Escocês elogia pontualidade dos voos no Brasil

 

Jornal GGN – O jornalista escocês Gary Meenaghan, de 30 anos, veio ao Brasil para cobrir a Copa do Mundo e elogiou o país e disse que pegou 29 voos sem atraso em 28 dias. Na última sexta-feira, via twitter, ele escreveu “Parabéns, Brasil”, antes de embarcar no 29o voo para o Rio de Janeiro para acompanhar a final do Mundial.

O escocês afirma que a experiência superou suas expectativas, já que ele veio ao país anteriormente para cobrir outros eventos e dizia que alguns aeroportos ‘talvez fossem pequenos demais’. “A minha experiência dos aeroportos foi ótima. Todos os voos que peguei estavam no horário, despachei mala em todos os voos, e nunca tive nada perdido ou roubado, e todas as malas sempre apareceram na esteira bem rapidamente”, afirmou.

De acordo com o portal G1, o índice de atrasos durante a Copa foi igual ou abaixo da média em comparação ao mesmo período do ano anterior em nove de dez aeroportos com dados disponíveis para os dois anos.

Do G1

 
Jornalista escreve para diário dos Emirados Árabes Unidos.
 
Ele pegou 29 voos em 28 dias e visitou 10 das 12 cidades-sede na Copa.
 
Ana Carolina Moreno

O escocês Gary Meenaghan, de 30 anos, foi um de centenas de jornalistas estrangeiros que viajaram por todo o Brasil a trabalho durante a Copa do Mundo. Repórter esportivo do jornal “The National” dos Emirados Árabes Unidos, Meenaghan assistiu de dentro do estádio a 17 jogos do mundial de futebol em dez das 12 cidades que sediaram o evento. Para chegar a todos esses lugares, ele pegou 29 voos em 28 dias, e comemorou o fato de nenhum deles ter atrasado.

“Parabéns, Brasil”, escreveu  no Twitter na noite de sexta-feira (11), antes de embarcar no 29º voo, com destino ao Rio de Janeiro, para assistir à final entre Alemanha e Argentina no Maracanã.

“[A experiência] superou minhas próprias expectativas. Por exemplo, eu nunca pensei que poderia passar o torneio inteiro sem um voo atrasado. Já tinha quase aceitado que seria inevitável acabar perdendo um ou dois jogos por causa de atrasos”, disse Gary. No fim, ele acabou sendo impedido de assistir a um jogo no Recife, mas, segundo ele, o problema foi uma enchente na cidade.

O jornalista já tinha estado no Brasil outras vezes para cobrir eventos esportivos como Fórmula 1 e a Copa das Confederações, e no fim de março também visitou o país para produzir reportagens sobre os preparativos da Copa. “Eu tinha visitado o Brasil várias vezes antes, de férias e a trabalho, então eu sabia que alguns aeroportos talvez fossem pequenos demais ou precisavam de um upgrade. O que as pessoas ficaram me dizendo foi que os voos estavam sempre atrasados e que despachar bagagem seria um grande problema porque ela poderia ser perdida ou roubada. Aconselharam a não fazer o check-in da mala”, disse ele em entrevista ao G1.

A expectativa, porém, não se refletiu na realidade. “A minha experiência dos aeroportos foi ótima. Todos os voos que peguei estavam no horário, despachei mala em todos os voos, e nunca tive nada perdido ou roubado, e todas as malas sempre apareceram na esteira bem rapidamente”, contou.

Atrasos abaixo da média
A experiência do escocês é melhor do que  mostram as estatísticas do que aconteceu nos aeroportos das 12 cidades-sede durante o Mundial. Segundo levantamento do G1, o índice de atrasos durante o período da Copa ficou igual ou abaixo da média em comparação ao mesmo período do ano anterior em nove de dez aeroportos com dados disponíveis para os dois anos. O índice médio de atrasos nos 21 aeroportos brasileiros foi de 7,3% entre 10 de junho e 10 de julho, mais baixo que os 10% registrados em maio (veja mais números sobre a Copa no Brasil). Se Gary tivesse tido atrasos de acordo com essa média, ele teria feito pelo menos dois voos fora do horário, o que não aconteceu.

Nem todos os visitantes tiveram a melhor das experiências no Brasil, no entanto. Um casal de neozelandeses passou 40 dias no país e tinha em mãos ingressos para quatro jogos da Copa do Mundo, mas acabou perdendo um deles porque o atraso em um voo saindo de Foz do Iguaçu os fez perder a conexão para Cuiabá.

“Depois, a empresa ainda queria cobrar R$ 3 mil para emitir novas passagens. Foram bem grosseiros”, afirmou Matthew Williams, arquiteto de 25 anos, que viajou com Anna Delahunty, professora de 24 anos.

Os dois passaram pelo Rio, Foz do Iguaçu, Curitiba, e estiveram em Cuiabá durante duas semanas. Segundo os neozelandeses, o atraso do voo foi a única experiência negativa que tiveram no Brasil. Eles elogiaram a recepção e a ajuda que receberam dos brasileiros e disseram que acharam fácil planejar e curtir a viagem de 40 dias.

Gary, o jornalista escocês que mora nos Emirados Árabes Unidos, afirma que também cuidou do planejamento de sua viagem sozinho e comprou a maioria das passagens de avião entre janeiro e fevereiro deste ano. “Comparado à busca por hospedagem, achar voos foi bem fácil. Mas montar o meu cronograma foi complicado, porque eu não estava seguindo um time específico e queria chegar a cada cidade um dia antes do jogo para participar das entrevistas coletivas pré-jogo”, afirmou ele, que no fim conseguiu credencial para assistir a 17 partidas.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

16 comentários

  1. nos jornais da manhã de hj,BandNews e Itatiaia

    estas radios já estão a fazer o contraponto e deixando claro que esta aberração do Brasil ter voos no horario foi MAQUILAGEM pra Copa e NADA tem a ver com a realidade de passageiros sentados no chao à espera de voos por atrasos climaticos, etc.

    Para eles, nada mudou. O Brasil continua a M* que sempre foi…

    #SóCassandoConcessão !!!

  2. Senti ao vivo.

    Durante a copa viajei a trabalho para Maceió. Todos os voos rigorasamente no horário e na volta chegou com 15 minutos de antecedência. E foi com a mesma Avianca da foto em tela.

  3. Alguma coisa está fora da

    Alguma coisa está fora da ordem. Nassif, você não viu o caos? Hordas de agitadores nas ruas, incontroláveis, empunhando suas bandeiras e gritando ameaçadores palavras de ordem contra os oponentes, mais de três milhões de simpatizantes presos dentro de estádios berrando loucamente e cantando compungidos  hinos de conteúdo ideológico alienígena? E nos aeroportos? Meus deus………gente voando pra todo lado. E o incidente diplomático que nem o Jabor, o mais premonitório e lúcido de todos ousou prever? O russo Putin, entornando toda a sua inveja vermelha, constrangendo a Presidenta  Dilma e falando ameaçador: “EU QUERO VER VOCÊS FAZENDO ISSO É LÁ EM CASA!”. Um horror!  UM HORROR!

     

  4. Hoje, pela manhão, resolvi

    Hoje, pela manhão, resolvi dar uma olhada no tal do Fala Brasil da record. Foi espantoso! As bruacas, as urubologas da record, latindo que os “elefantes” estádios, com o inicio do campeonato b e a  brasileiro, estavam quase vazios, querendo dizer, e disseram, que os estádios construidos com tanto dinheiro, estão às moscas! É mole? A globo-bandeirantes-sbt e escambau, palanques políticos do aócio e a record palqanque político do campos-marina. Gente, me dá vontande de pegar minha cidadania e ir  onde não tenha essa merda jornalística falando tão mal do Brasil, pois, tenho certeza que no exterior ouvirei os elogios que os vira-latas não tem capacidade para fazer ao seu próprio país. Me descupem os não analfas, mas que cidadãos de quinta temos em relação ao amor a se país. A espn, está diezendo que temos que importar tudo da alemanha,  o país “mais perfeito do mundo”, pasmem, porque ganhou a copa. Os cidadãos de quinta, merecem ter esses papagaios que só copiam, não criam nada de inteligente.

  5. é incrível como os interesses

    é incrível como os interesses empresariais contaminam a pauta do pig…(a palavra pauta saiu sem o primeiro a, corrigi, deve ser um lapsus linguae, é isso?)…desde as bruacas da record como disse corajosamente janes, mas certamente elas fazem parte daquelas pessoas que perdem a cidadania mas jamais seus empregos e poderiam ser chamadas de analfabetas funcionais pois lêem o que se escrever como se repetissem obviedades.. maquinalmente, aproveitando o som do m, maquiavélicmente….

  6. padrão fifa

    o sucesso  da  copa  vai exigir  que  esse  serviço  seja mantido.

    porque para a copa os aviões são pontuais  e fora desse periodo  isso não acontece ??

    Ou seja:  yes, we can…  fazer as coisa acontecerem mesmo sem o pontape da fifa.??????

  7. No Bom-Dia Brasil de hoje o

    No Bom-Dia Brasil de hoje o destaque foi para a reunião dos BRICS? Não. A sentença de um obscuro juiz determinando a ANC e as cias. aéreas R$ 10 milhões de reais pagarem, à título de indenização por conta do “KAOS” áereo de 2007, a passageiros prejudicados. 

    Como saber quem são extamente os beneficiários(ou vítímas), o quanto cabe a cada um e porque, só sua magnífica excelência que deu essa sentença esdrúxula saberá. 

    Mas, voltando ao tema principal: pois é, notícias como essa o Bom-Dia não dá. Prefere reacender na cabeça das vítimas, digo, telespectadores a revolta contra o governo e o país.

    Tem jeito não.

  8. Caosaéreo

    Fiquei esperando o tal “caosaéreo”, a falta de hotéis, o caos do transporte urbano, a violência descontrolada da “Der Spiegel”, a epidemia de dengue no inverno, que a mídia tradicional vaticinava, o apagão elétrico, telefônico, da internet, sei lá o que (não falaram de falta d`água porque o assunto é problemático para a imprensa “bola nossa”). E daí ? Auto-crítica ? Quem ? Euuuuuuuuuuuuuuuuu?

    • Primeiro mundo

      Como o futebol foi um desastre, vamos torcer pra que esta situação de Pais de primeiro mundo que os turistas elogiam continue assim o resto do ano.

      Sera?

      • Exactly !

        E durante o período longo antes da Copa, vossa graça, foi o contrário: a mídia isenta especialista em generalidades bradava obviedades ufanistas sobre o futebol brasileiro e sua excelência, sua ginga, etc. Por outro lado vaticinava, com certeza boimateana da veja, que o evento em si seria um fracasso histórico, que marcaria nossa vergonha perante este mesmo Primeiro Mundo citado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome