O pensamento marxista de Carlos Nelson Coutinho e Lukács

Comentário ao post “A morte do filósofo Carlos Nelson Coutinho

Carlos Nelson Coutinho se considerava o último marxista no Brasil. Seus seguidores e amigos não deixarão que essa afirmação prevaleça.

Poucos tiveram a sensibilidade e perspicácia necessárias para eleger Lukács como referência para a leitura do marxismo. Seus manuscritos foram censurados durante muitos anos.

No fim da carreira, Lukács repudiou as idéias de “História e Consciência de Classe“, em particular a crença noproletariado como sujeito-objeto da história (1960: posfácio da tradução francesa), mas escreveu uma defesa deles, assim como fizera em 1925 e 1926. Este livro Lukács chamou “A Defesa de História e Consciência de Classe” e somente foi publicado em húngaro, em 1996, e inglês, em 2000. Esta obra talvez tenha sido o mais importante texto marxista desconhecido do século XX.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome