O massacre de Lidice, na Segunda Guerra Mundial

Por Andre Araújo

O MASSACRE DE LIDICE – Em 10 de Junho de 1942, tropas da SS trancaram numa igreja todos os habitantes homens da pequena cidade de Lidice, perto de Praga, na Tchecoslováquia, foram todos executados a tiros. As mulheres e crianças foram enviadas ao campo de concentração de Ravensbruck, onde a maioria morreu de tifo e inanição. A ação foi uma represália pelo assassinato de Reinhard Heydrich, segundo homem mais importante da SS, que tinha o posto de Protetor (Reichsprotektor) da Tchecoslováquia ocupada. Heydrich só estava abaixo de Himmler, que o temia.

Heydrich foi assassinado pela Resistência Tcheca quando desfilava com sua limousine Mercedes conversível pelas ruas de Praga. A represália alemã foi duríssima, contando com o massacre de um total de 1.500 tchecos pagaram com a vida pela morte de Heydrich, a repressão foi a mais dura possível, alguns se suicidaram antes de ser presos.

Reinhard Heydrich era um homem especialmente cruel, Hitler o adorava e foi Heydrich o autor intelectual da “”solução final”” na célebre conferência de Wansee, presidida por ele em 20 de janeiro de 1942, em uma suntuosa residência no lago de Wansee nos subúrbios de Berlin e na qual expôs com minúcias todo o plano do holocausto contra os judeus.

Os autores do atentado a Heydrich vieram de Londres, entraram no territorio tcheco de  paraquedas, depois de devidamente treinados na Inglaterra, vieram com armamento e explosivos especialmente para o atentado.

Heydrich tinha origem na Marinha alemã (Kriegsmarine) e lá teve graves problemas disciplinares na orgulhosa e tradicional corporação devido a questões de mulher, chegando a ser expulso da Marinha.

Refez sua carreira dentro do nazismo, era exímio violinista e com um verniz de refinamento.

O massacre de Lidice teve um tratamento especial pela propaganda alemã. Invés de escondê-lo, os nazistas fizeram questão de divulgá-lo ao máximo como advertência aos povos subjugados da Europa ocupada pelo Terceiro Reich.

O massacre provocou indignação mundial e foi usado pelos Aliados como contra-propaganda anti-nazista.

Foi um dos atos mais marcantes da Segunda Guerra, prelúdio de outros massacres que se seguiram.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

15 comentários

  1. Massacre? Mas teve fim.
      O

    Massacre? Mas teve fim.

      O massacre sem fim:

          

    PF prende 11 pessoas em operação de combate à lavagem de dinheiro

    GABRIEL MASCARENHAS
    DE BRASÍLIA

    A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (11) uma operação de combate a um esquema internacional de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Ao todo, 11 pessoas já foram presas.

    Os policiais ainda cumprem 30 mandados de busca e apreensão na cidade de São Paulo e em outras três do Estado (Araras, Indaiatuba e Santa Bárbara do Oeste), em Resende (Rio de Janeiro), além de Curitiba (Paraná).

    De acordo com a PF, o Coaf (órgão de inteligência vinculado ao Ministério da Fazenda) identificou movimentações financeiras com indícios de lavagem de dinheiro que somam cerca de R$ 3 bilhões, realizadas nos últimos três anos.

    A quadrilha usava empresas para simular importações de produtos. As operações, no entanto, eram fictícias ou ilegais e tinham como objetivo apenas lavar dinheiro.

    Parte das mercadorias foi superfaturada em até 5.000% para falsear remessas de dinheiro vindas da Venezuela. Em seguida, o grupo fazia empréstimos e importações fraudadas para enviar os recursos para Hong Kong.

    Segundo a PF, a evasão de divisas e a lavagem de dinheiro ocorriam no Reino Unido, na Venezuela, nos Estados Unidos em Hong Kong e no Brasil.

    Em outra frente de ação, empresas brasileiras contavam com a cumplicidade de operadores do sistema financeiro, bancos e corretoras de valores para realizar transações comerciais fraudadas, entre elas as importações fictícias.

    CRIMES

    As investigações fazem parte da Operação Victoria, iniciada em 2014. Na ocasião, a agência de Imigração e Alfândegas dos Estados Unidos identificou um brasileiro suspeito de integrar a quadrilha. Os investigados deverão responder pelos crimes de lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta de instituição financeira e organização criminosa

    • O massacre que parece não ter

      O massacre que parece não ter fim neste Portal é o perpetrado por mal-educados que desrespeitam acintosamente a temática dos posts publicados. Os blogs e Fora de Pauta são espaços para inserirmos nossos textos e não contrabandeá-los no de terceiros. 

      • Eu esperei um bom tempo pra

        Eu esperei um bom tempo pra responder.Veja a hora de sua escrita( que eu li) e veja agora.

            Espero que ninguém leia.Nem vc. Mas se ler atente pra detalhes:

                 1 Não sou cadastratrado no blog. Portanto tenho que aguardar mediação do blogueiro.

                     2 O blogueiro aprovou. Não gostou? Reclama com ele e não comigo.

                       3 Vc é a dona Solange do blog? —eu sei que é pedir muito vc saber quem foi a dona ou dra. Solange.

                    4 O que meu comentário ”desrepeita acintosamente” a leitura?

                        5 Quem define ‘o que pode ou deve ser publicado não é vc.

                        6 Aonde se sentiu incomodado com isso, além da sua ESTUPENDA inveja?

                    7 Veja o horário em que escrevo.

                     8 Quem é vc pra me tutelar?

                      9 Sugiro que vc rasgue sua carteirinha de petista aposentado e CRESÇA .

                       10  Eu sou ODIADO neste blog.Sabe por que? Porque VERDADES incovenientes incomodam.

                         E por último: Eu escrevo, SABENDO que serei contestado.Porque petistas não pensam.

                                 São robotizados ! 

  2. Quem quiser saber mais.

    Há um ótimo filme televisivo -Conspiração – que mostra uma reunião do alto escalão nazista decidindo sobre a “solução final”.

  3. Botox

    Javier Marías, esplêndido romancista espanhol, conta sobre o atentado a Heydrich uma história que correu na época, não se sabe se verdadeira. A história é sinistra, mas tem um aspecto curioso: Heydrich foi vítima de um atentado com toxina botulínica, o botox tão popular hoje em dia para usos estéticos. Passo a palavra ao Marías (Seu rosto amanhã, II – Febre e lança). Ah, o SOE de que fala o texto era o Special Operations Executive, uma organização britânica, dissolvida logo depois da Guerra, dedicada “à sabotagem, à subversão, aos assassinatos, à destruição, ao terror”.

    “Eles acabaram com Heydrich, por exemplo, o protetor do Reich na Boêmia e Morávia, uma das maiores façanhas deles, como estavam eufóricos em 42. Foram dois resistentes tchecos que lançaram as granadas no carro dele e o metralharam, mas a operação tinha sido concebida e organizada pelo coronel Spooner, um dos chefes do SOE. Com escassa previsão, cálculo ruim e execução regular, claro, talvez você tenha ouvido falar desse episódio ou tenha visto no cinema, não sei se você se interessou muito pela Segunda Guerra Mundial. Heydrich não sofreu ferimentos necessariamente mortais; acreditou que escaparia, e cada dia da sua convalescença (que acabou sendo sua agonia) era pago por cem reféns fuzilados ao anoitecer. Levou uma semana para morrer, imagine, e se de fato morreu foi, dizem, porque o veneno que havia nas balas acabou produzindo um efeito muito lento. Bem, isso segundo os alemães: disseram que haviam sido impregnadas de toxina botulínica trazida da América pelo SOE, não sei, pode ser que os médicos nazistas tenham metido os pés pelas mãos, quiseram salvar a pele e inventaram isso.”

  4. O horrível massacre de Lídice

    O horrível massacre de Lídice reverberou à época  com mais intensidade tanto por envolver civis inocentes, máxime crianças, e o Mundo até então  não saber da extensão e magnitude da máquina de Morte nazista que se revelaria ao longo e depois do conflito. O horror imposto pelos chamados Grupos de Ação, vinculados às SS, na retaguarda dos avanços do exército nazista  na Frente Oriental, deixaria para trás(se possível tal comparação) a tragédia de Lídice. 

    Cria do Almirante Wilhelm Canaris, chefe da ABWEHR(espionagem militar), esse Heydrich era um monstro temido não só por Himmler, mas até mesmo por Hitler, segundo alguns historiadores. Se não tivesse sido assassinado provavelmente teria sido apontado por este como seu sucessor. 
    E tinha sangue judeu nas veias. Detallhe que talvez o induziu a um anti-semitismo mais extremado. 

  5. 15 dias depois,

     O segundo massacre de outra aldeia tcheca, Lezâky, local onde a Gestapo encontrou um dos transmissores da SOE e o corpo de um dos comandos enviados A. Bartos, em consequencia dia 24/06, esta aldeia foi arrasada, todos os habitantes mortos, algumas mulheres e crianças enviadas para o KZ de Chelmno.

  6. A SOE errou ?

      Foi uma operação suicida desde o inicio, conduzida quase sem avaliação de inteligência e de percepção politica, sobre a reação mais que provavel dos alemães face o atentado, contra alguem como Heydrich, aliás mata – lo enquanto Reichsprotektor de Boemia & Moravia, sendo que ele estava em descenso claro na maquina nazista, beneficiou muitos de seus inimigos dentro da próprio NSADP, nas SS muitos o consideravam irresponsavel, no minimo, tanto que o “escantearam” do RSHA /Berlim para Praga – diagmos: “ele caiu para cima na hierarquia do poder”.

       K. Neurath, Karl Franck ( ex de R.H. como RPk B&M e seu substituto ) e K. Daluege ( executor de Lidice e Lizeky, a ordem de K. Franck ), todos em Praga, acharam ótimo a morte de R.H..

       Em Berlim, os maiores inimigos de R.H., como H. Himmler e principalmente seu maior desafeto politico, o fugidio e desaparecido – unico grande assassino das SS que nunca esteve frente a um tribunal – que substituiu R.H. no RSHA e comandava toda a Gestapo, Heinrich Müller, não considerram a morte de R.H. uma “perda”.

        Qual a vantagem obtida com a operação da SOE ? 

       

       

    • Meu caro Junior, concordo com

      Meu caro Junior, concordo com vc. Foi uma operação irresponsavel, sem valor estrategico. não alterou em nada o curso da guerra, Heydrich foi prontamente substituido por outro SS da mesma laia e custou a vida de 1.500 civis inocentes.

      O homem era tão ruim que festejou-se sua morte na propria SS. Era especializado em montar dossiê e guarda-los para uso a qualquer momento. Dizia-se que tinha dossiê inclusive do Fuhrer.

      Não faltavam carniceiros na SS, Muller, Kaltenbruner, Eichman (este de baixo nivel), Pohl, Sepp Dietrich, o unico mais “civilizado” (relativamente) era Karl Wolff, o  top SS que não foi a Nuremberg por causa da Operação Sunrise e seus acordos secretos com a OSS (a partir de 1947 conhecida como CIA) e tambem et pour cause, Wolff tinha aparencia

      de aristocrata, em trajes civis parecia um banqueiro da City londrina, alem disso falava inglês e sabia manejar talheres.

       

      • 30/06/1934 – A noite dos Longos Punhais

           Ditaduras, não importando em qual limte do espectro ideológico são montadas, não são estruturas monoliticas em seu desenvolvimento, tanto que a depuração das SA na noite dos longos punhais, foi a forma que Himmler e seu a época lugar-tenente Reinhard Heydrich, após a confecção de seus famosos e copiosos dossiers, convenceram a cupula do NSDAP, que Ernest Röhm – Chefe das SA – e Gregor Strasser – ambos nazistas fundadores do partido – preparavam um golpe de Estado contra Adolf Hitler, e partiram para a eliminação de mais milhares de SAs nazistas, em 30/06/34.

            Alguns dos SAs que sobreviveram e incorporados posteriormente as SS, como Franck , não esqueceram do perigo representado por Heydrich.

             Governos ditatoriais, com base na força, são os melhores sistemas politicos para continuas traições.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome