Muito do que chamam de crise ocorre sistematicamente, avalia Dilma

Cíntia Alves e Luis Nassif

Em entrevista exclusiva a blogueiros, a presidente demonstrou calma em relação ao momento turbulento para o governo e projetou a recuperação da economia a partir do final do ano

Jornal GGN – “Muito do que se considera crise ocorre sistematicamente no Congresso”, avaliou Dilma Rousseff (PT), na manhã desta terça-feira (14). Apesar de os jornais noticiarem diariamente problemas com aliados políticos, resistência ao ajuste fical, manifestações de direita contrárias ao governo e até os pedidos de impeachment, a avaliação de Dilma diante do cenário é de que esse clima de terceiro turno deve ser encerrado em breve. “A chegada de [Michel] Temer na negociação política vai dar um grande salto. Nao é uma mágica qualquer, é uma negociação”, ponderou.

Dilma rebateu reportagens que questionam seu poder de controle sobre o pacote fiscal encampado pelo ministro Joaquim Levy, criticado pela base mais à esquerda que ajudou na reeleição da presidente. “Não tem a menor correspondência com a realidade dizer que Levy é o verdadeiro presidente da República. Para ser ministro da Fazenda e para defender medidas políticas, ele depende da Presidência da República. Não pode defender nada que a presidência da República não concorde. Ele faz porque o governo dá respaldo. Ele não tem meios de fazer [sozinho]”, disse.

Em entrevista aos jornalistas Luis Nassif, do Jornal GGN, Maria Inês Nassif (Carta Maior), Paulo Moreira Leite (Brasil 247), Cynara Menezes (Socialista Morena), Altamiro Borges (Barão de Itararé) e Renato Rovai (Revista Fórum), Dilma falou ainda sobre os protestos anti-PT, a Operação Lava Jato, a regulação da mídia, o projeto de lei da terceirização, alterações em programas sociais, as projeções do governo e a nomeação do ministro que vai ocupar a vaga deixada por Joaqui Barbosa no Supremo Tribunal Federal. Segundo ela, o mistério acaba ainda nesta terça-feira.

A presidente aproveitou para defender a política econômica usada para reduzir os impactos da crise. “Foi uma política para diminuir o custo do trabalho em uma conjuntura internacional em que redução está se dando por perda de avanços sociais e demissões.” Sobre o ajuste fiscal, ela citou o caso do seguro desemprego, argumentando que está resolvendo casos sem desprorpocionais. “Tínhamos a menor taxa de desemperego da série histórica, [acompanhada de] um nível de gastos [com seguro desemprego] fora de qualquer proporção”, comentou.

Abaixo, os principais pontos:

Análise da crise e projeções

Qual o segundo tempo do jogo? Que tipo de crise política nós temos? Saímos da eleição com muita gente no terceiro turno. Tivemos, após a reeleição, problemas de quererem recontagem dos votos, algo que não prosperou. E as contas de campanha, analisadas pelo Tribunal Superior Eleitoral, até chegar à aprovação, sofreram grande estresse político. Essa questão continuou. Não acho que isso leva a uma crise institucional. Faz parte da luta política do Brasil no estágio atual. Vamos fazer 13 anos [no poder] e quem não está no governo reage dessa forma. 

Sem sombra de dúvidas, há um problema econômico no país. Tivemos uma situação econômica bastante complicada. Mas ela não produziu efeitos de crises economias anteriores porque o Brasil mudou completamente, embora muitas pessoas avaliem como se nada tivesse mudado. Nós hoje temos um mercado de 44 milhões de pessoas, que vão sentir as consequências [da crise] de forma menos aguda, porque continuam demandando. 

Temos baixo nível de endividamento do país. Continuamos protegidos pelas nossas reservas. E temos um conjunto de políticas sociais, e condições de manter a política de valorização do salário mínimo.

Leia também:  Cinco fatos surpreendentes sobre desigualdade no Reino Unido

Vamos diminuir alguns ritmos da política social e da infraestrutura. Mas esperamos que haja recuperação a partir do final do ano. Não estamos fazendo ajuste por ajuste. [Estamos] Fazendo para crescer. Se retomar condições fiscais, cresceremos. E temos um conjunto de projetos e ações em andamento.

Vamos continuar com a concessão de rodovias, leilões de energia elétrica. No modelo ferroviário, os investidores querem que não seja a Valec a dar a garantia, mas o Tesouro.  Transferimos R$ 15 bilhões capitalizando a Valec, para ser ela a avalista. Muitos dos investidores não querem essa garantia. Estamos em discussão com eles.

O Brasil não fez até hoje grandes ferrovias. Tenho orgulho de ter feito a maior ferrovia, o maior trecho da Norte-Sul e de também ampliarmos a parte de baixo da Norte-Sul, de Anápolis a Estrela do Oeste, com 75% construído.

Terceirização

Terceirização se impõe em várias discussões – dentro da Petrobras, Eletrobras, em grandes ou médias empresas. Nós já chegamos a demitir vários funcionários porque eram terceirizados [estava ocupando vagas destinadas a concursados]. Há que se definir.

Há dois problemas. O primeiro, acerca da contribuição previdenciária, do pagamento de tributos e direitos trabalhistas. Queremos tornar clara a relação entre contratante e contratado. Na lei aprovada, essa relação nos parece complicada, porque falam que relação inicial é subsidiária. Isso não é bom nem para trabalhadores, nem governo e nem empresários. Significa uma enorme quantidade de ações trabalhistas. Se evoluir para responsabilidade solidária, menos mal.

[A segunda questão é] sobre as garantias dos contratos de trabalho. Aí é uma questão das centrais. Não sei com quem elas negociaram ou se não vão negociar [sobre o sindicato que vai representar os trabalhadores terceirizados nas negociações com as contratantes]. É uma parte da discussão que não é Estado que faz. Os sindicatos têm de fazer esse debate, até porque nós não dominamos isso. O governo domina o debate sobre o direito trabalhista, previdenciário e fiscal.

Lava Jato e denúncia da SBM

Nós tivemos uma estratégia, materializada nos acordos de leniência. Tem que ser punido a pessoa, não a empresa.

Hoje está em discussão a questão da SBM. Um senhor veio propôr se queríamos comprar as informações dele. Queria vender. O ex-diretor [Jonathan David Taylor] procurou a CGU, [para saber] se havia recompensa financeira pelas informações, semelhante ao que ocorre nos EUA. Fui informada que não há previsão legal para isso. Mantivemos todas as relações com o Ministério Público e a Procuradoria da Holanda para nos informar das delações lá para saber o que fazer aqui. Se nao for pelos canais competentes, anulam as provas.

Leia também:  Marília Arraes é a entrevistada da live das 15h nesta terça (4), na TV GGN

O País tem que considerar normal as manifestação na rua. Anormal é o uso político. A mesma coisa com as investigações. O que é normal é fazer tudo para que a Petrobras tenha condições de atuar. O que aconteceu foi crime de alguns indivíduos, não da organização.

A Petrobras tomou um conjunto de medidas para se recuperar e deu certo. Houve um grande salto de produção em apenas 6 anos. Do ponto de vista da gestão, a Petrobras está inteirinha. As questões que tinham que ser saneadas, o foram.

No dia 22 de abril haverá a comunicação de um fato relevante para CVM, que é o balanço do terceiro trimestre da Petrobras e o fechamento do ano vai ser feito. Vira-se a pagina da Petrobras. Vamos manter muitos dos investimentos. Alguns, vão adiar e muitos poucos irão cancelar. Mas ela voltará a ter esse processo de forma clara e límpida, virando essa página.

Histórico e ajustes na economia

A política anticíclica [na economia] ficou muito forte, principalmente a partir de 2009. Em 2011, houve situações, em países desenvolvidos, que acabaram levando ao fortalecimento das moedas. O país vivia uma situação de estresse, baseado em câmbio de 1,50. Com este cenário foi alinhavado um conjunto de medidas anticíclicas muito fortes. Mas o que foi feito foi política fiscal, não monetária:

Em primeiro lugar, houve ampliação do crédito via subsídio, com diferença entre Selic e taxa cobrada.

Bens de capital, modernização de frota, financiamento de caminhão, máquinas e equipamentos agrícolas, tudo isso com nível baixo de juros. Em segundo, uma política de desoneração fiscal bastante relevante, tanto dos investimentos em bens de capital, como da cesta básica e da folha de pagamentos. Em terceiro, um período muito difícil e complicado em matéria de hidrologia. Entre 2012 a janeiro de 2015, uma das piores crises da história, não só no Nordeste, mas chegando forte ao Sudeste. Do ponto de vista do sistema elétrico, teríamos começado a racionar energia em 2011 [sem as térmicas]. Na térmica, paga o combustível, o gás, carvão, diesel ou urânio. O governo tem que aumentar o preço. Só que se aumentar abruptamente, o impacto seria imenso, sobretudo no setor produtivo. Suavizamos o impacto. Impactou bastante a economia. Mantivemos essa política de forma profunda nesse período. Seguramos porque a arrecadação não era maravilhosa, mas estávamos crescendo.

A partir de setembro de 2014, há uma queda brutal na arrecadação, acompanhada de movimentos internacionais – 2014 é o pior ano da China. Sofremos impacto da queda brutal das commodities. E veio o fator Petrobras, cuja produção cai até 2013, e começa a recuperar em 2014. Quadro de muito agravamento no final de 2014, para nós, nos estados e nos municípios.

Olhamos e vimos que não cumpriríamos a meta orçamentária, porque queda de arrecadação não era compensada por nenhum mecanismo. Tivemos que fazer grande ajuste.

O pessoal que foi saindo do governo, [da antiga] equipe da Fazenda, deixou uma série de medidas de ajuste já previstas. Sobretudo ajustes em algumas políticas onde foram detectadas distorções, como no seguro desemprego – tínhamos a menor taxa de desemperego da série histórica, [acompanhada de] um nível de gastos fora de qualquer proporção. Pessoas trabalhavam um mês e recebia por um ano. Hoje, propondo mesmo método do décimo terceiro salário. Trabalhou dois meses, recebe 2/12.

Fizemos ajustes logo no início. Mudamos os juros. Não acabamos com subsídios. Só reajustamos. Não é mais 2,5% ao ano. Mas não é Selic. Ainda tem subsídio. Em alguns casos, ainda há taxa de juros negativa.

Leia também:  Para reabrir escolas é preciso fazer testagem em massa e rastreamento, diz estudo da UCL

Para bens de capital, mantivemos a política de subsídio. Para agricultura, caminhoneiros, inovação. Não houve mexida no sentido de acabar completamente com subsídio do crédito, porque tem que manter essas políticas, se quisermos visão de retomada. Além disso, não mexemos na cesta básica, nem na desoneração de bens de capital.

Foi uma política para diminuir o custo do trabalho em uma conjuntura internacional em que redução está se dando por perda de avanços sociais e demissões.

No setor automobilístico nos EUA, o governo americano se tornou sócio da GM e da Chrysler. Mas fizeram redução brutal de salário e de direitos de aposentadoria. Nós sabíamos que a conjuntura obrigaria a reduzir o custo do trabalho. Procuramos combater via [redução de] impostos, basicamente para setores industriais, onde a competição bate forte. Acabou que a desoneração para alguns setores que não estavam previstos foi feita em um nível muito maior do que somos capazes de suportar. Com desoneração da folha de pagamento perdemos R$ 25 bilhões, mas estamos reduzindo para R$ 12 bilhões.

Fizemos uma série de redução de desonerações e de tributação e vamos ser obrigados a fazer um ajuste porque [para atingir] superavit primário de quase 2% , teremos que contingenciar gastos do governo.

Regulação da mídia e parceria com Facebook

No momento não há a menor condição de abrir essa discussão [sobre regulação da mídia], por conta de toda a situação [de crise política]. Não implica que não possa, através de outros mecanismos, se discutir o tema. Pode ser interessante discutir um projeto de iniciativa popular.

Mark Zuckerberg [dono do Facebook] quer montar um projeto [sobre inclusão digital]. Estamos propondo uma experiência [de banda larga gratuita] como em Heliópolis. [A equipe dele] Faria toda a infraestrutura para conexão, com o que há de tecnologicamente mais avançado. A partir daí discute com governo brasileiro. [Em junho] eles fazem a proposta. Por enquanto, não tem nada assinado.

A conversa foi bilateral. Eles demonstraram interesse em usar um “balão”, um satélite de baixa altitude. É uma espécie de balão metereológico para regiões isoladas. Queriam discutir a possibilidade do governo brasileiro participar disso no interior dos estados.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

51 comentários

  1. Notícia importante:Um passo a

    Notícia importante:Um passo a mais pra conciliação.

    Obama retira Cuba da lista de
    países que apoiam o terrorismo

    ir texto  0:00 Imprimir Comunicar erro

    Mandel Ngan/AFP

    A Casa Branca disse que o presidente dos EUA, Barack Obama, decidiu, nesta terça-feira (14), retirar Cuba da lista de países que apoiam o terrorismo, em mais um passo para normalizar as relações entre as nações.

    O governo americano informou que Obama apresentou relatórios e certificações exigidos pelo Congresso indicando sua intenção de retirar Cuba da lista.

    Obama tomou a decisão final na sequência de uma avaliação do Departamento de Estado. Em mensagem ao Congresso, Obama disse que o governo de Cuba “não forneceu qualquer apoio ao terrorismo internacional” nos últimos seis meses. Ele também disse aos deputados que Cuba “deu garantias de que não apoiará atos de terrorismo internacional no futuro”.

    Funcionários do Departamento de Estado disseram ter feito uma revisão completa do requerimento para garantir que sua decisão resista a qualquer questionamento em um Congresso controlado pelos republicanos.

    Cuba não estará efetivamente fora da lista após um período de avaliação de 45 dias, durante o qual uma resolução conjunta para bloquear a remoção da lista deve ser considerada na Câmara e no Senado. A ideia de remover a nação cubana da lista foi recebida com considerável resistência por parte dos republicanos, incluindo muitos congressistas cubano-americanos.

    Os EUA há muito tempo já pararam de acusar o país liderado por Raúl Castro de apoiar ativamente o terrorismo.

    O anúncio de terça-feira vem dias depois de Obama e o presidente cubano, Raúl Castro, terem se reunido, às margens da Cúpula das Américas ocorrida no Panamá. As conversações marcaram a primeira reunião formal entre os líderes em 50 anos.

    A remoção de Cuba da lista terrorista facilita o caminho para a abertura de uma embaixada dos Estados Unidos em Havana.

    Outros países que ainda na lista são Irã, Sudão e Síria. O secretário de imprensa da Casa Branca, Josh Earnest, disse que, mesmo Cuba sendo retirada da lista, isso não muda o fato de que os EUA têm diferenças com o governo da ilha caribenha. “Nossas preocupações sobre uma ampla gama de políticas e ações de Cuba não se enquadram nos critérios que são relevantes para a possibilidade de rescindir a designação de Cuba como um Estado patrocinador do terrorismo”, disse.

    Cuba foi designado como Estado patrocinador do terror em 1982. Até esta terça-feira, a ilha comunista continuou sendo um dos quatro países na lista norte-americana de nações acusadas de apoiar repetidamente o terrorismo global, as outras três nações são Irã, Sudão e Síria. (Com Associated Press e “The New York Times”)

     

     

  2. Crises e maus profissionais?

    Delegados deixaram digitais: achavam que o golpe ia dar certo

    publicado em 14 de novembro de 2014 às 21:02

    por Conceição Lemes

    Ontem, quinta-feira 13, a reportagem de Júlia Duailibi, publicada em O Estado de S. Paulo revelou: no período eleitoral, delegados da Polícia Federal (PF) usaram as redes sociais para elogiar Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência, e para atacar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta Dilma Rousseff, que disputava a reeleição, bem como a replicar conteúdos críticos aos petistas.

    Esses policiais, que mostraram ser anti-petistas militantes e radicais, são simplesmente os responsáveis pela Operação Lava Jato, que investiga o esquema de corrupção na Petrobras, empreiteiras, doleiros, partidos políticos, funcionários e ex-funcionários da estatal.

    Pela primeira vez os rostos desses delegados estão sendo mostrados. Para isso, contamos com a preciosíssima colaboração do NaMariaNews, que também nos ajudou na busca dos vídeos, das imagens e dos links que aparecem nos PS do Viomundo, ao final da matéria. Como os delegados mudam de nome dependendo da situação, a pesquisa foi bastante difícil.

    São eles:

    Igor Romário de Paula, da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado

    As investigações da Lava Jato estão sendo conduzidas por delegados vinculados a Igor Romário de Paula, que responde diretamente a Rosalvo Ferreira Franco, superintendente da PF do Paraná.

    Igor Romário de Paula, que atuou na prisão do doleiro Alberto Youssef, participa de um grupo do Facebook chamado Organização de Combate à Corrupção (OCC), cujo “símbolo” é uma imagem da Dilma, com dois grandes dentes incisivos para fora da boca e coberta por uma faixa vermelha na qual está escrito “Fora, PT!”

    Márcio Adriano Anselmo, coordenador da Operação Lava Jato

    Márcio Adriano Anselmo foi quem, no Facebook, afirmou: “Alguém segura essa anta, por favor”, em uma notícia cujo título era: “Lula compara o PT a Jesus Cristo”

    Na reta final do 2º turno, fez comentários em outra notícia, na qual Lula dizia que Aécio não era “homem sério e de respeito”.

    Escreveu: “O que é ser homem sério e de respeito? Depende da concepção de cada um. Para Lula realmente Aécio não deve ser”.

    O delegado apagou há poucos dias o seu perfil no Facebook.

    Maurício Moscardi Grillo, chefe da Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários

    Maurício Moscardi Grillo é o responsável por apurar a denúncia de grampos na cela de Youssef.

    Segundo a reportagem de Júlia Duailibi, ele aproveita a mensagem de Márcio Anselmo, para se manifestar sobre Lula: “O que é respeito para este cara?”

    Grillo também compartilhou uma propaganda eleitoral do PSDB, como a que dizia que Lula e Dilma sabiam do esquema de corrupção na Petrobrás.

    “Acorda!”, escreveu ele ao comentar a reportagem da Veja, que foi às bancas na quinta-feira anterior ao segundo turno: “Lula e Dilma sabiam de tudo”.

    Erika Mialik Marena, da Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros e Desvios de Recursos Públicos do Paraná

    Na delegacia de Erika Mialik Marena, estão os principais inquéritos da operação Lava Jato.

    Em uma notícia sobre o depoimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás à Justiça Federal, ela comenta: “Dispara venda de fraldas em Brasília”.

    No Facebook, usava o codinome “Herycka Herycka”. Após a reportagem de Júlia Duailibi,  seu perfil foi retirado dessa rede social.

    A denúncia envolvendo esses quatro delegados da PF é gravíssima.

    Estranhamente, a mídia deu pouca repercussão a ela.

    Estranhamente também, até a hora do almoço da quinta-feira, 13 de novembro, a Polícia Federal, o Ministério da Justiça, a Procuradoria-Geral da República e o Supremo Tribunal Federal (STF) não haviam se manifestado sobre a denúncia do Estadão.

    O Viomundo contatou então as quatro instituições, via suas respectivas assessorias de imprensa. Primeiro, por telefone. Depois, por e-mail, fazendo vários questionamentos.

    Uma pergunta comum a todos:

    –  Que providências pretende tomar em relação ao caso?

    Ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, perguntamos também:

    – A partidarização explícita dos delegados da PF envolvidos na Lava Jato não contamina o resultado da investigação, já que eles demonstraram evidentes objetivos políticos?

    – A partir de agora a Lava Jato não fica sob suspeição?

    Ao ministro Teori Zavascki , do STF, indagamos:

    –  O comportamento dos delegados da PF não contamina a investigação, comprometendo o inquérito?

    – A partir de agora a Lava Jato não fica sob suspeição, inclusive as delações premiadas?

    À Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, onde fica a sua sede, perguntamos:

    – O que a PF tem a dizer sobre os evidentes objetivos políticos desses delegados?

    Na parte 1 da entrevista abaixo, o delegado Maurício Moscardi Grillo  fala aos 2,06 minutos sobre a PF e como deve deve agir em casos policiais. Imperdível.

    Ele diz que a Polícia Federal é republicana. Exatamente o oposto do que fizeram os quatro delegados da PF durante as eleições de 2014.

    Por isso, perguntamos também à Polícia Federal, via sua assessoria de imprensa:

    –  Como a sociedade vai confiar numa Polícia Federal que não agiu de forma republicana nessas eleições, maspoliticamente em favor do então candidato do PSDB, Aécio Neves, e contra a candidata do PT, Dilma Rousseff, e o ex-presidente Lula?

    Do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, quisemos saber, entre outras coisas:

    – Quais seriam as medidas punitivas aos envolvidos no caso?

    – Como a sociedade vai confiar numa Polícia Federal que não age republicanamente, mas sistemática e politicamente em favor do PSDB e contra o PT?

    Nenhum respondeu. Insistimos por telefone.

    Questionada de novo, a Polícia Federal disse que não se manifestaria sobre o caso.

    O procurador-geral Rodrigo Janot também não respondeu. A assessoria de imprensa da PGR, em Brasília, alegou que ele estava em São Paulo e não tinha sido possível contatá-lo. Desculpa, no mínimo, estranha, já que existe celular hoje em dia e de de vários modelos. Não seria mais digno dizer que não iria se manifestar e pronto?

    Como o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não respondeu às nossas quatro perguntas, acrescentamos agora uma nova:

    – O senhor concorda com a nota dos procuradores do Ministério Público Federal, seção Paraná, em apoio aos delegados da PF?

    A íntegra da nota:

    Operação Lava Jato: Membros da força-tarefa do Ministério Público Federal manifestam apoio a delegados, agentes e peritos da PF

    Os Procuradores da República membros da Força-Tarefa do Ministério Público Federal, diante do teor da reportagem “Delegados da Lava Jato exaltam Aécio e atacam PT na rede”, publicada pelo jornal “O Estado de São Paulo” nesta data, vem reiterar a confiança e o apoio aos delegados, agentes e peritos da Polícia Federal que trabalham nessa operação.

    Em nosso país, expressar opinião privada, mesmo que em forma de gracejos, sobre assuntos políticos é constitucionalmente permitida, em nada afetando o conteúdo e a lisura dos procedimentos processuais em andamento.

    A exploração pública desses comentários carece de qualquer sentido, pois o objetivo de todos os envolvidos nessa operação é apenas o interesse público da persecução penal e o interesse em ver reparado o dano causado ao patrimônio nacional, independentemente de qualquer coloração político-partidária.

    O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também nada respondeu.

    No início da noite, a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça nos prometeu enviar o áudio da coletiva de Cardozo, dada um pouco antes em Brasília. Ficou na promessa. Mais uma vez o vazio.

    Como bem observou Fernando Brito, do Tijolaço, no post  Cardoso, o Lento, pede sindicância sobre “delegados do Aécio”, o ministro da Justiça “resolveu agir 12 horas depois que o país tomou conhecimento de que os delegados federais da Operação Lava-Jato participavam, no Facebook, de animadas e desbocadas tertúlias sobre a investigação que conduzem”.

    Cardozo determinou à Corregedoria da Polícia Federal que abra investigação sobre o caso.

    Na coletiva de imprensa, ele disse:

    Cardozo mostrou mais uma vez que é inepto e incompetente, para o dizer o mínimo.

    Em artigo publicado nesta sexta-feira 14, no GGN,  Luis Nassif acrescenta:

    O Ministro chega às 11 no trabalho, sai às 12p0 para almoçar, volta às 16 e vai embora por volta das 18h. A não ser que se considere como trabalho conversas amistosas com jornalistas em restaurantes da moda de Brasília.

    Será que é por isso que esta repórter não recebeu as respostas de Cardozo até agora?

    As manifestações dos quatro delegados da PF são cristalinas.  Ou será preciso desenhar para Cardozo?

    Nassif diz mais:

    É  blefe a atitude do Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, de pedir uma investigação para a Polícia Federal sobre o ativismo político dos delegados da Operação Lava Jato. O problema da Lava Jato não é o ativismo de delegados no Facebook, mas a suspeita de armação com a revista Veja na véspera da eleição. Se Cardozo estivesse falando sério, estaria cobrando a conclusão das investigações sobre o vazamento.

    Os quatro delegados têm o direito de ter as suas preferências políticas. A questão é que o comportamento desrespeitoso está longe de ser um caso menor. “É um ato político”, avalia Paulo Moreira Leite, em seu blog.

    Na condição de ministro da Justiça, Cardozo, como bem observou Paulo Moreira Leite, deveria saber que o aspecto do caso está resolvido no artigo 364 no regimento disciplinar da Polícia Federal, que define transgressões disciplinares da seguinte maneira:

    I – referir-se de modo depreciativo às autoridades e atos da Administração pública, qualquer que seja o meio empregado para êsse fim.

    II – divulgar, através da imprensa escrita, falada ou televisionada, fatos ocorridos na repartição, propiciar-lhe a divulgação, bem como referir-se desrespeitosa e depreciativamente às autoridades e atos da Administração;

    III – promover manifestação contra atos da Administração ou movimentos de apreço ou desapreço a quaisquer autoridades;

    A questão, portanto, é política. E  parece que Cardozo não quer se dar conta da gravidade do que aconteceu debaixo do seu nariz.

    Nos últimos 12 anos, tivemos vários momentos em que a Polícia Federal agiu em benefício dos tucanos e contra os petistas. E sempre ficou por isso mesmo.

    Em 2006, tivemos o caso do delegado Bruno, eleitor assumido do PSDB,  que vazou para a mídia fotos do dinheiro apreendido no caso dos “aloprados” do PT. A cena foi ao ar na quinta-feira anterior ao primeiro turno da eleição presidencial e ajudou a levá-la para o segundo turno. O delegado Bruno não foi punido por vazar fotos do dinheiro; pegou 9 dias de suspensão por mentir aos superiores.

    Na campanha eleitoral de 2014, tivemos o caso de Mário Welber, assessor do deputado estadual  Bruno Covas, do PSDB paulista. Ele foi detido pela PF em Congonhas com R$ 102 mil em dinheiro vivo e 16 cheques em branco assinados por Bruno Covas. A Polícia Federal ocultou o quanto pode o caso e continua a fazê-lo.

    Em compensação, em 7 de outubro de 2014, a PF de Brasília vazou imediatamente para O Globo a apreensão de avião que transportava dinheiro suspeito. Em seguida, que o detido no jatinho era da campanha do PT em Minas Gerais. São, como sempre, os dois pesos e duas medidas da mídia e da Polícia Federal.

    Eis que na eleição presidencial de 2014, setores da PF aparecem, de novo, atuando em favor dos tucanos e contra os petistas. O vazamento seletivo da Operação Lava Jato já sinalizava o objetivo político e a Polícia Federal do Paraná como uma das possíveis fontes.

    Agora, as manifestações no Facebook dos delegados PF em postos-chave na Lava Jato escancararam as suspeitas. Eles agiram de forma organizada para interferir no resultado das eleições presidenciais de 2014. Deixaram a PF nua.

    O nome disso é golpe.

    Aparentemente, tudo foi bem armado com setores da mídia, sobretudo, neste caso, com a revista Veja.

    Ela antecipou para quinta-feira, 23 de outubro, a ida para as bancas na semana do segundo turno, para que a matéria sobre corrupção na Petrobras e a Operação Lava Jato tivesse mais tempo de  repercussão na televisão, principalmente no Jornal Nacional,   e, assim, influenciasse o resultado da disputa presidencial.

    Veja trazia na capa as fotos de Lula e Dilma, com o título: “Lula e Dilma sabiam de tudo”.

    Em 25 de outubro, véspera do segundo turno, o doleiro Alberto Youssef  foi hospitalizado. Surgiram então boatos de que ele havia morrido envenenado.

    A PF sabia que o suposto envenenamento e óbito não eram verdadeiros. Porém, deixou que isso fosse disseminado durante horas nas redes sociais e nos programas televisivos de domingo sobre as eleições, especialmente os da Globo. Só foi desmentir no começo daquela tarde. Tal ação fazia parte do golpe em andamento, que acabou não dando certo.

    “Os delegados, flagrados no Facebook,  tinham tanta certeza de que o golpe teria êxito que deixaram digitais e provas pelo caminho. Só isso explica o que disseram”, observa um experiente analista da política brasileira.

    Talvez também porque nesses 12 anos do governos petistas outros delegados da PF ficaram impunes.

    Paulo Moreira Leite alerta:

    A campanha anti-PT dos delegados da Polícia Federal lembra os desvios do Inquérito Policial-Militar (IPM)  da Aeronáutica que emparedou Getúlio Vargas em 1954.

    Em 1954, quando o major Rubem Vaz, da Aeronáutica, foi morto num atentado contra Carlos Lacerda, um grupo de militares da Aeronáutica abriu um IPM à margem das normas e regras do Direito, sem respeito pela própria disciplina e hierarquia.

    O saldo foi uma apuração cheia de falhas técnicas e dúvidas, como recorda Lira Neto no volume 3 da biografia de Getúlio, mas que possuía um objetivo político declarado — obter a renúncia de Vargas. Menos de 20 dias depois, o presidente da República, fundador da Petrobras, dava o tiro no peito.

    Mas atualmente é inconcebível, além de inconstitucional, que isso venha a acontecer novamente. Em hipótese alguma, pode-se encarar com naturalidade o anti-petismo militante e radical dos delegados denunciados.

    Para o bem da democracia, é preciso investigar a fundo a tentativa de golpe do qual esses quatro delegados fizeram parte, assim como é preciso combater seriamente a corrupção.

    Do contrário, a democracia corre o risco de ser golpeada de forma mortal mais uma vez.

    PS 1 do Viomundo: Na coletiva de imprensa, o ministro José Eduardo Cardozo disse que a Corregedoria da PF deve apurar primeiramente se as manifestações dos quatro delegados são verdadeiras.

    Mas como isso vai ser apurado se o site OCC foi quase que totalmente esterilizado após a publicação da denúncia do Estadão? As provas só podem estar com Júlia Duailibi. Será que a jornalista fez os print-screens das páginas? Ou será que ela só teve acesso às fotos daquelas páginas do Facebook?

    PS 2 do Viomundo: É importante que os leitores saibam que os delegados usam seus nomes cada hora de jeito: ou completos, ou em partes. Isso dá uma grande diferença nas buscas.

    PS 3 do Viomundo: Maurício Moscardi Grillo foi nomeado para o cargo em 25/08/2014 – Seção 2, página 54, de acordo com o Diário Oficial da União. Portanto, depois que as investigações da Lava Jato já estavam em andamento.

    Quem quiser ver a segunda parte do vídeo do delegado, ela está abaixo.

    PS 4 do Viomundo:  O delegado Grillo também atuou na investigação do mensalão, em 2009. Veja aquiaqui eaqui.

    PS 5 do Viomundo: A delegada Erika Marena trabalhou com o delegado da PF Carlos Alberto Dias Torres como responsáveis pelo inquérito que investigava Naji Nahas, o ex-prefeito paulistano Celso Pitta e outras 27 pessoas. Tudo derivado da Operação Satiagraha,que envolvia dois outros inquéritos, tendo como alvo o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity.

    Pode-se vê-la falando sobre a Lava Jato neste vídeo e neste outro.

    PS 6 do Viomundo: Já que a Superintendência da PF em Brasília se recusou a responder nossas perguntas, oViomundo gostaria de recorrer, em última instância, à boa vontade do superintendente da PF do Paraná, Rosalvo Ferreira Franco:

     – Doutor, o senhor sabia que os seus quatro subordinados estavam atuando politicamente no Facebook, jogando no lixo o caráter republicano da PF como um todo? – Que medidas o senhor, como chefe geral, irá tomar?

    [A produção de conteúdo exclusivo só é possível graças à generosa colaboração de nossos leitores-assinantes. Torne–se um deles!]

     Leia também:

    Luciano Martins Costa: Delegados da PF responsáveis pela Lava Jato em grupo que lembra Comando de Caça aos Comunistas

    • beleza de trabalho………………..parabéns ao grupo

      nada de vãs especulações, só a verdade efetiva dos fatos que ninguém tem coragem de responder por medo

      quem atua de forma ameaçadora contra qualquer governo, traz tudo para mandar matar qualquer cidadão ou funcionário

      essa parte da pf tem de ser varrida da nossa história de uma vez por todas, porque traz insegurança para todos

      agora é só montar o histórico de participações não só em redes públicas, internas também

      • porque se fazem isso abertamente, atingindo o poder maior do paí

        ou para o acesso de todo cidadão, podem ter certeza que é para mostrar que podem fazer qualquer coisa contra qualquer cidadão

        é a força do banditismo do passado, a que impossibilitou a distinção, da parte do cidadão, entre política, crime e justiça, que agora desfilam por aí e para a mesma Globo arrotando poderes que a nossa própria Constituição não permite a nenhum outro instrumento policial

        não é por ser federal e poder contar com toda liberdade que podem ficar por aí fazendo o que bem entendem e sem respeitar outros poderes

    • Espero que aprendam

      São jovens, impetuosos, ganhando muito bem, não prestam contas a ninguem e se informam pelo pig. Daí esta postura ingênua e este desejo firme de serem herois.

      Há neles uma uma intenção positiva, mas completamente desfocada da realidade. Lêem a revistinha do esgoto. E os holofotes do pig são terriveis, causam enormes desastres.

      Neste país onde uma democracia impressionante permite tantas coisa só espero que tenham a capacidade de aprender com os muitos erros e que amadureçam. .

      • siga o histórico…

        que ficará muito fácil perceber os períodos nos quais tiveram a chance de aprender………………………………aprenderam?

        jamais participaram dessa forma fora desses períodos, o que mostra, pelo que entendo, uma forte vontade política de complicar a vida do governo atual

  3. A nossa presidente não

    A nossa presidente não entende ou faz de conta que não entende–é isso que irrita as população.

       Quando irá admitir seus erros com humildade?

           Se fosse elencar os erros dela, nem 500 000 caracteres bastariam.

          Além de não admitir os erros , ainda conserva a arrogância.

             E aí não dá pra relevar.

           Hoje ,lendo uma matéria num jprnal quaquer,aprendi uma palavra aleMã.Se chama Uber( com ou sem trema o significado é quase igual)

               A nossa presidente Uber desastrada,não aprende nada.

    • Nossa já estão em outra

      Nossa já estão em outra onda…voce está atrasado! a moda agora é que Levy que governa…

      “opinião publica é opinião publicada”(Millor Fernandes”)

  4. Dilma acerta no diagnóstico:
    Dilma acerta no diagnóstico: o Congresso é realmente uma merda, a começar pelos bandidos perseguidos pelo MPF que comandam as duas casas. Mas ela erra no remédio: ao invez de ficar tergiversando, a presidenta deveria enfiar logo o pé na jaca. Regular a imprensa por Medida Provisória seria um bom começo. Se o Congresso não anda, compete ao presidente enfiar o pé na bunda dele. A pressão do povo sobre os canalhas parlamentadores
    só será maior e efetiva se Dilma trocar a toca pela tocaia.

  5. Ou seja, pelo texto, ela

    Ou seja, pelo texto, ela praticamente adianta que não irá vetar o pl da terceirização. Além disso, neste trecho

    [A segunda questão é] sobre as garantias dos contratos de trabalho. Aí é uma questão das centrais trabalhistas, que terão de negociar [assim como a relação do contratado com o sindicato da contratante]. Tem uma parte da discussão que não é Estado que faz.

    diz que não é com ela. É, só e tão somente, a questão fundamental para os trabalhadores. Ela rasga a CLT, aceita, por default, que o negociado deve valer sobre o legislado e entrega o trabalhador ao deus dará. Lamarca e outros que lutaram a seu lado na guerrilha devem estar dando voltas no túmulo de raiva.

  6. Fico com Levy: “grosseira”

    Refiro-me à solução contra a pretensa “crise” (sendo que o mundo crescia) no passado, cujos efeitos ele tenta consertar com recessão este ano….

  7. Acerta em tudo

    Está antenada. Sabe tudo que acontece e tem medidas à altura de cada problema. O que o Lula tem de maravilhoso político intuitivo a Dilma tem de entendida do papel que lhe cabe. Trabalha só 24 horas por dia. E o faz muito bem, com maestria. Está par de tudo e das armadilhas que um cargo de tamanha importância. Governa com entendimento, democracia, tolerancia e firmeza. Está colando no Lula.

    Temos hoje duas estrelas planetárias na política e governança; Lula e Dilma. Que país tem no governo lideres deste nível?

    Ontem faziamos o papel de bobo e tirávamos o sapato para falar com os “homis”, isto acabou.

    Os economistas deste país podiam bem ter uma aulinha com a senhora Dilma. Mas dúvido que aprendessem qualquer coisa, são péssimos.

  8. Que aula, hein…

    Mas a edição do texto não ajuda a entender se houve “debate” com os blogueiros. Seria curioso ver réplicas e tréplicas, em virtude de muitos destes blogueiros serem críticos costumazes, quase donos da verdade, sobre as decisões (ou das inações) da Presidente…

  9. Centrais sindicais???

    Dilma vai jogar a CLT no lixo e vai deixar a manutenção de contratos de trabalho para centrais sindicais negociarem??

    Hoje temos a CLT que NOS GARANTE isso!!

    Não é atividade-fim que é o problema!! O problema é termos de negociar TODO ANO uma coisa que está em vigor desde a década de 1940!! Vai jogar a própria justiça do trabalho no lixo!!

    Ela parece querer lavar as mãos para não brigar com ninguém e isso vai ser o passo dela para o precipício!!

  10. Não vai dar em nada.  As

    Não vai dar em nada.  As pedras continuarão umas sobre as outras.

    Refiro-me ao comentário de Djijo.

  11. Ninguém perguntou nada ?

    Queria saber quantos blogueiros dormiram durante o encontro, porque essa conversa aí dá sono.

    E a inflação bem acima do topo da meta ?

    Aliás, inflação com crescimento zero.recessão. Como resolve ?

    Explicar mal e porcamente as burradas  não adianta, quero saber se tem armas para sair do enrosco, ou vai ficar só na ortodixia do Levy ?

    Manda nada !  Está na mão do Levy e sabe disso.

     

     

  12. Abriu o jogo

    Ele deixou a entender que é a favor da terceirização das atividades fins, quando disse, textualmente: “fomos obrigados a demitir vários funcionários porque eram terceirizaos. Há que se definir.” Resta a ver, agora, se ela vai cometer o absurdo de vetar o artigo aprovado hoje, que proibe terceirização de atividades fins nas estatais. E começou no  PDT (de Brizola) e é agora do PT (de Lula), ambos trabalhistas. Imaginemos se não fosse.

    • Acho que você não compreendeu

      Acho que você não compreendeu a fala.ela falou também dos direitos trabalhistas,rombos na previdencia e chuva de processos. tudo já explicitado no artigo do Argolo.tiveram que demitir ,por que? falta de conformidade com a legislação?baixa qualidade nos serviços prestados?.então socorreram o a turma do concurso esta tudo certo! e outros trabalhadores?F……. 

      • Tangente

        Toda a vez em que lhe perguntam sobre isso ela tem saido pela tangente, Eliane. Ontem, falando ao Brasil 24-7, disse, rindo::”as centrais estão divididas”. Só isso. No caso da mudança da maioridade, ela apressou-se, com razão, em declarar sua discordância. Neste caso, nada. E o governo só tratou de negociar com a Câmara (Levy, Temer) sobre a questão da contribuição previdenciária. É óbvio que a Presidenta não está nem aí para a garantia dos nossos direitos, previstos até hoje na CLT. Felizmente, ontem, foi proibida a terceirização das atividades fins nas estatais. Continuará a obrigatoriedade dos concursos. Mas, nas empresas privadas, os trabalhadores são de segunda classe?  Terão menos direitos?

  13. Nem o blog, nem os blogueiros com perguntas pertinentes

    Venho sentindo falta da capacidade de propormos soluções ou alternativas, não reptos infantis, mas propostas de acordo com o nosso tempo, que possam ser apresentadas, discutidas e defendidas.

    O Blog, como a presidenta, oferece o passado, mas o futuro fica cada vêz mais opaco.

    Ou a Dilma acorda, ou o futuro a engole, o tempo passa…

    • Criatividade ( em Inglês)

      Do blog do Martin Armstrong hoje,

       

       

       

      How to Think May Be the Key to Everything

      Posted on April 14, 2015 by 

      QUESTION: 

      Marty, I am an avid reader and a big fan. My mind now works much better than ever, and I am nearing my 60th year. Thank you for trying to better society in such a selfless way. My question for today is this…how do you do it? What I am referring to is the amazing history lesson, usually more than once a day. I imagine that your mind is a great encyclopedia to be able to pull together such detail in the fashion that you are able. Yes, I know the power of computers, but there is a personal touch that you have, far beyond the search. Kudos, and God Bless!

      Thank you,

      BD

      The Most Blessed Husband, and Father, in the World

      ANSWER: I will answer this question for perhaps it will change the way we teach one day in school and that may spark a real new age of knowledge. To solve any problem, you cannot proceed with the same thinking that created it. Chances are, if your are reading this blog you are (1) prone to think out of the box, (2) keep an open mind and are willing to weight all sides of a debate, and (3) you are a non-conformist. Welcome to the Genius Club. Yes – you are most likely a genius for that is defined NOT as someone who knows everything, but someone who actually thinks dynamically observing and taking in everything around them for the learning experience.

      Yes, the old saying “A” Students Work for “C” Students and  ”B” Students Work for the Government, remains very true. The education system sucks and it is designed to churn out conformists. I previously wrote Why do Dropouts Do Better? In all honesty, formal education is destroying the so-called knowledge age. Asians think differently and they excel at programming far more than those in the West because they see patterns instinctively since their language when written is pictorial and they believe in cycles.

      I use to get very angry when people would call me a genius and therefore they could not debate me would be the typical response. I felt that I was normal and average for what I saw was just common sense and they had to raise my status to genius so they were no longer a moron. Then a friend of mine who we use to go out one night a weekPsychiatrist, not a Psychologist, said to me that not all people think the same way. He said I think dynamically observing everything around me where as the majority of people think linearly – focusing only on a cause and effect level. These are typically those who are in government or run for politics and fill the Justice system – one-dimensional thinkers at best. They are the “B” students who are like a parrot that just repeats what they have been taught without original thought – the typical conformist.

      Einstein would be asked this question over and over again. His answers were interesting, but I am not sure if they were actually helpful. True, there are so many people fixed in their mind on some subject and cannot escape since they are unwilling to even listen to a different view. They are vested in an idea and are prisoners of their own mind incapable of considering they might be wrong.

      The question becomes; Can we train the mind to be sharper and see all the dynamics of the world around us? Is it really possible to deliberately train thinking in a new way?

      I have had friends who have benefited by my attempting to show them how to see the world in all its glory with a dynamic view. This has given me encouragement that perhaps we can change the methods of teaching. I have written about education and showed all the famous people who have started major companies all dropped out of college. The common bond is a willingness to think out of the box and therein they become non-conformists. I have quoted this passage before from the Last Lion written about Winston Churchill.

      “Clearly there was something odd here. Winston, Davidson had con­ceded, was the ablest boy in his form. He was, in fact, remarkable. His grasp of history was outstanding. Yet he was considered a hopeless pupil. It occurred to no one that the fault might lie, not in the boy, but in the school. Samuel Butler defined genius as “a supreme capacity for getting its possessors into trouble of all kinds,” and it is ironic that geniuses are likeliest to be misunderstood in classrooms. Studies at the University of Chicago and the University of Minnesota have found that teachers smile on children with high IQs and frown upon those with creative minds. In-telligent but uncreative students accept conformity, never rebel, and complete their assignments with dispatch and to perfection. The creative child, on the other hand, is manipulative, imaginative, and intuitive. He is likely to harass the teacher. He is regarded as wild, naughty, silly, unde-pendable, lacking in seriousness or even promise. His behavior is dis-tracting; he doesn’t seem to be trying; he gives unique answers to banal questions, touching off laughter among the other children. E. Paul Tor-rance of Minnesota found that 70 percent of pupils rated high in creativ¬ity were rejected by teachers picking a special class for the intellectually gifted. The Goertzels concluded that a Stanford study of genius, under which teachers selected bright children, would have excluded Churchill, Edison, Picasso, and Mark Twain.” id/p 158-159; Vol I

      Richard E. Nesbett wrote a good book entitled “The Geography of Thought, How
      Asians and Westerners Think Differently … and why.” He attributed his work to a
      a Chinese student who said: “You know, the difference between you and me is that I
      think the world is a Circle, and you think it’s a line.” He goes on to quote him:

      “The Chinese believe in constant change, but with things always moving back to some prior state. They pay attention to wide range of events; they search for relationships between things; and they think you can’t understand the part without understanding the whole. Westerners live in a simpler, more deterministic world; they focus on salient objects or people instead of the larger picture; and they think they can control events because they know the rules that govern the behavior of objects.”

       

      To learn, you ABSOLUTELY MUST keep your mind open. You cannot research anything to prove a predetermined view. Then everything you see will only be what you want to see. Assume nothing and let the research teach you. This is the ONLY way to learn.

      Cycles are part of nature and they are part of the thinking process in Asia. We even physically have brain waves yet people in the West do not generally believe in cycles. As long as we persist in this linear world in the West, we cannot take one step forward. Politics is all based on this linear world – vote for me for change. Politicians cannot reverse a trend that is global yet they will not even acknowledge that there is a world outside their own sphere.

      If we TEACH how to see patterns and connections around us, then perhaps we can take that leap forward as a society. Otherwise, we will remain trapped in the torture of our own minds repeating the same mistakes forever.

       

    • A mancha de calor de 1600km no oceâno Pacífico

      A 1,000 Mile Stretch Of The Pacific Ocean Has Heated Up Several Degrees And Scientists Don’t Know Why

      According to two University of Washington scientific research papers that were recently released, a 1,000 mile stretch of the Pacific Ocean has warmed up by several degrees, and nobody seems to know why this is happening.  This giant “blob” of warm water was first observed in late 2013, and it is playing havoc with our climate.  And since this giant “blob” first showed up, fish and other sea creatures have been dying in absolutely massive numbers.  So could there be a connection?  And what is going to happen if the Pacific Ocean continues to warm up?  Could we potentially be facing the greatest holocaust of sea life in the Pacific that anyone has ever observed?  If so, what would that mean for the food chain and for our food supply?

      For a large portion of the Pacific Ocean to suddenly start significantly heating up without any known explanation is a really big deal.  The following information about this new research comes from the University of Washington

        

      “In the fall of 2013 and early 2014 we started to notice a big, almost circular mass of water that just didn’t cool off as much as it usually did, so by spring of 2014 it was warmer than we had ever seen it for that time of year,” said Nick Bond, a climate scientist at the UW-based Joint Institute for the Study of the Atmosphere and Ocean, a joint research center of the UW and the U.S. National Oceanic and Atmospheric Administration.

       

      Bond coined the term “the blob” last June in his monthly newsletter as Washington’s state climatologist. He said the huge patch of water – 1,000 miles in each direction and 300 feet deep – had contributed to Washington’s mild 2014 winter and might signal a warmer summer.

      It would be one thing if scientists knew why this was happening and had an explanation for it.

      But they don’t.

      In fact, according to the Washington Post, they are calling this something that is “totally new”…

        

      Scientists have been astonished at the extent and especially the long-lasting nature of the warmth, with one NOAA researcher saying, “when you see something like this that’s totally new you have opportunities to learn things you were never expecting.”

      The following map comes from the NOAA, and it shows what this giant “blob” looks like…

      According to CBS News, ocean temperatures inside this blob have risen anywhere from two toseven degrees Fahrenheit above normal…

        

      This warm blob, which is about 2 to 7 degrees Fahrenheit (1 to 4 degrees Celsius) warmer than the usual temperature for this region, means the winter air that crosses over the Pacific Ocean wasn’t cooled as much as it normally would be. That, in turn, spelled warmer, dryer conditions for the West Coast.

      Meanwhile, while this has been going on, scientists have also been noticing that sea creatures in the Pacific have been dying in record numbers.

      In fact, last summer I wrote an article entitled “Why are massive numbers of sea creatures dying along the west coast right now?

      Since then, things have continued to get even worse.

      For instance, it was recently reported that the number of sea lions washing up on Southern California beaches is at an all-time record high…

        

      A record 2,250 sea lions, mostly pups, have washed up starving and stranded on Southern California beaches so far this year, a worsening phenomenon blamed on warming seas in the region that have disrupted the marine mammals’ food supply.

       

      The latest tally, reported on Monday by the National Marine Fisheries Service, is 20 times the level of strandings averaged for the same three-month period over the past decade and twice the number documented in 2013, the previous worst winter season recorded for Southern California sea lions.

      And of course fish are being deeply affected as well.  Sardines have declined to their lowest levelin six decades, and National Geographic says that a whole host of tiny fish species at the bottom of the food chain are dying off rapidly…

        

      Since the 1950s, researchers every year have dropped nets 1,000 feet (300 meters) down to catalog marine life many miles off California. Most track commercially important species caught by the fishing industry. But J. Anthony Koslow tallies fish often credited with keeping marine systems functioning soundly—tiny midwater bristlemouths, the region’s most abundant marine species, as well as viperfish, hatchetfish, razor-mouthed dragonfish, and even minnow-like lampfish.

       

      All are significant parts of the seafood buffet that supports life in the eastern Pacific, and all are declining dramatically with the vertical rise of low-oxygen water.

       

      “If it was a 10 percent change, it wouldn’t have been worth noting, but they’ve declined by 63 percent,” says Koslow, of the Scripps Institution of Oceanography.

      So if the bottom of the food chain is experiencing a catastrophic collapse, what is that going to mean for the rest of the food chain in the Pacific Ocean?

      In turn, what is that going to mean for the seafood industry and for the price of seafood in our grocery stores?

      Some really strange things are happening on the other side of the Pacific right now as well.

      Over in Japan, the media is buzzing about the recent mass beaching of 150 melon-headed whales.  A similar incident was observed just six days before the great earthquake and tsunami of 2011.  The following comes from the Japan Times

        

      The mass beaching of over 150 melon-headed whales on Japan’s shores has fueled fears of a repeat of a seemingly unrelated event in the country — the devastating 2011 earthquake and tsunami that killed over 18,000 people.

       

      Despite a lack of scientific evidence linking the two events, a flurry of online commentators have pointed to the appearance of around 50 melon-headed whales — a species that is a member of the dolphin family — on Japan’s beaches six days before the monster quake, which unleashed towering tsunami and triggered a nuclear disaster.

      Very strange stuff.

      For our entire lives, we have been able to take for granted that our oceans would always be stable and healthy.

      But now it appears that things may be changing.

  14. questão de tempo…

    dar tempo ao tempo

    não manjo muito de economia, mas para o que vou colocar é desnecessário o pleno conhecimento:

    ações e propósitos só se tornam tangíveis com o tempo

    qualquer antecipação é chute; para os que não manjam muito, lógico!

     

    mas que foi um golaço dos blogueiros foi……………….quão diferente do padrão PIG

     

    quão, peregrino? existe isso, cuão?

  15. Bacana! Se bem que muito do

    Bacana! Se bem que muito do que Dilma falou, quem não se atém aos jornais tradicionais já sabe. E fiquei imaginando… só de não ter que desviar recurso emocional e físico, de tempo mesmo, para tentar responder pegadinhas, perguntas retóricas e acusações levanas e infundadas, cheias de escárnio, ódio e rancor, já propicia uma entrevista mais séria, mais centrada no que interessa mesmo, a saber, informação. Parabéns!

  16. Nada tenho contra as ditas

    Nada tenho contra as ditas Ciências Econômicas e muito menos contra economistas. Mesmo porquê ainda cursei cinco semestres da dita cuja nos idos de 1997-1999. Mas, convenhamos: é das suas hostes, mais precisamente do sub-ramo neoliberal, que emerge boa parte da cretinice que ora abunda neste país

    Até hoje ainda não apreendi as razões dos economistas ditos neoliberais, de mercado, se acharem os donos da verdade. Os demiurgos tecnocratas(no sentido dado pelo Gnosticismo, e não por Platão): infalíveis e inabordáveis pela profundidade dos seus saberes.

    Todos os que temos o (des)prazer de ler, ouvir e assistir, não escondem o sarcasmo quando abordam a relação da presidente com o ministro da Fazenda Joaquim Levy. Jactam-se ao afirmarem que aquela “terceirizou” a gestão da economia a este, Ou seja: vencemos mais uma vez! 

    O pior é que o ministro da Fazenda dá uma mãozinha de vez em quando para isso. Recentemente, afirmou que a situação atual está mais ou menos parecida com a que antecedeu o Plano Real no plano fiscal. Esse “sincericídio” por mais que venha embrulhado de boas intenções dá mais corda aos que acham o arrocho fiscal uma razão em si mesmo. Coisa típica de neoliberais que substitui povo por mercado nas suas prioridades. 

    Não gostei nada da parte da entrevista que toca no tema “terceirização”. Faltou contundência na presidente quanto a rejeição parcial  ao Projeto de Lei que institui novas regras para as relações de trabalho, especialmente na parte relativa a inclusão da satividades-fins. Pareceu mais preocupada com os desdobramentos fiscais que com o destino de milhões de trabalhadores. Atuais e futuros. Bola fora. 

    Como sempre, mais uma vez demonstra não ter nenhum apetite para enfrentar as corporações midiáticas. 

     

      • Bobagem !

        Para de excretar asneira.

        O que o JB disse faz todo o sentido.

        Veja o que os economistas projetam ou prevêem todos os meses por meio da Pesquisa Focus realizada pelo BC: eles não acertam sequer uma das previsões que fazem; todos os meses revisam suas previsões. É um festival de erros de previsão.

        Mesmo considerando que eles sinalizam tendências, as inclinações das curvas de tendências sofrem variações significativas a cada mês.

        Ou seja, o “mercado” erra o tempo todo.

        Quanto às declarações de Dilma sobre a terceirização, pareceu-me, também, pela primeira vez, que ela não demonstra sensibilidade sobre o que irá ocorrer com os trabalhadores caso o projeto de lei 4330 seja aprovado  da maneira que está. Ela falou mais como uma tecnocrata do que como uma Presidenta cujo governo é trabalhista.

        Depois de mais de 30 anos apoiando o PT, inclusive nas ruas, vou começar um processo de revisão caso Dilma não vete a parte do PL 4330 que estende a terceirização para toda e qualquer atividade.

        A fortalecer essa revisão, também, analisarei o que ela pretende fazer em relação à democratização da mídia ou, então, sobre como implementará uma política de distribuição de verbas publicitárias do governo. federal.

        A cada dia que passa, a corrosão do projeto trabalhista, capitaneado pelo PT, se intensifica, devido à inoperância e inapetência dos dirigentes que são eleitos em relação a implementação desse projeto.

        Espero não chegar o dia que irei declarar o meu afastamento do PT. Como eu existem milhões de eleitores.

         

    • Acho injusto quando ao
      Acho injusto quando ao afirmar que a Presidenta não enfrenta as corporações midiáticas. O cenário que vejo, a farsa do PiG está sendo desmontado dia após dia, e já se vão 13 anos. E ainda por cima, da maneira mais eficiente e cabal , a audiência.
      É claro, que o monopólio e cartel ainda precisam ser combatidos…
      E o que não é PiG, não seria a melhor arma de enfretamento ?

  17.  
    … “O juiz” Sérgio ‘Tolo’

     

    … “O juiz” Sérgio ‘Tolo’ comprou um pastel na Padaria do senhor Martim!
    Soube-se, depois, que a esposa do português comprava carne clandestina!
    “A água da sonegação lava(va)” [sic] a mesma carne que recheia os pasteis da Padaria!
    Do senhor Martim!
    Que também é cliente do advogado – e freguês contumaz – Sérgio ‘Tolo’!
    [“Olha o Diabo da ‘conexão’ do ‘domínio do fato’, aí, gente!” Risos]
    A mesma carne que o consumidor Sérgio ‘Tolo’ vazou (idem sic) nas dependências do vaso sanitário da ‘República de Guantánamo’, situada em Londrina (PR)!
    Horas depois de ter degustado o pastel do senhor Martim!
    E de ter “delatado” aos colegas de trabalho “a delícia que é aquela iguaria”!
    (…)
    [Em outra delação premiada (ibidem sic)]
    Uma Operação da Polícia Federal [do Brasil] descobriu que a farinha de trigo utilizada na fabricação dos pasteis da padaria do senhor Martim foi importada de um [MEGA]armazém localizado em um paraíso fiscal de Lisboa! O estabelecimento comercial tem como maior acionista, justamente, o português Dr. Manuel, outro advogado do senhor Martim “da padaria dos pasteis do, agora ‘indiciado’, freguês Sérgio ‘Tolo’”!
    Ufa!
    Moral da história: todos os envolvidos nas falcatruas ‘Brasil-Portugal [ou Portugal-Brasil, “como assim for melhor(!)”] estão sendo denunciados à CIA!(?)
    Inclusive o tal “juiz”!
    Por enquanto, os senhores Martim e Manuel encontram-se incomunicáveis!
    E encarcerados em celas individuais!
    A padaria foi interditada pela Vigilância Sanitária!
    E pela Receita Federal!
    Pausa para rir!
    E as esposas dos portugueses ameaçam greve: pretendem deixar de produzir os mais saborosos pasteis do sul do país!
    “O juiz” denunciado, em greve: de fome!
    E tendo pesadelos com os pasteis do português Manuel da Padaria!
    Pesadelos de provocar diarreias!
    Haja risos!
    (…)
    Ademais, realmente, as investigações estão sendo bem conduzidas pelos policiais e peritos:
    não é comum “juiz” paranaense comer pastel em estabelecimento comercial de português!
    Nem tampouco “portugueses darem uma de brasileiros!”
    NOTA: o texto do matuto ‘bananiense’ foi inspirado no post ‘Lava Jato: o espetáculo continua’, escrito pelo conspícuo jornalista Miguel do Rosário, do blog ‘o cafezinho’ “que os Marinhos das organizações (sic) *soNEGAdoras não degustam ‘nem que a vaca se engasgue’”!
    Risos
    *dos impostos – e das verdades!

    Lava Jato: o espetáculo continua
    Por Miguel do Rosário, postado em abril 14th, 2015
    (…)

    Mais risos!
    “Que país é esse, siô?!”
    “Tudo por dinheiro!” Diria o “[MEGA]camelô” Sílvio Santos “da ‘ScherAZARde’”!

    RESCALDO: “Oi” menino(a), eu também já estou de saco cheio!
    É muita patifaria!

    EM TEMPO FASCIGOLPISTA:

    ‘vixe’, já está quase na hora de começar [mais] um espetáculo do ‘Circus Brasiliae’!

    “Estou indo:
    para a Pasárgada do Manuel Bandeira!
    Fui!”

    Messias Franca de Macedo
    Feira de Santana, Bahia
    República de ‘Nois’ Bananas – e “bota ‘bananas’ nesse picadeiro!
    E nessa plateia!”

    NOTA: o texto do matuto ‘bananiense’ foi inspirado no post *’Lava Jato: o espetáculo continua’, escrito pelo conspícuo jornalista Miguel do Rosário, do blog ‘o cafezinho’ “que os Marinhos das organizações (sic) **soNEGAdoras não degustam ‘nem que a vaca se engasgue’”!
    Risos

    **dos impostos – e das verdades!

    *Lava Jato: o espetáculo continua

    Por Miguel do Rosário, postado em abril 14th, 2015

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.ocafezinho.com/2015/04/14/lava-jato-o-espetaculo-continua/comment-page-1/#comment-73351

  18. Cada vez mais essa senhora me

    Cada vez mais essa senhora me desponta. Em que mundo vive ela?

    Que adianta falar de feitos para alguns jornalistas se não fala para o povo?

    Alguém avisou a ela que é preciso se comunicar?É preciso informar a população.

    É um desastre!

  19. Pelo que foi descrito acima

    Pelo que foi descrito acima do que foi o encontro com a Presidenta, se correta a compreensão de que se trata de um resumo do principal, entrevista desse quilate melhor não ter.

    Uma Presidenta da República é entrevistada por jornalistas e nada de conteúdo é revelado e não há sequer esclarecimentos completos sobre os fatos políticos vividos no país nestes primeiros meses do segundo mandato. Só tem discurso, parece que ainda está em campanha.

    Mais me pareceu – pelo relato acima – um encontro de velhos amigos que não se viam há muito tempo e se reuniram para atualizar o papo, regado a água morna.

    Eu sou governista e defendo a Dilma sempre. Agora, vamos combinar, ela precisa sair do palanque de candidata e assumir o cargo para o qual foi eleita. Sem se comunicar com o povo brasileiro ela não sai das cordas desse ringue cretino, muito bem preparado pelo PIG, elites dominantes e interesses estrangeiros.

    É uma pena que a Dilma não aponte a causa da diminuição do ritmo econômico do Brasil, muito bem localizado nas campanhas (protagonizados pelos mesmos setores que a colocaram nas cordas) que há dois anos só dão destaques para falsas crises e escândalos artificiais. 

    A política passa longe da Dilma. Uma Pena!

  20. Para ficar somente na

    Para ficar somente na insinuação maldosa de que Levy assume o lugar de Dilma, lembrei-me da capa de uma das revistas semanais no governo de FHC, em que apresentava a metade do rosto de Fernando Henrique encarando a outra metade do rosto de Toninho Malvadez. A manchete: “QUAL DOS DOIS GOVERNA O BRASIL?”.

    Sempre me recordo dessa capa porque a pergunta fazia muito sentido, como se falasse por mim. Eu, que sempre gostei de assistir as televisões do Senado e Câmara, observava a postura de ACM. Ele se comportava no Senado como se fosse a voz do Presidente. Este geralmente viajando, viajando sem parar. Na verdade, era ACM e Arruda, líder do PSDB, no Senado a darem as cartas, inclusive quando fizeram ambos os conchavos para a compra de votos pra reeleição de FHC. O resultado foi aquele mal-estar horrível, quando ambos fraudaram o painel, seguindo-se as pelejas que culminaram com a renúncia de ambos. Uma baita vergonha para FHC, mas que pouca gente lembra, inclusive os parlamentares mais antigos, que poderiam subir à tribuna para comporem seus discursos com essa peça melodrmática, que foi, quando Arruda disse e desdisse coisas, chorando com as lágrimas de crocodilo que estão sempre a verterem em seus belos olhos.

  21. Paginas amareladas!

    Nassif, é verdade que a presidenta disse que não daria entrevista a revista Veja? Se a resposta for sim, por que alguém não perguntou a ela o que ela pensava do fato de seu ministro da justiça ter ido para as paginas amarelas do reacionário semanário? 

     

  22. Pelo visto, a nossa querida

    Pelo visto, a nossa querida Presidente “tá nem aí” prá terceirização… Ou seja, tá nem aí pros trabalhadores e seus representantes – sindicados e partidos que se pretendem representar os trabalhadores. Mas tá muito preocupada com a maioridade penal; por que? Prá mim é um afago nos outros grupos que também se opõe ao golpe: DDHH, “minorias”, excluídos, etc… Seria uma estratégia considerando que os trabalhadores (empregados ou com empregabilidade razoável) já estão “garantidos” e precisa ampliar o campo para a ultra-esquerda? Se for isso, acho que é um tiro no pé. A direita, ou parte dela, pode capitalizar o descontentamento os trabalhadores tradicionais, afetados pela tercerização, além de vítimas constantes dos “di menor”…  Acho que está pisando em salto alto. A turma do rojão no metrô não impedirá o golpe, ou pelo menos, não impedirá o golpe sozinha. Trabalhador médio não gosta de vagabundo…

    Mas, pensando bem, pelo visto a nossa querida Presidente (ainda) não acredita em tentativa de golpe… Ou será que já esquema de fuga e exílio preparados?

    Assim como o “Miro”, achei preocupante…

  23. Delegar

    “Ele faz porque o governo dá respaldo. Ele não tem meios de fazer [sozinho]”, disse.”

    Para muitos o governo dá “respaldo” , mas a contragosto, pois vai de encontro à política social de esquerda.É um respaldo capitalista neoliberal segundo opinião de alguns aliados.

  24. Ai, que alívio! A presidente

    Ai, que alívio! A presidente não rasgou pastas e nem atirou cabide na cabeça de ninguém. Eu, que votei nela sei que ela é honesta, equilibrada e responsável no comando do país.

    Desinformados, golpistas e caluniadores são os pretensos jornalístas de futricas que sequer tem respeito pelas instituições e pelos poderes da República. Lesa pátria, pela-saco de patrões safados. Ah! E aqueles manifestantes que foram nas ruas ofender a presidente são da mesma laia. Lixo moral e filhotes de ditadores.

  25. Regulação dos meios de comunicação

    Não entendo por que o governo tanto teme a mídia convencional, mas em seu depoimento aos blogueiros Dilma deu uma dica preciosa: seria bom começar a regulação da mídia por uma iniciativa popular. A bola está quicando na área. Blogueiros, chutem.

  26. assim até eu….

    bom, ela dá entrevistas pra 4 blogs que claramente apoiam o governo…. a dificuldade é o contraditório.

    enquanto isso ficamos entre o PIG e a torcida organizada pró dilma.

    Por mais que eu admire o trabalho do Nassif aqui, tá cada vez mais difícil pra quem não é coxinha nem petista conseguir informação isenta e jornalistica. E dos dois lados só besteira, marketing e argumentos de torcida.

    “o  que chamam de crise…”, é uma crise enorme financeira e generalizada das instituições, por mais que se queira tapar o sol com a peneira. e dado o baixo nivel educacional e a imaturidade democrática do brasileiro, vira isso que a gente vê

    de um lado coxinhas imbecis defendendo a volta da ditadura, do outro petistas obcecados em fingir que está tudo perfeito.

    a verdade, que não pertence a nenhum desses grupos, passa ao largo.

    • Olavo de Carvalho

      Todos, em todo lugar, são tendenciosos. Se quer o convencional das grandes familias, assista à midia tradicional…

      ou pule para o portal do Olavo de Carvalho…

    • Você vê mil fontes de

      Você vê mil fontes de informação de coxinhas onde pululam declarões de políticos golpistas  e entreguistas (não é informação, é ração) e quer comparar isso tudo com uma simples entrevista da ultraperseguida e injustiçada Dilma Rousseff? Você acha que ela não tem o direito de dar uma entrevista a um grupo de jornalistas que sequer têm um décimo da visibilidade que a mídia de oposição tem? Chama de tendencioso o blog que repercute esta humilde entrevista? Então você acha que o contraponto ao coxismo predatório deve ser alguma coisa neutra como o Almaque Capivarol.

  27. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome