A cremação das bandeiras estaduais no Estado Novo

Estado Novo – Cremação das Bandeiras Estaduais(video logo abaixo)

Com a implantação do regime do estado novo o país começa o caminho para a centralização do poder eo distanciamento desde do povo com a diminuição do poder dos estados e fortalecimento da burocracia centralizada hoje em Brasilia.

A federação hoje existe apenas no papel hoje somos um estado unico onde poucos exercem o poder sem que o cidadão possa exercer a democracia plena.

…………

Menos de um mês após a implantação do Estado Novo, Vargas mandou realizar a cerimônia da queima das bandeiras estaduais, que teve lugar na Esplanada do Russell no Rio de Janeiro, para simultaneamente comemorar a Festa da Bandeira (cuja celebração tinha sido adiada) e render homenagem às vítimas da “Intentona Comunista” de 1935. Nesta cerimônia, que marca a nível simbólico uma maior unificação do país e um enfraquecimento do poder regional e estadual, foram hasteadas vinte e uma bandeiras nacionais em substituição às vinte e uma bandeiras estaduais que foram incineradas numa grande pira erguida no meio da praça, ao som do Hino Nacional tocado por várias bandas e cantado por milhares de colegiais, sob a regência do maestro Heitor Villa Lobos.

À queima das bandeiras seguiu-se o discurso do Ministro da Justiça, Francisco Campos, no qual ele afirmou: “Bandeira do Brasil, és hoje a única. Hasteada a esta hora em todo o território nacional, única e só, não há lugar no coração dos brasileiros para outras flâmulas, outras bandeiras, outros símbolos. Os brasileiros se reuniram em torno do Brasil e decretaram desta vez com determinação de não consentir que a discórdia volte novamente a dividi-lo, que o Brasil é uma só pátria e que não há lugar para outro pensamento do Brasil, nem espaço e devoção para outra bandeira que não seja esta, hoje hasteada por entre as bênçãos da Igreja e a continência das espadas e a veneração do povo e os cantos da juventude. Tu és a única, porque só há um Brasil ─ em torno de ti se refaz de novo a unidade do Brasil, a unidade de pensamento e de ação, a unidade que se conquista pela vontade e pelo coração, a unidade que somente pode reinar quando se instaura pelas decisões históricas, por entre as discórdias e as inimizades públicas, uma só ordem moral e política, a ordem soberana, feita de força e de ideal, a ordem de um único pensamento e de uma só autoridade, o pensamento e a autoridade do Brasil” (Correio da Manhã, 1937, p. 3).

Fonte do texto: “O NACIONAL E O REGIONAL NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE BRASILEIRA”. Ruben George Oliven

2 comentários

  1. republica do cafe com leite

    Eu queria saber si vocês podem responder uma questão para mim

  2. Eleger um carioca para a Presidência da República.A
    Re: A cremação das bandeiras estaduais no Estado Novo

    ter, 21/08/2012 – 22:11 — Fernando Antonio Moreira Marques

    Vamos a lista dos presidentes depois de Getúlio para comprovar que carioca não apita nada na politicalha nacional e recordar quem acabou com a política do Café com Leite foram os gaúchos e os coronéis nordestinos:

    Como poderemos elegrer um carioca para ocupar a Presidência da República de nosso País se o estado  deles é uma bagunça administrativa e a bandidagem faz o que quer, sem qualquer tipo de oposição?Carioca gosta é de praia, carnaval, futebol e jogo do bicho.Já realizaram um Pan Americano lá e não resolveu nada.Já realizaram uma Copa do Mundo por lá e as coisas continuam a mesma para pior.Já realizaram outro Pan e nada de melhora, mas só piora.Vão realizar uma Olimpíada por lá e pelo veisto só irão piorar as coisas.É difícil ou quaise que impossível este estado ter algum conserto no que diz respeito a organização na  Política, na vida em sociedade, na Segurança Pública, etc. É um caso perdido se a administração ficar nas mãos dos nativos deste estado. Lamentável, porque a quantidade de dinheiro que se injetou neste estado e continuam injetando mas não há solução em área alguma, mas só confusão, corrupção, violências, etc, segundo tem alardeado para todo o nosso País e para o mundo a REDE GLOBO DE TELEVISÃO. Esta empresa mostra um Rio de Janeiro que não compensa conhecer e que dirá de fixar residência por lá. Parece mais com o Libano em Guerra com as gerrilhas, o Estado de Israel e os Sírios. Uma bagunca e confusão só. Eu não votaria em candidato algum oriundo do Estado do Rio de Janeiro, até a presente data, por causa dos fatos transmitidos pela GLOBO.Este meu julgamento vem com base nas informaçóes transmitidas por décadas pela REDE GLOBO DE TELEVISÃO.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome