Receita recebe arquivos de contribuintes com contas no HSBC da Suíça

Jornal GGN – A Receita Federal recebeu, do governo francês, mais de oito mil arquivos eletrônicos sobre contribuintes brasileiros que são titulares de contas do HSBC na Suíça. Desse total, a Receita identificou cerca de mil e setecentas contas que tinham saldo em 2006, no período que envolve a lista de correntistas do HSBC vazada no Swissleaks. Após identificação das informações dos contribuintes, os casos mais graves deverão ser investigados pela Polícia Federal e Ministério Público.

Enviado por LA Costa

Da Agência Estado

Receita recebe arquivos sobre brasileiros que têm contas no HSBC da Suíça

A Receita Federal recebeu do governo francês informações sobre contribuintes brasileiros titulares de contas correntes no HSBC da Suíça. Em nota, o órgão informou que foram enviados 8.732 arquivos eletrônicos, cada um supostamente com o perfil de um cliente brasileiro do banco. A receita tenta identificá-los.
Já foram identificados 7.359 perfis, dos quais 7.243 contribuintes. “Há casos de pessoas com múltiplos perfis de cliente”, explicou a Receita, em nota. Foram descobertas 5.581 contas, entre ativas e inativas, mantidas por brasileiros. Desse total, 1.702 contas tinham saldo ao final de 2006, período abarcado pela lista de correntistas do banco que foi vazada no episódio que ficou conhecido como “Swissleaks”.

“A Receita Federal solicitou ao Banco Central, no dia 8 de maio, informações sobre um primeiro conjunto de registros para buscar elementos para identificação de indícios de possíveis práticas de crimes contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro”, informou o órgão, acrescentando que está fazendo um cruzamento dos CPFs com sua base de dados para fiscalização também do período de 2011 a 2014.

Leia também:  Bolsonaro ataca: "Faltou a Ford dizer a verdade: querem subsídios"

Nesse universo, foram identificados 736 pessoas que morreram. Do restante, há ainda 264 estrangeiros, 263 CPFs suspensos, 97 cancelados, 15 pendentes de regularização e um nulo. Ainda não foram identificados 1.129 nomes.

A Receita informou que continuará a pesquisa para identificar os correntistas e pessoas físicas relacionadas, além dos herdeiros dos correntistas que já morreram, servidores públicos e pessoas “politicamente expostas”. Será feita ainda análise de vínculos entre os contribuintes identificados.

Também ocorrerá troca de informações com o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o Banco Central, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

Brasileiros tinham US$ 5,4 bilhões depositados
 
A Receita Federal identificou a existência de 5.581 contas, ativas e inativas, de brasileiros no Banco HSBC da Suíça, divulgou hoje (25) o órgão. Desse total, 1.702 apresentavam saldo ao final de 2006, somando aproximadamente US$ 5,4 bilhões.
 
Dentre os CPF já identificados pela Receita, há 736 contribuintes falecidos. Entre os vivos, 264 são estrangeiros, 263 com CPF suspenso, 97 com o documento cancelado, 15 pendentes de regularização e 1 com CPF nulo. O órgão arrecadador descobriu ainda 1.942 contribuintes com mais de 70 anos. O Fisco não conseguiu identificar 1.129 nomes.
 
A investigação ocorre com base em arquivos eletrônicos enviados pela administração tributária francesa. Com sede em Paris, a Direction Générale des Finances Publiques repassou ao Brasil 8.732 arquivos eletrônicos, cada um supostamente com o perfil de um cliente brasileiro do banco suíço. Até agora, 7.359 perfis foram verificados. Como há casos de uma mesma pessoa com múltiplos perfis de cliente, o número efetivo de titulares é menor.
 
Com base nas informações colhidas até agora, a Receita pretende identificar eventuais herdeiros dos 736 contribuintes falecidos, analisar vínculos entre contribuintes identificados para encontrar grupos de correntistas relacionados ou ligações entre pessoas físicas e jurídicas. Os casos mais graves identificados pelo Fisco, Banco Central e Coaf terão a investigação aprofundada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal.
 – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –
 
Comprovados os crimes, os diretores da instituição financeira ficarão impunes?
 
A expressão “pessoas politicamente exposta” não foi utilizada por um verme que se diz jornalista que teve a primazia de receber a lista dos brasileiros com contas na lavanderia HSBC?

 

4 comentários

  1. A casa tá caindo…

    Zelotes, HSBC e agora também o caso FIFA. Grupos de mídia brasileiros sob suspeita e investigação, e nada da gente ficar sabendo até que ponto eles estão afundados na lama. Ou esses caras derrubam o Governo ou serão todos desmoralizados quando as investigações começarem a deixar claro que tipo de pessoas são esses que se escondem atrás da nossa “imprensa livre”

  2. Então alguem pago por nosso impostos,

    nós que não podemos ou não queremos sonegar, foi trabalhar em algo que a rede globo, a fsp, a veja não vão gostar, já que vai mexer com os amigos dos donos, e até com familiares, e quem sabe com os donos…

    Será que vai nevar no planalto central?

  3. Está também na página da Receita. Agora, vai.

    http://idg.receita.fazenda.gov.br/noticias/ascom/2015/maio/receita-federal-segue-analisando-dados-de-contas-bancarias-na-suica

    A Receita Federal obteve da Direction Générale des Finances Publiques – DGFiP (administração tributária francesa), com base no Acordo para Evitar a Dupla Tributação existente entre os dois países, informações sobre contribuintes brasileiros titulares de conta corrente no Banco HSBC da Suíça.

    Essas informações consistem em 8.732 arquivos eletrônicos, cada um supostamente contendo um perfil de cliente brasileiro do banco suíço, os quais a Receita Federal vem buscando identificar na base do Cadastro de Pessoas Físicas – CPF. Até o momento já foram identificadas as pessoas relacionadas a 7.359 desses perfis, englobando 7.243 contribuintes com registro no CPF, uma vez que há casos de pessoas com múltiplos perfis de cliente.

    Os registros apontam, ainda, a existência de 5.581 contas, incluindo ativas e inativas, à época mantidas por brasileiros. Desse total, 1.702 contas efetivamente apresentavam saldo ao final de 2006, englobando um valor total de aproximadamente US$ 5,4 bilhões.

    A Receita Federal solicitou ao Banco Central, no dia 8 de maio, informações sobre um primeiro conjunto de registros para buscar elementos para identificação de indícios de possíveis práticas de crimes contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro. Em paralelo, a Receita Federal está cruzando as informações desses CPF com suas bases de dados para a identificação de contribuintes com interesse fiscal para o período de 2011 a 2014, para posterior programação e fiscalização.

    Dentre os CPF já identificados há 736 contribuintes falecidos. Dentre os registros para os quais não consta óbito, há 264 estrangeiros, 263 CPF suspensos, 97 cancelados, 15 pendentes de regularização e um nulo. Foram identificados, ainda, 1.942 contribuintes com mais de 70 anos. Além dessas ações, as outras vertentes de trabalho são as seguintes:
    1. continuidade das pesquisas das pessoas físicas ou jurídicas não identificadas na depuração inicial, que correspondem a 1.129 nomes;
    2. continuidade das pesquisas para identificação das correntistas pessoas jurídicas, e respectivas pessoas físicas relacionadas;
    3. identificação dos eventuais herdeiros dos 736 contribuintes já falecidos;
    4. realização de análise de vínculos entre os contribuintes identificados, de forma a encontrar grupos de contribuintes relacionados, para o tratamento em conjunto;
    5. realização de intercâmbio de informações com o Conselho de Controle de Atividades Financeiras – COAF, de modo a buscar elementos para identificação de indícios de possíveis práticas de crimes contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro;
    6. aprofundamento das investigações para os casos mais graves, identificados a partir da priorização anteriormente estabelecida e do intercâmbio de informações com o Banco Central e do COAF, com o acionamento do Polícia Federal e o Ministério Público Federal;
    7. identificação de eventuais servidores públicos e de pessoas politicamente expostas.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome