IPCA-15 desmente terrorismo de Campos Neto

No mês de maio-2024, a alta foi de 0,44%. Com esse dado, o acumulado de 12 meses baixou de 3,77% para 3,70%.

Agência Brasil

A taxa do IPCA-15 no acumulado de 12 meses sofreu nova queda, para desmentir o terrorismo do presidente do Banco Central Roberto Campos Neto.

No mês de maio-2024, a alta foi de 0,44%. Com esse dado, o acumulado de 12 meses baixou de 3,77% para 3,70%. Em setembro de 2023, quando saíram do índice as manipulações com imposto sobre combustíveis, da era Paulo Guedes, o índice de 12 meses bateu em 5%. De lá para cá houve queda contínua, com alguns pequenos soluços.

Em maio, os maiores impactos foram do item Transportes – que respondeu por 0,16 dos 0,44 -, e Saúde e Cuidados Pessoais – com 0,14.

Em 12 meses, as maiores altas foram de Tubérculos, Frutas, Cereais e Leguminosas e Emplacamento e licença. As maiores quedas fora de Carne, Leite e Derivados e Gás de Butijão

Mas os maiores impactos no índice final foram Transportes, Saúde e Cuidados Pessoais e Alimentação e Bebida. E as maiores quedas foram Carne, Leite e Derivados e Automóveis Usados.

Leia também:

Luis Nassif

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. A míRdia finge que faz comerdarismo, digo comentarismo econômico-financeiro, falando apenas o que interessa a seus donos e comparÇas participantes desta festa.
    Vc não ouve dela que QUEM PAGA esses bilhões mensais de juros não é o “governo”, mas o CONTRIBUINTE que está de fora da festa.
    Vc não ouve dela que o governo “precisa cortar despesas” FINANCEIRAS que não circulam na economia real e correspondem a cerca de 45% do que se gasta do orçamento, mas insistem nos cortes em cima dos que estão fora da festa, comprando BENS E SERVIÇOS REAIS.
    Vc não ouve dela que se o preço de coisas como o PETRÓLEO ou os GRÃOS ou algum insumo básico por causa de alguma guerra, pandemia ou desastre natural subirem, o aumento de juros além de ÃO REMEDIAR EM NADA esta “inflação”, DIFICULTA a economia e sua normalização.
    Vc não ouve dela que os ~45% do orçamento reservado para o “SAGRADO” PAGAMENTO DE JUROS, aleija o governo de investir em educação, saúde, moradia, saneamento, segurança, ciência e tecnologia, meio ambiente, social e tantas outras carências prioritárias que o braZil precisa, com urgência, para os que estão fora da festa (a maioria).
    Talvez por uma dissonância cognitiva em meu cérebro, desconfio que ela defende e participa desta festa, porque AO CONTRÁRIO de fazer “baixar a inflação”, os juros precisam subir para COMPENSAR qualquer inflação, seja ela de 1,5%, 15% ou 150%. O que importa é o diferencial de GANHO.
    PoiZé, só desconfio…

  2. Com a liberação da mentira pelos supostos parlamentares brasileiros e a aprovação do decreto que reduz das exigências para armas de fogo, o Brasil fica mais próximo de ser uma terra de ninguém, e terra sem lei.
    Enquanto os eleitores permitirem, através de seus votos, que vampiros sangue sugas do dinheiro público; que pessoas estúpidas, imbecis e ignorantes com o que é correto, com o que é verdade, com o que é para o bem comum, com o que é para o bem do país, das famílias e para a natureza, enquanto eleitores e eleitoras permitirem que tudo aconteça porque se acham possuidores das regras demoníacas, apenas por formarem maiorias e satisfazerem as suas vaidades e egoísmos, não percebem que contribuirem para enfraquecer a lei, a ordem e o progresso.
    Água mole em pedra dura, um dia arrebenta com a pedra. Quando conseguirem arrebentar com o Brasil, todos e absolutamente todos nós seremos destroçados como ele, sem volta e sem nenhuma chance de nós erguermos outra vez.
    Terra sem lei e imperada pelo caos da violência, pelos gatilhos das armas e pelas quadrilhas mais fortes e mais violentas.
    Terra onde a pessoa pagará o pedágio para viver ou se tornará menos uma pessoa improdutiva.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador