Descoberto o filme que o Brasil não podia ver, por Urariano Mota

Por Urariano Mota*

Meus amigos, aquela frase do personagem Corisco em Deus e o Diabo na Terra do Sol, quando ele grita: “Mais fortes são os poderes do povo” , eu posso agora adaptar para “Mais fortes são os poderes da pesquisa coletiva na internet”. A razão não é gratuita. Chegou para mim, hoje, a revelação de que, finalmente, o Brasil pode ver o documentário que, há muitos anos, jornalistas brasileiros e pesquisadores desejavam ver.

Há 5 anos que o procurava. Em registro público, em agosto de 2012 publiquei um texto sobre a minha busca pelo documentário “Brazil: The Troubled Land”. Esse é um filme que narra a luta pela terra em Pernambuco, realizado para a rede de televisão norte-americana ABC, com imagens de 1961. Mas ninguém sabia informar, até parecia uma lenda. Ao fim de muitas buscas, descobri que o filme existia na Universidade Indiana. Agora seria fácil, pensei. Mas a resposta não tardou, no inglês que traduzo aqui livre e mal:

“Agradeço pelo contato para a pesquisa do filme  Brazil: The Troubled Land. Ele pertence ao arquivo da coleção da Biblioteca da Universidade de Indiana. Reenvio para a arquivista responsável”, que respondeu:

“Para o acesso ao filme que você pesquisa, o ‘Brazil: The Troubled Land’, nós não o temos digitalizado ou em cópia para ser visto. No momento, o filme está disponível somente nesta biblioteca, ou então, se você desejar obter permissão do proprietário dos direitos autorais, nós  poderíamos fazer uma cópia em DVD para você emprestar ao escritor brasileiro. A McGraw Hill é a editora dona do filme”. 

Mas a poderosa McGraw Hill, apesar dos meus pedidos, nada me respondeu para  a liberação de uma cópia. Em desespero de causa, cheguei a solicitar até mesmo a compra de um exemplar, com a ajuda, é claro, de outros jornalistas brasileiros, que também o procuravam. Nada. Mais uma vez, por razões de Estado primeiro, depois por razões do capital, o Brasil deixava de ver a própria cara, num flagrante das relações históricas de opressão em 1961.

The Troubled Land havia sido visto nos Estados Unidos, onde alcançara grande repercussão, mas nunca passou nos cinemas ou na televisão brasileira. O Conselho de Segurança Nacional o julgara inconveniente para os padrões nacionais.

Mas não desisti. Quase um ano depois, em março de 2013, publiquei um texto cuja introdução observava que a melhor diferença da imprensa na web sobre a do grande capital era a liberdade de pensamento.  E que havia um valor a mais de um texto na internet sobre o de papel: era a  sua permanência, com acessos infinitos no tempo  e espaço para a leitura. Assim havia sido com a coluna “Procura-se um documentário sobre o Brasil”, publicada em agosto de 2012. Ela me fizera receber um presente que eu não imaginava.

Recebi então fotos históricas do filme, e a revelação (perdoem a palavra) de um fotógrafo de 76 anos, em 2013, que os estudiosos do  cinema não sabiam existir. Era o espanhol Fernando Martinez Lopez, que me enviara fotos maravilhosas em preto e branco do documentário “Brazil, the troubled land”. Fernando Martinez, a partir das perguntas feitas por este curioso, assim se apresentou:

Após busca  entre 4000 negativos, encontrei as fotos, algumas estragadas pelo tempo. Sou espanhol, casado com brasileira e filhos e netos brasileiros. Trabalhei no filme como Still fotógrafo e também como cinematographer….

Helen (Helen Rogers, a diretora do documentário) era uma americana bonita e muito inteligente, casada com um cineasta, eles deixaram dois filhos. Para mim, ela era pró-Estados Unidos, pois este filme foi feito justamente para que o Brasil não se tornasse uma nova Cuba. (Negrito do colunista) Foi filmado na Zona da Mata de Pernambuco, para filmar a vida de um camponês. Na feira de Carpina encontrou um Severino, cortador de cana, que trabalhava para Constâncio Maranhão. A filmagem demorou aproximadamente 25 dias, tendo a contribuição da Sudene para transporte etc.”.

Então vinham raridades nas fotos: Helen Rogers, Francisco Julião, Eva (tradutora) e Bill Hartigan. Era um flagrante da política traiçoeira dos Estados Unidos, que enviara uma bem intencionada cineasta ao Nordeste do Brasil, para que documentasse uma nova Cuba em território pernambucano. Mas o filme que era bom, mesmo, nada. E assim se passaram mais de dois anos.

Hoje, me chega pelo face um recado, postado pelo jovem historiador Felipe Genú, com estas palavras:

“Senhor Urariano, li um texto seu de 2012, onde o senhor estava à procura do documentário The Troubled Land, da ABC. O senhor já o encontrou?”

Respondo:

“Não, Felipe, ainda não. Eu desejava mais esse documentário quando escrevia o meu romance “O filho renegado de Deus”. Mas o meu interesse continua.”

E o imprescindível pesquisador  Felipe Genú:

“Senhor Urariano, eu sou historiador, e no momento estou escrevendo uma dissertação sobre o Teatro de Cultura Popular do MCP, do governo Arraes. Depois de ouvir falar no The troubled land, fiquei muito interessado, e pesquisando encontrei uma versão dele posta na internet pela School of Cinematic Arts. Eles o postaram num site chamado vimeo. Basta o senhor se cadastrar e buscar ‘Brazil The troubled land’ que vai aparecer o documentário”

Tudo que pude responder foi:

“Genial, Felipe. Muito obrigado, rapaz”.

E agora, amigos, para todo o Brasil, o vídeo que o grande público não podia ver, que era um verdadeira lenda de pé de cobra. Vejam Francisco Julião em 1961, Celso Furtado na Sudene em entrevista, o latifundiário Constancio Maranhão a se exibir dando tiros para mostrar qual era a sua lei para os camponeses sem terra. Acessem https://vimeo.com/134849043

*No Vermelho http://www.vermelho.org.br/noticia/272471-11

BRAZIL THE TROUBLED LAND (1964) from HMH Archive on Vimeo.

——————————————————————————————————

Copio a seguir as legendas do filme, traduzidas pelo historiador Felipe Genú, com destaques meus.  

1

00:00:17,333 –> 00:00:21,333

Este é Francisco Julião, do Brasil

 

2

00:00:21,333 –> 00:00:25,333

Você pode não ter ouvido falar nele, mas

aprenda seu nome.

 

3

00:00:25,333 –> 00:00:29,333

Julião é o mais importante líder camponês na

América Latina

 

4

00:00:29,333 –> 00:00:33,333

E os camponeses são a grande maioria… mais

de cem milhões

 

5

00:00:33,333 –> 00:00:37,333

Ele é um seguidor de Fidel Castro e Mao Tsé-Tung, inimigos dos Estados Unidos

 

6

00:00:37,333 –> 00:00:40,266

Julião diz aos camponeses brasileiros que

eles são explorados

 

7

00:00:40,266 –> 00:00:44,266

tratados como os animais com os quais

dividem o fardo

 

8

00:00:44,266 –> 00:00:48,266

Ele fala com os camponeses do Brasil,

 

9

00:00:48,266 –> 00:00:52,266

mas suas palavras ecoam por toda a América

Latina

 

10

00:00:52,266 –> 00:00:56,266

Esta é a história do Nordeste do Brasil, de

Francisco Julião e dos camponeses que ele

comanda

 

11

00:00:56,266 –> 00:01:00,266

 na América Latina

 

12

00:01:00,266 –> 00:01:04,266

Terra Conturbada

 

13

00:01:04,266 –> 00:01:08,266

 

 

14

00:01:08,266 –> 00:01:12,266

Este é o Brasil, terra do samba e da carioca

 

15

00:01:12,266 –> 00:01:16,266

Onde eles constroem hoje as cidades do

amanhã, mesmo no atrasado nordeste,

 

16

00:01:16,266 –> 00:01:20,266

eles constroem uma cidade como esta. Porque

o Brasil não é apenas a maior nação na

América Latina

 

17

00:01:20,266 –> 00:01:24,266

mas também a mais próspera

 

18

00:01:24,266 –> 00:01:28,266

Esta é a riqueza do Brasil para poucos, que

vivem em cidades como essa:

 

19

00:01:28,266 –> 00:01:32,266

 Recife, capital do Estado de Pernambuco, no

nordeste do Brasil

 

20

00:01:32,266 –> 00:01:36,266

 

 

21

00:01:36,266 –> 00:01:40,266

Leia também:  A realidade é mais assustadora do que o sobrenatural em 'O Que Ficou Para Trás', por Wilson Ferreira

Aqui é a cidade do poder e do controle de uma

economia de vinte milhões de agricultores

 

22

00:01:40,266 –> 00:01:44,266

que vivem nessa região. Tão larga quanto o

nosso meio-oeste

 

23

00:01:44,266 –> 00:01:48,266

Aqui eles comercializam açúcar, principal

colheita dessa área

 

24

00:01:48,266 –> 00:01:52,266

O açúcar construiu essa cidade, o açúcar a

mantém luminosa e nova

 

25

00:01:52,266 –> 00:01:56,266

E estranha para o homem que cultiva a cana-de

açúcar: o camponês.

 

26

00:01:56,266 –> 00:01:58,766

Um dos vinte milhões

 

27

00:01:58,766 –> 00:02:02,766

O nome desse homem é Severino, idade: 49

 

28

00:02:02,766 –> 00:02:04,266

Ocupação: camponês

 

29

00:02:04,266 –> 00:02:08,266

Ossos, músculos e sangue do organismo que

alimenta a cidade

 

30

00:02:08,266 –> 00:02:12,266

Ainda assim, esse é um mundo que ele não

conhece, cheio de coisas criadas (…)

 

31

00:02:12,266 –> 00:02:15,099

Severino não tem dinheiro.

 

32

00:02:15,100 –> 00:02:19,100

Ele nem sequer pode votar, porque é analfabeto

 

33

00:02:19,100 –> 00:02:20,266

Mas para os comunistas ele é importante

 

34

00:02:20,266 –> 00:02:24,266

Ele e os outros vinte milhões de camponeses

nessa área

 

35

00:02:24,266 –> 00:02:26,499

 

 

36

00:02:26,500 –> 00:02:30,500

Severino está a caminho de um quartel geral do

comunismo

 

37

00:02:30,500 –> 00:02:32,266

Por que ele e outros camponeses estão sendo

atraídos para o comunismo?

 

38

00:02:32,266 –> 00:02:33,999

 

 

39

00:02:34,000 –> 00:02:36,800

Essa é a nossa historia

 

40

00:02:36,800 –> 00:02:40,800

Oficialmente, é o partido socialista. Na prática

há mais do que isso

 

41

00:02:40,800 –> 00:02:42,733

 

 

42

00:02:42,733 –> 00:02:46,733

Aqui são mantidas as Ligas Camponesas

 

43

00:02:46,733 –> 00:02:49,966

e o nome em si é excitante

 

44

00:02:49,966 –> 00:02:53,832

É comandada por um membro do poder

legislativo: Francisco Julião

 

45

00:02:53,833 –> 00:02:57,099

Um deputado que escuta as queixas dos

camponeses

 

46

00:02:57,100 –> 00:03:00,833

Elas são quase sempre as mesmas:

problemas com os donos da terra

 

47

00:03:00,833 –> 00:03:04,833

sobre a qual o camponês e sua família

dependem para seu o trabalho diário

 

48

00:03:17,266 –> 00:03:21,266

“Nós vamos te ajudar. Você pode conseguir três

testemunhas que viram o proprietário queimar

sua casa?”

 

49

00:03:22,133 –> 00:03:22,966

“Entendeu?”

 

50

00:03:22,966 –> 00:03:26,599

“Sim, sim. Jorge Virgínio vai ser uma delas?”

 

51

00:03:26,600 –> 00:03:30,133

“Bom, então iremos ao tribunal”

 

52

00:03:30,133 –> 00:03:34,133

As Ligas Camponesas vão fornecer o

advogado. Se há alguém doente, elas mandam

um médico

 

53

00:03:35,066 –> 00:03:38,332

Sem casa? Há (…) nos escritórios das Ligas

Camponesas

 

54

00:03:38,333 –> 00:03:42,333

Ações simples que demonstram interesse nos

destino dos vinte milhões

 

55

00:03:46,133 –> 00:03:50,133

Para Severino, a ajuda não é fácil. Ele tem

quase cinquenta anos

 

56

00:03:50,133 –> 00:03:54,133

e teme que será demitido em favor de um

homem mais novo

 

57

00:03:54,166 –> 00:03:58,166

Quando acontecer, ele lhe dizem, nos procure

 

58

00:04:03,300 –> 00:04:07,300

As demandas de Severino são simples: ele

que continuar fazendo o que sempre fez:

 

59

00:04:09,300 –> 00:04:13,300

Seus filhos já estão cortando cana, como seu

pai antes deles

 

60

00:04:17,133 –> 00:04:21,133

O Açúcar está em quase todos os lugares.

Plantar vegetais para os camponeses

 

61

00:04:21,133 –> 00:04:25,133

diminuiria o dinheiro da colheita para o dono da

terra

 

62

00:04:35,066 –> 00:04:39,066

Pelo seu trabalho no campo, Severino recebe

25 centavos por dia, seus filhos

 

63

00:04:39,466 –> 00:04:43,299

13 centavos, cada

 

64

00:04:43,300 –> 00:04:46,000

Esta é a casa de Severino

 

65

00:04:46,000 –> 00:04:50,000

E esta é dona Julia, a esposa de Severino, mal

tem quarenta anos

 

66

00:04:50,466 –> 00:04:53,666

Ela vive a vida de uma mulher que tem seis

filhos

 

67

00:04:53,666 –> 00:04:57,232

cujo marido ganha 25 centavos por dia, cujo

filho mais novo

 

68

00:04:57,233 –> 00:05:00,866

é parcialmente paralítico e que sabe que a

maioria dos camponeses morre

 

69

00:05:00,866 –> 00:05:04,866

antes de completarem 30 anos

 

70

00:05:05,100 –> 00:05:06,733

Tal é o seu mundo

 

71

00:05:06,733 –> 00:05:09,966

Um mundo com apenas um brinquedo.

 

72

00:05:09,966 –> 00:05:13,966

 Apenas uma garota vai a escola, lápis custam

dinheiro

 

73

00:05:14,100 –> 00:05:18,100

além do mais, de que serve a educação

escolar no mundo deles?

 

74

00:05:21,700 –> 00:05:25,700

Além de seu salário, é permitido a Severino o

uso de uma faixa de terra periférica

 

75

00:05:26,633 –> 00:05:30,633

Não é a melhor terra, mas é um pouco do solo

para que ele plante milho e feijão preto

 

76

00:05:32,766 –> 00:05:36,766

O importante é que é terra, a qual produz,

alimenta e dá vida

 

77

00:05:38,766 –> 00:05:42,766

Se Severino perdesse seu emprego, ele

também perderia sua terra

 

78

00:05:54,466 –> 00:05:59,466

Nessa região, apenas 5% das pessoas são

donas de 65% das terras

 

79

00:05:59,466 –> 00:06:04,332

E vive em casas como essa… mas apenas nos

fins de semana

 

80

00:06:05,100 –> 00:06:09,100

Ainda assim, eles são os patrões

 

81

00:06:10,433 –> 00:06:14,433

Este é o patrão de Severino, Constâncio

Maranhão

 

82

00:06:15,066 –> 00:06:19,066

O primeiro membro de sua família veio para

essas terras há 400 anos

 

83

00:06:19,366 –> 00:06:24,666

E desde então, os Maranhão tem sido seus

proprietários, guardiães e saqueadores

 

84

00:06:24,666 –> 00:06:28,666

Ele age como se fosse o governador do Estado

e chefe do Legislativo

 

85

00:06:29,800 –> 00:06:33,800

Ele conta seu gado pelas milhares de cabeças,

suas terras em dezenas de milhares de acres,

 

86

00:06:34,866 –> 00:06:37,266

usa um anel de diamantes de quinze quilates…

 

87

00:06:37,266 –> 00:06:41,266

afirma ser um homem simples, com ideias

simples

 

88

00:06:42,233 –> 00:06:43,299

Ele diz:

 

89

00:06:43,300 –> 00:06:47,300

“Você não vê que todos os meus camponeses

são felizes, ricos e gordos?

 

90

00:06:51,566 –> 00:06:57,799

Essa é a minha arma. Essa é a lei aqui, decide

tudo. Não qualquer polícia ou lei,

 

91

00:06:57,800 –> 00:07:00,666

mas a minha arma

 

92

00:07:00,666 –> 00:07:04,666

A melhor feita nos Estados Unidos. É a coisa

mais importante que possuo

 

93

00:07:04,666 –> 00:07:05,332

mas a minha arma

 

94

00:07:24,866 –> 00:07:28,432

As coisas sempre foram desse jeito, os meus

camponeses é que são preguiçosos

 

95

00:07:28,433 –> 00:07:32,433

Se alguém chegar aqui e tentar organizá-los eu

mato!

 

96

00:08:07,633 –> 00:08:11,633

Numa área quase tão grande quanto o nosso

meio-oeste, quase vinte milhões de pessoas

 

97

00:08:11,633 –> 00:08:13,833

não tem o suficiente para comer.

 

98

00:08:13,833 –> 00:08:17,833

A terra que cultiva cana não pode ser cedida

para plantar alimentos

 

99

00:08:17,833 –> 00:08:23,166

Para eles, fubá, arroz e feijão preto, servido

apenas uma vez, ao meio dia.

 

100

00:08:24,266 –> 00:08:28,266

Pão e café pela manhã e à noite. Nada além

disso

 

101

00:08:28,600 –> 00:08:32,600

Essas crianças nunca provaram nada além

 

102

00:09:20,166 –> 00:09:21,699

Severino diz que

 

103

00:09:21,700 –> 00:09:24,066

precisa ter um pedaço de terra de sua

Leia também:  Ciência volta à Casa Branca: pandemia e os desafios do governo Biden, por Edna Aparecida da Silva

propriedade

 

104

00:09:24,066 –> 00:09:26,732

com o qual ele possa

 

105

00:09:26,733 –> 00:09:28,633

Sua esposa diz que ele precisa ser paciente

 

106

00:09:28,633 –> 00:09:32,633

“Eu tenho sido paiente”, diz Severino, mas eu

não posso esperar para sempre

 

107

00:09:46,466 –> 00:09:50,299

Paciência é uma virtude para os ricos ou os

sem esperança

 

108

00:09:50,300 –> 00:09:54,300

25 centavos por dia não é o caminho para a

riqueza… ou para um pedaço de terra

 

109

00:09:55,000 –> 00:09:58,300

Nada disso é novo para Severino e seus vinte

milhões

 

110

00:09:58,300 –> 00:10:02,300

Tem sido dessa forma desde a época da

escravidão

 

111

00:10:11,800 –> 00:10:15,800

No mundo daquele que não sabem ler, o

trovador é o comunicador

 

112

00:10:15,833 –> 00:10:19,833

Os violeiros são uma parte importante da vida

do camponês.

 

113

00:10:19,833 –> 00:10:23,099

Uma instituição tão antiga quanta a terra

 

114

00:10:23,100 –> 00:10:28,400

Apesar da terra e do camponês permanecerem

os mesmos, as músicas dos violeiros

mudaram

 

115

00:10:28,400 –> 00:10:33,166

Não há apenas músicas sobre a colheita e a

vida, amor e casamento

 

116

00:10:49,166 –> 00:10:54,799

Agora eles cantam: “Francisco Julião sabe  que

é necessário para o proletariado ter um salário

decente

 

117

00:10:54,800 –> 00:10:58,800

e Julião sempre luta por isso”

 

118

00:11:05,566 –> 00:11:11,766

“E Francisco Julião explicou que devemos ter

uma revolução aqui, como a que Fidel Castro

fez em Cuba”

 

119

00:11:18,233 –> 00:11:23,733

“E eles tiraram a liberdade de Patrice

Lumumba e depois o assassinaram, portanto

tenha cuidado”

 

120

00:11:37,433 –> 00:11:41,433

“Mas o que nós devemos fazer é formar uma

organização, como fizeram em Cuba”

 

121

00:11:49,466 –> 00:11:53,466

O que os violeiros não dizem, outros falam.

Escutem esse camponês:

 

122

00:11:55,800 –> 00:12:01,033

“Nós camponeses conhecemos apenas a

miséria, a fome, o analfabetismo,  as crianças

morrendo de fome.

 

123

00:12:01,800 –> 00:12:06,766

“Nós devemos nos unir cada vez mais. Sim,

ombro à ombro em frente. C ada vez mais

fortes”

 

124

00:12:07,800 –> 00:12:10,333

“Nós temos que parar de trabalhar apenas para

o dono da terra”

 

125

00:12:10,333 –> 00:12:15,733

“Para os milionários que tem tudo enquanto

nós temos apenas miséria!”

 

126

00:12:38,666 –> 00:12:42,666

De sua miséria, eles aplaudem em

concordância. E as sombras se estendem

sobre

 

127

00:12:42,666 –> 00:12:46,166

sobre a Terra Conturbada

 

128

00:12:56,766 –> 00:13:01,432

Na cidade, o governo brasileiro planeja ajuda

para os camponeses do nordeste. Bons

planos.

 

129

00:13:01,866 –> 00:13:06,899

Planos excelentes para a industrialização e a

reforma agraria, mas desenvolvidos de forma

muito lenta

 

130

00:13:06,900 –> 00:13:10,666

O diretor é o brilhante economista Celso

Furtado

 

131

00:13:11,700 –> 00:13:13,466

Celso Furtado

 

132

00:13:14,466 –> 00:13:18,466

Eu acho que a agitação está crescendo a cada

dia.

 

133

00:13:19,633 –> 00:13:25,666

E  nós temos muitos fatores fomentando a

agitação

 

134

00:13:26,766 –> 00:13:31,766

Nós temos, primeiro os políticos e agora a

exploração das pessoas pobres

 

135

00:13:32,833 –> 00:13:36,833

Os comunistas estão presentes e ao mesmo

tempo

 

136

00:13:37,300 –> 00:13:42,666

as pessoas agora tem melhores

comunicações, melhores formas de

informação

 

137

00:13:44,100 –> 00:13:48,100

As pessoas agora estão mais cientes de sua

própria miséria

 

138

00:13:48,933 –> 00:13:52,933

As pessoas não tem ideia do que seria o

comunismo

 

139

00:13:54,900 –> 00:13:58,900

Eles acham que o comunismo é uma maneira

de resolver seus problemas

 

140

00:13:59,233 –> 00:14:03,233

– E quanto a Francisco Julião?

 

141

00:14:03,933 –> 00:14:10,366

Bem, Julião é um homem que agora é

apresentado como um símbolo de um

movimento

 

142

00:14:11,533 –> 00:14:15,533

Mas, para nós que vivemos aqui, para as

pessoas que vivem aqui em contato com a

realidade

 

143

00:14:15,533 –> 00:14:19,533

com os camponeses e com todos, nós

sabemos que

 

144

00:14:19,533 –> 00:14:23,533

Julião não é exatamente o criador das Ligas

 

145

00:14:23,533 –> 00:14:29,233

Ele é um político – como muitos outros aqui – 

que foi o primeiro a perceber a importância das

Ligas para

 

146

00:14:29,233 –> 00:14:34,199

as contendas políticas, para as disputas

políticas

 

147

00:14:39,666 –> 00:14:43,666

Sim, Francisco Julião é um político dos mais

sagazes

 

148

00:14:43,666 –> 00:14:48,232

e um homem ambicioso. Ele sabe o que quer e

não tem qualquer pudor em trabalhar por isso

 

149

00:15:04,933 –> 00:15:09,366

O poder de Francisco Julião é o camponês e 

seu inegável descontentamento

 

150

00:15:10,100 –> 00:15:15,433

De todos os políticos brasileiros é praticamente

o único que passa todo o seu tempo com os

camponeses que não votam

 

151

00:15:16,466 –> 00:15:19,132

Sem dúvidas, há mais do que apenas

magnanimidade nisso

 

152

00:15:19,133 –> 00:15:25,133

Se Julião puder organizar os camponeses,

essa vasta massa iletrada, talvez ele consiga

que eles possam votar

 

153

00:15:25,133 –> 00:15:29,799

Se ele conseguir fazer com que eles votem

então ele  terá o poder devido a maioria de

seus votos

 

154

00:15:29,800 –> 00:15:35,000

Senador, Governador do Estado, Presidente da

Nação, tudo que é preciso são votos

 

155

00:15:36,466 –> 00:15:41,399

Há cinismo em Julião, ele não oferece nenhum

plano específico, mas seu chamado às armas

 

156

00:15:41,400 –> 00:15:46,933

ecoa mais alto para os camponeses do que

todos os planos construtivos, mas não vistos,

do governo

 

157

00:15:46,933 –> 00:15:50,933

Em cada palavra, em cada ato, ele procura se

aproximar um pouco mais de seus objetivos

 

158

00:15:51,900 –> 00:15:57,133

Ele diz aos camponeses que o capitalismo

americano é seu inimigo e que há um paraíso

camponês na China e em Cuba

 

159

00:15:58,366 –> 00:16:04,432

E ele promete que este ano levará cinquenta

deles para ver esses paraísos marxistas

 

160

00:16:05,433 –> 00:16:10,566

Ele lhes fala Mao Tsé Tung é o maior homem

do nosso tempo, porque ele deu terra aos

camponeses

 

161

00:16:11,800 –> 00:16:16,366

Palavras pesadas para os ignorantes, para os

camponeses famintos, iludindo os

desesperançados

 

162

00:16:16,366 –> 00:16:18,632

cujos problemas vitais são os mais básicos:

 

163

00:16:18,633 –> 00:16:22,633

comida para hoje, comida para amanhã

 

164

00:16:22,633 –> 00:16:25,499

Raramente esses coitados pensam além do

amanhã

 

165

00:16:25,500 –> 00:16:29,500

para eles, comunismo é uma palavra,

democracia é outra.

 

166

00:16:30,633 –> 00:16:34,633

eles realmente dão atenção é para as visões e

promessas de Julião

 

167

00:16:47,633 –> 00:16:51,633

“-Você tem oito filhos e nenhuma terra? Como

pode isso num país do tamanho do Brasil?”

 

168

00:16:51,633 –> 00:16:56,699

“-Quando nós estivermos no poder você vai ter

terra. Nós vamos tomar conta de você quando

você for velho”

 

169

00:16:56,700 –> 00:17:00,700

“Tudo vai ser melhor, me entendeu?”

 

170

00:17:18,466 –> 00:17:22,466

“Você que escola para os seus filhos? Quando

nós chegarmos ao poder haverá escolas para as

suas crianças”

 

171

00:17:22,466 –> 00:17:26,466

“Para todas as crianças”

 

172

00:17:43,600 –> 00:17:47,600

Para a multidão Julião diz o mesmo e “aqueles

que concordam conosco levantem as mãos”

 

173

00:17:55,833 –> 00:17:59,833

“Sim, cada um de vocês segure suas

enxadas. A enxada é o seu símbolo”

 

Leia também:  Coronavírus: EUA ultrapassa 13 milhões de casos e tem 264.624 mortes

174

00:17:59,833 –> 00:18:03,833

“O símbolo do seu trabalho e da sua vida. É o

sinal do seu atraso e da sua miséria”

 

175

00:18:03,833 –> 00:18:07,833

“Dos donos da terra que querem te manter

onde você está. Os donos da terra

 

176

00:18:07,833 –> 00:18:11,833

vivem na cidade, onde desfrutam dos frutos da

civilização”

 

177

00:18:19,866 –> 00:18:23,866

“Unam suas forças pela reforma agrária”

 

178

00:18:25,133 –> 00:18:29,133

“Contra a pressão, a miséria e a fome”

 

179

00:18:29,133 –> 00:18:33,133

“Contra os estados maiores”

 

180

00:18:38,800 –> 00:18:45,866

Vida longa às Ligas Camponesas, vida longa a

reforma agrária e vida longa à liberdade!”

 

181

00:18:47,000 –> 00:18:51,633

A enxada é um símbolo de paz, mas pode ser

uma arma perversa. Julião já disse que

 

182

00:18:51,633 –> 00:18:55,633

se não puder vencer na paz, deflagrará uma

revolução

 

183

00:18:55,633 –> 00:18:59,633

Essa declaração também foi comemorada

 

184

00:19:08,433 –> 00:19:12,433

O governo brasileiro não está desatento. Eles

escutam os gritos da multidão

 

185

00:19:12,433 –> 00:19:16,433

mas acreditam em seus planos de reforma

agrária

 

186

00:19:16,966 –> 00:19:22,199

-“Você acredita numa solução pacifica e

democrática para o problema da terra?”

 

187

00:19:23,666 –> 00:19:27,666

Sim. É por isso que estou aqui. É por isso que

estou aqui lutando dia e noite

 

188

00:19:29,300 –> 00:19:33,300

Eu acho que podemos mostrar para as

pessoas que

 

189

00:19:34,633 –> 00:19:38,433

nós podemos viver de uma forma diferente na

agricultura

 

190

00:19:38,433 –> 00:19:46,199

que eles podemos ser, eles podemos ser ao

menos muito melhores do que são hoje

 

191

00:19:47,433 –> 00:19:51,433

Que eles podem trabalhar para si mesmo. Que

eles podem abrir novos campos

 

192

00:19:51,633 –> 00:19:55,633

que eles podem procurar a felicidade, ao

menos isso.

 

193

00:19:56,966 –> 00:19:58,232

Vamos repetir a

 

194

00:19:58,600 –> 00:20:02,600

agora tão falada ideia de revolução da

esperança.

 

195

00:20:03,666 –> 00:20:07,666

As pessoas agora não têm ideia de como elas

podem ser melhores amanhã

 

196

00:20:09,500 –> 00:20:12,266

E eu acho que vamos demonstrar isso.

 

197

00:20:12,766 –> 00:20:16,332

– O que os Estados Unidos podem fazer para

ajudar

 

198

00:20:16,333 –> 00:20:20,333

Bem, senhorita Rogers, eu acho que

 

199

00:20:20,333 –> 00:20:24,333

primeiro, esse é um problema nosso.

 

200

00:20:24,333 –> 00:20:28,333

Se nós não temos a consciência clara do

problema e

 

201

00:20:28,333 –> 00:20:32,333

se não nos prepararmos nós mesmos para

fazer os sacrifícios

 

202

00:20:32,333 –> 00:20:37,799

e lutar pela solução, nenhuma ajuda  vai mudar

a situação.

 

203

00:20:38,466 –> 00:20:42,466

Mas se abrimos esse novo caminho,

 

204

00:20:42,933 –> 00:20:51,099

e se nós começarmos esse processo de

mudanças aí sim a ajuda dos Estados Unidos,

a ajuda de qualquer país

 

205

00:20:51,100 –> 00:20:55,100

seria, poderia ser fundamental

 

206

00:20:55,100 –> 00:20:59,100

Mas se nós não fizermos nada, se as coisas

continuarem desse jeito

 

207

00:21:00,100 –> 00:21:04,833

Do jeito que tem acontecido nos últimos cinco

ou dez anos,

 

208

00:21:04,833 –> 00:21:11,566

Eu acho que podemos ter uma situação muito

difícil, muito explosiva aqui

 

209

00:21:11,566 –> 00:21:15,132

Talvez em dois, cinco ou dez anos, não sei,

talvez até mesmo amanhã

 

210

00:21:17,700 –> 00:21:18,833

 

 

211

00:21:18,833 –> 00:21:22,733

O amanhã chegou e não houve explosão no

Brasil

 

212

00:21:22,733 –> 00:21:25,099

O Brasil não é uma terra violenta

 

213

00:21:25,100 –> 00:21:27,733

Severino ainda senta com seus amigos e

 

214

00:21:27,733 –> 00:21:31,133

 infinitamente eles percorrem o catálogo de

suas mazelas

 

215

00:21:31,133 –> 00:21:35,133

Eles não podem prosperar. Milho, dizem eles, é

muito caro.

 

216

00:21:35,933 –> 00:21:39,933

As faixas de terra que eles podem usar são

muito pedregosas e muito duras para lhes

conceder o suficiente

 

217

00:21:39,933 –> 00:21:42,366

para alimentá-los e às suas crianças

 

218

00:21:42,366 –> 00:21:43,432

Suas vidas são duras.

 

219

00:21:43,433 –> 00:21:47,433

Dizem que há melhores oportunidades no Rio

e em São Paulo

 

220

00:21:47,433 –> 00:21:51,433

onde há fábricas e trabalho. Mas quem pode

andar as milhares de milhas poeirentas

 

221

00:21:51,466 –> 00:21:53,732

para comprovar o rumor?

 

222

00:21:53,733 –> 00:21:56,099

Não, eles são as crianças desse solo.

 

223

00:21:56,100 –> 00:21:59,166

Se ao menos houvesse alguém para ajudar…

 

224

00:21:59,166 –> 00:22:03,166

As pessoas falam sobre ajudar, mas o que

eles têm para mostrar além de palavras?

 

225

00:22:03,666 –> 00:22:07,666

Dizem que o governo, o governo tem um plano, 

mas quem já viu as melhorias até agora?

 

226

00:22:08,433 –> 00:22:12,433

Julião? Suas promessas ainda são apenas

promessas

 

227

00:22:13,433 –> 00:22:17,433

Um homem não pode viver só de promessas

quando seus filhos precisam de comida

 

228

00:22:17,666 –> 00:22:21,666

Se ao menos eles pudessem ter um pedaço de

terra, um pedaço pequeno, mas de sua

propriedade

 

229

00:22:22,033 –> 00:22:24,766

Aí sim haveria um amanhã

 

230

00:22:25,366 –> 00:22:29,999

Nem Severino, nem seus amigos têm a

resposta. Eles têm apenas uma proposta:

 

231

00:22:30,000 –> 00:22:33,100

Deem-nos um pedaço de terra, terra fértil.

 

232

00:22:33,100 –> 00:22:35,900

Os clamores ecoam por toda a América Latina.

 

233

00:22:35,900 –> 00:22:39,900

onde a maior parte vive como Severino e seus

amigos

 

234

00:22:39,933 –> 00:22:45,233

Como se eles não fossem também o produto

de três mil anos de progresso da sociedade

ocidental em civilização

 

235

00:22:47,100 –> 00:22:50,500

“Deem-nos terra”, eles gritam, e os comunistas

os asseguram:

 

236

00:22:50,500 –> 00:22:53,433

“Nós a daremos a terra para vocês”

 

237

00:22:53,433 –> 00:22:57,433

A única resposta as promessas comunistas

são resultados

 

238

00:22:57,433 –> 00:23:01,433

Os planos do governo para a reforma agrária e

o desenvolvimento precisam se tornar

realidade

 

239

00:23:02,333 –> 00:23:04,833

Os primeiros passos precisam ser deles

 

240

00:23:04,833 –> 00:23:08,833

só aí nós podemos ajudar. Mas os primeiros

passos devem ser dados

 

241

00:23:08,833 –> 00:23:10,466

pelos brasileiros

 

242

00:23:10,466 –> 00:23:12,366

O tempo trabalha para os comunistas

 

243

00:23:12,366 –> 00:23:14,466

Nós não perdemos… ainda

 

244

00:23:14,466 –> 00:23:16,766

Mas essas são as horas para decisão

 

245

00:23:17,633 –> 00:23:21,633

Há muita conversa sobre liberdade e

democracia no hemisfério ocidental

 

246

00:23:21,633 –> 00:23:23,666

Até Severino e seus amigos já ouviram

 

247

00:23:24,233 –> 00:23:26,733

Numa linguagem que eles pouco entendem

 

248

00:23:26,733 –> 00:23:30,566

Há pouco espaço para entendimento de ideias

num mundo de fome 

 

249

00:23:30,566 –> 00:23:32,899

miséria e pouca esperança.

 

250

00:23:32,900 –> 00:23:36,966

Desesperança pode levar um indivíduo a

apostar qualquer coisa por amanhã melhor

 

251

00:23:37,700 –> 00:23:41,700

Para ter a bênção de se libertar da fome hoje!

 

252

00:23:50,233 –> 00:23:54,233

Terra Conturbada

 

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

39 comentários

  1. “O” Dia
    Urariano,

    Te congratulo; que notícia maravilhosa e que conquista merecida pelo esforço aplicado.

    Além de Cervantes, a Terra Conturbada a enfeitar este dia.
    Assistirei e talvez volte para comentar.

    Comemore! Como tua patrícia te agradeço o resgate – créditos ao Felipe pela generosidade em compartilhar – e a divulgação cuidadosa deste tesouro, parte da nossa história.

    Parabéns !!

  2. Backup
    Vai que algum governo solicite a remoção do vídeo, é bom garantir uma cópia de segurança.
    Cathvideo.net

    Depois, tenho que salvar as legendas no bloco de notas, salvando com o mesmo nome do filme e extensão .SRT.
    Vai que eu esqueça a tradução das falas e é melhor me garantir.

  3. Urariano, da proxima vez

    Urariano, da proxima vez entre “nome do filme” no google video, em aspas.

    video.google.com

    Eh o primeiro resultado, como voce pode ver:

    https://www.google.com/search?tbm=vid&hl=en&source=hp&biw=&bih=&q=%22Brasil+the+troubled+land%22&oq=%22Brasil+the+troubled+land%22&gs_l=video-hp.3…15200.23709.0.24345.26.14.0.12.0.1.254.1591.0j5j3.8.0….0…1ac.1.34.video-hp..21.5.947.67l9Kl5Aoyc

    Eu sempre acho quase tudo que procuro.  Quando eh o caso, se livre do youtube e outros chatos assim:

    “nome do filme” -youtube -hulu -outroschatos  (eh um sinal de menos)

    Eh so.

  4. Sobre Helen Rogers

    Meu Caro Urariano

    Sobre a Helen Rogers, que, nas suas palavras, seria “uma bem intencionada cineasta enviada pelos EUA ao Nordeste do Brasil”, seria prudente verificar se esta cineasta não foi a “estudante” Helen Rogers, enviada pelos EUA no final da década de 1940, para, como assessora da ala direitista do movimento estudantil, tumultuar a campanha o Petróleo É Nosso. Dentre os registros sobre a Helen Rogers “estudante”, um livro de autoria de Arthur José Poerner, cujo título, se não me engano, seria “Poder Jovem”, traz informações bastante elucidativas. Um abraço.  

  5. CONGRATULAÇÕES
    Parabéns por nos mostrar que mesmo tendo passado anos o tema continua tão atual. Que mesmo o Brasil tendo se desenvolvimento e passado a fazer parte deste mundo globalizado o problema central é o mesmo.
    A elite se perpetua no poder e o povo continua sendo espoliado. É preciso que todos se conscientizem disso, mas para tanto é necessária uma educação que infelizmente não temos no Brasil. Fico muito triste e seguro as lágrimas.

    • Salve

      Urariano,

      aproveitando todas as dicas deixadas pelos comentaristas – pena não terem se manifestado antes, talvez a tua espera tivesse sido encurtada – também vou salvar o filme, as legendas, tudo (*). 

      Conquistas fáceis são perdas fáceis. O tanto que você procurou pelo filme, é o tanto que você agora o valoriza; ao menos foi essa a minha percepção pois o teor do post demonstra tua satisfação por tê-lo encontrado e por desejar compartilhar o achado com todos.

      Tão logo tenha um tempinho sossegado – filhos e netos não me permitem muito – vou assistir a peça e volto para um comentário breve.

      Parabéns mais uma vez!

       

      (*) Backups são sempre apropriados e valiosos caso precisemos mais tarde verificar algum dado importante ou checar acessos, fazer citações, identificar autorias. Nestes tempos “tecnológicos”, de notes, nets, pads, celulares, é sempre bom manter logs com os registros; e os backups são a segurança necessária. Tem razão o dflopes.

  6. A culpa

    “…pois este filme foi feito justamente para que o Brasil não se tornasse uma nova Cuba.”

    Os coronéis e políticos em geral donos do poder no Nordeste dariam gargalhadas lendo tal enunciado sociológico. 

  7. video BRASIL THE TROUBLED LAND

    Parabéns Urariano.

    Sempre tive interesse em ver esse video. Todos os que estudam e amam o Nordeste sempre demonstraram o interesse no video. Você deu uma contribuição a pesquisa sobre o Nordeste imensa.

    Att,

    William

  8. O acesso ao endereço da

    O acesso ao endereço da legenda está proibido, por favo se alguem baixou a mesma pode postar para que baixemos?

    Grato.

     

  9. Importante

    Urariano,

    que interessante.  Importante mesmo compartilhar estas informações.  As pessoas – eu incluído até este momento – sequer imaginam quem este filme exista.

    Detalhes técnicos à parte, já solidariamente tratados por alguns comentaristas, estou compartilhando para dar conhecimento aos meus amigos da existência do filme.

    Obrigada.

  10. Também dos arquivos da Indiana University

    Há pouco meses, um pesquisador brasileiro descobriu nessa mesma universidade americana, Indiana University, as únicas gravações da voz de Mário de Andrade, um de nossos principais artistas e intelectuais modernistas, que era inclusive etnomusicólogo. Raquel de Queiroz e Mary Pedrosa também participam das gravações feitas em 1940 pelo pesquisador americano Turner. Lado A: “Aribu” (proveniente do Ceará), “Zunzum” (peça do final do século XVIII, usada nas rodas de bebida, originária de Minas Gerais), “Tava muito doentim” (colhida por Ascenso Ferreira e Mestre Rozendo, em Pernambuco), “Deus lhe pague a santa esmola” (cantiga de mendigos colhida por Mário de Andrade em Catolé do Rocha, no interior da Paraíba) e “Toca zumba” (composta por Gomes Cardim, após a abolição da escravatura); Lado B: os três conversam sobre as melodias cantadas e Rachel de Queiroz canta “Meu irmão me dê uma esmola”. Também, pode-se escutar as vozes de Mário Pedrosa e do escritor Pedro Nava.

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=vIniBGlkUuU%5D

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=ux5DQv8Db6I%5D

     

     

     

  11. Vem à memória um dia em que

    Vem à memória um dia em que li algo assim por parte de ideologia do império americano: É  preciso agir preventivamente para impedir que os pobres acreditem na esperança da justiça econômica”

    A mesma coisa estarrecedora da política do Big Stick ou o Destino Manifesto

    Daí a atuação americana pelos think tanks, da espionagem, do Serrra contra o presal

  12. Que sabado

    Que sabado!!!!!! Vem à memória um dia em que li algo assim por parte de ideologia do império norte americano: É preciso agir preventivamente para impedir que os pobres acreditem na esperança da justiça econômica” A mesma coisa estarrecedora do política do Big Stick ou o Destino Manifesto Daí a atuação americana pelos think tanks, da espionagem, do Serrra contra o presal

  13. Ainda sobre Helen Rogers

    Caro Urariano

    Em comentário anterior, eu chamava a atenção para a cineasta do documentário – Helen Rogers – mesmo nome de uma agente estadunidense enviada ao Brasil durante a campanha o Petróleo É Nosso, a fim de assessorar os estudantes de direita a tumultuarem a campanha.

    Nos créditos, ao final do documentário, está lá o nome completo da moça: Helen Jean Rogers. Com o nome completo, os resultados de busca no Google (ver links abaixo) não deixam dúvida – é a mesma pessoa, sempre a serviço da CIA. No início da década de 1950 veio como estudante. Cerca de dez anos depois, como cineasta.

    O que parece mais provável é que o documentário – que esteve guardado “à sete chaves”, durante cinco décadas – não tinha como finalidade fazer qualquer denúncia, nem levar ao conhecimento da opinião pública, o estado de pobreza e injustiça a que estavam submetidos os camponeses no Brasil. Considero mais provável que a finalidade do documentário foi ajudar a convencer, a quem tinha interesses e poder, a evitar uma solução pela via revolucionária. O golpe de 1964, sob a regência da CIA, não foi, obviamente, planejado e executado sem amplo conhecimento de causa.

    Um abraço.      

    https://books.google.com.br/books?id=lhDo0-A71SYC&pg=PA523&lpg=PA523&dq=%22helen+jean+rogers%22+brazil&source=bl&ots=cf-wKvk9yb&sig=CR4YIJ6LDKZtqVPp5RJbgLUjIQk&hl=en&sa=X&ved=0CB8Q6AEwAGoVChMIudaQ1saByQIVwgqQCp-6ARy#v=onepage&q=%22helen%20jean%20rogers%22%20brazil&f=false

    https://books.google.com.br/books?id=U9ZtBgAAQBAJ&pg=PA117&lpg=PA117&dq=%22helen+jean+rogers%22+brazil&source=bl&ots=yJ3S7qB8MJ&sig=44rspH4axg4PMAvQR78AQXE6iLo&hl=en&sa=X&ved=0CCQQ6AEwAmoVChMIudaQ1saByQIVwgqQCp-6ARy#v=onepage&q=%22helen%20jean%20rogers%22%20brazil&f=false

    https://books.google.com.br/books?id=lhDo0-A71SYC&pg=PA600&lpg=PA600&dq=%22helen+jean+rogers%22&source=bl&ots=cf-wKuscyc&sig=G3kH0SUEUye1SiOuh-E9wWSgi-w&hl=en&sa=X&ved=0CDkQ6AEwCGoVChMIrtOCrMCByQIVAr2QCh0eyww-#v=onepage&q=%22helen%20jean%20rogers%22&f=false

    https://books.google.com.br/books?id=U9ZtBgAAQBAJ&pg=PA139&lpg=PA139&dq=%22helen+jean+rogers%22&source=bl&ots=yJ3S7pJbMK&sig=Bo2FnbykK4LratsJ5mleui4b72g&hl=en&sa=X&ved=0CFAQ6AEwDWoVChMIrtOCrMCByQIVAr2QCh0eyww-#v=onepage&q=%22helen%20jean%20rogers%22&f=false

    https://books.google.com.br/books?id=uCOrNL9jPJsC&pg=PA147&lpg=PA147&dq=%22helen+jean+rogers%22&source=bl&ots=frM6ZXs0YU&sig=VGtzlA7XPs6wIpWl-6tRLyocKg4&hl=en&sa=X&ved=0CCMQ6AEwAjgKahUKEwjsw6PrxIHJAhWGj5AKHTSOAFc#v=onepage&q=%22helen%20jean%20rogers%22&f=false

    https://books.google.com.br/books?id=uCOrNL9jPJsC&pg=PA147&lpg=PA147&dq=%22helen+jean+rogers%22+brazil&source=bl&ots=frM6ZXs5XX&sig=z457ktoRiMGARtdEiXDdRTsSqag&hl=en&sa=X&ved=0CCcQ6AEwA2oVChMIudaQ1saByQIVwgqQCp-6ARy#v=onepage&q=%22helen%20jean%20rogers%22%20brazil&f=false

    • Muito bom, Américo

      Salve, Américo Portulano. A tua pesquisa é boa ilustração da frase no começo do artigo: “mais fortes são os poderes da pesquisa coletiva na internet”.  Essa luz que você nos traz, e que ninguém no Brasil sabia, é mais uma contribuição à busca que iniciei, movido pela literatura. Eu e a torcida do Sport Club do Recife agradecemos.

  14. Obrigado Uraniano! Adicionado a Wikipédia

    Fiz questão de adicionar o link à página do Francisco Julião na wikipédia. 

     

    Muito bom o processo de pesquisa feito por você. E estou agraciado por você ter tido sucesso. Sou estudante de história, e qualquer documento pré-ditadura é essencial para entender toda a conjuctura que passamos e estamos prestes a passar novamente.

     

    Novamente obrigado.

  15. Celeste Vidal

    Obrigada, Urariano

    Me interessa muito. Irei assistir e legendar para divulgação.

    Estou fazendo um doc sobre Celeste Vidal, que esteve ombreada com os camponeses nesta luta pela Terra, ao lado de Chico Julião.

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome