o como fazer.
 
11. A agropecuária que alimenta o presente e o futuro do país 
 
12. Política externa: reintegrar o Brasil ao mundo
 
A única proposta concreta está sendo tocada pelo governo: “A negociação de um acordo abrangente e equilibrado entre Mercosul e União Europeia deve ser concluída, mesmo que, para tanto, o Brasil avance mais rapidamente que outros membros do bloco, para deles não ficar refém”.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Eleições municipais: partidos apostam em candidaturas conservadoras para conseguir voto da direita

95 comentários

  1. Enfim, parece que a ladainha

    Enfim, parece que a ladainha tucana da gestão não engana mais.

    A falsa ideia de que que o PSDB poderia apresentar alternativas mais avançadas para o Brasil está devidamente esmiuçada no artigo.

    O PSDB ficou atolado na lama da política de ataque e com isso se auto sepultou.

    Nesse documento do PSDB não há uma linha sequer sobre o pré-sal que será a maior fonte para o desenvolvimento do país nas próximas décadas, seja na educação, no incremento de novas tecnologias e implementação de novos polos de produção, e criará uma proteção contra crises globais.

  2. E SEM VOTOS

    Sem ideias, sem propostas, sem caráter = sem votos. Mas como prêmio de consolação, lidera o ranking dos partidos com mais políticos fichas-sujas. Passa de sessenta.

  3. Mais uma peça publicitária do

    Mais uma peça publicitária do que um programa de governo.

    E o “povo” passa longe. Parece-me que ainda o PSDB não percebeu que a população do país não se resume à classe média e alta do Sul-Sudeste.

  4. PSDB! Existe ainda?
    E

    PSDB! Existe ainda?

    E conseguiram redigir isso? Chamem logo um sacerdote para ministrar a Extrema Unção.

    Juro que eu pensei que tinha perdido a missa de sétimo dia! Ainda bem! 

    Mas prometo que eu vou…

     

  5. Que mundo?

     

    “Política externa: reintegrar o Brasil ao mundo”

     

    Ué, mas eu achava que o Brasil está integrado no mundo, afinal, exporta e importa de vários países de todos os continentes. A não ser, é claro, que essa reintegração pretendida pelo PSDB seja a volta ao consenso de Washington, aí sim. Mas como foi colocado não está claro.

    Acho que eles queriam dizer reintegrar o Brasil ao Mundo Norte Americado, com a entrega do pré-sal às petroleiras americanas ao invés de chinesas, européia e Petrobrás. Nada de “alugar áreas de exploração”, mas sim vender e ficar mais rico sem maiores contrapartidas sociais ao Brasil.

     

    Da-lhe PSDB, “jênios”.

  6. Vejamos, item por item.1.
    Vejamos, item por item.1. Compromisso com a ética, combate intransigente à corrupção, radicalização da democracia e respeito às instituições. Comecei a rir e abortei a leitura…RARARARÁ !

  7. Ontem no tijolaço já se

    Ontem no tijolaço já se criticava o “programa” pela ausencia total de qualquer referencia ao Pré Sal; A maior fonte de receita já descobrta nos ultimos anos. Vão entregar?

  8. Proposta genérica

    O PSDB está dando criando o plano de governo mais genérico do mundo. Afinal, tem algum partido que não contemple estas propostas?? Ultrapassando fronteiras, se substituir a palavra “Brasil” por outro país, não seria o plano de governo de qualquer partido do mundo? 

    • O acordo do PSDB com a

      O acordo do PSDB com a petroleiras multinacionais para entregar a Petrobras e o Pré-Sal já foi fechado em 2010 pelo Serra e o FHC. É uma das grandes motivações para o apoio que eles recebem da imprensa, que é igualmente entreguista.

  9. Sou paranaense e nos últimos

    Sou paranaense e nos últimos 3 anos, temos vivido aqui em nosso estado, a experiência do “choque de gestão” à moda tucana do governador Beto Richa. Nada além de bravatas e propaganda. O ano de 2013 se encerra melancolicamente para Beto Richa. As finanças do estado estão de mal a pior. Mês passado, viaturas da PM não saiam dos pátios dos batalhões por falta de combustível. Os telefones das unidades militares e das delagacias de polícia foram cortados por falta de pagamento. Policiais civis e militares tiveram escala reduzida porque não havia dinheiro para comprar pão com mateiga para o lanche a que fazem jus nas jornadas de 24horas de trabalho. Os professores estão recebendo os salários com atraso. Promessa de campanha em 2010, até agora nada do pagamento da hora-atividade para o magistério. Servidores tiveram férias, promoções e progressões da carreira suspensas por falta de recursos para honrar com esses compromissos. O estado deve à COPEL, mais de R$1,5 bilhão. A ParanaPrevidência tem um rombo de mais de R$5 bilhões por falta do repasse da parte que cabe ao estado-patrão. Hospitais Regionais inaugurados no final do governo passado sem funcionar por falta de profissionais, com equipamentos caríssimos ganhando poeira e sem manutenção.

    Em contrapartida, mais de R$300 milhões de gastos com propaganda só nos últimos 18 meses. Para a viagem do governador e da sua comitiva, dois aviões e um helicóptero cortando os céus do estado.  Detalhe, um dos aviões foi comprado pela COPEL, pra servir o governador. Na última terça-feira, o governador recebeu personalidades e políticos aliados numa banquete em pleno Palácio Iguaçú.

    Envolto em escândalos, como o caso do crime de tráfico de influência para a eleição de um ex-deputado estadual (Fábio Camargo) ao cargo de conselheiro do Tribunal de Contas, filho do ex-presidente do Tribunal de Justiça (que foi afastado pelo CNJ). Aliás tal situação é  objeto de inquérito no âmbito do Superior Tribunal de Justiça por representação da PGR. Também, criou uma secretaria especial para abrigar o condenado por improbidade Ezequias Moreira, afim de garantir foro especial no TJ para outras tretas cometidas pela figura. Aliás as artimanhas criminosas de Ezequias ocorreram com desvios de verba do gabinete do então deputado estadual Beto Richa, nos idos do final da década de 90. anta coincidência.

    Esta é uma pequena amostra da capacidade tucana de gestão. Experiência viva no Paraná. Beto Richa é jovem como Aécio, estilo de playboy como Aécio e a mesma pose, e eloquência quando se trata de atacar os adversários e esconder o próprio rabo.

    Então, este plano do Aécio e do PSDB, é bem parecido com a propaganda de Beto Richa em 2010. Como disse o Nassif, recheado de propostas genéricas, sem aprofundamento de nada e em bela embalagem. Os desavisados que se cuidem.

    • O mesmo acontece em TODOS o

      O mesmo acontece em TODOS o lugares em que o PSDB fopi ou é governo. No Espírito Santo, quando o PSDB foi governo o crime organizado tomou conta do Estado e o mesmo acontece com Goiás. Pelas últimas denuncias vindas de São Paulo, o mesmo ocorreu naquele estado.

      E a Ieda Cruz Credo? E o cassio Cunha Lima? E o tucano disfarçado Eduardo Paes? O próprio Aécio? O Serra? O FHC?

      Isto não é partido, é QUADRILHA.

  10. Querendo ou nao…Sendo a

    Querendo ou nao…Sendo a favor ou contra.  Quase tudo que dita a estabilidade no Brasil foi criado pelo PSDB.

    Plano Real

    Controle da Inflação

    Eliminação dos bancos estaduais

    Privatizações

    Lei de responsabilidade fiscal

    Renegociação da dívida

     

    E aí veio o PT e nadou de braçada, aumentando os gastos e ganhando popularidade. Agora parece que a festa acabou…

    • Querendo ou não, sendo a

      Querendo ou não, sendo a favor ou contra, tudo que se relaciona com aumento de emprego e renda, melhoria das condições sociais, aumento de universidades e pessoas nas universidades, investimento em transporte publico, mais médicos, descoberta do pré-sal, abrigar eventos esportivos mundiais, tem a ver com o PT…

      • Excelente sua

        Excelente sua resposta.

        Concordo plenamente. As melhorias estrturais começadas a 20 anos atras com as melhorias sociais dos ultimos 10 anos criaram um país melhor.  Mas agora precisamos de mais… o salto foi dado, mais e agora??? O mundo mudou a bonança que tivemos durante alguns anos se esgotou. Agora temos a questao ambiental, pre sal , educação, tecnologia , burocracia e drogas e o que os politicos estao nos ofertando? Para mim muito pouco ou quase nada. Não vejo grandes pensadores, formadores de opiniao em nenhuma das opções colocadas. O PSDB traz uma ideologia mais clara e definida na área economica e é uma incognita na área social, já o PT traz melhorias sociais e se esconde na área economica (inclusive privatiza de forma envergonhada).

        Quem poderá nos salvar da mediocridade???

        • Com certeza absoluta NÃO será

          Com certeza absoluta NÃO será o PSDB.

          A propósito, diga para nós onde foi que o PSDB fez um governo aceitável e limpo?

      • Querendo ou não a descoberta

        Querendo ou não a descoberta do pré-sal remonta aos investimentos de pesquisa no mar iniciados na época do Geisel, na quebra do monopólio de FHC, e que no PT desaguou na pretensa independência do petróleo que não veio (a balança externa é grandemente afetada pela importação de gasolina e diesel), na desvalorização da companhia e no atraso de 5 anos dos leilões….

        Já nas universidades segundo o PISA o que aumentou foi o analfabetismo funcional (dobrou!).

        Emprego, renda e condições sociais vem melhorando, não nego, e vem desde Getúlio, tendo estagnado somente entre 1980 e 1990.

        Concordo sobre os grandes eventos, o legado de elefantes brancos e obras inacabadas é do PT!

    • Quem criou o Plano real foi

      Quem criou o Plano real foi Itamar Franco, do PMDB.

      Privatizações: o que eventualmente tenha ocorrido de positivo no que tange a retirar o Estado das atividades que não lhe dizia respeito, foi ofuscado pelo caráter nebuloso(para não tachar e outra coisa) das ytransações.

      Os demais itens, Lei de Responsabilidade Fiscal e Renegociação de Dívidas, não nego, eram necessárias e merecem rfeconhecimento.

      O que faltou o comentarista escrever:

      1) O PLano de Estabilização teve um preço altíssimo: redução da renda; arrocho salarial inédito; desemprego, desmonte ;da máquina pública de uma forma absolutamente violenta; instrumentalização do câmbio com resultados deletérios para o equilibrio nas contas externas; e por último, mas não menos importante, a elevação brutal da dívida pública.

      2) Em consequência de “1” o PT já pegou o país com muitos dos fundamentos macros e micros econômicos periclitantes, em especial a taxa de inflação alta e ascensão; desemprego; máquina pública sucateada; país quebrado e de joelhos perante o FMI;etc etc etc etc etc……….

      Mas isso o bacana acima omite, não é mesmo?

      Sabidinho, hein??

      • JB.
        Muito bom seu comentário.

        JB.

        Muito bom seu comentário. De alto nível.

        Mas vamos lá:

        Item 01.

        Plano Real quem criou foi Itamar.

        Esta afirmação não é justa, porque todos sabemos que quem conduziu todo o processo e implantou em seus 8 anos de governo foi FHC. Dizer que quem criou o plano real foi Itamar se equivale a dizer que quem criou o bolsa familia foi FHC.

        Item 02

        As privatizações como quase tudo no Brasil trouxe os oportunista de plantão, lamento muito que dinheiro público tenha beneficiado certos grupos e acredito que a maior parte das denuncias são verdadeiras. Por outro  lado a prática das privatizações trouxe ganhos ao país. Muitas áreas foram modernizadas e ajudaram a eliminar o aparelhamento das estatais e eliminar rombos e mais rombos das contas públicas. Em meu racionio o governo já é sócio de todas as empresas brasileiras arrecadando 33% de impostos, portanto nao precisa ser sócio dele mesmo.

        Item 03

        Volto a concordar com voce.

        Para estabilizar a economia o país teve que fazer um severo ajuste fiscal. Isto significou arrocho salarial e todas as mazelas citadas por voce. Mas FHC teve coragem e enfrentou a situação, naõ se rendeu ao populismo. Tem aquela velha frase dos Americanos – ” Não existe almoço de graça” . Agora vamos analisar, a estabilização da economia trouxe estabilidade e voltou-se a ter crédito. Para mim o resultado final foi extremamente positivo.

        Item 04

        Meu caro, o PT pegou o país em situação ruim e a primeira coisa que fez antes mesmo da eleição foi a carta aos brasileiros. Lembra o que foi a carta aos brasileiros? Em poucas palavras dizia que iria manter a politica economica do governo anterior e até aprofunda-las. Lembra que no primeiro ano o PT aumentou a meta de superavit primário?? Agora se voce pegar o que ocorreu no mundo de 2003 até 2008 voce irá encontrar a resposta ao sucesso. Pegue os dados e estude o que aconteceu na economia mundial dos anos de 1994 até 2002 e de 2002 a 2008. Voce é inteligente e irá descobrir a resposta, uma boa dica é verificar a situação dos exportadores de comodities.

         

        Agora as politicas sociais promovidas no país tem o mérito do PT. Na educação aconteceu a exploção de universidades particulares, mas nenhuma revolução educacional, pelo contrário em relação a qualidade acredito que nao tenha avançado.

        Obs.: Não sou pardidário, inclusive ando muito desiludido com as opçoes que estao se apresentando e com o governo atual.

         

        • Nem Itamar nem FHC

          O “Royal plane” provém dos EUA, do consenso de Washington, fazendo escala anterior na Argentina. O restante foi colocar Brasil a disposição do mundo global, diminuir a ação do Estado, privatizar, e deixar ao mercado fazer a maior parte das ações de governo.

        • Incorreto

          1- Plano Real: A implantação do Modelo pronto, via Consenso de Washington, teve o trabalho de André Lara Rezende e

          Dizer que o Itamar não criou o Plano Real seria o mesmo que dizer que o Palocci criou o Bolsa Família.

          2- O que dizer do completo aparelhamento dos orgãos estatais como TCU, FURNAS, PF, MPF entre outros?

          O que dizer da nossa capenga Telefonia móvel, que é muito aquém das existentes na Europa e América do Norte?

          O que dizer da Vale ainda removendo e exportando apenas minérios, ou das Distribuidoras de Energia Elétrica que se preocupam apenas em distribuir dividendos aos seus acionistas?

          3- O que seria o ajuste fiscal sem “populismo” (palavra da moda)? Endividamento a níveis estratosféricos, juros na veia, vendas de estatais a preço de banana?

          4- Governo Tucano aumentou a dívida (até mesmo para se reeleger). Governo Lula pagou o FMI.

          • 1- Plano Real: A implantação

            1- Plano Real: A implantação do Modelo pronto, via Consenso de Washington, teve o trabalho de André Lara Rezende e

            Meu caro, Grande parte dos conceitos economicos e de tudo que está aí são teorias internacionais, isto é normal, mas nao tira o mérito de quem implanta.

             

            2 Dizer que o Itamar não criou o Plano Real seria o mesmo que dizer que o Palocci criou o Bolsa Família.

            Nada a ver este seu comentário. Os Tucanos dizem que o bolsa escola é o embriao do bolsa familia ampliado, que o único mérito foi a ampliação. Para mim está claro, plano real o mérito é FHC e Bolsa fámilia Lula.

            3- O que dizer do completo aparelhamento dos orgãos estatais como TCU, FURNAS, PF, MPF entre outros?

            Voce tocou em um ponto crucial. Nunca o estado brasileiro esteve tao aparelhado. Sao 33 ministérios loteados entre os partidos amigos. O presidente do Cade era filiado ao PT, as agencias reguladoras sao uma vergonha.

            4- O que seria o ajuste fiscal sem “populismo” (palavra da moda)? Endividamento a níveis estratosféricos, juros na veia, vendas de estatais a preço de banana?

            Nao entendi.

            4- Governo Tucano aumentou a dívida (até mesmo para se reeleger). Governo Lula pagou o FMI.

            Voce sabe como anda a dívida interna? Sabe tambem que o Brasil está com déficit anual próximos de 75 bilhoes de dólares? Isto resulta no futuro mais juros. Voce acha que governos aumentam juros por gostar de juros? Quanto maior os déficts maior a necessidade de dívidas e mais juros. O Défict no nível atual zera nossas reservas internacionais em 4 ou 5 anos. Cuidado que podemos ficar com o pires na mao em um futuro próximo.

             

        • paridade, internacionalização das comunicações

          caro helbert, bastante equilibrados seus comentários.

          Mas qual seria a sua percepção sobre o populismo cambial de fhc (a famigerada paridade cambial) que garantiu a reeleição, mas foi decisiva para o desajuste das contas públicas. Entre outras, elevando drasticamente a dívida pública ?

          E quanto atabalhoada internacionalização das comunicações brasileiras que não agregou qualquer ganho tecnológico ao nosso parque industrial, e nos tira anualmente milhões em divisas em serviço que poderia ser prestado por brasileiros ?

          Não nos esqueçamos que foi promessa de campanha de fhc privatizar para abater a dívida pública.

          Não vou entrar na questão da derrubada da auto-estima do brasileiro, porque poderia-se alegar emocionalização no debate.

           

          • Marcelo
             
            Realmente foi erro

            Marcelo

             

            Realmente foi erro tentar controlar o cambio, vários tentaram e me parece que nossos vizinhos Argentinos e Venezuelanos tem cotações para o dolar diferentes do mercado. Mas o governo percebeu o erro e implantou o que está em vigor até hoje (cambio flutuante) e atuação somente para amenizar oscilações.

             

            Quanto as comunicações, as estatais se fossem doadas para a iniciativa privada já seria um bom negócio. A Telemig era um cabide, fonte de várias negociatas politicas. Para ter acesso a telefone voce podia pedir para algum politico te pular na fila que existia para liberar a ligação em sua casa. Os serviços de telecomunicações hoje são caros e muitas vezes nao atendem a qualidade desejada, mas o que o PT fez em relação a este assunto??? Piorou a situação promovendo via BNDES a uniao de empresas e prejuizos para os consumidores.

             

            Quanto a autoestima, voce tambem tem razao?? Mas como pagar a conta que era nescessária ser paga?? Como melhorar as contas públicas sem sacrificio?? Veja hoje o que acontece com os países Europeus, é arrocho em cima de arrocho, mas não tem jeito a realidade é dura e triste é o povo que vive acima de suas capacidades a custas de dívidas que um dia terao que ser pagas. Ninguem financia déficits de países que só aumentam seus déficts, uma hora a casa caí e o país compromete o futuro de seus habitantes.

          • sincronismo “invejável”

            Caro Helbert,

             

            Errar é humano, curioso que só tenham reconhecido o erro da paridade após fhc reeleito.

             

            Tudo bem ,que doassem as telecomunicações do país. Não posso aceitar que não tenham doado para brasileiros.

             

            Bem, quando me referi a autoestima pensava mais em coisas do tipo :”aposentado é vagabundo”, “professor um desajustado”. Entretanto com relação à economia penso que fhc foi inepto. Assim como Lula, fhc poderia ter expandido a politica anti-ciclica para além dos auxilios aos bancos. Estratégias industriais e sociais foram inexistentes. Lula teria muito a ensinar a Europa.

        • helbert,Desculpe pelas

          helbert,

          Desculpe pelas ironias e pelos erros de grafia. Escrevi muito rápido e sem revisão. 

          Mas isso é passado. 

          Sobre a tua tréplica:

          01 – Reconheço isso também: FHC, um jejuno em economia, realmente comandou com competência a equipe que formulou o Real, um plano, sob todos os aspectos engenhosos. Entretanto, é injusto subtrair de Itamar Franco a paternidade política dessas medidas de estabilização. Refuto com veemência essa tentativa dos tucanos de negarem o inegável. Se eventualmente, raciocinemos, o Plano tivesse dados com os burros n’água como os anteriores? Em que FHC e seus sequazes, inclusive na mídia, iriam jogar a culpa? Precisa responder. A paternidade do Bolsa-família não guarda similaridade. Mas isso é assunto para outra hora.

          03 – Reafirmo que as privatizações foram necessárias. Se feitas no auge do chamado neoliberalismo, paciência. Sou radicalmente contra o Estado proprietário, ou mesmo só gestor, dos meios de produção. Abro uma exceção apenas para as áreas estratégicas para o país, a exemplo da geração de energia em todas as modalidades, e, obviamente, as atividades-fins do próprio ente estatal, como saúde. educação, segurança etc.

          Sobre FHC não se render ao populismo: ora, amigo, depois de anos e anos de descalabros na economia brasileira; após o fracasso de inúmeros planos, muitos dos quais com consequências danosas para o bolso e às perspectivas do povo ocasionadas por descontrôle de preços, era de se esperar que o capital político do presidente aumentasse a níveis que suportassem os efeitos de medidas antipáticas. O povo, apesar da obtusidade dos elitistas negarem, ao final é sempre sábio. 

          04 – Mais do que um compromisso com políticas econômicas atreladas a este ou aquele viés, a CARTA AOS BRASILEI|ROS, foi um manifesto político digno, não de um pretendente ao maior cargo da Nação, mas de um vocacionado para estadista. Refiro-me ao Lula. Se matou duas lebres com uma paulada só, ótimo. O que o PT ganhou nas três eleições passadas com o discurso radicalizante, e principalmente, descontextualizado? Nada! Isso é que ambos os lados teimam em não apreender: não foi oportunismo e muito menos derrocada ou negação de princípios. Foi fazer valer o que,desde priscas eras, vale na seara política: o pragmatismo; o real. E não o telúrico.

          Mas a adesão à linha mestra em termos de política econômica do governo anterior, em especial o tripé “sagrado”, câmbio flutuante, superáviit primários crescentes e metas para a inflação, não anula o fato de que a herança era pesada. Não dramática, mas periclitante. 

          Sim, os ventos foram favoráveis no período mencionado. Mas se pode creditar somente à valorização das commodities a boa performance do governo nesses anos todos? Idem para a priorização de políticas sociais inclusivas? Acho que não. Foi um conjunto de fatores mais abrangentes, merce desses terem sidos os carros-chefe.

          Concordo também que faltou ousar mais na base, nas estruturas Poderia citar, de cabeça: meio ambiente, reforma na educação, reforma política e a maior e melhor alocação de recursos na infra estrutura física do país. 

          Sou partidário, sim. Sempre votei no PT desde 1989, á exceção do primeiro turno quando optei por Leonel Brizola. Não sou, nem nunca fui, foi filiado a partido nenhum. 

          Um abraço.

           

          • JB
            Pensamos as vezes de

            JB

            Pensamos as vezes de maneira diferente, mas convergimos em mutios aspectos. Aqui no blog que participo a muitos ano,s estou um pouco sem paciencia, pois sinto alguns participantes neuroticos. Querem desqualificar as pessoas que pensam diferente e muitos são ideologicamente obtusos. Te confesso que votei em Lula desde 1989  até sua saída, mas ultimamente ando desgostoso. Sou pequeno empreendedor tenho que lidar com a burocracia governamental e este governo só tem piorado a vida das pessoas que ainda querem fazer algo.Acompanho o mercado financeiro e leio muitas opinioes sobre economia (nao sou economista) e comecei a pensar muito sobre o que aconteceu nos 8 anos Lula?

             

            Fomos enganados??

            Ou seja, o povo  brasileiro viveu acima de sua capacidade e a conta está chegando? Os salarios cresceram acima da produtividade,faltaram produtos para suprir o aumento de renda, as importações explodiram, o superavit da balança comercial virou déficit, governo manipulando preços, contabilidade criativa e os ventos já nao sopram mais a favor ( as comodities já não sobem mais e até estao caindo).

             

            Plantamos para o Futuro

            A educação foi universalizada, a renda melhorou, estamos com pleno emprego…

             

            Este é o dilema perdemos a chance ou avançamos?

             

            Portanto JB nem tanto ao céu nem ao inferno….. Só me decepcionei muito com o governo Dilma, pra mim um governo arrogante e que só tem um pouco de popularidade pela herança de Lula nos itens citados acima.

      • JB, vou discordar de você em

        JB, vou discordar de você em relação à Lei de Responsabilidade Fiscal. Essa lei é o retrato do neoliberalismo e foi uma herança maldita que FHC deixou, já quase no final de seu desgoverno. A intenção da LRF é inviabilizar o Estado, em todas as suas instâncias, bem ao gosto do Estado mínimo. Os gestores tem tanto medo de gastar, que preferem não fazer as coisas, pois qualquer deslize pode colocar o/a coitado na cadeia. Se ele não fizer nada, pode ir dormir tranquilo. Fui funcionária do Ministério da Saúde e as coisas chegam às raias do absurdo. Nem digo que há necessidade de regras claras (acho que temos bastantes) para o uso do dinheiro público, mas a LRF é engessadora mesmo. Quando se diz que só pode gastar 60% de recursos com pagamento de funcionários, você exclui os terceirizados, os contratos com organismos internacionais, ONGs, cooperativas e outras “brechas”. E por aí vai.

    • O sr. se esqueceu de dizer da

      O sr. se esqueceu de dizer da enorme exportação de mão de obra brasileira , inicialmente para os isteites e depois p/ a europa. Assim os brasileiros puderam conhecer o mundo e se globalização.

  11. Ás propostas são o retrato do

    Ás propostas são o retrato do que restou do partido: um festival de generalidades,  sem vinculação com a realidade e, principalmente, com a sociedade.

    E, muito bem lembrado: “reintegrar” o Brasil ao mundo. Que mundo eles estão falando? do além?

  12. Se em 1994, FHC tivesse dito

    Se em 1994, FHC tivesse dito que iria aumentar o desemprego, os juros, que iria arrebentar a indústria nacional, endividar o Brasil exponencialmente, que manteria a paridade cambial ao absurdo, que a meta principal de seu governo era aprovar a emenda da reeleição (por R$ 200.000,00, cada deputado), que desvalorizaria o real logo no início do 2º mandato, teria ele sido eleito e reeleito?

     

     

  13. Conjunto de platitudes

    Bem, a grande novidade do plano de governo do Aécio está no começo do post: antes, nem isto eles cuidavam de fazer, de modo que o cenário atual já é um avanço. Apresentar um programa de governo, mesmo que cheio de platitudes, é melhor que não apresentar nada. Agora só falta a população cobrar, criticar e sugerir, igual estamos fazendo no blog.

    A falta de conteúdo do Aécio se deve aos compromissos políticos firmados há muito tempo com grandes financiadores de campanha, parceiros de longa data dos tucanos nos governos estaduais.

    O que eles proporiam de novo? Resolver o problema do SUS? Aumentar investimentos em educação básica? Reduzir a Selic? Promover uma reforma tributária que traga mais justiça social? Quem espera isto do PSDB, ou do PSB, que espere sentado. Não há proposta, não há respostas, todo mundo torcendo e fazendo figas para o cenário político e econômico ser favorável a “mudanças”.

  14. Vamos conversar (para boi dormir)?

    Quais cabeças (de planilha) estão por trás disso, Nassif? Além do Armínio 45% celic Fraga. Seja quais forem esses caras da Casa das Garças (o que dá cruzamento de tucano com garça?) também vou dar meus pitacos nos 12 trabalhos de Aécio.

    No ítem 1, Eles dizem que o “equilibrio entre os poderes foi rompído”. Seria uma crítica ao ativismo político do STF? Será?

    Ítem 2, As agencias reguladoras são subproduto da privataria, eles não podem se fingir de desentendidos nessa.

    Ítem 3, For favor, Nassif, troque Estado eficiente por “Estado inexistente”.

    Ítem 4, “Educação de qualidade” sucateando as federais e empobrecendo os professores das mesmas? Chamem o FHC para explicar isso.

    Ítem 5, O Pronatec é uma das tais ‘portas de saída”. Os tucanos propõe quais outras? 

    Ítem 6, O que acham da questão da maioridade penal e o fim dos autos de infração? não estou sabendo.

    Ítem 7, Aécio vai dar a saúde como consolo para o Serra, “o melhor ministro da saúde de todos os tempos”?

    Ítem 8,passo.

    Ítem 9, passo.

    Ítem 10, (Re)ndustrialização? Como conciliar com os 45% do Armínio? Esse é o trabalho mais hercúleo do Aécio.

    Ítem 11, passo.

    Ítem 12,  “reintegrar o Brasil ao mundo”. Com ou sem sapatos?  

    • Juliano. Ajudando a complementar.

      Item 8,   Aécio voltará a concentrar a riqueza do país em Minas Gerais e São Paulo .

      Item 9,   O PSDB acredita que meio ambiente e sustentabilidade é responsabilidade dos produtores do agronegócio.

      Item 11, O pensamento do PSDB é avançar nas reservas como solução para aumentar a produção do agronegócio.

  15. Zzzzzzzzzz

    “O enfrentamento da questão das drogas será feito a partir de uma política nacional baseada em quatro pilares: prevenção, redução de danos, tratamento e repressão”.

    E é Aécio que propõe isso ? 

    Bom, pelo menos enumeraram uma série de proposições. Tudo muito bem, so que, conhecendo o PSDB e Aécio Neves sendo um herdeiro do Estado Liberal, da para acreditar em uma so dessas proposições ? Nem os tucanos acreditam nisso mais!

     

  16. Aécio encarna bem o vazio do PSDB

    Aécio, o lançamento do seu programa e o PSDB andam tão no fundo da cova que a grande imprensa sequer festejou as propostas. 

    Ao contrário, o que diz a Folha de São Paulo em seu editorial:

    Pouca inspiração

    Propostas do tucano Aécio Neves para uma plataforma presidencial de oposição são muito genéricas e quase nada avançam no debate

    • O rolando lero do PSDB

      Nesse ponto, Assis, vou ter que “fechar” com Aécio. Para a Folha bom mesmo é o Serra, que não propõe nada e nem precisa, enrola mais que rocambole em entrevistas e ainda se irrita com qualquer um que ouse contrariar “o mais preparado”!

  17. Perfeito e lúcido os

    Perfeito e lúcido os comentários seus, Nassif, como sempre.

    O problema é que no seu post, não se permite contestar os áulicos do Aécio Neves.

    Não oferecem oportunidade, e quando a gente reclama, você simplesmente suspende o usuário queixolso.

  18. O PSDB não tem idéias nem

    O PSDB não tem idéias nem propostas. Projetos então, não sabem nem o que é…

    Vivem tentando achar pontos positivos do governo FHC (missão quase impossível) e desmerecer as conquistas concretas dos governos petistas (essa sim “A” missão impossível).

    Interessante que governando dois dos estados mais ricos do País há muitos anos (em SP, o mais rico, já são quase 20 anos) eles não tem NADA de positivo para apresentar além de escândalos de corrupção ABAFADOS na base de mais corrupção ainda.

    Em SP dispõe de condições melhores que a do próprio governo federal para apresentar políticas públicas consistente e apresentar resultados concretos. Mas NÃO fazem isso. 

    Até 2012 eles governavam o estado de São PAulo (segundo maior orçamento do País) e a cidade de São Paulo (terceiro maior orçamento do País) e com todas essas condições o resultado foi apenas a ladroagem no metrô e a máfia do ISS.

    Eu acho o PT o melhor partido do Brasil. Não é perfeito, mas é o melhor. Por outro lado o PSDB é o partido que mais condições teve de ser um bom partido, mas optou pelo fisiologismo e elitismo e nos últimos anos gravitou fortemente para a extrema direita, chegando ultimamente ao banditismo como ficou explicitado pelas relações entre o tucano Marconi Perillo e o mafioso Carlinhos Cachoeira.

    Acho que o Aécio é um candidato muito fraco e nem com todo apoio da imprensa ele conseguirá um resultado positivo nesta eleição, de onde sairá menor do que entrou, podendo até mesmo ficar na terceira colocação, o que seria desastroso para a tucanagem.

    Uma grande frente pode se abrir em São PAulo e Minas. Se o PSDB perder esses estados ele acaba, pois precisa estar no poder para se manter às custas de grandes desvios de dinheiro público. Pessoalmente eu acho que eles não vão conseguir manter os dois estados e mesmo com todo o dinheiro roubado e apoio da mídia (a custa do dinheiro roubado) vão levar um capote que eles não estão esperando. Melhor pra o Brasil porque o PSDB é hoje uma ameaça à democracia brasileira.

    • Bom comentário

      Muito bom comentário Ruy.

      Ainda, por fraqueza ou omissão, os tucanos permitiram que a agenda política de oposição fosse tomada pelo PIG, que simplesmente está fazendo um desfavor à democracia ao criminalizar a política em geral.

      Hoje a política nacional é PT ou anti-PT (insuflados pelo PIG). Agora, nem programa de governo fazem direito (pelo amor de Deus!)

  19. Choque de ingestão.

    Era melhor dizer que faria um “choque de gestão”. Que a melhor maneira de dizer que não tenm nada a propor.

    Em minas o choque de gestão foi o controle da midia, isto sim que é controle da mídia; controle total.

    Por falar nisso o anastasia deu uma entrevista “brilhante” dizendo que o problema da segurança, que ele confessa que no seu governo vai mal ( as estatisticas confirmam), e a itatiasia (mistura de itatiaia, anastasia e azia) elogiou o próprio dizendo que ele é sincero porque reconheceu que a segurança vai mal, mas o problema se deve a falta de “educação e colaboração das pessoas”. Incrível.

    Falta de educação é um governador comprar a mídia, mas isto ele não vê.

    E nada vai bem no governo do psdb de minas, nada a apresentar senão propaganda e mais propaganda de boas (?) intenções.

    Só fica mais forte a cada dia: o pig comeu o psdb. Infelizmente.

     

  20. O mesmo deserto de idéias. Na

    O mesmo deserto de idéias. Na verdade , o PSDB nunca teve um projeto que pudesse chamar de seu , o que tinha era um conjunto de conceitos utilizados pela odiada Dama de Ferro , Margaret THatcher e chancelado pelo sistema financeiro mundial. FHC gastou a sola do sapato do “programa” , não sobrou nada. O requiem apresentado pelo Aécio é uma tentativa, “post mortem” , de lembrar aos brasileiros o quão perto estivemos do precipício…

  21. Dessde ontem minhas respostas

    Dessde ontem minhas respostas estavam escritas, tal como segue.

    RESPOSTAS ÀS PROPOSTAS DO VAZIO/AÉCIO

     

    CONFIANÇA

    Resgate de valores, compromisso com

    a democracia, recuperação da credibilidade

    e da responsabilidade pública

    1. Compromisso com a ética, combate intransigente à corrupção, radicalização da democracia e respeito às instituições

    R. Menos corrupto que sua trupe?Olha São Paulo e Minas…

    2. Recuperação da credibilidade e construção de um ambiente adequado para o investimento e o desenvolvimento do país

    R. Onde está sua credibilidade, cara pálida?Nas noitadas cariocas?

     

    CIDADANIA

    Garantia dos direitos dos brasileiros

    3. Estado eficiente, a serviço dos cidadãos

    R. Estado loteado e vendido, tal como antes?

    4. Educação de qualidade como direito da cidadania, educação para um novo mundo

    R. Sem criar sequer uma Universidade nova, como em seu governo(FHC)?

    5. Superação da pobreza e construção de novas oportunidades

    R. Seu pessoal nunca conversou com os pobres…

    6. Cidadãos seguros: segurança pública como responsabilidade nacional

    R. Seguros do que?Emprego? Renda?

    7. Mais saúde para os brasileiros: cuidado, investimento e gestão

    R. Quem acabou com a verba da saúde (CPMF)?

     

    PROSPERIDADE

    A nação solidária e o bem-estar coletivo

    8. Nação solidária: mais autonomia para estados e municípios, maior parceria da União

     R. Então tá…

    9. Meio Ambiente e Sustentabilidade, a urgente agenda do agora

    R. Onde em seus governos existe isso?

    10. A agenda da produtividade: infraestrutura, inovação e competitividade

    R. Está bombando. É só olhar janela afora….

    11. A agropecuária que alimenta o presente e o futuro do país

    R. Mais do que agora?

    12. Política externa: reintegrar o Brasil ao mundo

    R. Logo agora que o Brasil está mais integrado do que nunca… Reconhecido como jamais…

  22. Programa do PSDB: cinema e depois uma pizza.

    Não entendi o porquê desse post, “Programa do PSDB: sem idéias e nem propostas”, vem acompanhado de texto/comentário. Basta a chamada. Sugiro inclusive que todo ano, em meados de dezembro, seja publicada a mesma chamada sem o texto. No dia, improvável, que eles tiverem uma idéia ou uma proposta a gente comenta.

    Natal é repetição, é a época oficial do mais-do-mesmo. As mesmas propagandas, os mesmos votos, o mesmo papai noel, o mesmo perú (esse quem reclama é minha tia Anastácia, casada há 45 anos), o mesmo tender, o mesmíssimo porre e o mesmíssimo programa do PSDB, recheado pelo mesmo lero-lero, a mesma queda do Fluminense pra segundona e a mesma virada de mesa no tapetão. Sai ano entra ano é a mesma dança, meu boi. Deixa aí a chamada e republica em 2014, pô.

  23. Programa?Que programa?

    Isto pode ser chamado de tudo, menos de programa.

    Para ser um programa, necessitaria ter as seguintes respostas para cada item:Como?Quanto?Onde? Quem?Por que?Onde?.

    Não basta dizer “o que”, se é que disse.

    •  
      Concordo Luiz. Não obstante

       

      Concordo Luiz. Não obstante não me encontrar com disposição para levar a sério este amontoado de platitudes. Não dá pra compreender, como um enorme bando de emplumados tucanos são capazes de produzir, à guisa de “programa de governo,” essa tolice, e, por cima, conseguir engabelar o presunçoso rapaz, fazendo-o assumir tal bestice.  Claro que o Nassif, por educação e por oficio de boas maneiras. não cuidou de demolir, pondo abaixo todo esse blablarinatório inútil.

       

      Orlando

       

  24. Idéias eles tem.

    Caro Nassif e demais

    Idéias eles tem sim, e como tem, acontece que com as idéias deles, eles não conseguem se eleger para nada, a não ser, se o povo for masoquista.

    Eles não podem falar as verdadeiras propostas, por isso eles tem que achar alguém em que eles invistam, de forma a ter o retorno em votos.

    O PSDB sabe,  e muito bem, o que quer. 

    Mas precisa da mentira como escudo. A hipocrisia é parceria deles.

    Saudações

     

    • Isso, isso, isso!


      Junte hipocrisia, cinismo, má fé, interesses inconfessáveis, inversão de valores, desprezo evidente pela nação (brasileira) e obediência servil (à nação das listras e estrelas e à banca internacional), manutenção e ampliação de privilégios históricos e corrupção do mais “alto nível” …

      E vc terá a patota que chamam de PSDB.

      E suspeito que metamorfosearão a casca depois das próximas eleições (ou até as seguintes).

      Ainda não “suspeitaram da nossa esperteza”!

      • Caro Chaves 
        Não é só o PSDB,

        Caro Chaves 

        Não é só o PSDB, que é uma das muitas máscaras dos partidos empresariais, são os próprios partidos empresariais que estão em busca de uma nova máscara. Do Arena ao PFL, deste ao PSDB, e quem sabe, ao PSB, via Rede.

        Eles precisam da mentira. A que cair melhor, será usada.

        Saudações 

        • Também isso, isso, isso!

          Sim, o PSDB passou a ser (no passado recente) o primo rico (eleitoral) desta patota toda (Demo, PSB’s, PPS, etc..).

          Agora, vão ter que achar outro primo, já que este (ainda rico) já está manjado.

          Se fosse hoje, teriam Aécio/Serra, Campos/Blabarina e, quiçá, Joca Barbosa.

          Estão (felizmente) mal de opções.

          Nenhum pode animá-los (ou a outrém) muito, então vão ter que armar baixaria como nunca.

          Aguardemos eles “se acharem”…

          Ou pensarem que.

  25. Como definiu um comentarista

    Como definiu um comentarista do blog,isso não e nada.De pouca inspiração,disse a Folha.Inspiracao e para poeta(como Neruda a tinha) ,não para programa de governo.E corda em casa de enforcado,mistura de alhos com bugalhos,e a linha do equador,sabe-se que existe mas não se vê.Sabe o que esse troco e,a cara de um candidato,puto da vida,porque já se sabe derrotado ou chances próximas a zero,chama os aspones e manda fazer qualquer coisa para ser chamado de programa dê governo.Então isso e qualquer coisa,inclusive nada.Um candidato que vem de “Vamos Conversar”pode ser levado a sério.So for nesse blog.Aecio Neves e o pior candidato que se apresentou ao pais,desde a Proclamação da República até os dias atuais.Nada que Aecio fala se aproveita.Aecio e candidato de botequim.

      • Nassif,
        Você entendeu errado
        Nassif,
        Você entendeu errado se achou que eu disse que você apoiaria o PSDB e Aécio. Disse que você quer vê-los como os adversários eleitorais qualificados que deveriam ser.
        Você sempre tenta enxergar algo que permita à oposição qualificar o debate político. Seja quando tropecao em uma boa idéia, seja quando você resgata o passado de gestor público deles.
        É claro que uma oposição qualificada seria muito boa para o país, mas eu não espero encontrar isso debaixo de cada pedra ou atrás do mato seco.

  26. Uma coisa que todos estão
    Uma coisa que todos estão esquecendo é que Aécio lançou esse programa para copiar Campos & Marina, que fizeram o mesmo há algumas semanas. O PSDB não podia ficar atrás.
    Infelizmente, a iniciativa do PSB teve muito menos repercussão que o plágio de conteúdo constrangedor dos tucanos. Acho que faltam Marinistas no blog.

  27. A esperança e o medo.

    O filme No!, que trata dos dilemas do plebiscito que pôs fim a ditadura chilena do sanguinário Pinochet, o publicitário, personagem central da trama, ensina: a comoção política que alimenta movimentos vitoriosos se dá por dois fatores, medo ou esperança.

    Não há no cenário atual, dentro dos limites impostos pela ação do governo, da conjuntura e da própria História, nenhuma possibilidade de explorar nenhum destes dois sentimentos.

    Ainda que haja uma hecatombe econômica, é muito difícil convencer a população de que a presidenta seja incapaz de conduzir o país.

    Pelo lado da esperança, a memória da gestão tucana não autoriza a massa eleitoral a acreditar que possam fazer melhor que o atual governo.

    Ainda assim, se houvesse espaço, os tucanos e aliados estão totalmente deslocados, isto é, propõem o discurso do medo quando deveriam falar em esperança, e promotem esperança onde deveriam falar do medo.

    Nada foi pior aos tucanos que ficar tão longe do governo por tantos anos, principalmente porque foram sucedidos por um governo que enterrou a gestão tucana quando se coloca em análise comparativa. 

    A construção partidária estrutural do PSDB não se deu como anti-establishment, como foi o caso do PT.

    Logo, foi bem mais fácil ao PT se adaptar a situação que o PSDB a oposição.

    Se o PT voltar a oposição, é certo que haverá algum estrago feito a esta capacidade, mas ainda assim, nada comparado a imobilidade dos tucanos.

    Outro ponto chave para determinar as diferenças e as perspectivas são as lideranças dos dois grupos: o PT tem Lula (e Dilma) e o PSDB tem o quê: FHC?

    Pois é, por mais que o pessoal do libero-arcaismo torçam o nariz para o “Baiano”, o fato é que ele faz uma diferença colossal.

    Imaginemos que em um cenário cataclísmico, Dilma se tornasse inviável. O PT tem como capital político reserva Lula.

    E caso Aécio afunde, quem vem? Çerra? FHC?

     

  28. Luis,uma pergunta curta e

    Luis,uma pergunta curta e grossa.O jornalista Luis Nassif acredita que Aecio Neves será o candidato do PSDB a presidência da república nas eleições de 2014?

  29. Olha, o programa efetivo do

    Olha, o programa efetivo do PSDB é dizer que os petistas são uns bandidos. É o que lhes resta e que no final vão mesmo conotar & usar até o esgotamento e mesmo depois.

    Isso dito, alguns pontos são hilários. P.ex: Lembremos que antes mesmo de tomar posse, FHC aproveitou a intervenção no Banespa para manietar Covas e começar essa centralização de verbas no governo federal. E agora o Aecinho vem criticar o governo federal por isso…Por que não criticou em 1994 quando o processo se iniciava e ainda era reversível? Agora é só bordão. E por aí vai. 

    Repito o que venho dizendo: a Dilma só perde para ela mesma…o que, inclusive, é um problemão para o Brasil: o PT fica numa zona de conforto, pende para o centro e para a pouca ousadia nas políticas econômicas, sociais e de costumes que deveriam ser aquelas abraçadas por uma social-democracia digna de respeito.

  30. “…8. Nação solidária: mais
    “…8. Nação solidária: mais autonomia para estados e municípios, maior parceria da UniãoAqui, uma crítica à conta que recaiu sobre estados e municípios com a política de desoneração tributária. “Nosso compromisso é restaurar o equilíbrio que deve nortear uma federação que se pretenda mais solidária, para devolver a estados e municípios a autonomia que lhes vem sendo paulatinamente usurpada”. É crítica correta…”  Se tem alguma coisa de interessante do conjunto de propostas pode-se dizer que é justamente pretender olhar cuidadoso sobre a divisão dos recursos.  Tal questão é MUITO MAIS ampla que a política pontualíssima de desoneração tributária e também o PAC, nesse quesito, um palitinho de fósforo.  Considero na verdade que comete um grande equívoco ao desconsiderar os efeitos da concentração e centralização de poderes excessivos em Brasília.  De outro modo, não trata de modo razoável problema altamente complexo. Não é de hoje…

  31. Lembrando que Aécio já perdeu
    Lembrando que Aécio já perdeu o apoio do PPS e deve perder o do DEM. Esses partidos precisam eleger parlamentares no vácuo do presidenciável mais forte. E o PSDB só perde eleitores a cada eleição. Já o PSB cresce. Aécio não convence nem a direita, quanto mais atrair eleitor de centro e esquerda com figuras conservadoras como Perillo, Alckmin, Serra e o próprio Aécio.
    Bornhausen soma numa candidatura progressista como a de Campos, mas quem soma à esquerda com Aecio? Por isso ele tenta usar o próprio Campos como ponte para esse eleitorado.

    • PSDB É UMA BARCA FURADA

      O mais incrível é o PSB, um dos melhores partidos do país, ainda cogitar apoiar o PSDB em São Paulo, que está com os dias contados; e não tem a mínima chance diante dos escândalos de corrupção no metrô, e a onda de indignação contra a roubalheira.

      O PSB precisa pensar grande, porque tem condições inclusive de fazer o governador de São Paulo, diante do vexame do PSDB. E se entrar nessa barca furada, comprometerá a candidatura do Eduardo Campos. Os partidos precisam perceber que o eleitor está mais politizado, graças à internet e aos formadores de opinião. O PSB deixou a base governista na hora certa, demonstrando que não concorda o que virou o governo do PT. Agora, se for buscar apoio no PSDB, melhor seria ficar na base governista. Essa falta de clareza, postura, e ética, pode custar-lhe a presidência da República.

      O PSB paulista precisa compreender que o partido, um dos que mais zelam pela ética na política, colherá agora os frutos que tem plantado há tempos; e não precisa ficar correndo atrás de ninguém. Muito pelo contrário, os outros é que correrão atrás do PSB. O povo precisa de alternativas a tudo isso que está aí, a imagem de que esteve ligada ao PT será superada com sua ruptura com o governo; mas uma aliança com o PSDB será imperdoável.

      • Seu comentário traz as
        Seu comentário traz as respostas para sua cobrança. O PSB saiu do governo e apóia o PSDB-SP porque é oportunista. Aceita PPS e DEM porque tem a mesma ética dos partidos que crítica. Como você mesmo aponta, o PSB não tem feito nada nessa pré-campanha que o caracterize como um partido diferente. Pelo contrário.

        • Por isso a cobrança, pra ver

          Por isso a cobrança, pra ver se tomam vergonha na cara. Porque tem muita gente no PSB, achando que vai passar despercebida, apoiando o Alckmin em SP…

      • PSB, uma nova barca furada

        O PSB se torna uma nova barca furada. Em São Paulo, há muito, uma sublegenda tucana.

        O que diferencia o PSB e o PSDB de São Paulo seria a letra D?

  32. A FORÇA DO NEOLIBERALISMO NO BRASIL
     
    Existem partidos como o PT, PDT, PSB, etc, que não são santos, tem seus defeitos e falcatruas; mas são casos isolados, não representam todo o partido. Não podemos criticar, por exemplo, todo um partido, porque um de seus integrantes envolveu-se com a corrupção, ou tomou atitudes contrárias ao interesse do país; porque estaríamos sendo injustos com os outros, que são honestose nos defendem.

    No PSDB e no DEM é diferente. Criticamos o partido inteiro, todos seus integrantes. Porque foram esses políticos que governaram o país desde 64 até FHC. Eles representam o

    NEO LIBERALISMO,

    a molecagem irresponsável que nos trouxe a DÉCADA PERDIDA, e provocou a crise no mundo inteiro.

    Ou seja, defendem irresponsavelmente, demagogicamente, ignorantemente, a aplicação do capitalismo selvagem, num país onde a maior parte do capital produtivo está nas mãos de estrangeiros. Ou seja, defendem nossa colonização. Se fosse por eles, teríamos assinado o tratado da ALCA, e hoje estaríamos de joelhos, como o México, que assinou, e recentemente precisou pedir 50 bi emprestados ao FMI. Por isso os repudiamos veementemente.

    O neoliberalismo é uma doença que precisa ser erradicada do Brasil. Ele tem demolido os alicerces do sistema capitalista, especialmente a livre concorrência. Sr. empresário, fique de olho nesses caras, eles são a turma dos trusts, cartéis, e da concorrência fraudulenta; são monopolistas, e se sua atividade se tornar atraente para eles, essa gente vai lhe tirar do mercado. Nem que precisem trazer seus produtos da China.

    O que os capitalistas precisaram de séculos para fazer, fortalecendo-se, intelectualizando-se, e criando os meios para retirar do poder despótico as monarquias absolutistas e sua nobreza feudal; o neoliberalismo está destruindo em, poucas décadas. Capitalista é o Estado governado em função do capital (meios usados para produzir e distribuir os bens na sociedade) Como hoje os capitalistas estão sendo esmagados pela concorrência fraudulenta, as jogatinas do “mercado”, e os juros abusivos; o Estado não é mais governado em sua função. Atualmente quem manda na maior parte do mundo é a

    ESPECULAÇÃO FINANCEIRA

    E como não produz nem distribui nada, não deve ser considerada capital. Ou seja, sem perceber, os mesmos VERMES, que engordavam na idade média, escravizando a população, sem trabalhar, nem produzir nada; estão voltando ao poder através do neoliberalismo, pela especulação financeira, que temos chamado de

    DITADURA DO MERCADOO

  33. PSDB vai praticar um harakiri?

    Item 1- Compromisso com a ética, combate intransigente à corrupção, radicalização da democracia e respeito à instituições.

    Compromisso com a ética??????

    Combate intransigente à corrupção???????

    Respeito às instituições????

     

    O PSDB pretende praticar harakiri! Que o faça logo!

  34. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome